Início » Minas Gerais » Marmelópolis


Marmelópolis - Minas Gerais



Marmelópolis faz parte do estado de Minas Gerais, na microrregião de Itajubá. A população avaliada em 2004 era de 3.472 habitantes. A área é de 108,1km², a altitude, de 1277 m e a densidade demográfica, de 32,12 hab/km². Segundo o Censo 2010, a população é de 2.968 habitantes, com densidade demográfica de 27,51 hab/km². Quem nasce nesta cidade é marmelopolense. A cidade integra o Circuito Turístico Terras Altas da Mantiqueira e tem a totalidade de seu território pertencentes à APA Serra da Mantiqueira, abrigando também uma RPPN - Reserva Particular do Patrimônio Natural - (RPPN da Terra da Pedra Montada). Anualmente, em setembro, a cidade sedia a Festa do Marmelo, a fim de promover a principal cultura da cidade.

Marmelópolis está situada na Serra da Mantiqueira, próxima a grandes elevações como o Pico dos Marins (2.422 m), um dos pontos mais altos da serra. A paisagem do município é constituída por cachoeiras, araucárias, vales, picos e trilhas ecológicas.

Os municípios limítrofes são Virgínia bairro Morangal e Passa Quatro a nordeste, Cruzeiro (SP) a sudeste e Delfim Moreira a oeste.

História da cidade de Até o início do século XIX a região onde hoje se localiza a cidade de Marmelópolis era habitada pela tribo dos índios Timbiras. Esses índios desapareceram com a chegada dos primeiros colonizadores: o alferes Antônio José Ribeiro, sua esposa Dona Inácia Ribeiro e seus dois filhos, Rita e Manoel Ribeiro de Carvalho, que vieram do Rio Grande do Sul e inicialmente se estabeleceram num lugar denominado de Incubatão, hoje bairro conhecido com o nome de Cubatão, com o objetivo de encontrar ouro. Nesse local o alferes construiu sua fazenda e seus escravos passaram a garimpar o ouro num rio próximo, atualmente onde se localiza o bairro Cata dos Marins. Esse ouro era levado em lombos de burros para o Rio Grande do Sul. Além do garimpo cuidavam da lavoura de milho de feijão e criavam muitos porcos, além do

gado bovino.

Manoel Ribeiro de Carvalho, um dos filhos do alferes, roçou uma grande extensão de terra e fez uma queimada para construir sua fazenda, após casar-se com Mariana Justina de São José. Em torno dessa fazenda foi surgindo um pequeno povoado e diziam: - Vou à queimada. Surgindo assim o nome de Queimada dado ao antigo povoado e elevado a distrito pela Lei 115 de 27/01/1954. Manoel pertencia a Cavalaria Imperial, possuía muitos escravos que, além do garimpo, trabalhavam em lavoura de milho, feijão e fumo. Um dos seus filhos (Manoel Frederico Ribeiro) trouxe para a Queimada em 1914 as primeiras mudas de marmelo. O marmelo, originário da Pérsia, foi trazido para o Brasil em 1532 por Martim Afonso de Souza. Devido ao solo e clima de Queimada, os marmeleiros adaptaram-se facilmente e em 1935 a agricultura do marmelo já era extensa e a primeira fábrica começou a ser instalada para transformar a fruta em massa, transportada para outras cidades para a produção de doce.

Com a instalação da fábrica, fez-se necessário a construção de uma estrada (1944 1946) com uma extensão de 22 Km, ligando Queimada a Delfim Moreira, principal acesso até os dias de hoje.

Por volta de 1962 o número de pés de marmeleiros no estado de Minas Gerais era de 2.000.000, sendo que 600.000 pertenciam à Queimada e, no dia 01/03/1963 foi feita a instalação do município de Marmelópolis, através da Lei Estadual n°. 2.764, desmembrado-o do município de Delfim Moreira, sendo o senhor Joaquim Ribeiro da Mota nomeado intendente.

No início dos anos 80, a produção de marmelo já havia diminuído de maneira assustadora devido a falta de renovação dos marmeleiros e a falta de incentivo do governo, entre outros fatores. Devido a inflação galopante, frutas foram sendo importadas de países vizinhos e o que se produzia na região de Marmelópolis foi ficando estocado de ano para ano , ocasionando perdas e dívidas para agricultores e industriais.Atualmente a produção da fruta é mínima e vendida a preço irrisório.

Das fábricas que existiram, algumas foram demolidas, outras desabaram com o tempo. A maioria dos agricultores aderiu à plantação de tomate, batata e outros produtos. Marmelópolis está iniciando-se no campo de turismo, graças as belas paisagens naturais aqui existentes: magníficas cachoeiras e trilhas ecológicas.

A cidade do marmelo ficou nas lembranças e recordaçãoes de uma época gloriosa. Agora, às futuras geraçãoes, fica a incumbência de valorizar o que a cidade mais tem de bonito e especial: a exuberância da natureza que felizmente é bem preservada.

Fonte: Prefeitura Municipal de Marmelópolis - Secretaria de Cultura

Autor do Histórico: EUGÁNIO PACELLI MORAES RENNÁ

Código do Município

3140407

Gentílico

marmelopolense

Prefeito

CAMILO ALBERTO RIBEIRO DA SILVA

População
População estimada [2018]2.784 pessoas  
População no último censo [2010]2.968 pessoas  
Densidade demográfica [2010]27,51 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]1,7 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]311 pessoas  
População ocupada [2016]10,7 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]47,6 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]99,3 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]7,4  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]4,8  
Matrículas no ensino fundamental [2017]384 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]135 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]35 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]16 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]5 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]1 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]9.888,58 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]-  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,650  
Total de receitas realizadas [2017]12.324,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]11.140,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]- óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]-  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]3 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]107,902 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]60,6 %  
Arborização de vias públicas [2010]2,1 %  
Urbanização de vias públicas [2010]13,7 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  6. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  7. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  18. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  19. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  21. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  22. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  23. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  24. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  25. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Marmelópolis: Imagens da cidade e Região

imagem de Marmel%C3%B3polis+Minas+Gerais n-1
imagem de Marmel%C3%B3polis+Minas+Gerais n-2
imagem de Marmel%C3%B3polis+Minas+Gerais n-3
imagem de Marmel%C3%B3polis+Minas+Gerais n-4
imagem de Marmel%C3%B3polis+Minas+Gerais n-5
imagem de Marmel%C3%B3polis+Minas+Gerais n-6
imagem de Marmel%C3%B3polis+Minas+Gerais n-7
imagem de Marmel%C3%B3polis+Minas+Gerais n-8
imagem de Marmel%C3%B3polis+Minas+Gerais n-9
imagem de Marmel%C3%B3polis+Minas+Gerais n-10
imagem de Marmel%C3%B3polis+Minas+Gerais n-11
imagem de Marmel%C3%B3polis+Minas+Gerais n-12
imagem de Marmel%C3%B3polis+Minas+Gerais n-13
imagem de Marmel%C3%B3polis+Minas+Gerais n-14
imagem de Marmel%C3%B3polis+Minas+Gerais n-15
imagem de Marmel%C3%B3polis+Minas+Gerais n-16
imagem de Marmel%C3%B3polis+Minas+Gerais n-17
imagem de Marmel%C3%B3polis+Minas+Gerais n-18
imagem de Marmel%C3%B3polis+Minas+Gerais n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Marmelópolis e arredores.


Você conhece a cidade de Marmelópolis? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: