Início » Goiás » Rubiataba


Rubiataba - Goiás



Rubiataba faz parte do estado de Goiás. Localizado na região do Vale do São Patrício, a 220 quilômetros de Goiânia e tem, segundo estimativa do IBGE em 2010, 23.156 habitantes.

Em 1940, por iniciativa do Governo do Estado de Goiás desejoso de criar uma colônia agrícola estadual às margens do Rio São Patrício, propõe uma divisão de partes da terra, a qual já está ordenadamente sendo dividida pelos agricultores numa região situada à margem direita do Rio Novo, entre os córregos “Barra Funda”, “Cipó” e “da Serra”, geograficamente bem situada, plana e circulada de matas, córregos e rios. Para tal fim designou-se uma área de 7.000 hectares na qual, foi projetada a futura cidade rural, circundada de pequenas áreas para chácaras destinadas ao abastecimento local de hortaliças, frutas, leite e ovos, distanciando do perímetro pequenas propriedades rurais.

Alguns pequenos produtores, percebendo que um núcleo urbano poderia transformar-se em “Centro Popular” do processo de ocupação já iniciado, reúnem-se na casa sede da Gleba no ano de 1947. Presentes mais de uma dezena de produtores rurais, Alvino Luiz da Silva explicou que o motivo da reunião era a discussão da possibilidade de se “fundar um povoado na região do Rio Novo” para facilitar o abastecimento das famílias que, até então, se deslocavam a longas distancias para comprar uma simples caixa de fósforo, um quilo de açúcar ou sal, sendo escolhida para a fundação do povoado a área de João Tavares – a parte desmatada. Povoado este que em 1951 contava com mais de 20 mil pessoas.

História da cidade de Rubiataba

Rubiataba foi primitivamente habitada por elementos dedicados à formação de lavouras, registrando-se os pioneiros: José Custódio, Manoel Francisco do nascimento e Gabriel Pereira do Nascimento, que chegaram à região em 1945.

O projeto do núcleo populacional surgiu, efetivamente, em 1949, por iniciativa do Governo do Estado, objetivando a criação de uma colônia agrícola na mata de São Patrício.

Em 1950, iniciou-se, sob planificação, a construção da colônia, com o nome de "Rubiataba" (rubiácea = café; e taba = aldeia), em virtude da existência do cafezal nativo, cultura que dominou a região na época.

Uma área de 150.000 há de terras de cultura foi dividida em 3.000 quinhões de 10 alqueires goianos, doados aos agricultores vindos de várias partes do país.

Em 1952, o povoado já apresentava características de cidade, mais de 20.000 habitantes, com notável particularidade; todas as ruas e praças, critério ainda mantido, recebem a denominação de "madeiras" e "frutas" (Rua Jatobá, Aroeira , etc.).

Cidade planejada, desenvolveu-se rapidamente, passando diretamente de povoado a município, em 12 de outubro de 1953, pela Lei Estadual nº 807.

Passada a fase áurea do café e da colonização agrícola e com a evasão de produtores para outras regiões do norte, consequência também de localização um tanto afastada da Rodovia Belém-Brasília, o grande centro urbano, cercado de terras fertilíssimas, carece de impulso para seu desenvolvimento econômico.

Gentílico: rubiatabense

Formação Administrativa

Elevado à categoria de município e distrito com a denominação de Rubiataba, ex-povoado, pela lei estadual nº 807, de 12-10-1953, desmembrado de Goiás. Sede no atual distrito Rubiataba ex-povoado. Constituído do distrito Sede. Instalado em 01-01-1954.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1955, o município é constituído do distrito sede.

Pela lei municipal nº 44, de 12-12-1958 é criado o distrito de Valdelândia e anexado ao município de Rubiataba.

Pela lei municipal nº 45, de 12-12-1958 é criado o distrito de Morro Agudo de Goiás ex-povoado e anexado ao município de Rubiataba.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 3 distritos: Rubiataba, Morro Agudo de Goiás e Valdelândia.

Pela lei estadual nº 10425, de 05-01-1988, desmembra de Rubiataba o distrito de Morro Agudo de Goiás.

Elevado à categoria de município.

Em divisão territorial datada de 2003, o município é constituído de 2 distritos: Rubiataba e Valdelândia.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Fonte: IBGE

Código do Município

5218904

Gentílico

rubiatabense

Prefeito

JOSE LUIZ FERNANDES

População
População estimada [2018]19.815 pessoas  
População no último censo [2010]18.915 pessoas  
Densidade demográfica [2010]25,28 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]2,1 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]4.070 pessoas  
População ocupada [2016]20,4 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]34,5 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]98,9 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]6,7  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]5,7  
Matrículas no ensino fundamental [2017]2.354 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]666 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]139 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]61 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]15 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]5 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]20.751,85 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]79,4 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,719  
Total de receitas realizadas [2017]56.040,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]57.426,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]9,05 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]3,5 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]15 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]748,264 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]5 %  
Arborização de vias públicas [2010]96,3 %  
Urbanização de vias públicas [2010]19,3 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Rubiataba: Imagens da cidade e Região

imagem de Rubiataba+Goi%C3%A1s n-1
imagem de Rubiataba+Goi%C3%A1s n-2
imagem de Rubiataba+Goi%C3%A1s n-3
imagem de Rubiataba+Goi%C3%A1s n-4
imagem de Rubiataba+Goi%C3%A1s n-5
imagem de Rubiataba+Goi%C3%A1s n-6
imagem de Rubiataba+Goi%C3%A1s n-7
imagem de Rubiataba+Goi%C3%A1s n-8
imagem de Rubiataba+Goi%C3%A1s n-9
imagem de Rubiataba+Goi%C3%A1s n-10
imagem de Rubiataba+Goi%C3%A1s n-11
imagem de Rubiataba+Goi%C3%A1s n-12
imagem de Rubiataba+Goi%C3%A1s n-13
imagem de Rubiataba+Goi%C3%A1s n-14
imagem de Rubiataba+Goi%C3%A1s n-15
imagem de Rubiataba+Goi%C3%A1s n-16
imagem de Rubiataba+Goi%C3%A1s n-17
imagem de Rubiataba+Goi%C3%A1s n-18
imagem de Rubiataba+Goi%C3%A1s n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Rubiataba e arredores.


Você conhece a cidade de Rubiataba? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: