Início » Piauí » Luís Correia


Luís Correia - Piauí



Luís Correia faz parte do estado do Piauí. É um dos quatro municípios litorâneos do Piauí e o com as praias mais movimentadas durante as férias por turistas vindos do Ceará, Maranhão e principlamente de Teresina.

Em períodos festivos a cidade chega a receber 5 vezes mais turistas que o total de sua população isso acontece principalmente no Reveillon e no Carnaval que é um dos maiores do Nordeste.

Luís Correia originalmente chamava-se Vila da amarração, território piauiense que começou a ser povoado por volta de 1820.

História da cidade de Luís Correia Piauí - PI

Data de 1820 o povoamento do território de Amarração, atual Município de Luís Correia, quando alguns pescadores ali se instalaram.

Mais tarde, durante a guerra dos Balaios, por sua estratégica posição geográfica, tornou-se local de desembarque das tropas que combatiam os revoltosos, servindo de comunicação com as províncias limítrofes e Capital do Império.

Embora pertencente ao Piauí, Amarração foi assistida por padres de Granja, no Estado do Ceará, passando os habitantes do povoado a fazerem transações comerciais e a pagarem os impostos naquela cidade. O fato motivou a Assembléia Provincial do Ceará, em 1865, a elevar o povoado à categoria de Distrito, com limites fixados em 1870. Em 1874, por deliberação cearense, Amarração foi elevada à categoria de Vila.

O Governo do Piauí reivindicou seu território, readquirido em 1880, por determinação do Governo-Geral, em troca de dois importantes Municípios, Independência e Príncipe Imperial, hoje Crateús.

Em 1868 foi iniciada a construção da igreja de Nossa Senhora da Conceição, concluída em 1879, então como Matriz e com a ajuda de imigrantes cearenses da seca de 1877.

Amarração foi o primeiro Município do Piauí a libertar escravos, por iniciativa do Comendador Joaquim Rodrigues da Costa que, em 1886, liberou os 14 que possuía.

A Vila desenvolveu-se rapidamente. Porto marítimo, recebia pequenos vapores do Maranhão, Pará, Ceará e Pernambuco e navios de longo curso da Guiana Francesa para a Inglaterra. As companhias de navegação construíram sólidos e espaçosos armazéns. Em 1888, parte da localidade foi destruída por grandes marés, agravada pelas dunas, obrigando os habitantes a deixarem suas casas e o próprio lugar.

Posteriormente, em 13 de maio de 1922, foi inaugurada a estação da Estrada de Ferro Central do Piauí e em 12 de agosto do mesmo ano, o Presidente Epitácio Pessoa autorizava a construção do porto.

Em 1931, Amarração perde a autonomia, passando a integrar o Município de Parnaíba, como Distrito. E, em 1935, teve o nome mudado para Luís Correia, em homenagem ao ilustre homem público jornalista e literato, Luís Morais Correia, nascido no Município.

Três anos mais tarde, readquiriu a autonomia administrativa, tendo como sede a cidade de Luís Correia.

Gentílico: luís-correiense

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação Amarração, pelas leis provinciais do Ceará nºs 1177, de 2908-1865 e 1360 de 05-11-1870.

Elevado à categoria de vila com a denominação de Amarração, pela estadual nº 1596, de 05-081874. Sede na antiga vila de Amarração. Constituído do distrito sede. Instalado em 23-06-1879.

Pelo decreto do Governo Geral nº 3012, de 22-10-1880, transfere a antiga província do Ceara para o Piauí.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído do distrito sede.

Pelo decreto estadual nº 1279, de 26-06-1931, é extinto o município de Amarração, sendo seu território anexado ao município de Paranaíba, como simples distrito.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, Amarração figura como distrito de Parnaíba.

Pelo decreto estadual nº 6, de 04-09-1935, o distrito Amarração passou a denominar-se Luiz Correia.

Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o distrito já denominado Luís Correia figura no município de Parnaíba.

Elevado novamente à categoria de município com a denominação de Luís Correia pelo decreto estadual nº 167, de 26-07-1938, desmembrado de Parnaíba. Sede no antigo distrito de Luíz Correia. Constituído do distrito sede. Instalado em 01-01-1939.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

Alteração toponímica municipal

Amarração para Luíz Correia alterado, pela lei estadual nº 6, de 04-09-1935.

Fonte: IBGE

Código do Município

2205706

Gentílico

luís-correiense

Prefeito

FRANCISCO ARAUJO GALENO

População
População estimada [2018]30.177 pessoas  
População no último censo [2010]28.406 pessoas  
Densidade demográfica [2010]26,52 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]1,3 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]2.656 pessoas  
População ocupada [2016]8,9 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]55,4 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]95,4 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]3,6  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]3,4  
Matrículas no ensino fundamental [2017]4.735 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]1.352 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]256 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]81 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]59 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]4 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]8.699,37 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]89,8 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,541  
Total de receitas realizadas [2017]65.225,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]62.511,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]6,7 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]1,8 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]18 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]1.071,465 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]16,6 %  
Arborização de vias públicas [2010]24,1 %  
Urbanização de vias públicas [2010]0 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Luís Correia: Imagens da cidade e Região

imagem de Lu%C3%ADs+Correia+Piau%C3%AD n-1
imagem de Lu%C3%ADs+Correia+Piau%C3%AD n-2
imagem de Lu%C3%ADs+Correia+Piau%C3%AD n-3
imagem de Lu%C3%ADs+Correia+Piau%C3%AD n-4
imagem de Lu%C3%ADs+Correia+Piau%C3%AD n-5
imagem de Lu%C3%ADs+Correia+Piau%C3%AD n-6
imagem de Lu%C3%ADs+Correia+Piau%C3%AD n-7
imagem de Lu%C3%ADs+Correia+Piau%C3%AD n-8
imagem de Lu%C3%ADs+Correia+Piau%C3%AD n-9
imagem de Lu%C3%ADs+Correia+Piau%C3%AD n-10
imagem de Lu%C3%ADs+Correia+Piau%C3%AD n-11
imagem de Lu%C3%ADs+Correia+Piau%C3%AD n-12
imagem de Lu%C3%ADs+Correia+Piau%C3%AD n-13
imagem de Lu%C3%ADs+Correia+Piau%C3%AD n-14
imagem de Lu%C3%ADs+Correia+Piau%C3%AD n-15
imagem de Lu%C3%ADs+Correia+Piau%C3%AD n-16
imagem de Lu%C3%ADs+Correia+Piau%C3%AD n-17
imagem de Lu%C3%ADs+Correia+Piau%C3%AD n-18
imagem de Lu%C3%ADs+Correia+Piau%C3%AD n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Luís Correia e arredores.


Você conhece a cidade de Luís Correia? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: