Início » Paraná » Tuneiras do Oeste


Tuneiras do Oeste - Paraná



Tuneiras do Oeste faz parte do estado do Paraná.

Tuneiras do Oeste antes de ser colonizado já era frequentado por tropeiros deste o início do século XX em razão do município ser cortado pela famosa estrada boiadeira, a qual até hoje não foi asfaltada. Na década de quarenta iniciou-se a colonização através de títulos de terras concedidos pelo Estado do Paraná e muitos paranaenses da região sul do Estado emigraram para Tuneiras, desbravando a floresta. A empresa Companhia Melhoramentos Norte do Paraná passou a colonizar parte considerável do município, tanto da zona rural como da zona urbana. A Estrada Boiadeira dividia as terras colonizadas pelo Estado do Paraná daquelas colonizadas pela empresa citada. A partir da década de cinquenta a colonização se intensificou drasticamente, com emigrantes vindos dos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e, ainda, de vários Estados do Nordeste. A economia se baseava na extração da madeira e cultura do café e o município encontrou seu auge na década de sessenta, quando chegou a ter 40.000 habitantes, quase todos morando na zona rural. A partir da década de setenta veio a decadência. A exploração de madeira já havia perdido força e um intenso inverno arrasou a lavoura cafeeira. Tuneiras, então, deixou de receber emigrantes e passou a perder população. Os tuneirenses iam embora principalmente para as cidades de São Paulo e Curitiba. Na década de oitenta os tuneirenses passaram a desbravar os estados do Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Rondônia, tendo em vista o alto valor das terras tuneirenses e o baixo preço da terra naqueles Estados, bem como o incentivo governamental para que fossem colonizados. Assim, os tuneirenses vendiam suas pequenas propriedades rurais e compravam áreas maiores naqueles Estados. Na década de noventa passaram a se mudar para Cuitiba. E assim a população reduziu-se para menos de 8.000 habitantes. A falta de opção de emprego de qualidade para a população continua a expulsar os jovens tuneirenses para outros centros urbanos, até mesmo para cidades próximas como Tapejara, Cianorte e Maringá. Tudo isso é resultado de uma falta de visão das próprias pessoas que colonizaram o município, pois, se desde o início da povoação tivessem pensado em ali se intalar e permanecer, construindo uma sociedade ideal e voltada para o bem estar e o futuro da população, com uma visão empreendedora e produtiva, talvez existiria uma sociedade mais complexa e competitiva, a qual teria grandes possibilidades de prosperar, a exemplo de cidades como Cianorte, entre outras. Importante anotar que o decréscimo populacional ocorrido em Tuneiras também se abateu sobre outros quarenta municípios paranaenses, e em todos se observa um ponto em comum: os colonizadores teriam potencial para fazer do município respectivo um lugar melhor, mas não souberam canalizar suas forças no momento oportuno e o município acabou sendo superado por muitos outros, a exemplo do que ocorre com muitas empresas do ramo privado.

Sua população estimada em 2004 era de 7.758 habitantes. Foi criada a Reserva Biológica das Perobas nos municípios de Tuneiras do Oeste e Cianorte, no estado do Paraná, com o objetivo de preservar os ecossistemas naturais existentes, com destaque para os remanescentes de Floresta Estacional Semidecidual e sua fauna associada, possibilitando a realização de pesquisas científicas e o desenvolvimento de atividades controladas de educação ambiental.

Tuneiras do Oeste está localizada no Noroeste do Estado do Paraná a altitude de 600 metros do nível do mar, com Latitude 23 graus, 52 minutos e 14 segundos Sul e Longitude 52 graus, 52 minutos e 34 segundos W-GR.

Foi desmembrado de Cianorte e Cruzeiro do Oeste elevado a categoria de Distrito pela Lei n.º 12 de 25/04/1955 e a nível de município, pela Lei Estadual n.º 4245 de 25/07/1960. O aniversário da cidade é comemorado em 25 de Julho, tendo como padroeira Nossa Senhora das Graças.

Em 1946 Jorge Lopes foi nomeado guarda florestal pelo governo do estado, instalando-se na região. No inicio da década de 50, famílias de posseiros refugiados e sobreviventes do Massacre de Porecatú vieram a região e ocuparam as terras devolutas cedidas pelo estado. Estes foram seguidos por famílias provenientes de outras localidades.

O nome da cidade deve-se à existência de cactos, conhecidos na região por Tunas.

Tuneiras do Oeste está localizada no Terceiro Planalto Paranaense, com uma área total de 2.481.601,5 ha, correspondendo a 12,4% do total do Estado. Apresenta uma população total de 641.084 habitantes e uma densidade demográfica de 3,87 hab/ha. é composta por 61 municípios, dos quais destacam-se Umuarama, Paranavaí e Cianorte. O município integra com mais 31 cidades a Microrregião da AMERIOS Associação dos Municípios da Região de Entre-Rios, que tem Umuarama como cidade pólo com 90.690 habitantes.

A produção de soja vem se transformando na principal atividade econômica da região, sendo que o município apresentou em 2002 uma produção de 18.750t e a área de plantio vêm aumentando anualmente. Neste mesmo ano foram colhidos 7.500ha, com um rendimento de 2.500 Kg/ha. Outra importante produção agrícola é a cana-de-açúcar, que está perdendo o posto de principal atividade econômica, isto se deve ao fato da realização do Arenito Nova Fronteira em 1999, que incentivou a mecanização e a formação de lavouras.

A pecuária merece uma menção com importante produto municipal com 514 estabelecimentos produtores. A mesorregião contribui com 26,2% do rebanho bovino do Paraná, sendo a maior participação do Estado.

A indústria de Tuneiras do oeste não possui expressividade para a economia local. Apresenta estabelecimentos de pequeno porte no ramo de confecções, artigos de couro, doces e fios de seda.

Fonte: Prefeitura Municipal de Tuneiras do Oeste

Autor do Histórico: ANTôNIO MAIOLI

Código do Município

4127908

Gentílico

tuneirense

Prefeito

TAKETOSHI SAKURADA

População
População estimada [2018]8.599 pessoas  
População no último censo [2010]8.695 pessoas  
Densidade demográfica [2010]12,44 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]1,8 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]1.024 pessoas  
População ocupada [2016]11,6 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]32,8 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]97,7 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]5,3  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]4,2  
Matrículas no ensino fundamental [2017]1.038 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]328 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]86 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]44 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]9 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]3 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]20.701,61 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]87,2 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,695  
Total de receitas realizadas [2017]29.703,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]21.887,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]8,47 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]1,8 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]6 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]698,871 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]6,4 %  
Arborização de vias públicas [2010]91,4 %  
Urbanização de vias públicas [2010]36,1 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Tuneiras do Oeste: Imagens da cidade e Região

imagem de Tuneiras+do+Oeste+Paran%C3%A1 n-1
imagem de Tuneiras+do+Oeste+Paran%C3%A1 n-2
imagem de Tuneiras+do+Oeste+Paran%C3%A1 n-3
imagem de Tuneiras+do+Oeste+Paran%C3%A1 n-4
imagem de Tuneiras+do+Oeste+Paran%C3%A1 n-5
imagem de Tuneiras+do+Oeste+Paran%C3%A1 n-6
imagem de Tuneiras+do+Oeste+Paran%C3%A1 n-7
imagem de Tuneiras+do+Oeste+Paran%C3%A1 n-8
imagem de Tuneiras+do+Oeste+Paran%C3%A1 n-9
imagem de Tuneiras+do+Oeste+Paran%C3%A1 n-10
imagem de Tuneiras+do+Oeste+Paran%C3%A1 n-11
imagem de Tuneiras+do+Oeste+Paran%C3%A1 n-12
imagem de Tuneiras+do+Oeste+Paran%C3%A1 n-13
imagem de Tuneiras+do+Oeste+Paran%C3%A1 n-14
imagem de Tuneiras+do+Oeste+Paran%C3%A1 n-15
imagem de Tuneiras+do+Oeste+Paran%C3%A1 n-16
imagem de Tuneiras+do+Oeste+Paran%C3%A1 n-17
imagem de Tuneiras+do+Oeste+Paran%C3%A1 n-18
imagem de Tuneiras+do+Oeste+Paran%C3%A1 n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Tuneiras do Oeste e arredores.


Você conhece a cidade de Tuneiras do Oeste? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: