Início » Minas Gerais » Alpinópolis


Alpinópolis - Minas Gerais



Alpinópolis é uma cidade do Estado de Minas Gerais. Na região é mais conhecida pelo seu antigo nome "Ventania". De acordo com o censo realizado pelo IBGE em 2010, sua população é de 18.490 habitantes.

Procedente de Carmo da Cachoeira, em 1805, chega às paragens da atual Alpinópolis o Alferes José Justiniano dos Reis, acompanhado de sua munher Ana Teodora de Figueiredo, de apelido "Dona Indá", filha do Capitão-Mor José Álvares de Figueiredo, o fundador de Boa Esperança e de sua mulher Maria Vilela do Espírito Santo, esta neta de Júlia Maria da Caridade, a segunda Ilhoa. O casal já tinha, a esta altura, cinco filhos: Manuel Justiniano dos Reis, Maria Justiniana dos Reis, Inocência Teodora de Figueiredo, Bernardino José dos Reis e José Justiniano dos Reis Júnior. Em 1806, o Alferes José Justiniano dos Reis manda edificar nas terras da Fazenda Ventania (assim denominada por estar próxima à Serra da Ventania) uma capela cujo orago foi o mártir São Sebastião. Tais terras estavam no teritório de Jacuí, e foram adquiridas pelo Alferes por compra feita de Mariana Lourença de Oliveira, mulher de Januário Garcia Leal. Em 12 de agosto de 1807, o casal José Justiniano dos Reis e Ana Teodora de Figueiredo assinaram o termo de doação para constituição do patrimônio da capela. José Justiniano dos Reis faleceu em 1809 e a viúva, Dona Indá é quem passou a conduzir os destinos do arraial. José Justiniano dos Reis e Dona Indá são considerados os fundadores de Alpinópolis. A Freguesia passou a se chamar Alpinópolis em 1914, pela Lei nº 622 de 18 de setembro do mesmo ano. O nome anterior era São Sebastião da Ventania; Ventania ainda é o nome preferido de todos os habitantes desta encantadora e hospitaleira cidade, e também como ela é identificada em toda a região. Está situada a uma altitude de 900 m, ao sopé da serra. Daí o nome Alpinópolis. A emancipação ocorreu em 1938 pelo Decreto Lei nº 148, de 17 de dezembro de 1938. A instalação do município ocorre em 1º de janeiro de 1939, desvinculando-se definitivamente de Nova Resende, sendo que Antônio Herculano dos Reis foi eleito o primeiro prefeito .

Com uma população em torno dos 18 mil habitantes e uma área territorial de 459 quilômetros quadrados, a cidade de Alpinópolis tem o privilégio de estar numa das regiões mais prósperas do Estado. Além de ter uma economia bastante diversificada. A cidade tem se tornado cada vez mais conhecida nacionalmente através do Monte das Oliveiras, que é um espaço construído a céu aberto destinado à meditação, apresentações e excursões com finalidade religiosa (ecumênica).

História da cidade de Alpinópolis Minas Gerais - MG

Presume-se que em meados do século XVIII, a região tenha sido alcançada por negros fugitivos das minas e por homens livres que o Rio Grande e o Rio Sapucaí, enveredando-se pelos ribeirãoes marginais. Os primeiros, em busca de esconderijos e os segundos, em busca de ouro e pedras preciosas. Afirma-se ter sido a Fazenda da Lage, de propriedade de José Justiniano dos Reis e sua mulher Ana Teodora Figueiredo, o estabelecimento agrícola pioneiro da região.

O fator determinante da ocupação do território foi a procura de ouro e pedras preciosas em primeiro lugar, seguido pela agricultura de subsistência, nas pequenas propriedades e a invernada de gado bovino nas grandes fazendas, para engorda e comercialização nos mercados da Corte do Rio de Janeiro.

O primeiro nome do local foi São Sebastião da Ventania, originado após a morte de José Justiniano. Sua viúva, adquiriu um terreno com as condiçãoes necessárias para a edificação de uma capela e formação de um núcleo de povoação, encontrado nas encostas da Serra da Ventania.

Em 1809, com a ereção e bênção da primeira capela, fundava-se o Arraial de São Sebastião da Ventania.

Em 1914, passou a denominar-se Apinópolis, por sua localização entre os alpes da Serra da Ventania.

Gentílico: alpinopolense

Formação administrativa:

Distrito criado com a denominação de de São Sebastião da Ventania, pelo alvará de 7-10o1824, pela lei estadual n°. 2, de 14-09-1891.

Pertenceu ao município de Carmo do Rio Claro, voltando novamente a Passos, até que em 1901, criando-se o município de Vila Nova de Resende, foi integrado nêle.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o distrito de São Sebastião da Ventania figura no município de Vila Nova de Resende.

Pela lei estadual n°. 622, de 18-10-1914, o distrito de São Sebastião da Ventania passou a denominar-se Alpinópolis

Nos quadros de apuração do Recenseamento Geral de 1-IX-1920, o distrito de Alpinópolis ex-São Sebastião da Ventania, figura no município de Vila Nova de Resende.

Pela lei estadual n°. 843, de 7-09-1923, o município de Vila Nova de Resende passou a denominar-se Nova Resende.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o distrito de Alpinópolis figura no município de Nova Resende ex-Vila Nova de Resende.

Assim permanecendo em divisãoes territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937.

Elevado à categoria de município com a denominação de Alpinópolis, pelo decreto-lei estadual n°. 148, de 17-12-1938, desmembrado de Nova Resende e Passos. Sede no antigo distrito de Alpinópolis. Constituído de 2 distritos: Alpinópolis e São José da Barra, desmembrado do município de Passos. Não temos a instalação.

No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído de 2 distritos: Alpinópolis e São José da Barra. .

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 2 distritos: Alpinópolis e São José da Barra.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VI-1995.

Pela lei estadual n°. 12030, de 21-12-1995, desmembra do município de Alpinópolis o distrito de São José da Barra. Elevado à categoria de município.

Em divisão territorial datada de 15-VII-1997, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Alteração toponímica distrital:

São Sebastião da Ventania para Alpinópolis alterado, pela lei estadual n°. 622, de 18-09-1914.

Fonte: IBGE

Código do Município

3101904

Gentílico

alpinopolense

Prefeito

JOSÉ GABRIEL DOS SANTOS FILHO

População
População estimada [2018]19.745 pessoas  
População no último censo [2010]18.488 pessoas  
Densidade demográfica [2010]40,66 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]1,8 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]2.685 pessoas  
População ocupada [2016]13,6 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]33,3 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]97 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]6,7  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]5  
Matrículas no ensino fundamental [2017]2.124 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]771 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]147 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]65 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]12 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]4 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]17.599,27 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]86,5 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,725  
Total de receitas realizadas [2017]41.936,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]39.224,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]17,61 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]2 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]15 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]454,751 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]81,7 %  
Arborização de vias públicas [2010]60,2 %  
Urbanização de vias públicas [2010]16,6 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Alpinópolis: Imagens da cidade e Região

imagem de Alpin%C3%B3polis+Minas+Gerais n-1
imagem de Alpin%C3%B3polis+Minas+Gerais n-2
imagem de Alpin%C3%B3polis+Minas+Gerais n-3
imagem de Alpin%C3%B3polis+Minas+Gerais n-4
imagem de Alpin%C3%B3polis+Minas+Gerais n-5
imagem de Alpin%C3%B3polis+Minas+Gerais n-6
imagem de Alpin%C3%B3polis+Minas+Gerais n-7
imagem de Alpin%C3%B3polis+Minas+Gerais n-8
imagem de Alpin%C3%B3polis+Minas+Gerais n-9
imagem de Alpin%C3%B3polis+Minas+Gerais n-10
imagem de Alpin%C3%B3polis+Minas+Gerais n-11
imagem de Alpin%C3%B3polis+Minas+Gerais n-12
imagem de Alpin%C3%B3polis+Minas+Gerais n-13
imagem de Alpin%C3%B3polis+Minas+Gerais n-14
imagem de Alpin%C3%B3polis+Minas+Gerais n-15
imagem de Alpin%C3%B3polis+Minas+Gerais n-16
imagem de Alpin%C3%B3polis+Minas+Gerais n-17
imagem de Alpin%C3%B3polis+Minas+Gerais n-18
imagem de Alpin%C3%B3polis+Minas+Gerais n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Alpinópolis e arredores.


Você conhece a cidade de Alpinópolis? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: