Início » Pernambuco » Parnamirim


Parnamirim - Pernambuco



Parnamirim faz parte do estado de Pernambuco..

Saco do Martinho era uma fazenda de criação de gado, de propriedade do tenente-coronel Martinho da Costa Agra, que construiu, em sua fazenda, uma capela dedicada a Nossa Senhora de Santana, dando origem ao povoado. A história da cidade está intimamente ligada ao ciclo da pecuária.

Em 25 de maio de 1870, foi elevada a distrito, passando a chamar-se Santana do Saco. Neste município, surgiu a Freguesia da Leopoldina, que, desmembrada de Santana do Saco, foi elevada a município em 1 de julho de 1909. Em 31 de dezembro de 1943, a Freguesia da Leopoldina passou a chamar-se Parnamirim.

História da cidade de Parnamirim Pernambuco - PE

Nos meados do século XIX, o tenente-coronel Martinho da Costa Agra, acompanhado de sua família, veio instalar-se com uma fazenda de gado, à margem do rio Brígida. Assim, a origem da cidade fica ligada ao ciclo econômico da pecuária, que teve um lugar decisivo na formação histórica e sociológica dos sertões. Não possuímos informes completos a respeito da vida de Martinho da Costa Agra, a quem cabe a honra de haver fincado, nestas paragens, o marco originário do povoamento; contudo, sabe-se que era filho de um advogado português, formado pela Universidade de Coimbra. Foi na realidade Saco do Martinho, nome primitivo da região, o núcleo habitacional.

Por força do decreto-lei estadual nº 235, de 9 de dezembro de 1938, que fixou a divisão para vigorar no quinquênio 1939-1943, o município de Leopoldina é têrmo e o município de Leopoldina passaram a denominar-se Parnamirim, por força do decreto estadual nº 952, de 31 de dezembro de 1943. Ainda pelo referido decreto-lei, que fixou a divisão territorial judiciário-administrativa do Estado, vigorante no quinquênio 1944-1948, foi criada a comarca de Parnamirim, continuando a mesma situação, determinada pela lei estadual nº 1819, de 30 de dezembro de 1953.

Gentílico: parnamirinense ou parnaminioara

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Santana do Saco, pela lei provincial nº 773, de 06-061867, subordinado ao município de Cabrobó.

Pela lei provincial nº 924, de 25-05-1870, o distrito de Santana do Saco passou a denominar-se Leopoldina.

Elevado à categoria de vila com a denominação de Leopoldina, pela lei provincial nº 1464, de 16-06-1879, desmembrado de Cabrobó. Sede no antiga vila de Leopoldina. Constituído do distrito sede. Instalado em 19-04-1880.

Pela lei municipal nº 3, de 13-03-1896, é criado o distrito de Terra Nova e anexado a vila de Leopoldina. Elevado à condição de cidade com a mesma denominação pela lei estadual nº 991, de 01-071909. Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído de 2 distritos: Leopoldina e Terra Nova. Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município aparece constituído de 2 distritos: Leopoldina, Terra Nova. Pelo decreto-lei estadual nº 314, de 27-06-1934, o município de Leopoldina é extinto, sendo seu território distribuído pelos município de Granito, Salgueiro e Serrinha. Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, Leopoldina, figura como distrito no município de Granito. Pelo decreto estadual nº 92, de 31-03-1938, o município de Granito passou a denominar-se Bodocó e o distrito de Leopoldina figura no município Bodocó.

Elevado novamente à categoria de município com a denominação de Leopoldina, pelo decreto-lei estadual nº 235, de 09-12-1938, desmembrado dos municípios Bodocó e Serrinha. Sede no antigo distrito de Leopoldina. Constituído de 4 distritos: Leopoldina, Veneza, Icaiçara e Terra Nova. Não temos data de Instalação.

No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943,o município é constituído de 4 distritos: Leopoldina, Icaiçara, Terra Nova e Veneza.

Pelo decreto-lei estadual nº 952, de 31-12-1943, o município de Leopoldina passou a denominar-se Parnamirim.

Em divisão territorial datada de I-VII-1955, o município já denominado Parnamirim é

constituído de 4 distritos: Paranamirim, Icaiçara e Veneza e Terra Nova.

Pela lei estadual nº 3340, de 31-12-1958, desmembra do município de Parnamirim o distrito de Terra Nova. Elevado à categoria de município.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 3 distritos: Parnamirim, Icaiçara e Veneza.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

Alteração toponímica distrital

Santana do Saco para Leopoldina alterado, pela lei provincial nº 924, de 25-05-1870.

Alteração toponímica municipal

Leopoldina para Parnamirim alterado, pela lei estadual nº 952, de 31-12-1943.

