Início » Espírito Santo » Dores do Rio Preto


Dores do Rio Preto - Espírito Santo



Dores do Rio Preto faz parte do estado do Espírito Santo. A população avaliada em 2004 era de 6.662 habitantes. É um dos municípios de acesso ao Pico da Bandeira, 3° maior pico do país, com 2892m, no Parque Nacional do Caparaó pelo lado capixaba, que tem subida com nível de dificuldade menor e urbanização que facilitam movimentação e acampamento. É o município com a sede mais elevada do estado. Com 774 metros em sua prefeitura, Dores do Rio Preto é a cidade mais alta do estado. E também é o único município com sede a mais de 700 metros no extremo sul do estado.

O começo do povoamento do município de Dores do Rio Preto, é do final do século XIX e início do século XX. Seu primeiro nome foi Vila Divisa, cujo terreno foi doado por Firmino Domingos Dias e pertencia ao município de Guaçuí.

Em 1912 foi construída a Estrada de Ferro Leopoldina que ligava Vila Divisa aos Estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais. Esta ferrovia ajudou muito para o desenvolvimento e o progresso local.

História da cidade de Dores do Rio Preto

O início do povoamento do município de Dores do Rio Preto data do final do século XIX e início do século XX. Sua primeira denominação foi Vila Divisa, cujo terreno foi doado por Firmino Domingos Dias e pertencia ao município de Guaçuí.

Em 1912 foi inaugurada a Estrada de Ferro Leopoldina que ligava Vila Divisa aos Estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e demais municípios vizinhos. Esta ferrovia muito contribuiu para o desenvolvimento e o progresso local.

No período de 1912 a 1950, o distrito viveu seu apogeu comercial com a exportação de madeiras e de cereais.

Em 30 de dezembro de 1963 foi criado o município de Dores do Rio Preto, através da Lei nº 1.914, sendo instalado no dia 7 de abril de 1964. Sua denominação foi dada em homenagem a padroeira Nossa Senhora das Dores e ao Rio Preto, que banha a cidade.

Dores do Rio Preto foi palco da Guerrilha do Caparaó, instabilidade política ocorrida em 1964, período revolucionário em que viveu o Brasil. Em 1967 as forças armadas montaram um esquema tático para capturar ex-militares que faziam parte do grupo revolucionário e que estavam refugiados no Parque Nacional do Caparaó.

O exército usou como base de acampamento todos os municípios vizinhos, assim como Dores do Rio Preto.

O primeiro prefeito do município foi o Sr. Wlademiro Azevedo Carvalho e o segundo, o Sr. Manoel Cardoso Martins, ambos nomeados pelo Governador do Estado, Dr. Francisco Lacerda de Aguiar.

A 1ª eleição no município data de 1966 quando o Sr. Augusto Otaviano foi eleito prefeito municipal.

Gentílico: rio-pretense

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Rio Preto, pela lei municipal n 7 13, de 17-06-1896, subordinado ao município de Alegre.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o distrito de Rio Preto figura no município de alegre.

Pela lei estadual nº 1688, de 25 -12-1928, transfere o distrito de Rio Preto do município de Alegre para o município de Sigueira Campos.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o distrito de Rio Preto figura no município de Sigueira Campos.

Assim permanecendo em divisão territorial datadas de 31-12-1936 e 31-12-1937.

Pelo decreto lei estadual nº 15177, de 31-12-1943, o distrito de Rio Preto passou a denominar-se divisão sob o mesmo decreto o município de Sigueira Campos a denominar-se Guaçuí.

No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, o distrito já denominado Divisa figura no município de Guaçuí.

Em divisão territorial datada de 01-07-1955, o distrito Divisa pertence ao município de Guaçuí.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 01-07-1960.

Elevado à categoria de município com a denominação de Dores do Rio Preto, pela lei estadual nº 1914, de 30-12-1963, desmembrado de Guaçuí, sede no atual distrito de Dores do Rio Preto ex-Dilisa. Constituído do distrito sede.

Em divisa territorial datada de 31-12-1963, o município é constituído do distrito sede.

Pela lei estadual nº 3450, de 29-12-1981, é criado o distrito de Mundo Novo e anexado ao município de Dores do Rio Preto.

Em divisão territorial datada de 18-08-1988, o município é constituído de 2 distritos: Dores do Rio Preto e Mundo Novo.

Pela lei nº 002/98, de , é criado o distrito de São Raimundo da Pedra Menina e anexado ao município de Dores do Rio Preto. após 1995.

Em divisão territorial datada de 15-07-1997, o município é constituído de 3 distritos: Dores do Rio Preto, Mundo Novo e São Raimundo da Pedra Menina.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2003.

Transferência distrital

Pela lei municipal nº 1688, de 25-12-1920, transfere o distrito de Rio Preto do município de Alegre para o de Sigueira Campos.

Pelo decreto lei estadual nº 15177, de 31-12-1943, o município de Sigueira Campos passou a denominar-se Guaçuí e o distrito figura no município.

Alterações toponímicas distritais

Rio Preto para Divisa alterado, pela lei estadual nº 15177, de 31-12-1943. Divisa para Dores do Rio Preto alterado, pelo lei estadual nº 914, de 30-12-1963.

Fonte: IBGE

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.



Síntese das Informações
Área da unidade territorial - 2016: 159,298: km²
Estabelecimentos de Saúde SUS: 7: estabelecimentos
Matrícula - Ensino fundamental - 2015: 1.057: matrículas
Matrícula - Ensino médio - 2015: 300: matrículas
Número de unidades locais: 198: unidades
Pessoal ocupado total: 847: pessoas
PIB per capita a preços correntes - 2014: 13.531,03: reais
População residente : 6.397: pessoas
População residente - Homens: 3.226: pessoas
População residente - Mulheres: 3.171: pessoas
População residente alfabetizada: 4.955: pessoas
População residente que frequentava creche ou escola : 1.607: pessoas
População residente, religião católica apostólica romana: 4.245: pessoas
População residente, religião espírita: 149: pessoas
População residente, religião evangélicas: 1.397: pessoas
Valor do rendimento nominal médio mensal dos domicílios particulares permanentes com rendimento domiciliar, por situação do domicílio - Rural: 1.015,61: reais
Valor do rendimento nominal médio mensal dos domicílios particulares permanentes com rendimento domiciliar, por situação do domicílio - Urbana: 1.504,96: reais
Valor do rendimento nominal mediano mensal per capita dos domicílios particulares permanentes - Rural: 200,00: reais
Valor do rendimento nominal mediano mensal per capita dos domicílios particulares permanentes - Urbana: 408,00: reais
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal - 2010 (IDHM 2010): 0,654:

Fonte:IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Dores do Rio Preto: Imagens da cidade e Região

As fotos fornecidas pelo Panoramio estão sobre direitos autorais de seus proprietários.

Você conhece a cidade de Dores do Rio Preto? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)






Compartilhe Esta Página: