Início » Paraná » Alto Paraíso


Alto Paraíso - Paraná



Alto Paraíso é um município do estado do Paraná, no Brasil. Sua população, em 2010, era de 3 206 habitantes.

Toda a região do noroeste do estado brasileiro do Paraná era ocupada, até meados do século XX, pela etnia indígena dos xetás. Com os projetos de colonização da região levados a cabo a partir dessa época, os xetás foram praticamente exterminados, seja através da perda de suas terras, através de doenças trazidas pelos não índios ou através do assassínio puro e simples.

A origem da ocupação do território do município de Vila Alta se deve à expansão cafeeira do Norte Paranaense. Foi por volta de 1960 que a Companhia Brasileira de Imigração e Colonização promoveu a colonização da Gleba Vila Alta. A base econômica inicial dividia-se entre o extrativismo madeireiro e a cultura do café, que caracterizaram um período de abundância e riqueza. Paulatinamente, com o declínio destas atividades, surgiu e desenvolveu-se a pecuária bovina.

História da cidade de A região de Alto Paraíso foi descoberta e colonizada pela COBRINCO (Companhia Brasileira de Imigração e Colonização), hoje chamada de Santa Maria Agropecuária Industrial S/A, com Sede em Osasco - SP.

Os primeiros habitantes da região foram os índios Xetas e Guaranis.

Alto Paraíso (Vila Alta, antiga denominação) é um dos municípios localizado às margens do Rio Paraná, foi visitado por europeus em meados do século XVI. Suas terras pertenciam à Espanha.

Na década de 50 a família Vieira Costa já estava morando aqui, que era apenas um lugarejo. Ainda na década de 50, Vila Alta passou a ser conhecida por todos os lugares através dos corretores.

Apesar de ser um lugarejo com muita mata e poucas pessoas, começaram a abrir ruas e estradas com a ajuda das pessoas que eram contratadas pela COBRINCO, o qual ficou como chefe o Sr. Pedro Vieira da Costa, responsável pela contratação dos homens para a realização do trabalho que foi feito manualmente. A partir daí se deu o loteamento de todo patrimônio.

Alto Paraíso foi elevada à categoria de Distrito Administrativo em 02 de setembro de 1977, pela Lei Estadual 1916 com território pertencente ao Município de Umuarama.

Nesta época a população da cidade já estava bem extensa com aproximadamente 10.000 habitantes, sendo estes a maioria sitiantes.

Vila Alta foi por muitos anos distrito do Município de Umuarama. Em 09 de maio de 1990, houve sua emancipação, tornando-se município, mas permanecendo com o mesmo nome de Vila Alta.

Com o decorrer dos anos os munícipes foram conscientizando-se dos equívocos que o nome Vila trazia para o município, que era constantemente confundido com um bairro ou distrito de outro município.

Com o intuito de divulgar e enaltecer o município, sanando os problemas oriundos do nome, a comunidade solicitou ao Poder Executivo a mudança do nome. Foi efetuada uma grande divulgação toda a comunidade para que todos sugerissem um novo nome para o município. Dentre os nomes mais votados destacaram-se com maior número de sugestões: Alto Paraíso, Cidade Alta, Campos Verde. Sendo Alto Paraíso o nome vencedor.

Foi realizado plebiscito para verificar o desejo de mudança, que foi aprovado pela maioria.

Assim, em 18 de Fevereiro de 2004, através da Lei 14.349 da Assembléia Legislativa do Estado do Paraná, deu ao município de Vila Alta, nova denominação, sendo Alto Paraíso a palavra mais adequada para descrever o município.

Fonte: Prefeitura Municipal de Alto Paraíso

Autor do Histórico: SEBASTIãO APARECIDO DE AZEVEDO

Código do Município

4128625

Gentílico

altoparaisense

Prefeito

DERCIO JARDIM JUNIOR

População
População estimada [2018]2.799 pessoas  
População no último censo [2010]3.206 pessoas  
Densidade demográfica [2010]3,31 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]2,1 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]565 pessoas  
População ocupada [2016]18,6 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]35,8 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]99,4 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]6,2  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]4,3  
Matrículas no ensino fundamental [2017]474 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]126 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]41 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]17 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]3 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]1 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]27.446,02 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]90,8 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,678  
Total de receitas realizadas [2017]26.384,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]21.671,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]36,36 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]0,7 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]2 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]967,772 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]8 %  
Arborização de vias públicas [2010]74,2 %  
Urbanização de vias públicas [2010]18,5 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Alto Paraíso: Imagens da cidade e Região

imagem de Alto+Para%C3%ADso+Paran%C3%A1 n-1
imagem de Alto+Para%C3%ADso+Paran%C3%A1 n-2
imagem de Alto+Para%C3%ADso+Paran%C3%A1 n-3
imagem de Alto+Para%C3%ADso+Paran%C3%A1 n-4
imagem de Alto+Para%C3%ADso+Paran%C3%A1 n-5
imagem de Alto+Para%C3%ADso+Paran%C3%A1 n-6
imagem de Alto+Para%C3%ADso+Paran%C3%A1 n-7
imagem de Alto+Para%C3%ADso+Paran%C3%A1 n-8
imagem de Alto+Para%C3%ADso+Paran%C3%A1 n-9
imagem de Alto+Para%C3%ADso+Paran%C3%A1 n-10
imagem de Alto+Para%C3%ADso+Paran%C3%A1 n-11
imagem de Alto+Para%C3%ADso+Paran%C3%A1 n-12
imagem de Alto+Para%C3%ADso+Paran%C3%A1 n-13
imagem de Alto+Para%C3%ADso+Paran%C3%A1 n-14
imagem de Alto+Para%C3%ADso+Paran%C3%A1 n-15
imagem de Alto+Para%C3%ADso+Paran%C3%A1 n-16
imagem de Alto+Para%C3%ADso+Paran%C3%A1 n-17
imagem de Alto+Para%C3%ADso+Paran%C3%A1 n-18
imagem de Alto+Para%C3%ADso+Paran%C3%A1 n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Alto Paraíso e arredores.


Você conhece a cidade de Alto Paraíso? Então deixe seu comentário!


Comentários (2)

  1. sebastiao gomes pereira's avatarsebastiao gomes pereira

    È uma grande satisfação falar desta cidade que morei dos 10 aos 16 anos depois fui morar em são paulo ,onde moro até hoje.fazia dupla sertaneja com meu irmão mais velho e Saiamos aos sábados a tarde e no domingo de manhã para cantar no cinema ates dos filmes e no alto falante da igreja. depois saiamos para dar volta nas ruas da cidade,era muito divertido inclusive inclusive quando passava pelas mocinhas e ficava feliz só de ter olhado pra gente. quanta saudades.

    Abraço aos moradores desta querida cidade.

    #2 – 22/01/2018 - 18:24

  2. adelson ribeiro de souza's avataradelson ribeiro de souza

    com muito orgulho morei e estudei ate 2 grau,em vila alta, trabalhava madeireira, cheguei ai com minha família em 1970 e sai em 1985, com destino a rondonia onde resido ate hoje. parabéns alto paraíso (vila alta).

    #1 – 06/12/2017 - 10:59

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: