Início » Paraná » Lidianópolis


Lidianópolis - Paraná



Lidianópolis faz parte do estado do Paraná.

No princípio era uma grande fazenda, que ia de Porto Ubá, às margens do Rio Ivaí, até onde hoje se localiza o município de Manoel Ribas. Esta gleba era jurisdicionada ao município de Pitanga e tinha área de 84 mil alqueires de terras, sendo propriedade da Sociedade Territorial Ubá, dos irmãos Bráulio e Leovegildo Barbosa Ferraz. O Decreto nº 300, do Interventor Federal Mário Alves Monteiro Tourinho, e mais a ação de Manoel Ribas, na década de trinta, permitiram que muitas concessões de terras, irregularmente obtidas, ou não cumpridoras das normas instituídas, fossem retomadas pelo Estado. Este fato impediu a Sociedade Territorial Ubá de lotear a área, provocando uma demanda judicial com o governo federal, que se arrastou por cerca de cinte anos. neste período de pendenga judicial, esta imensa área foi sendo ocupada por posseiros que obtinham junto ao governo estadual um protocolo de posse. Quando finalmente a demanda foi vencida nos tribunais, pela Sociedade Territorial Ubá, iniciou-se um trabalho de conscientização junto aos pretensos colonos, para que fossem evitadas novas invasões. O encarregado desta ação foi José Domingues de Souza Junior, funcionário da Sociedade Ubá, que em 1948, instalou uma balsa, no Rio Ivaí, onde podia elucidar e conscientizar as famílias que adentrassem às terras. Por outro lado, o governo estadual retardava a publicação do resultado da demanda judicial, o ue ocorreu somente no governo Lupyon. Porém, a publicação foi condicionada, devendo-se respeitar os títulos emitidos pelo governo estadual nos dois últimos anos, permitindo que a companhia vendesse as terras que sobraram aos posseiros, a preços razoáveis e em parcelas. Muitos protoclos de posse foram comercializados com terceiros, e a empresa Ubá chegou a vender dez alqueires pelo preço de um, e ainda em prestações, conforme determinação governamental. Apesar de todas estas vantagens, a população foi instigada por alguns interesseiros a não comprar as terras e iniciar uma demanda judicial com o Estado, porém esta demanda foi infrutífera. Em 1950 começa a se delinear a formação da cidade e Lidianópolis. Nesta época, José Caetano Marques comprou da Sociedade Territorial Ubá uma gleba de 400 alqueires de terras, planejando fundar um povoado, cujo nome seria Lidianópolis, em homenagem à sua mãe. Mais tarde estas terras foram vendidas a João Morelle, que iniciou a implantação do patrimônio, demarcando as ruas e comercializando os lotes, tendo doado alguns destes lotes para a construção da igeja e formação de um cemitério. As primeiras construções que se tem notícia são a Serraria e Venda do Dimas, ambas localizadas em área distante do que viria a ser o patrimônio. No perímetro urbano foi pioneiro o sr. José Clarimundo Filho, comerciante de secos e molhados que abastecia os proprietários rurais da região. Mais tarde funcionou o bar de João Braga e o sr. Genor da Costa inicou-se como cerealista. Em 1958 o sr. Bernardino Campos instalou um armazém, para compra de cereais para o Exército Brasileiro. Eram tempos de abundância, a cafeicultura estava em alta e inúmeras casas de madeira foram ocupando as ruas principais do povoado. Surgiu então um novo loteamento, o Jardim São Francisco, localizado na área norte do quadro urbano. Mais recentemente, foi anexado o loteamento destinado à implantação de um conjunto habitacional. Pela Lei Estadual nº 4.962, de 21 de novembro de 1972, sancionada pelo governador Pedro Viriato Parigot de Souza, foi criado o Distrito Administrativo, com território pertencente ao município de Jardim Alegre e denominação alterada para Ubá do Sul. Este nome não vingou, e a Lei nº 7.108, de 17 de janeiro de 1979, permitiu que se voltasse à antiga denominação. Em 05 de junho de 1990, através da Lei Estadual nº 9.289, sancionada pelo governador Álvaro Fernandes Dias, foi criado o município de Lidianópolis, com território desmembrado do município de Jardim Alegre. A instalação oficial deu-se no dia 01 de jnaeiro de 1993. Lidianópolis pertence à Microrregião 08 (AMUVI).

Possui uma área é de 169km² representando 0,0849% do estado, 0,03% da região e 0,002% de todo o território brasileiro. Encontra-se a uma latitude 24°06′32" sul e a uma longitude 51°39′10" oeste, estando a uma altitude de 570 m. A população avaliada em 2005 era de 3.506 habitantes.

História da cidade de Lidianópolis

Em 1929, os irmãos Bráulio e Leovegildo Barbosa Ferraz adquiriram da viúva Landisberg toda a área entre os rio Ivaí e Corumbataí, denominada de fazenda do Ubá, de 84.000 alqueires.

Ao assumir o governo em 1930, Getúlio Vargas promoveu a tomada das terras em poder de grileiros e a fazenda Ubá de documentação duvidosa voltou ao poder do estado. A sociedade territorial de Ubá entrou na justiça para reaver suas terras. Essa demanda só terminou depois de 1945 com a saída de Vargas do poder, sendo vencida pela sociedade Ubá.

A partir de 1940, muitos posseiros, que obtinha junto ao estado um protocolo de posse, chegavam, demarcavam uma área e se declaravam donos de tal área. Mas em 1946, os irmãos Barbosa, tendo ganho a questão judicial, imediatamente se mobilizaram para evitar novas invasões, coibindo a entrada de novos posseiros através da ação de jagunços, após quatro ou cinco anos de serviços, tendo legalizado a situação das terras, foram beneficiados pela companhia com um grande lote de terras cada um.

Com a chegada da família do senhor Lázaro Pedro de Lima, nas margens do rio Ivaí, tendo construído uma balsa para transportar mercadorias, inicia-se colonização, sendo datado o ano de 1939, em 1942 inicia-se a formação do povoado Guaretá, em 1945 já fora construído uma nova balsa para transportar pequenos veículos, em 1946 o ônibus da Marilândia estava chegando até o rio Sapecado estava se organizando como vila, Pitanga torna-se município em 1949.

Em 1950, José Caetano Marques, comprou da sociedade Ubá um lote de terras, planejando ali um povoado, cujo nome seria Lidianópolis, em homenagem a sua mãe Lídia Marques, onde a primeira casa construída pertenceu ao comerciante José Clarimundo Filho, para abastecer os proprietários rurais. O segundo loteamento da área urbana foi o Jardim São Francisco Peres.

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Ubá do Sul, pela lei estadual nº 49, de 21-11-1962, subordinado ao município de Ivaiporã.

Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o distrito de Ubá do Sul, figura no município de Ivaiporã.

Pela lei estadual nº 4859, de 28-04-1964, o distrito de Ubá do Sul foi transferido do município Ivaiporã, para constituir o novo município de Jardim Alegre.

Em divisão territorial datada de 31-XII-1968, o distrito de Ubá do Sul, figura no município de Jardim Alegre.

Assim permencendo em divisão territorial datada de 1-I-1979.

Pela lei estadual nº 7108, de 17-1-1979, o distrito de Ubá do Sul tomou a denominação de Lidianópolis.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1983, o distrito de Lidianópolis (ex-Ubá do Sul), figura no município de Jardim Alegre.

Assim permencendo em divisão territorial datada de 1988.

Elevado à categoria de município com a denominação de Lidianópolis, pela lei estadual nº 9289, de 05-06-1990, desmembrado do município de Jardim Alegre. Sede no antigo distrito de Lidianópolis. Constituído do distrito sede. Instalado em 01-01-1993.

Em divisão territorial datada de 1995, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Alteração toponímica distrital

Ubá do Sul para Lidianópolis, alterado pela lei estadual nº 7108, de 17-1-1979.

Transferência distrital

Pela lei estadual nº 4859, de 28-04-1964, transfere o distrito de Ubá do Sul do município Ivaiporã para o de Jardim Alegre.

Fonte: IBGE

Código do Município

4113429

Gentílico

lidianopolitano

Prefeito

ADAUTO APARECIDO MANDU

População
População estimada [2018]3.391 pessoas  
População no último censo [2010]3.973 pessoas  
Densidade demográfica [2010]25,04 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]1,9 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]520 pessoas  
População ocupada [2016]14,0 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]36 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]99,4 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]5,5  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]4,8  
Matrículas no ensino fundamental [2017]414 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]170 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]53 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]25 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]5 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]1 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]21.260,01 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]91,5 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,680  
Total de receitas realizadas [2017]16.781,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]13.929,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]- óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]2,7 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]2 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]154,361 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]10 %  
Arborização de vias públicas [2010]97,9 %  
Urbanização de vias públicas [2010]39,1 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Lidianópolis: Imagens da cidade e Região

imagem de Lidian%C3%B3polis+Paran%C3%A1 n-1
imagem de Lidian%C3%B3polis+Paran%C3%A1 n-2
imagem de Lidian%C3%B3polis+Paran%C3%A1 n-3
imagem de Lidian%C3%B3polis+Paran%C3%A1 n-4
imagem de Lidian%C3%B3polis+Paran%C3%A1 n-5
imagem de Lidian%C3%B3polis+Paran%C3%A1 n-6
imagem de Lidian%C3%B3polis+Paran%C3%A1 n-7
imagem de Lidian%C3%B3polis+Paran%C3%A1 n-8
imagem de Lidian%C3%B3polis+Paran%C3%A1 n-9
imagem de Lidian%C3%B3polis+Paran%C3%A1 n-10
imagem de Lidian%C3%B3polis+Paran%C3%A1 n-11
imagem de Lidian%C3%B3polis+Paran%C3%A1 n-12
imagem de Lidian%C3%B3polis+Paran%C3%A1 n-13
imagem de Lidian%C3%B3polis+Paran%C3%A1 n-14
imagem de Lidian%C3%B3polis+Paran%C3%A1 n-15
imagem de Lidian%C3%B3polis+Paran%C3%A1 n-16
imagem de Lidian%C3%B3polis+Paran%C3%A1 n-17
imagem de Lidian%C3%B3polis+Paran%C3%A1 n-18
imagem de Lidian%C3%B3polis+Paran%C3%A1 n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Lidianópolis e arredores.


Você conhece a cidade de Lidianópolis? Então deixe seu comentário!


Comentários (1)

  1. Suzana Lidia Marques's avatarSuzana Lidia Marques

    Conhci a cidade de Lidianopolis,h cujo o nome foi dade em homenagem de minha abo Lydia do Paraíso Marques pelo meu pai José Caetano Marques.

    #1 – 01/12/2016 - 00:46

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: