Início » Minas Gerais » Silvianópolis


Silvianópolis - Minas Gerais



Silvianópolis (antiga Santana do Sapucaí) faz parte do estado de Minas Gerais. A população avaliada em 2004 era de 6.228 habitantes.

O arraial de Santana do Sapucaí, antigo nome de Silvianópolis, surge com a exploração de jazida às margens do rio Sapucaí, em meados do século XVIII, tendo sido a expedição de D. Francisco de Souza quem desbravou a região. Como grande leva de mineradores foram atraídos para o local, o governador de São Paulo nomeou um guarda-mor para a região, seguindo-se um período de disputas de terras entre autoridades de São Paulo e de Minas Gerais. Em 1746, Francisco Lustosa toma posse do arraial de Descoberto do Sapucaí, antigo nome de Santana do Sapucaí, tendo sido criada a paróquia dois anos depois. Posteriormente, com a divisão da região de Sapucaí, Lustosa é substituído pelo capitão Veríssimo de Carvalho. Data desta época o episódio conhecido como Guerra das Canoas, quando Lustosa, às margens do rio Sapucaí, destrói as canoas daqueles considerados invasores mineiros. No ano de 1832 é criado o distrito de Santana do Sapucaí e, ao ser elevado à categoria de município, em 1911, adota a denominação de Silvianópolis em homenagem ao seu ilustre filho, Francisco Silviano Brandão, presidente de Minas Gerais, ao tempo da República Velha.

História da cidade de Silvianópolis

A fundação da cidade de Silvianópolis, a antiga SantAna do Sapucaí, aconteceu em 30 de outubro de 1746, por bandeirantes paulistas. Seu desenvolvimento teve várias fases, e diversas denominaçãoes lhe foram atribuídas: Descoberto do Ouro do Sapucaí, Arraial do Ouro, Freguesia de SantAna, Vila de Silvianópolis, e hoje Silvianópolis.

A pequena Silvianópolis possui grande passado e fascinante história, marcada por lances heróicos de bandeirantes paulistas em lutas com autoridades mineiras. Eles disputavam as minas de ouro, desde a Serra do Coroado até a Serra das Folhetas.

Em 30 de agosto de 1911, a antiga SantAna do Sapucaí foi emancipada e passou a se chamar Silvianópolis, em homenagem a seu ilustre filho, Silviano Brandão, ex-governador de Minas Gerais e Vice-Presidente de República, cargo que não chegou a ocupar devido ao seu falecimento.

SantAna, a soberana de ontem, ou Silvianópolis, a princesinha de hoje.

Os bandeirantes paulistas, que procuraram ouro durante quase um século, adquiriram as minas do precioso metal, que deslumbravam os olhos e o coração dos ambiciosos. Após o período de mineração, que foi de 1746 a 1835, a fase do ouro entrou em decadência e começou o período agropastoril, que vigora até hoje.

Do período da mineração, restam apenas grandes catas (escavaçãoes mais ou menos profundas onde houve mineração) em alguns pontos do município e em dois lagos - Velho e Novo. O primeiro é conhecido como Lago do Alvarenga e, o outro, por Lago dos Bandeirantes. Dos casarãoes coloniais, resta o da família Furtado Teixeira.

Os fundadores da cidade foram: o português Francisco Martins Lustosa, aventureiro inteligente, que tudo fez para que esta região ficasse com o governo paulista, mas não conseguiu; o bandeirante Veríssimo João de Carvalho, paulista de Cruzes do Mogi, grande amigo de Lustosa; e José Pires Monteiro, descobridor do ouro no Ribeirão Santa Bárbara.

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Santana do Sapucaí, pela lei provincial n°.138, 03-04-1838, decreto estadual de 14-07-1832, e lei estadual n°. 2, de 14-09-1891, subordinado ao município de Pouso Alegre.

Elevado à categoria de município com a denominação de Silvianópolis, pela lei estadual n°. 556, de 30-08-1911, desmembrado de Pouso Alegre. Sede no atual distrito de Silvianópolis (ex-povoação de Santana do Sapucaí). Constituído de 2 distritos: Silvianópolis e Espírito Santo do Dourado. Criado pelo mesmo decreto acima citado. Instalado em 05-06-1912.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o distrito de Santana do Sapucaí figura no município de Pouso Alegre.

Assim permanecendo nos quadros de apuração do recenseamento geral de 1-IX-1920.

Pela lei estadual n°. 843, de 07-09-1923, o distrito de Espírito Santo do Dourado tomou a denominação de simplesmente Dourado.

Assim permanecendo em divisãoes territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937.

Pelo decreto-lei estadual n°. 1058, de 31-12-1943, é criado o distrito de Jacarini, com terras desmembradas do distrito de Jangada e anexado ao município de Silvianópolis. Pelo mesmo decreto-lei o distrito de Dourado tomou a denominação de Jangada.

No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, o município é constituído de 3 distritos: Silvianópolis, Jacarini e Jangada (ex-Dourado).

Pela lei n°. 336, de 27-12-1948, o distrito de Jangada volta a chamar-se Espírito Santo do Dourado.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído de 3 distritos: Silvianópolis, Espírito Santo do Dourado (ex-Jangada) e Jacarini.

Pela lei n°. 1039, de 12-12-1953, o distrito de Jacarini passou a denominar-se São João da Mata.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1955, o município é constituído de 3 distritos: Silvianópolis, Espírito Santo do Dourado e São João da Mata (ex-Jacarini).

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960.

Pela lei estadual n°. 2764, desmembra do município de Silvianópolis os distritos de São João da Mata e Espírito Santo do Dourado elevando-os à categoria de município.

Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Alteração toponímica distrital

Santana do Sapucaí para Silvianópolis, alterado pela lei estadual n°. 556, de 30-08-1911.

Fonte: Prefeitura Municipal

Código do Município

3167400

Gentílico

silvianopolense

Prefeito

VITOR NERY DE MORAIS

População
População estimada [2018]6.227 pessoas  
População no último censo [2010]6.027 pessoas  
Densidade demográfica [2010]19,31 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]1,7 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]847 pessoas  
População ocupada [2016]13,4 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]28,4 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]98,4 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]6  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]4,6  
Matrículas no ensino fundamental [2017]676 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]174 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]44 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]17 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]2 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]1 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]19.043,77 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]91,3 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,699  
Total de receitas realizadas [2017]17.132,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]14.617,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]29,85 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]0,2 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]4 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]312,166 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]89,6 %  
Arborização de vias públicas [2010]12,9 %  
Urbanização de vias públicas [2010]16,9 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Silvianópolis: Imagens da cidade e Região

imagem de Silvian%C3%B3polis+Minas+Gerais n-1
imagem de Silvian%C3%B3polis+Minas+Gerais n-2
imagem de Silvian%C3%B3polis+Minas+Gerais n-3
imagem de Silvian%C3%B3polis+Minas+Gerais n-4
imagem de Silvian%C3%B3polis+Minas+Gerais n-5
imagem de Silvian%C3%B3polis+Minas+Gerais n-6
imagem de Silvian%C3%B3polis+Minas+Gerais n-7
imagem de Silvian%C3%B3polis+Minas+Gerais n-8
imagem de Silvian%C3%B3polis+Minas+Gerais n-9
imagem de Silvian%C3%B3polis+Minas+Gerais n-10
imagem de Silvian%C3%B3polis+Minas+Gerais n-11
imagem de Silvian%C3%B3polis+Minas+Gerais n-12
imagem de Silvian%C3%B3polis+Minas+Gerais n-13
imagem de Silvian%C3%B3polis+Minas+Gerais n-14
imagem de Silvian%C3%B3polis+Minas+Gerais n-15
imagem de Silvian%C3%B3polis+Minas+Gerais n-16
imagem de Silvian%C3%B3polis+Minas+Gerais n-17
imagem de Silvian%C3%B3polis+Minas+Gerais n-18
imagem de Silvian%C3%B3polis+Minas+Gerais n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Silvianópolis e arredores.


Você conhece a cidade de Silvianópolis? Então deixe seu comentário!


Comentários (1)

  1. Márcia Porcionato's avatarMárcia Porcionato

    Eu conheço Silvianópolis. Faz 58 anos. Terra do lado materno da minha família, tem lindos e antigos casarões coloniais e uma festa de padroeira, Nossa Senhora de Sant'anna, a mais linda que já vi, com a participação de diversos grupos de congadas tradicionais regionais. Culinária maravilhosa, Povo simpático. Ares salutares e lindas paisagens. Mas falta um bom hotel. E hospital.

    #1 – 03/05/2017 - 00:58

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: