Início » Rio de Janeiro » São João de Meriti


São João de Meriti - Rio de Janeiro



São João de Meriti é um município do estado do Rio de Janeiro, no Brasil. Seu nome histórico é Cidade de São João do Rio Meriti. Encontra-se a 22º48′14" de latitude sul e 43º22′20" de longitude oeste, a uma altitude de dezenove metros. A população avaliada em 2008 era de 468 309 habitantes. De acordo com o Censo Demográfico 2010 divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a população atual do município é de 459 356 habitantes.

Encontra-se na região da Baixada Fluminense, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Ocupa 34,838km² de área.

O município é conhecido como "formigueiro das Américas", pois sua densidade demográfica (número de habitantes dividido pela área em quilômetros quadrados) é uma das mais altas do continente.

História da cidade de São João de Meriti

A colonização do território onde se localiza o atual Município de São João de Meriti data da segunda metade do século XVI.

Tudo leva a crer que nas terras fluminenses, nos vales dos rios Meriti, Sarapuí, Estrela ou Inhomirim, teve início o povoamento, em 1566. Em 1568, recebeu Braz Cubas, em doação de sesmaria, 3.000 braças de terras de testada para o mar e 9.000 braças de fundo pelo rio Meriti "correndo pela piassaba da aldeia de Jacotinga". Daí se infere que as terras de São João de Meriti se enquadravam na sesmaria de Braz Cubas.

Até 1644, não há notícia da existência de capelas na região. Nesta data, surge a localidade de São João Batista de Trairaponga, que se torna paróquia por Alvará de fevereiro de 1647, durante a prelazia do Reverendo Antônio Martins Loureiro.

A capela existente em Trairaponga serve de matriz até 1660, época em que é transferida a categoria de sede ao templo localizado próximo ao Rio Meriti, em terras hoje compreendidas na Cidade de São João de Meriti.

Anos depois, arruinado o prédio da igreja, desloca-se o núcleo social e religioso para a zona portuária, onde se havia erigido nova capela em 1708, dedicada por João Correia Ximenes à Nossa Senhora da Conceição.

Em 1747, retorna a sede da freguesia às margens do Meriti, ao exato lugar onde se erguia outrora o templo arruinado, alterando-se sua denominação para freguesia de São João Batista de Meriti.

Desde então a região começa a prosperar. O rio Meriti escoa livremente o produto das lavouras. Funcionam, entre 1769 e 1779, 9 engenhos de açúcar e 2 engenhocas, a produção agrícola eleva-se a 800 sacos de farinha, 140 de feijão, 145 de milho e 390 de arroz. Durante muito tempo, as culturas da freguesia de São João de Meriti, mantidas pelo esforço físico do negro escravizado, rende verdadeiras fortunas aos senhores da terra.

A partir de 15 de janeiro de 1833, sendo o povoado de Iguaçu (atual Nova Iguaçu) elevado à categoria de Vila e sede de Município, a freguesia de São João Batista de Meriti passa a integrar sua jurisdição.

Em meados do século XIX, atinge o seu mais alto ponto de desenvolvimento mas, a partir desse período, observe-se declinio social e econômico. A devastação das matas e conseqüente obstrução dos cursos fluviais e seu extravasamento favorecem a formação de alagados, a propagação da malária e o abandono das terras assoladas.

Com a inauguração, em 1886, do trecho da linha férrea que ligou a Cidade do Rio de Janeiro à Estação de Meriti (atual sede municipal de Duque de Caxias), situada em terras que pertenciam à então freguesia de São João de Meriti, muito sofre a povoação, sede da freguesia. Os moradores vão aos poucos abandonando a terra e fixando-se em torno da estação, em busca da facilidade de transporte pela estrada de ferro.

O reerguimento ocorre por volta de 1898, ao ser a região cortada pelos trilhos da Linha Auxiliar, que trouxeram consigo novas possibilidades de progresso. Outros fatores de desenvolvimento para a localidade, anos mais tarde, resultaram do saneamento da Baixada Fluminense e da construção da rodovia Rio-Petrópolis.

Hoje, São João de Meriti é um dos núcleos mais densamente povoados do Brasil, cortado pela Rodovia Presidente Dutra, que pãoe o Município em fácil comunicação com os dois maiores centros econômicos do País - Rio de Janeiro e São Paulo.

Gentílico: meritiense

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Meriti, de 26-02-1647 e pelos decretos estaduais n°. 1, de 08-05-1892 e n°. 1-A, de 03-06-1892, no município de Iguaçu.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, figura no município de Iguassu o distrito de Meriti, transferido para sede da Pavuna, pela lei estadual n°. 1634, de 18-02-1919.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, figura no município de Iguassu o distrito de Meriti com sede no Arraial da Pavuna.

Em divisãoes territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o distrito se denomina Meriti e figura no município de Iguaçu.

Pelo decreto-lei estadual n°. 1055, de 31-12-1943, transfere o distrito de Meriti de município Nova Iguaçu para o de Duque de Caxias.

Elevado à categoria de município com a denominação de São João de Meriti, por ato das disposiçãoes constitucionais transitórias deste estado, promulgado em 20-06-1947, desmembrado de Duque de Caxias. Constituído de 3 distritos São João de Meriti, Coelho da Rocha e São Mateus. Os distritos foram criados pela mesma lei que criou o município. Instalado em 22-08- 1947.

Elevado à condição de cidade com a denominação de São João de Meriti, pela lei estadual n.o° 6, de 11-08-1947.

Em divisão territorial datada de I-VII-1955, o município de São João de Meriti é constituído de 3 distritos: São João de Meriti, Coelho da Rocha e São Mateus.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de I-VII-1960.

Em "Síntese" de 31-XII-1994, o município é constituído de 3 distritos: São João de Meriti, Coelho da Rocha e São Mateus.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Transferência distrital

Pelo decreto-lei estadual n°. 1055, de 31-12-1943, transfere o distrito de Meriti do município de Nova Iguaçu para o de Duque de Caxias.

Fonte: IBGE

Código do Município

3305109

Gentílico

meritiense

Prefeito

JOÃO FERREIRA NETO

População
População estimada [2018]471.888 pessoas  
População no último censo [2010]458.673 pessoas  
Densidade demográfica [2010]13.024,56 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]1,9 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]64.916 pessoas  
População ocupada [2016]14,1 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]35,4 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]96,6 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]4.5  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]3.6  
Matrículas no ensino fundamental [2017]53.116 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]18.930 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]3.075 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]1.407 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]238 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]55 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]20.434,26 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]-  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0.719  
Total de receitas realizadas [2017]585.397,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]627.409,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]17,99 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]0,3 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]48 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]35,216 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]94,2 %  
Arborização de vias públicas [2010]30,1 %  
Urbanização de vias públicas [2010]46,9 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  18. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  19. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  21. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  22. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  23. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  24. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  25. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  26. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


São João de Meriti: Imagens da cidade e Região

imagem de S%C3%A3o+Jo%C3%A3o+de+Meriti+Rio+de+Janeiro n-1
imagem de S%C3%A3o+Jo%C3%A3o+de+Meriti+Rio+de+Janeiro n-2
imagem de S%C3%A3o+Jo%C3%A3o+de+Meriti+Rio+de+Janeiro n-3
imagem de S%C3%A3o+Jo%C3%A3o+de+Meriti+Rio+de+Janeiro n-4
imagem de S%C3%A3o+Jo%C3%A3o+de+Meriti+Rio+de+Janeiro n-5
imagem de S%C3%A3o+Jo%C3%A3o+de+Meriti+Rio+de+Janeiro n-6
imagem de S%C3%A3o+Jo%C3%A3o+de+Meriti+Rio+de+Janeiro n-7
imagem de S%C3%A3o+Jo%C3%A3o+de+Meriti+Rio+de+Janeiro n-8
imagem de S%C3%A3o+Jo%C3%A3o+de+Meriti+Rio+de+Janeiro n-9
imagem de S%C3%A3o+Jo%C3%A3o+de+Meriti+Rio+de+Janeiro n-10
imagem de S%C3%A3o+Jo%C3%A3o+de+Meriti+Rio+de+Janeiro n-11
imagem de S%C3%A3o+Jo%C3%A3o+de+Meriti+Rio+de+Janeiro n-12
imagem de S%C3%A3o+Jo%C3%A3o+de+Meriti+Rio+de+Janeiro n-13
imagem de S%C3%A3o+Jo%C3%A3o+de+Meriti+Rio+de+Janeiro n-14
imagem de S%C3%A3o+Jo%C3%A3o+de+Meriti+Rio+de+Janeiro n-15
imagem de S%C3%A3o+Jo%C3%A3o+de+Meriti+Rio+de+Janeiro n-16
imagem de S%C3%A3o+Jo%C3%A3o+de+Meriti+Rio+de+Janeiro n-17
imagem de S%C3%A3o+Jo%C3%A3o+de+Meriti+Rio+de+Janeiro n-18
imagem de S%C3%A3o+Jo%C3%A3o+de+Meriti+Rio+de+Janeiro n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de São João de Meriti e arredores.


Você conhece a cidade de São João de Meriti? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: