Início » Paraná » Umuarama


Umuarama - Paraná



Umuarama é um município do estado do Paraná, no Brasil. Sua população, segundo o censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, é de 101.442 habitantes. Nova avaliação parcial do censo de 2011, no entanto, conferiu, ao município, 102 704 habitantes, sendo a 17ª cidade mais populosa do estado. Tem, como principal atividade, a agropecuária de corte e a prestação de serviços.

Umuarama é também conhecida como a Capital da Amizade. A cidade é uma das principais do Paraná e polo da região de Entre Rios, região esta com população estimada em aproximadamente 410 000 habitantes. Com o desenvolvimento, houve um crescimento das atividades comerciais e o aumento da população urbana.

A cidade de Umuarama ficou em terceiro lugar entre as cidades que mais geraram empregos no estado do Paraná no primeiro semestre de 2011, perdendo apenas para Curitiba e Ponta Grossa. Além do expressivo crescimento da construção civil, Umuarama também apresenta números econômicos consideráveis, tais como: segundo maior polo moveleiro do Paraná, maior produtor de carne do estado, centro universitário com mais de cem cursos, polo comercial e prestador de serviços.

História da cidade de Umuarama, cidade que hoje desponta numa região onde outrora reinava uma densa floresta, que se apresentava imponente e impenetrável aos bravos e corajosos pioneiros que chegavam na região, para abrir as primeiras picadas, num trabalho heróico e persistente.

Esta cidade é capítulo de uma gloriosa epopéia, idealizada na Inglaterra por um grupo de homens ansiosos por grandes realizações e concretizada pela Companhia Melhoramento Norte do Paraná, através de longos anos de lutas sustentadas em meio às mais adversas condições.

Em 1924, o técnico em agricultura e reflorestamento da Comissão Inglaterra Montagu, Lord Lovat, veio ao Brasil e numa de suas viagens exigidas por suas funções, chegou ao Norte do Paraná. A falta de estradas o impediu de ir além dos 25 km da primitiva estrada de ferro que existia.

Com o intuito de desbravar aquela imensa floresta mais de 350 km até as margens do Rio Paraná, Lovat organizou a Brasil Plantations, empresa que adquiriu no Leste paranaense duas fazendas e iniciou uma plantação de algodão.

Como o resultado não foi o esperado, em 1937 esta Companhia foi absorvida por um grupo maior, a Paraná Plantations Ltda, fundada em Londres em 1925. Ao mesmo tempo em que a absorção ocorreu em Londres, estabelecia-se no Brasil uma companhia subsidiária, com escritório central instalado em São Paulo, que iniciou suas atividades com capital de mil contos. Era a Companhia de Terras Norte do Paraná. O então gerente da Empresa, Arthur Tomas, assumiu a direção gerencial, mantendo-se nesse cargo até 1949.

Depois de realizado estudo das condições climáticas e fertilidade do solo entre outras vantagens a Companhia adquiriu um total de 515 mil alqueires de ricas terras florestais na região Norte do Paraná em meio a conflitos por lutas de posse dessa região.

A Companhia Melhoramento Norte do Paraná instalou escritório nessas terras e passou a dedicar-se à exploração e estudo do povoamento, bem como os meios de acesso à região, construindo as primeiras estradas e rodovias e, no fim de 1930 recebeu os primeiros colonizadores.

A década de 1930 se deu com lento desenvolvimento devido às dificuldades da época, advindas da insegurança político-econômica do país. Durante essa época a Companhia subsidiária, Companhia de Terras do Norte do Paraná, garantiu aos colonos meios de transporte para si e seus produtos, auxílio na construção de moradias, cuidados médicos e preços baixos, entre outras garantias.

Em 1944, as dificuldades consequentes da II Guerra Mundial levaram os ingleses a venderem a Companhia. Um grupo brasileiro composto por Gastão Vidigal, Cássio Vidigal, Gastão de Mesquita Filho, Fábio Prado, Silvio Bueno Vidigal e Arthur Tomaz, este último antigo gerente da Companhia Norte do Paraná levaram a Companhia adiante. Esse grupo conseguiu, enfim, concretizar os planos dos antigos donos, fazendo a região se desenvolver, redistribuindo as terras, organizando fazendas de café e engorda de gado, dando surgimento a várias cidades, entre elas surgia Umuarama. Em vista de tantas melhorias a Companhia, em 1951, passou a chamar-se Companhia Melhoramentos Norte do Paraná.

Esta companhia no seu crescente desenvolvimento atingiu a região denominada Cruzeiro onde se processou a colonização de uma área de 30 mil alqueires de propriedade de terceiros, entregue à Companhia para a colonização, foi da Gleba Cruzeiro que surgiu Umuarama que era distrito do município de Cruzeiro do Oeste, tendo o distrito como sub-prefeito Durval Seifert, a convite do então prefeito de Cruzeiro do Oeste, Aparecido Teixeira D′avila, através da Portaria nº 319. Posteriormente o distrito vem se tornar município com o desmembramento em 25 de julho de 1960 pela Lei nº 4.245.

Segundo historiadores, os primeiros habitantes que vieram para a região eram aventureiros atraídos pela nova região a ser explorada. Alojaram-se em pequenas povoações às margens dos rios. Esses aventureiros vinham dos mais diversos estados (Nordeste, Minas Gerais, Bahia, entre outros), tinham hábitos e costumes diferenciados, dormiam em qualquer lugar, sendo que a maioria vinha sem família para trabalhar na empreitada para derrubar a mata. Aqueles que vinham com a família, faziam a derrubada do mato para plantar café e cereais em geral.

Os colonos que primeiramente se instalaram neste local eram paulistas, catarinenses, gaúchos, nordestinos, mineiros, entre outros. A formação étnica de Umuarama, segundo dados históricos, além dos já citados, é representada por portugueses, 20%; italianos, 60%; japoneses, 15%; outros, 5%.

A língua falada na região, predominantemente, era a portuguesa, além do dialeto indígena, Tupi Guarani quase puro, pois entre 1949 e 1958 expedições comandadas por Loureiro Fernandes e a Universidade do Paraná respectivamente, constataram na região de Serra dos Dourados, a presença de índios. Após estudos, descobriu-se tratar de um grupo sobrevivente de índios Xetás de, aproximadamente, 200 a 300 indivíduos. Foi montado então, um pequeno posto de socorro, instalado na Fazenda Santa Rosa aos cuidados de Antonio Lustoso de Freitas, porém, não foi o suficiente para que segurasse o grupo que com a devastação da floresta, evadiram-se da região, restando apenas um pequeno grupo de remanescentes. Dos estudos realizados foi possível constatar seus hábitos e costumes na alimentação, vestuário, vasilhames, instrumentos, armas, arte, língua, etc.

A região de Serra dos Dourados foi explorada e posteriormente transformada em um pequeno vilarejo pela Colonizadora Miamora em 1950, sendo governado por Moisés Lupion. Depois de três anos de colonização começou a demanda pela troca de governo, passando o comando do governo a Bento Munhoz da Rocha. Em 1957 a colonizadora Miamora foi vendida para a Companhia Cobrinco. O distrito de Serra dos Dourados foi reconhecido pelo município de Umuarama no ano de 1961. Segundo pioneiros, o nome Serra dos Dourados originou-se devido a grande quantidade de cobras encontradas nas matas (Jaracussú Dourado), outros dizem que era uma referência à cor dos índios encontrados na região.

As colônias determinantes da formação étnica da população realizavam periodicamente festas, onde eram cultuadas as tradições e os costumes de suas origens.

A fundação de Umuarama está intimamente ligada à inauguração dos primeiros escritórios da Companhia Melhoramento Norte do Paraná. No exato lugar onde funcionava o escritório dessa Companhia, em 26 de junho de 1955, foi instalada a Prefeitura da recém fundada cidade de Umuarama, conforme encontra-se registrado em ata: Aos vinte e seis dias do mês de junho de um mil novecentos e cinquenta e cinco, a Companhia Melhoramento Norte do Paraná, representada por seus diretores e chefes de serviço, declara inaugurada a cidade de Umuarama, situada no Núcleo Cruzeiro, quilômetro 522, da linha ferroviária que de Ourinhos demanda Guaíra, município de Cruzeiro do Oeste e Comarca de Peabiru. Umuarama, 26 de junho de 1955.

Ainda na mesma ocasião foi assinada a Ata de Fundação do Aeroporto de Umuarama. Porém, a criação do município de Umuarama só veio a acontecer no dia 25 de julho de 1960, por força da Lei número 4.245, desmembrando-a definitivamente de Cruzeiro do Oeste, passando a ser Comarca em 1963.

Na língua Xetá, tribo da nação Tupi-guarani, Umuarama significa lugar onde os amigos se encontram. Umuarama faz valer esta definição assumindo e reforçando sua identidade como Capital da Amizade.

O verbete Umuarama, segundo o professor Francisco da Silveira Bueno, significa lugar ensolarado, alto, de bom clima, para encontro de amigos. A primeira forma que demos foi Emburana - explica o professor - de Embu (lugar), ara (claridade, dia, sol), ama (sufixo com idéia coletiva). Consultando o então presidente do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, Afonso de Freitas, de comum acordo, suavizou-se o vocábulo transformando-o em Umuarama (idioma indígena e significa reunião de amigos). O significado continuava o mesmo. Feito o neologismo e dado, pela primeira vez à colônia de férias do Mackenzie College, nos Campos do Jordão, fez fortuna a palavra tornando-se, hoje, nacional, e aplicada a hotéis, clubes, cinemas e até a cidades.

De acordo com os registros, o nome foi dado por Raimundo Durães (um dos desbravadores) que se inspirou no nome de um hotel da cidade de Ribeirão Preto, que tem como significado lugar onde se reúnem os amigos.

Em oito de outubro de 1961 foi realizada a primeira eleição para eleger prefeito e vereadores, sob a égide da Comarca de Peabiru, presidida pelo Juiz de Direito Dr. José de Mello, sendo o primeiro prefeito eleito Hênio Romagnolli (gestão 1961-1965). O município de Umuarama passou a ser sede de Comarca em três de agosto de 1963, pelo então desembargador Antonio Franco Ferreira da Costa, na ocasião, presidente do Tribunal de Justiça do Paraná.

Nesta nova cidade, a primeira missa foi realizada em 16 de agosto de 1955, pelo Frei Estevão Maria, em frente ao cruzeiro Marco de Fé, onde está situada a Igreja Matriz.

Em 15 de agosto de 1956 foi inaugurada a primeira capela e, em 21 de janeiro de 1961 foi erigida a Paróquia de São Francisco de Assis. O Educandário São José foi instalado pelas irmãs do Imaculado Coração de Maria no dia 22 de março de 1961.

Em 15 de outubro de 1955 foi fundado o cartório de Registro Civil, sendo o primeiro registro de nascimento de Odair Dias, em 17 de outubro de 1955. O primeiro casamento foi de João de Souza e Etelvina Francisca de Jesus, em 15 de outubro de 1955, e o primeiro óbito foi de Geraldo Soares os Reis, em 20 de setembro de 1955.

A Câmara Municipal foi instalada no dia 21 de novembro de 1961, em sessão de instalação que teve como presidente provisório o vereador mais velho da época, José Honório Ramos. O primeiro presidente da Câmara Municipal de Umuarama foi Otávio Barbosa da Silva eleito na mesma sessão.

Na área da educação, a primeira escola foi fundada pela Companhia Melhoramento Norte do Paraná, chamada Isa Mesquita, tendo como professora Helena Betina Vilas Boas.

Antes mesmo de ser elevado à categoria de município, Umuarama já contava com a existência do Banco Mercantil de São Paulo, fundado em três de junho de 1957, tendo como gerente Valentin Santo Furlin.

Quanto ao atendimento à saúde, os primeiros hospitais foram o Hospital Umuarama e São Francisco e as primeiras farmácias, Santo Antonio, Confiança e Vitória.

Os primeiros clubes do município de Umuarama foram: Country Club, criado em 1962, tendo como presidente: Geovanni Galleto; Harmonia Clube de Campo, fundado em 1964, tendo como presidente, Ivon Scarpin; Clube Recreativo Português, fundado em 26 de junho de 1977.

O Parque de Exposições foi inaugurado em 16 de fevereiro de 1974 e o Centro Cultural Shulbert foi concluído em três de março de 1990.

A Prefeitura Municipal foi inaugurada em 27 de abril de 1982, até então situada à Rua Arapongas próximo à praça Arthur Tomaz desde sua emancipação política. Hoje encontra-se instalada na Avenida Rio Branco.

O Ginásio de Esportes Ney Braga foi fundado em 13 de novembro de 1980, cujo nome de inauguração foi dado pela Câmara Municipal de vereadores, porém, depois que o professor Amário faleceu e como foi uma pessoa muito importante, o nome do ginásio mudou para Ginásio Amário Vieira da Costa.

O Fórum foi fundado em três de agosto de 1963 sob a Lei nº 4.666, de 29 de dezembro de 1962, sendo também empossado, com a portaria nº 426/63, o Dr. Antonio Gomes da Silva, Juiz de Direito.

O Ensino Superior de Umuarama passou a ser atendido em 1972 pela Associação Paranaense de Ensino e Cultura, posteriormente denominada como Universidade Paranaense.

Conhecida como Cidade Universitária, Umuarama tem na diversidade de suas fontes de renda a sustentação da condição de um dos principais pólos em desenvolvimento do Paraná na área da agricultura, pecuária, comércio, educação, esporte, saúde e lazer. Apresenta um dos maiores índices de crescimento imobiliário do Brasil.

O símbolo de Umuarama, o Curumim da Tribo Xetá, Umuaraminha, é um dos símbolos oficiais do município e representa o amor pela natureza, trazendo a mensagem permanente de respeito aos nativos e ao ambiente. Este símbolo foi oficializado pela Lei Orgânica Municipal número 01/90 e criado pelo cartunista Marcos Roberto Vaz.

O Brasão do município é inspirado na tríade universal de igualdade, fraternidade e liberdade e é de autoria do heraldista professor Arcinoé Antonio Peixoto de Faria, tendo sido oficializado junto com a bandeira. A Bandeira de Umuarama também é de autoria do professor Arcinoé, oficializada em 1963, através da Lei 4.245, que criou o município de Umuarama. A bandeira tem cores e formato que simboliza o equilíbrio, a riqueza e a fertilidade da terra. O Hino Municipal tem a letra de Vera Vargas e música de Sebastião de Lima, foi oficializado pela Lei número 467 de 22 de maio de 1978.

Fonte: Prefeitura Municipal de Umuarama

Autor do Histórico: SEBASTIãO APARECIDO DE AZEVEDO

Código do Município

4128104

Gentílico

umuaramense

Prefeito

CELSO LUIZ POZZOBOM

População
População estimada [2018]110.590 pessoas  
População no último censo [2010]100.676 pessoas  
Densidade demográfica [2010]81,67 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]2,1 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]34.874 pessoas  
População ocupada [2016]32,0 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]27,6 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]97,9 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]6  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]4.6  
Matrículas no ensino fundamental [2017]12.272 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]4.336 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]739 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]353 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]54 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]21 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]28.924,83 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]64,9 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0.761  
Total de receitas realizadas [2017]337.496,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]303.818,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]15,87 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]1,1 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]63 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]1.234,537 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]78,8 %  
Arborização de vias públicas [2010]95,5 %  
Urbanização de vias públicas [2010]80,7 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Umuarama: Imagens da cidade e Região

imagem de Umuarama+Paran%C3%A1 n-1
imagem de Umuarama+Paran%C3%A1 n-2
imagem de Umuarama+Paran%C3%A1 n-3
imagem de Umuarama+Paran%C3%A1 n-4
imagem de Umuarama+Paran%C3%A1 n-5
imagem de Umuarama+Paran%C3%A1 n-6
imagem de Umuarama+Paran%C3%A1 n-7
imagem de Umuarama+Paran%C3%A1 n-8
imagem de Umuarama+Paran%C3%A1 n-9
imagem de Umuarama+Paran%C3%A1 n-10
imagem de Umuarama+Paran%C3%A1 n-11
imagem de Umuarama+Paran%C3%A1 n-12
imagem de Umuarama+Paran%C3%A1 n-13
imagem de Umuarama+Paran%C3%A1 n-14
imagem de Umuarama+Paran%C3%A1 n-15
imagem de Umuarama+Paran%C3%A1 n-16
imagem de Umuarama+Paran%C3%A1 n-17
imagem de Umuarama+Paran%C3%A1 n-18
imagem de Umuarama+Paran%C3%A1 n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Umuarama e arredores.


Você conhece a cidade de Umuarama? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: