Início » Minas Gerais » Novo Oriente de Minas


Novo Oriente de Minas - Minas Gerais



Novo Oriente de Minas faz parte do estado de Minas Gerais.

O município de Novo Oriente de Minas encontra-se no nordeste de Minas Gerais, no Vale do Mucuri ocupando uma área de 754 km², com uma população estimada de 10.339 habitantes (IBGE 2010) limitando-se com os municípios de Teófilo Otoni, Caraí, Pavão, Catuji, Crisólita, Águas Formosas, Padre Paraíso, Pontos dos Volantes, e Joaima. Sua topografia montanhosa, sendo que a sede do município esta em baixa altitude em relação a capital mineira.

Em 1932 era uma fazenda pertencente ao Sr. Inácio Pereira e seu filho Onório Pereira Rosa que entraram na mata bruta e fez campo de cultivo, foram os primeiros moradores destas terras. Por motivo de desentendimento entre o Sr. Inácio e seu filho o proprietário saiu à procura de compradores para a fazenda. Foi assim que chegou as terras, aquele que seria seu fundador, João Roque que comprou a parte do Sr. Inácio.

História da cidade de Novo Oriente de Minas

O município tem sua origem a partir do povoado de Jaboti, pertencente ao Município de Teófilo Otoni, que depois passou a ser chamado de Frei Gonzaga, em homenagem a um sacerdote franciscano.

Paralelamente ao desenvolvimento de Frei Gonzaga, a partir de uma fazenda pertencente a Inácio Pereira, que em 1936 foi adquirida por João Roque e sua esposa, Sra. Cristina Ferreira Coimbra, deu-se início a uma nova aglomeração, tendo em vista ter sido, em 1946, descoberto que o subsolo desta fazenda era rico em pedras semi-preciosas, atraindo vários garimpeiros, surgindo daí, pequenos estabelecimentos de comércio para suprir a crescente necessidade dos moradores daquele aglomerado ainda sem nome.

O Sr. João Roque, intentando a organização de uma feira livre em Frei Gonzaga, procurou os líderes políticos locais, João Pedrosa da Costa e Aprígio Martins Gabriel buscando apoio a sua idéia, mas como não houve a participação da população, a feira não se firmou.

Apesar do insucesso da feira em Frei Gonzaga, o Sr. João Roque organizou em sua fazenda uma feira nos mesmos moldes da anterior, e desta vez obteve grande sucesso. A partir daí, com os frequentes eventos ali realizados, a fazenda se tornou um povoado denominado de Belo Oriente.

Na década de 1950, Belo Oriente teve sua primeira professora, Sra. Alexandrina Sena Lima, que lecionava em sua própria casa, até que o Sr. João Roque doou um terreno para construção de um salão.

Em um terreno também doado por João Roque, foi construída, através de mutirão, a igreja católica, com recursos advindos de festas promovidas para esse fim. A primeira missa foi celebrada por Frei Obaldo. O primeiro bispo que visitou o povoado de Belo Oriente foi, Dom José Maria Pires de Araujo, da Diocese de Araçuaí, MG. Em 1974, chega o Padre Domingos, iniciando sua jornada na região.

Em 23 de julho de 1975, foi instalado o Cartório do Registro Civil e Notas, tendo como titular o Sr. Manoel da Silva Medeiros. O primejiro casamente ali realizado foi o do Sr. Marcelo Roque Coimbra com a Sra. Josefa Coimbra Ferreira.

Em novembro de 1976, foi inaugurada a energia elétrica, pelo então prefeito do município (Teofilo Otoni).

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Frei Gonzaga (ex-povoado de Jaboti), com terras desmembradas do distrito de Pavão, pela Lei nº 336, de 27-12-1948, subordinado ao município de Teófilo Otoni.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o distrito de Frei Gonzaga, figura no município de Teófilo Otoni.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1991.

Elevado à categoria de município com a denominação de Novo Oriente de Minas, pela Lei Estadual nº 10703, de 27-04-1992, desmembrado de Teófilo Otoni. Sede no atual distrito de Novo Oriente de Minas (ex-Frei Gonzaga). Constituído de 2 distritos: Novo Oriente de Minas e Rio Pretinho, ambos desmembrados de Teófilo Otoni. Instalado em 01-01-1997.

Em divisão territorial datada de 2001, o município é constituído de 2 distritos: Novo Oriente de Minas e Rio Pretinho.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Alteração toponímica distrital

Frei Gonzaga para Novo Oriente de Minas, alterado pela Lei Estadual nº 10703, de 27-04-1992.

Fonte: Prefeitura Municipal de Novo Oriente de Minas

Novo Oriente de Minas

Minas de Gerais - MG

O municipio tem sua origem a partir do povoado de Jaboti, pertencente ao Município de Teófilo Otoni, que depois passou a ser chamado de Frei Gonzaga, em homenagem a um sacerdote franciscano.

Paralelamente ao desenvolvimento de Frei Gonzaga, a partir de uma fazenda pertencente a Inácio Pereira, que em 1936 foi adquirida por João Roque e sua esposa, Sra. Cristina Ferreira Coimbra, deu-se início a uma nova aglomeração, tendo em vista ter sido, em 1946, descoberto que o subsolo desta fazenda era rico em pedras semi-preciosas, atraindo vários garimpeiros, surgindo daí, pequenos estabelecimentos de comércio para suprir a crescente necessidade dos moradores daquele aglomerado ainda sem nome.

O Sr. João Roque, intentando a organização de uma feira livre em Frei Gonzaga, procurou os líderes políticos locais, João Pedrosa da Costa e Aprígio Martins Gabriel buscando apoio a sua idéia, mas como não houve a participação da população, a feira não se firmou.

Apesar do insucesso da feira em Frei Gonzaga, o Sr. João Roque organizou em sua fazenda uma feira nos mesmos moldes da anterior, e desta vez obteve grande sucesso. A partir daí, com os frequentes eventos ali realizados, a fazenda se tornou um povoado denominado de Belo Oriente.

Na década de 1950, Belo Oriente teve sua primeira professora, Sra. Alexandrina Sena Lima, que lecionava em sua própria casa, até que o Sr. João Roque doou um terreno para construção de um salão.

Em um terreno também doado por João Roque, foi construída, através de mutirão, a igreja católica, com recursos advindos de festas promovidas para esse fim. A primeira missa foi celebrada por Frei Obaldo. O primeiro bispo que visitou o povoado de Belo Oriente foi, Dom José Maria Pires de Araujo, da Diocese de Araçuaí, MG. Em 1974, chega o Padre Domingos, iniciando sua jornada na região.

Em 23 de julho de 1975, foi instalado o Cartório do Registro Civil e Notas, tendo como titular o Sr. Manoel da Silva Medeiros. O primejiro casamente ali realizado foi o do Sr. Marcelo Roque Coimbra com a Sra. Josefa Coimbra Ferreira.

Em novembvro de 1976, foi inaugurada a energia elétrica, pelo então prefeito do município (Teofilo Otoni).

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Frei Gonzaga (ex-povoado de Jaboti), com terras desmembradas do distrito de Pavão, pela Lei nº 336, de 27-12-1948, subordinado ao município de Teófilo Otoni.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o distrito de Frei Gonzaga, figura no município de Teófilo Otoni.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1991.

Elevado à categoria de município com a denominação de Novo Oriente de Minas, pela Lei Estadual nº 10703, de 27-04-1992, desmembrado de Teófilo Otoni. Sede no atual distrito de Novo Oriente de Minas (ex-Frei Gonzaga). Constituído de 2 distritos: Novo Oriente de Minas e Rio Pretinho, ambos desmembrados de Teófilo Otoni. Instalado em 01-01-1997.

Em divisão territorial datada de 2001, o município é constituído de 2 distritos: Novo Oriente de Minas e Rio Pretinho.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Alteração toponímica distrital

Frei Gonzaga para Novo Oriente de Minas, alterado pela Lei Estadual nº 10703, de 27-04-1992.

Autor do Complemento: DIONEL NOVAES MIRANDA


Código do Município

3145356

Gentílico

novo orientense

Prefeito

FÁBIO RODRIGUES GONÇALVES

População
População estimada [2018]10.731 pessoas  
População no último censo [2010]10.339 pessoas  
Densidade demográfica [2010]13,69 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]1,6 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]537 pessoas  
População ocupada [2016]5,0 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]54 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]96,3 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]5,8  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]4,1  
Matrículas no ensino fundamental [2017]1.512 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]545 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]112 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]51 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]12 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]3 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]6.889,06 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]95 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,555  
Total de receitas realizadas [2017]23.254,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]20.706,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]16 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]0,3 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]4 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]755,151 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]37,4 %  
Arborização de vias públicas [2010]88,6 %  
Urbanização de vias públicas [2010]43,6 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Novo Oriente de Minas: Imagens da cidade e Região

imagem de Novo+Oriente+de+Minas+Minas+Gerais n-1
imagem de Novo+Oriente+de+Minas+Minas+Gerais n-2
imagem de Novo+Oriente+de+Minas+Minas+Gerais n-3
imagem de Novo+Oriente+de+Minas+Minas+Gerais n-4
imagem de Novo+Oriente+de+Minas+Minas+Gerais n-5
imagem de Novo+Oriente+de+Minas+Minas+Gerais n-6
imagem de Novo+Oriente+de+Minas+Minas+Gerais n-7
imagem de Novo+Oriente+de+Minas+Minas+Gerais n-8
imagem de Novo+Oriente+de+Minas+Minas+Gerais n-9
imagem de Novo+Oriente+de+Minas+Minas+Gerais n-10
imagem de Novo+Oriente+de+Minas+Minas+Gerais n-11
imagem de Novo+Oriente+de+Minas+Minas+Gerais n-12
imagem de Novo+Oriente+de+Minas+Minas+Gerais n-13
imagem de Novo+Oriente+de+Minas+Minas+Gerais n-14
imagem de Novo+Oriente+de+Minas+Minas+Gerais n-15
imagem de Novo+Oriente+de+Minas+Minas+Gerais n-16
imagem de Novo+Oriente+de+Minas+Minas+Gerais n-17
imagem de Novo+Oriente+de+Minas+Minas+Gerais n-18
imagem de Novo+Oriente+de+Minas+Minas+Gerais n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Novo Oriente de Minas e arredores.


Você conhece a cidade de Novo Oriente de Minas? Então deixe seu comentário!


Comentários (1)

  1. eni de souza's avatareni de souza

    Minha mae fez sua primeira comunhao na capela de jaboti no ano 1939, gostaria de saber se vc tem fotos dessa capela?.Porque eu adorei ler a historia da cidade onde ela morou quando criança. Ela falava muito do rio marambaia no qual achei muito lindo, tenho o documento mas nao tem a assinatura do frei, Parabens para o autor Dionel tudo muito bem explicado.

    #1 – 27/01/2016 - 00:52

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: