em ,

Fortaleza dos Reis Magos no Rio Grande do Norte

A Fortaleza dos Reis Magos é um dos pontos turísticos mais conhecidos do Brasil. Apesar disso, algumas pessoas ainda não conhecem a importância histórica desse lugar incrível.

O lugar, que também é conhecido como Forte dos Reis Magos, ou simplesmente O Forte, tem um importante valor histórico para o Brasil. Afinal, é o marco inicial da capital Natal  do Rio Grande do Norte. E sua construção remota ao ano de 1599.

fortaleza dos reis magos

Então, se você nunca ouviu falar dessa fortaleza, ou quer aprofundar seus conhecimentos, não deixe de ler esse artigo até o final. Pois, preparamos uma série de curiosidades e fatos sobre esse lugar! Além de algumas dicas de visitação e turismo.

O que é a Fortaleza dos Reis Magos?

A Fortaleza dos Reis Magos é uma antiga construção militar. O Forte se localiza na parte direita da barra do Rio Potengi, na capital Potiguar Natal

.Com uma planta poligonal e irregular, é uma fortaleza com inspiração indígena. Pois, é feita para ser a primeira linha de defesa da Barra do Potengi.

Na ocasião do inicio de sua construção corsários franceses ameaçavam o domínio de Portugal sobre o litoral nordeste brasileiro. Portanto, era necessário erguer uma linha de defesa com urgência.

A solução: construir o Forte dos Reis Magos. Que que leva esse nome porque começou a ser construída no de Reis, em 06 de janeiro de 1598.

Uma fortaleza incomum

A Fortaleza dos Reis Magos tem um formato peculiar, já que é construída na forma de uma estrela de 5 pontas. Mas, graças a isso, o forte teve uma defesa quase impenetrável.

O Forte

O padre Jesuíta Gaspar de Samperes, algumas vezes chamado Gonçalves de Samperes. Pois, este era aluno do famoso arquiteto militar, o italiano Giovanni Battista Antonelli. Logo após sua finalização, uma guarnição de duzentos soldados o ocupou.

Para erguer sua estrutura, os materiais utilizados foram:

  • Pedras;
  • Cal;
  • Alvenaria (areia e barro)..

Apesar de incomum para os padrões atuais, o polígono estrelado uma planta comum para fortes miliares daquele período. Portanto, a Fortaleza dos Reis Magos é uma construção militar clássica do século XVII.

O que há para ver na Fortaleza dos Reis Magos?

De inicio, o forte  que recebe o nome de Fortaleza da Barra do Rio Grande, mas é rebatizado posteriormente, era uma construção solitária a beira-mar. Porém, com o tempo, uma cidade se forma em seus arredores. Nascia a cidade de Natal.

Atualmente, Fortaleza dos Reis Magos é um principais pontos turísticos da cidade de Natal. E de todo o estado do Rio Grande do Norte.

Pelo seu valor histórico e cultural, o Forte em muitas coisas interessantes para qualquer visitante conferir. Então, confira a seguir o que você não pode deixar de ver caso visite a fortaleza.

O piso com mais de 400 anos de idade

Uma das partes mais conservadas da Fortaleza dos Reis Magos é o piso. Pois, ele é original, o que significa que tem mais de 400 anos de idade.

Dessa forma, se algum dia você visitar o Forte não se esqueça de olhar para baixo. E preste atenção em cada detalhe.

Afinal, você estará literalmente pisando em um pedaço da história brasileira.

Canhões originais

Bom, como mencionado, a Fortaleza é uma construção militar. E na época de sua construção os canhões eram armas de defesa e ataque essenciais. Já que era uma das principais formas de atacar. E causar grandes estragos a distância.

canhões da fortaleza

No Forte, você pode conferir os canhões de ferro originais, que ficam no alto da construção.

Mais um detalhe significativo para conferir de perto, fotografar e nunca mais esquecer.

Fortaleza dos Reis Magos: uma prisão e uma capela

Na Fortaleza dos Reis Magos a religiosidade cristã e o rigor das leis dos homens na época andavam lado a lado. Já que na parte interna do Forte há uma pequena capela, que só é acessível de dentro da Fortaleza.

Porém, no parte mais baixa da Fortaleza, há um calabouço onde os prisioneiros eram deixados para morrerem afogados quando a maré subia.

Afinal, você só pode entrar na fortaleza durante a maré baixa. Pois, na maré alta a construção fica cercada de água em toda sua parte inferior. Como resultado, ninguém entra e ninguém sai.

Há ainda um depósito de pólvora e armas na parte superior do Forte. A pequena construção retangular tem um cúpula em forma de pirâmide.

E o Marco de Touros?

A Fortaleza dos Reis Magos abrigou o Marco de Touros. Uma pedra de mármore, que originalmente ficava na Praia de Touros.

Esse marco com a cruz de malta gravada é creditado ser a primeira marca da posse da Coroa Portuguesa sobre as terras brasileiras. Pois, foi fixado na praia pelos colonizadores portugueses em 1501.

Porém, o marco havia sido removido para o forte por questões de preservação histórica. E esteve lá até bem pouco tempo.

No entanto, quem quiser visitar o Marco agora precisa ir ao Museu Câmara Cascudo na Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Já que a peça foi transferida para lá em abril de 2021.

Como visitar o Forte dos Reis Magos?

A Fortaleza dos Reis Magos é aberta a visitação para o público  de terça-feira até domingo. Já o horário é das 8 horas da manhã até as 16:30 da tarde.

forte dos reis magos

Para entrar paga-se um valor simbólico de 3 reais, que é direcionado a manutenção do local. Pois, o Forte é administrado pela Fundação José Augusto, entidade do Governo do Rio Grande do Norte.

Vale lembrar que para chegar até a fortaleza é necessário percorrer uma passarela de 500 metros até a entrada. Um trajeto com vista para o Rio Potengi, Ponte Newton Navarro e a Praia do Forte. Portanto, bem ideal para fotos de recordação!

Concluindo

Espero que você tenha gostado de conhecer mais de perto a Fortaleza dos Reis Magos. E, se for visitar o Forte, já sabe: olho nos detalhes. Principalmente, se você for um apaixonado por história.

Quer mais dicas sobre a capital Potiguar? Então, aproveite e leia: o que comer em Natal, no Rio Grande do Norte.

Você já visitou ou pretende visitar o Forte dos Reis Magos? Conte nos comentários!

Deixe uma resposta

Cartaz de convite para estreia do filme de Eric Max

Filme Kura Amazônica estreia artistas amazonenses em experiência sobre artivismo neste sábado pela internet

O filme documentário Cabocla Mariana

Documentário dirigido pela jovem amazonense Rosália Guimarães sobre a sua avó Mãe Rosa, é promessa para festivais de cinema em 2022