Fonte: IBGE

Código do Município

2610400

Gentílico

parnamirinense

Prefeito

TÁCIO CARVALHO SAMPAIO PONTES

População
População estimada [2018]21.914 pessoas  
População no último censo [2010]20.224 pessoas  
Densidade demográfica [2010]7,79 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]1,8 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]1.441 pessoas  
População ocupada [2016]6,8 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]53 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]97 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]4,8  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]4  
Matrículas no ensino fundamental [2017]3.272 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]1.031 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]154 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]40 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]27 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]2 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]7.781,86 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]80,2 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,599  
Total de receitas realizadas [2017]49.860,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]46.506,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]16,89 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]0,8 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]11 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]2.621,433 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]33,9 %  
Arborização de vias públicas [2010]79,1 %  
Urbanização de vias públicas [2010]6,4 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Parnamirim: Imagens da cidade e Região

imagem de Parnamirim+Pernambuco n-1
imagem de Parnamirim+Pernambuco n-2
imagem de Parnamirim+Pernambuco n-3
imagem de Parnamirim+Pernambuco n-4
imagem de Parnamirim+Pernambuco n-5
imagem de Parnamirim+Pernambuco n-6
imagem de Parnamirim+Pernambuco n-7
imagem de Parnamirim+Pernambuco n-8
imagem de Parnamirim+Pernambuco n-9
imagem de Parnamirim+Pernambuco n-10
imagem de Parnamirim+Pernambuco n-11
imagem de Parnamirim+Pernambuco n-12
imagem de Parnamirim+Pernambuco n-13
imagem de Parnamirim+Pernambuco n-14
imagem de Parnamirim+Pernambuco n-15
imagem de Parnamirim+Pernambuco n-16
imagem de Parnamirim+Pernambuco n-17
imagem de Parnamirim+Pernambuco n-18
imagem de Parnamirim+Pernambuco n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Parnamirim e arredores.


Você conhece a cidade de Parnamirim? Então deixe seu comentário!


Comentários (1)

  1. Mislene Rosa dos Santos's avatarMislene Rosa dos Santos

    POR FAVOR, ME AJUDEM A DIVULGAR EM SUA CIDADE.

    PROCURO MINHA AVÓ

    Me chamo Mislene Rosa dos Santos, filha de Neuza Rosa da Silva, e é sobre a história dela que quero contar. Meu primo Eduardo e eu iniciamos uma busca pela nossa avó materna, Julieta Rosa Lima, filha de José Nogueira Ferraz e Antônia Rosa Lima.

    Minha mãe nasceu em Aguas Belas- Pernambuco, e ela e seus irmão tiveram uma infância difícil.

    Meu falecido avô Pedro Rodrigues da Silva e minha avó Julieta Rosa Lima tiveram sete filhos juntos, minhas tias Eva, Elita, Elza, Jocilene, minha mãe Neuza, meus tios Jonas e Alonso que já é falecido.

    Viviam em Catolé do Rocha- Paraíba em uma casa simples, meu avô trabalhava na roça dentro de fazendas. Certo dia, por volta de 1970, minha avó Julieta, fugiu de casa e levou com ela Jonas. Entretanto meu avô após uma semana descobriu aonde ela estava, e com um vizinho foi buscar jonas de volta. Ela não fez questão de ficar com ele, entregou tranquila.

    Ela foi viver com Assis Anastácio, deixando as 7 crianças aos cuidados do meu avô... Minha tia Jocilene, a mais nova dos irmãos, tinha cerca de 2 anos, é a que menos se recorda dela.

    Meu avô com muito esforço criou todos os filhos. E em determinado momento da vida aos poucos todos vieram morar em São Paulo, menos minha tia Elita, que hoje mora no Ceará. Meu avô se adoeceu, teve câncer no esôfago, vindo a falecer quando eu tinha acho que 2 anos.

    Minha tia Elita, descobriu o paradeiro de Assis Anastácio, ele estava em Souza- Paraíba, e então foi ao seu encontro, isso foi mais ou menos em 2003. Assis falou para minha tia que minha avó tinha ido embora a mais de 10 anos que ele estava separado dela. Os dois tiveram quatro filhos, um faleceu. Assis disse também a minha tia, que quando ela foi embora, tinha ido morar com sua família em Parnamirim- PE, sua família tinha terras e criava animais. Ela ficou com os três filhos em Parnamirim, último lugar que sabemos em que ela esteve.

    Minha avó é natural de Inajar, quando saiu de casa tinha mais ou menos 25 anos, hoje por nossas contas deve ter 71 anos. Sendo assim, fazem 46 anos que seus seis filhos não sabem dela. Há poucas recordações dela. Minha tia Eva, a mais velha dos irmãos se recorda que ela tinha um sinal na mão de cor marrom ou preto. A minha mãe apenas lembra do cheiro do alho sendo refogado quando ela fazia comida. E meu primo diz que minha tia Elita quando fala dela demonstra saudade no rosto, mas um olhar de alegria por ter esperança de ainda poder ver ela.

    E sei também que todos os filhos querem a ver novamente. Tentar entender por que ela fez isso. É uma curiosidade que eu também tenho, pois eu cresci sem saber o que é ter uma avó.

    Atualmente minhas tias Elza, Eva e Jocilene moram em Santo André- SP, minha mãe aqui em São José dos Campos interior de são Paulo, minha tia Elita mora no Baixio- Ceará, e meu tio Jonas em Cachoeira dos índios- Paraíba.

    Não temos nada dela nem uma foto, um telefone. As únicas informações que temos foram essas encontradas em 2003. Peço ajuda para que possamos encontrar ela pois são 6 filhos e 17 netos querendo conhecer e saber dela.

    #1 – 17/05/2016 - 19:18

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: