Início » Minas Gerais » Carandaí


Carandaí - Minas Gerais



Carandaí faz parte do estado de Minas Gerais. Conhecido como o Celeiro de Minas Gerais , o município de Carandaí é o maior horticultor de Minas Gerais e está a 1057 metros acima do nível do mar. Divide-se entre o distrito sede, Pedra do Sino e Hermílio Alves.

É cortada pela antiga Estrada de Ferro Central do Brasil e pela Rodovia JK (BR-040). O Coreto localizado na Praça Barão de Santa Cecília; o Cruzeiro, onde temos a vista completa da cidade; diversos Hotéis Fazenda; o Calçadão, onde pessoas de todas as gerações se reúnem aos finais de semana; além de diversas outras praças.

Carandaí faz parte também da Estrada Real. Possui restaurantes que servem comidas tipicamente caseiras. Na cultura destaca-se o grupo de seresta Os Vagalumes, premiadíssimo em diversos festivais, e também as danças de Congado que animam a festa do Sagrado Coração de Jesus.

História da cidade de Carandaí

As primeiras sesmarias doadas na região que atualmente conforma o município de Carandaí datam, pois, da segunda década do séc. XVIII, estendendo-se, de forma contínua, durante todo o período colonial. Tal fato é demonstrado pela constância das sesmarias solicitadas e/ou recebidas ao longo do séc. XVIII.

A Capela de Ressaca foi erigida, pois, como conseqüência da doação de terras para formação do patrimônio religioso, sob a devoção de Nossa Senhora da Glória. Tornou-se possível, a partir de então, o parcelamento das áreas rurais eclesiásticas em lotes urbanos que, aforados, deram origem à construção das primeiras casas e a formação de um povoado. As primeiras casas pertenciam, geralmente, a fazendeiros ou comerciantes ricos.

A provisão ordinária de 7 de janeiro de 1736, que autorizou a construção da Capela de Nossa Senhora da Glória, representa, portanto, a gênese da ocupação urbana em Ressaca. O povoado recém-criado pertenceu, de início, à freguesia dos Prados, termo da Vila de São José del Rei (atual Tiradentes).

O primeiro pároco e talvez mentor das obras de construção foi o Padre Antônio Martins de Moura, que assumiu em outubro de 1741, tendo como ajudante o vigário João Carvalho de Abreu. Como dito antes, Padre Antônio tornou-se proprietário de terras na região de Ressaca, portanto beneficiário direto de um possível processo de urbanização da região.

O povoado da Ressaca surgiu, portanto, não como conseqüência da descoberta de ouro aluvional, mas como infra-estrutura necessária para as atividades agrícolas dos fazendeiros, para as atividades comerciais, de hospedagem e realização de serviços, e ainda para facilitar as atividades fiscalizadoras da Coroa portuguesa.

Em 1771, foi nomeado capelão o padre Antônio da Silva e Santos, filho de Domingos da Silva Santos e Antônia da Encarnação Xavier. Nascido em 1745, Antônio era irmão mais velho de Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes. Antônio estudou em Mariana e ordenou-se padre, sendo seu primeiro cargo justamente o de capelão do distrito de Ressaca da freguesia de Prados, tendo permanecido no cargo até 1789, ano da Inconfidência Mineira. Retirou-se então da vida religiosa, recolhendo-se a uma das freguesias da Vila de Barbacena, onde veio a falecer em 1805.

Ficaram registrados, entre os habitantes de Ressaca no séc. XIX, aqueles que deixaram testamento, significando que possuíam bens de raiz:

Capitão Francisco Gonçalves de Araújo, falecido em 1837, proprietário da Fazenda da Ressaca; Coronel Manoel da Costa Maia, falecido em 1886. Capitão Patrício José da Silva Moura, falecido em 1853 e seu filho Patrício José da Silva Moura, falecido em 1908.Angélica Maria Theresa, falecida em 1850, que teve como testamenteiro Julião José da Silva. Joaquim Vaz da Silva, falecido em 1850, e sua testamenteira Esméria Antônia de Jesus. José da Silva e Oliveira, falecido em 1855. José Martins Ramos, falecido em 1846, morador na Fazenda da Ressaca.

A ESTRADA DE FERRO D. Pedro II e a fundação de Carandaí:

O quartel final do séc. XIX reservaria mudanças significativas para a região Sul de Minas, mudanças que chegariam com a velocidade do trem-de-ferro. Sabendo do projeto imperial de construção da Ferrovia que ligaria Ouro Preto ao Rio de Janeiro, Francisco Rodrigues Pereira de Queirós, o Barão de Santa Cecília, sabiamente adquiriu terras na região onde seria instalada uma estação da E.F. D. Pedro II. O primeiro trecho da Estrada de Ferro fora inaugurado em 1858 e, a partir de então, a malha férrea se estendeu rumo ao interior de Minas Gerais, sobreposta ao trajeto do Caminho Novo dos tropeiros. A linha férrea atingiu Juiz de Fora em 1875 e Barbacena em 1880; chegaria a Ressaquinha em 1881 e a Carandai em 1882.

Talvez seja esse o motivo da elevação de Ressaca à categoria de Freguesia, pela Lei Provincial 1.887 de 15 de julho de 1872, com o nome de Santana da Ressaca resultando na mudança da titularidade da padroeira. Quatro anos mais tarde, enfim, transferiu-se a sede da Freguesia para o local adquirido pelo Barão de Santa Cecília, que recebia o nome indígena Carandahy, onde estava sendo construída uma nova Igreja e alguns sobrados, ponto de partida para a povoação da nova cidade, que de resto quedaria ligada ao povoado da Ressaca por um trecho da antiga Estrada Real. A Freguesia recém-criada passou a se chamar Santana de Carandaí, conforme Lei Provincial 2.325 de 12 de julho de 1876, pertencente à Vila de Barbacena. Ali seria inaugurada, a 28 de outubro de 1881, a Estação da E.F. Pedro II.

Segundo a tradição oral, os primeiros moradores de Carandaí foram o capitão Severino de Moura e Silva, Antônio Patrício de Moura e Cândido Saraiva Nogueira, além do Barão de Santa Cecília.

Consta nos Arquivos da Cúria de Mariana a certidão de aforamentos de terras patrimoniais de Carandahy, concedidas a Francisco José Duarte, Antônio Marques Rollo, Domingos José Martins, Antônio Leão Saint Ives, Maria Candida de Oliveira, Gustavo Coelho da Cunha e José Valente Filho entre 1891 e 1893.

No Boletim Eclesiástico da Diocese de Mariana de julho de 1904, a Paróquia de S. Anna, em Carandahy, já aparece como Paróquia de Segunda Classe, recebendo 300$ (trezentos réis) da Diocese para sua manutenção.

As obras do ramal ferroviário que deveria chegar a Ouro Preto estiveram paradas entre 1881 e 1889, enquanto se construía um pontilhão sobre o Rio Carandaí. O povoado recém-criado tornou-se, assim, o ponto final do ramal, o que trouxe uma grande dinâmica econômica e um grande impulso para o seu crescimento.

Todas essas novidades contribuíram para o esvaziamento de Ressaca, cuja capela foi esquecida e abandonada por muitos, mas não todos. Após a transferência da sede da Freguesia para Carandaí, Ressaca voltou a ser mero Distrito, e sua devoção a Nossa Senhora da Glória permaneceu intocada. No Almanaque Municipal de Barbacena para 1898 consta a notícia de que, em Ressaca, havia uma antiga igreja construída de pedra e ainda em regular estado de conservação, graças especialmente à dedicação da Família Patrício.

Por outro lado, a chegada da linha férrea colocou Carandaí na rota do crescimento econômico e da industrialização, características marcantes do séc. XX em Minas Gerais. Como dito antes, a Estação de Carandaí foi inaugurada em 1881. Em 1950 é inaugurada a variante entre as estaçãoes de Barbacena e Carandaí, via Simão Tamm, já que o traçado original via Ressaquinha era muito sinuoso e de rampas fortes. A estação de Carandaí mudou então de lugar não para muito longe e o atual prédio da estação foi construído.

FORMAÁÁO ADMINISTRATIVA:

A Lei 843 de 7 de setembro de 1923 elevou a Freguesia a Município, com o nome de Carandaí, território desmembrado dos Municípios de Barbacena e Conselheiro Lafaiete. Em 27 de abril de 1924, foi efetivamente instalado o Município. Em 10 de setembro de 1925, a Lei No°893 concedeu a Carandaí foros de cidade.

O primeiro prefeito foi o Dr. Rubem do Vale Amado, que exerceu o mandato de abril de 1924 a maio de 1927, iniciando o governo das oligarquias locais as famílias Rodrigues Pereira e Pereira Baeta.

A Comarca de Carandaí foi criada pelo Artigo 25 do Ato das Disposiçãoes Constitucionais Transitórias de Minas Gerais promulgado em 14-07-1947.

LOCALIZAÁÁO:

Carandaí é um município singular, pois pertence a quatro bacias hidrográficas: Rio Grande, Prata, Rio Doce e São Francisco. Encontra-se na Mesorregião: Campo das Vertentes Microrregião: Barbacena Coordenadas da Sede: Latitude: -20.954 Longitude: -43.806 Área: 486,2 kmo Altitude da Sede: 1.057 m - Clima Tropical, com temperatura Máxima: 33,0o° - Mínima: 9,0o°. Os Municípios limítrofes são: Caranaíba, Cristiano Otoni, Casa Grande, Lagoa Dourada, Prados, Dores de Campos, Barbacena, Ressaquinha, Senhora dos Remédios, Capela Nova e Barroso.

GENTÁLICO: CARANDAIENSE.

ALTERAÁÁES TOPONÁMICAS DISTRITAIS:

Por força da Lei No° 336 de 27-12-1948, foi criado o Distrito de Hermílo Alves, sendoinstalado em 01-10-1949. Pela Lei Estadual No° 2.764 de dezembro de 1962 Divisão Administrativa do Estado de Minas Gerais Anexo I No° 133, criou-se o Distrito de Pedra do Sino, sendo instalado em 28-06-1980, obedecendo a Portaria No° 12 de 21-06-1980.

Fonte: IBGE

Código do Município

3113206

Gentílico

carandaiense

Prefeito

WASHINGTON LUIZ GRAVINA TEIXEIRA

População
População estimada [2018]25.327 pessoas  
População no último censo [2010]23.346 pessoas  
Densidade demográfica [2010]48,06 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]2,0 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]4.011 pessoas  
População ocupada [2016]15,9 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]39,9 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]98,8 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]6.7  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]5.1  
Matrículas no ensino fundamental [2017]2.946 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]915 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]228 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]81 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]15 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]4 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]22.322,27 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]82,9 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0.697  
Total de receitas realizadas [2017]63.469,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]56.594,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]- óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]0,4 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]19 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]487,280 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]69,9 %  
Arborização de vias públicas [2010]25,2 %  
Urbanização de vias públicas [2010]23,3 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Carandaí: Imagens da cidade e Região

imagem de Caranda%C3%AD+Minas+Gerais n-1
imagem de Caranda%C3%AD+Minas+Gerais n-2
imagem de Caranda%C3%AD+Minas+Gerais n-3
imagem de Caranda%C3%AD+Minas+Gerais n-4
imagem de Caranda%C3%AD+Minas+Gerais n-5
imagem de Caranda%C3%AD+Minas+Gerais n-6
imagem de Caranda%C3%AD+Minas+Gerais n-7
imagem de Caranda%C3%AD+Minas+Gerais n-8
imagem de Caranda%C3%AD+Minas+Gerais n-9
imagem de Caranda%C3%AD+Minas+Gerais n-10
imagem de Caranda%C3%AD+Minas+Gerais n-11
imagem de Caranda%C3%AD+Minas+Gerais n-12
imagem de Caranda%C3%AD+Minas+Gerais n-13
imagem de Caranda%C3%AD+Minas+Gerais n-14
imagem de Caranda%C3%AD+Minas+Gerais n-15
imagem de Caranda%C3%AD+Minas+Gerais n-16
imagem de Caranda%C3%AD+Minas+Gerais n-17
imagem de Caranda%C3%AD+Minas+Gerais n-18
imagem de Caranda%C3%AD+Minas+Gerais n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Carandaí e arredores.


Você conhece a cidade de Carandaí? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: