Início » Minas Gerais » Caiana


Caiana - Minas Gerais



Legenda1

Legenda2

|125px|none|border|Bandeira de Caiana]]

História da cidade de CAIANA - Minas Gerais - MG

Gentílico: CAIANENSE

A história do município tem início em 1856 quando um português, Manoel Francisco Pinheiro, adquiriu de um índio Purí uma gleba de terra com 60 alqueires e alí foi o primeiro a cultivar o café na região. Em 1858, desejando criar um Patrimônio para a Igreja Católica, recebeu por doação de D. Esméria Toledo, proprietária vizinha, uma parcela de terras que hoje constitui o perímetro urbano da cidade. Alí, Manoel Pinheiro edificou a primeira casa e uma capela dedicada a São João Batista. Em 1860, além das duas pessoas citadas, havia se estabelecido também o Sr. Lucas de Almeida Rosa.

Em 1908, quando a ferrovia The Leopoldina Railway Company Limited atingiu o povoado, este contava apenas com a capela e três casas residenciais.

As terras vizinhas eram de propriedade dos Srs. Manoel Francisco Pinheiro, João Cabral de Almeida e Henrique Gripp. A ferrovia fez crescer o núcleo de povoamento. A partir de 1920 e, principalmente durante a segunda guerra mundial, a mineração de mica, feldspato e caolim, foram fatores econômicos explorados aliados à agricultura e à pecuária.

O nome primitivo do povoado foi São João do Rio Preto em homenagem ao padroeiro e alusivo ao rio que corta a cidade. O nome atual, apesar de ser homônimo de uma espécie de cana-de-açúcar comum na região, teve a sua origem na tradição oral, onde se relatavam que, em 1908, quando ali chegou a ferrovia, a maioria dos trabalhadores desta era composta de espanhóis e portugueses. Numa das três casas que existiam residia uma portuguesa, D. Ana Borges, que logo travou um relacionamento comercial com eles fornecendo-lhes água, café e alimentação. Os portugueses chamavam-na, quando para pedir algo da seguinte maneira: "vaim-cai, Ana" ou somente "cai, Ana". O hábito desta expressão, com o tempo, tornou-se o topônimo local.

FORMAçãO ADMINISTRATIVA:

Distrito criado com a denominação de São João do Rio Preto, pela Lei Estadual n.º 843, de 07-09-1923, desmembrados dos antigos distritos de São Sebastião da Barra, atual Espera Feliz e São Mateus, atual Faria Lemos, subordinado ao município de Carangola.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o distrito de São João do Rio Preto figura no município de Carangola.

Assim permanecendo em divisões territoriais datadas de 31-12-1936 e 31-12-1937. Pelo decreto-Lei Estadual n.º 148, de 17-12-1938, o distrito de São João do Rio Preto passou a denominar-se Caiana. Sob o mesmo Decreto o distrito de São João do Rio Preto deixa de pertencer ao município de Carangola para integrar o recém criado município de Espera Feliz.

No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, o distrito de Caiana, ex-São João do Rio Preto figura no município de Espera Feliz.

Em divisão territorial datada de 01-07-1955, o distrito permanece no município de Espera Feliz.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 01-07-1960.

Elevado à categoria de município com a denominação de Caiana, pela Lei Estadual n.º 2764, de 30-12-1962, desmembrado de Espera Feliz. Sede no antigo distrito de Caiana. Constituído do distrito sede. Instalado em, 01-03-1963.

Em divisão territorial datada de 31-07-1963, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

ALTERAçãO TOPONíMICA DISTRITAL

São João do Rio Preto para Caiana, alterado pelo Decreto-Lei Estadual n.º 148, de 07-12-1938.

TRANSFERêNCIA DISTRITAL

Pelo Decreto-Lei Estadual n.º 148, de 17-12-1938, transfere o distrito de Caiana, ex-São João do Rio Preto, do município de Carangola para o de Espera feliz.

FORMAçãO JUDICIáRIA:

A Lei n.º 2.764 de 30/12/1962, que criou o município, subordinou-o à Comarca de Carangola. Posteriormente, com a criação da Comarca de Espera Feliz, passou a fazer parte desta.

Fonte: ROGéRIO CARELLI - Prof. História Contemporânea da Fundação FAFILE-UEMG - Carangola. Sócio-correspondente do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais.

Código do Município

3110103

Gentílico

caianense

Prefeito

MAURICIO PINHEIRO FERREIRA

População
População estimada [2018]5.450 pessoas  
População no último censo [2010]4.968 pessoas  
Densidade demográfica [2010]46,66 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]1,5 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]449 pessoas  
População ocupada [2016]8,3 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]37,2 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]97 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]5.6  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]4  
Matrículas no ensino fundamental [2017]613 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]174 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]54 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]23 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]11 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]1 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]10.967,27 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]86,6 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0.633  
Total de receitas realizadas [2017]15.543,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]15.138,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]14,08 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]1,1 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]6 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]106,465 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]53,9 %  
Arborização de vias públicas [2010]34,3 %  
Urbanização de vias públicas [2010]70,3 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Caiana: Imagens da cidade e Região

imagem de Caiana+Minas+Gerais n-1
imagem de Caiana+Minas+Gerais n-2
imagem de Caiana+Minas+Gerais n-3
imagem de Caiana+Minas+Gerais n-4
imagem de Caiana+Minas+Gerais n-5
imagem de Caiana+Minas+Gerais n-6
imagem de Caiana+Minas+Gerais n-7
imagem de Caiana+Minas+Gerais n-8
imagem de Caiana+Minas+Gerais n-9
imagem de Caiana+Minas+Gerais n-10
imagem de Caiana+Minas+Gerais n-11
imagem de Caiana+Minas+Gerais n-12
imagem de Caiana+Minas+Gerais n-13
imagem de Caiana+Minas+Gerais n-14
imagem de Caiana+Minas+Gerais n-15
imagem de Caiana+Minas+Gerais n-16
imagem de Caiana+Minas+Gerais n-17
imagem de Caiana+Minas+Gerais n-18
imagem de Caiana+Minas+Gerais n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Caiana e arredores.


Você conhece a cidade de Caiana? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: