Início » Paraná » Guaíra


Guaíra - Paraná

Município UF Código DDD CEP base Área(Km2)
Guaíra PR 044 85980-000 560,485

Guaíra é uma cidade da região Sul, localizado no estado do Paraná.

A cidade está localizada às margens do Rio Paraná, e o trecho ostenta o título de Maior Arquipélago da América do Sul, é considerado o Portal do Pantanal Paranaense e constitui um corredor da biodiversidade com mais de 200 ilhas, centenas de espécies de animais vertebrados, aves, répteis e anfíbios, além de 170 espécies de peixes.

Encontra-se a uma latitude 24º04′48" Sul e a uma longitude 54º15′21" Oeste, estando a uma altitude de 220 metros.

História da cidade de Guaíra

Há evidências históricas da descoberta da América antes de Colombo pelos habitantes das ilhas do pacífico, pelos hindus e ainda pelos japoneses e coreanos.

636 - Chineses descobrem a América.

986 - O navegador Bjarni Herjolsson viajando da Islândia para a Groenlândia foi desviado de sua rota por uma tempestade que o conduziu em direção sul, o levando a novos e desconhecidos lugares. Em 1001, de volta à Groenlândia narrou o fato ao navegador Leif Ericson, que anos após seguiu com uma expedição chegando a Helluland (terra de rochas), Markland (terra de madeira) e Vinland (terra de vinha) na América do Norte.

1117 - O bispo islandês Eirik fez a mesma rota e chegou a Vinland. Em 1965, a Biblioteca de Yale anunciou ao mundo a descoberta de um mapa antigo onde apareciam duas ilhas uma com o nome de Vinland e a outra com o nome Brasil. (o fato foi descoberto em 1960 pelo norueguês Helge Ingstad que encontrou ruínas dos antigos exploradores wikings em New Fonndland). Esse mapa é um documento preciso que registra a viagem de circunavegação realizada pelo padre John de Plano Carpini entre 1245 e 1247.

1311 - O rei africano Abudakari II conduziu uma frota de vários barcos da costa ocidental africana em direção ao Oceano Atlântico, anos depois retornou apenas um barco dando conta da descoberta da América.

1339 - O nome Brasil já aparece em planisférios (cartógrafos Mediceu, Solleri, Pinelli e Branco). O historiador brasileiro Sérgio Buarque de Holanda cita que a origem do nome Brasil é devido a uma lenda céltica que fala de uma "terra de delícias".

1474 - O mais famoso cartógrafo da época, Paolo Toscanelli, escreveu a um amigo português, em 1474, falando da "Ilha de Antília".

1479 - Tratado de Alcáçovas - Portugal desiste das Canárias mas passa a ter direitos sobre qualquer descoberta ao sul deste arquipélago.

1493 - A Ordem de Cristo já conhecia o Isola de Braçill segundo o mapa de 1482, feito pelo cartógrafo Gracioso Benincasa, em Ancona, na Itália, o mapa indica: a costa portuguesa, a costa africana, a costa brasileira e as Antílias. Eles mantinham uma política de sigilo que condenava à morte quem comentasse o assunto.

1494 - Tratado de Tordesilhas, assinado e retificado pelos reis católicos, constituindo-se na peça mais importante da história diplomática, dividindo-se as possessões ibéricas no Atlântico pelo meridiano que passa a 370 léguas a oeste do Arquipélago de Cabo Verde. Duarte Pacheco Pereira foi o principal negociador português.

1499 - Três frotas de bandeiras espanholas tocaram o norte da América do Sul entre 1499 e 1500: a de Alonso de Hojeda, a de Vicente Yanes Pinzon e a de Diogo de Leppe, destacando de que quem comandava a pequena frota de Hojeda era Américo Vespúcio, que percorreu toda a costa norte do Brasil, e foi o primeiro europeu a ver o grande delta do Amazonas, muito antes que Pinzon.

1500 - Pedro Alvares Cabral descobre "sociologicamente" o Brasil.

1501 - Parte de Lisboa o navegador europeu Aleixo Garcia, a quem se atribui a primeira penetração e consequente descobrimento dos territórios do Paraguai.

1502 - A descoberta do litoral paranaense foi efetuada por Américo Vespúcio que depois de descobrir as primeiras terras do atual Estado de São Paulo, incluindo o porto de São Vicente a 22 de janeiro de 1502, descendo ao sul passou para Cananéia, onde deixou como degredado um bacharel português, cujo nome parece ter sido Gonçalo Acosta, diz Varnhagen. Os mapas dos navegadores espanhóis assinalavam Paranaguá como "Baya de La Corona de Castilla". O mapa de 1502, roubado de Portugal pelo espião Alberto Cantino, já mostrava o desenho de toda a costa brasileira.

1524 - Aleixo Garcia, explorador europeu a serviço da Coroa Espanhola, refugiou-se na Ilha de Santa Catarina com outros dez náufragos desde 1516. Partiu do litoral de Santa Catarina, alcançou os campos de Curitiba (17 anos antes que Dom Alvar Nunez Cabeza de Vacca).

1525 - Aleixo Garcia descobre as Cataratas do Iguaçu e as de Guaíra em sua viagem para o Peru através de ramais do Caminho do Peabiru. Segundo Cardoso (1960) "Alejo Garcia, español y no portugués segun las más modernas investigaciones, y tripulante que fue de una armada española". Faleceu em 1525 o descobridor do Paraguay e o primeiro europeu a penetrar no domínio dos Incas.

1536 - Pedro de Mendoza toma posse como Governador de Assuncion.

1538 - Domingos Martinez de Irala, outro Governador de Assuncion toma posse.

1541 - Alvar Nunez Cabeza de Vacca, parte da Ilha de Santa Catarina, alcança o território paranaense, segue por uma linha de cumeada até o Rio Papagaio e daí sempre pelo divisor de águas até as nascentes do Rio Piquiri, desce esse curso d′água até o Rio Paraná e, finalmente, desce o Rio Paraguai até Assuncion.

1541 - Em 01/12/1541 Dom Alvar Nunez Cabeza de Vacca, atravessa o Iguaçu (passando pelos campos de Curitiba), rumo a Assunção, depois de ter batizado os lindos saltos com o nome de Santa Maria no Rio Iguaçu.

1545 - São descobertas as Minas de Potosi o que provoca maior utilização do Caminho do Peabiru.

1550 - Iralla manda fundar um porto ou estabelecimento que servisse aos navios procedentes da Espanha.

1551 - Mandou fundar outro porto, bem para cima, na direção do Brasil, provavelmente na margem direita do Rio Paraná (lado Paraguaio) a altura de Porto Mendes.

1552 - Outro estabelecimento é fundado à margem direita do Rio Paraná, a altura da grande cachoeira, também chamado de Porto Mbracayú ou Santa Vitória de Los Saltos del Guaíra (Canendiyú). Atual Parque Binacional de Maracajú. Divisa do Brasil com o Paraguai - área da Itaipú Binacional.

1552 - Domingos Martinez Iralla decide fundar Ontiveros (nome de sua cidade natal na Espanha) na grande cachoeira na margem esquerda do Rio Paraná (Guairá), traz consigo 60 espanhóis sob a chefia de Vergara e mais 40.000 famílias indígenas.

1554 - Foi também dado início à construção da ponte pênsil de aproximadamente 77 metros ligando o alto ao baixo Paraná, ou seja, também, à epoca, o Paraguai ao Brasil. A ponte tinha três seções, segundo anotações de Iralla em um de seus diários.

1554 - Os espanhóis para garantir seus domínios fundam a Fortificação de Ciudad Real Del Guairá, comandados pelo Capitão Ruy Diaz de Melgarejo com mais 100 soldados. Transferem parte do contingente de Ontiveros para a foz do Rio Piquiri no Rio Paraná (nota-se a célebre divergência cartográfica do Mapa de Cantino de 1502, com o de Diogo Ribeiro de 1529. Veremos que um coloca a linha de 370 léguas a 42º 30 de longitude, isto é, não muito distante de onde está a cidade de Terezina, enquanto o segundo o faz a 49º 40, mais ou menos no centro da Ilha de Marajó. A distância entre os dois meridianos, no equador é superior a 800 Km. Por esses mapas a Bacia do Rio Paraná aparece totalmente reta ao meridiano, quando a situação é totalmente diferente, dando uma idéia da elasticidade destes limites).

Origem do nome Guaíra: Guaíra vem do Guarani "Kway ra" que significa: passar não há de, intransitável, intransponível. Alusão às Sete Quedas.

1561 - Em 15 de maio, o espanhol Ortiz Vergara subjuga os Guaranis revoltados no Guairá. "co ivi agorecó yara" - "esta terra tem dono", avisava o poderoso chefe indígena guarani.

1570 - Melgarejo funda "Villa Rica Del Espiritu Santo" a 10 km a este do Rio Paraná, na grande curva do Rio Piquiri, margem esquerda antes de sua foz no Rio Paraná, aproximadamente hoje no Porto Picadão - Terra Roxa - Paraná (sendo esta sua primeira localização). é chamada também de Ciudad Andariega - cidade andarilha - , pois transferiu-se mais de cinco vezes, indo finalmente fixar-se na Foz do Rio Corumbataí, no Rio Ivaí, atual Município de Fenix-Paraná.

1588 - Ortega e Filds, padres jesuítas, haviam percorrido a região e informavam a seus superiores a existência de 200 mil índios e apontavam a conveniência para reuni-los nesses aldeamentos.

1601 - Consta de um documento do IBDF: Unidades de Conservação e Conservação Ecológica do Paraná, página 79 do ano de 1975, que havia em Ciudad Real Del Guayrá 50 cidadãos europeus e na vizinhança 200 mil silvícolas guaranis. Discorre também que Melgarejo ali fabricava artigos de ferro e até chegou a cunhar moedas. Fato interessante citado na publicação mimeografada é que ela diz de uma cruz de ferro (Cruz de Caravagio) achada no local tipo patriarcal, com arcos duplos, sendo os superiores mais curtos. A falta de um cabeçalho tem raro e desconhecido significado e a decoração em arabesco é fora do comum. Destaca-se ainda que: "o primeiro livro e, possivelmente, os primeiros jornais impressos na América o foram na República Independente (e constituída) de Guaíra." Esse fato é confirmado com a publicação pela Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba - COMEC, órgão estadual ligado diretamente ao governador do Estado do Paraná, no periódico Referência em Planejamento, ano 1, 3º trimestre, n.º 3, p. 12, editado em 1976.

1608- A Carta Régia, de 1608, autoriza Assuncion a promover a pacificação destes naturais pela Companhia de Jesus.

1610 - Com a aprovação de Felipe III, forma-se uma República Teocrática Cristã, onde nenhum espanhol podia entrar sem a permissão de um religioso. Ali os indígenas aprendiam ofícios e artes, pagavam impostos ao Rei, tinham bons tratamentos médicos, tornaram-se trabalhadores pacíficos e bons cristãos, reduzidos pelas diligências dos padres a grandes povoações e a vida política e humana. Na verdade era um município e cidade de índios, isento e independente. Os padres a dirigiam e eram consultados para tudo. O missionário era para eles padre, pastor, juiz, chefe, professor, cacique, médico, gerente, contador e evangelizador; o regime de trabalho suave e bem organizado (seis horas diárias) e geral bem estar econômico. A economia se dividia em: coleta e caça, plantações de mandioca, pipoca, algodão, uva, milho, indústrias caseiras de canjica, farinha (inclusive de pinhão), licores e vinho, remédios, fumo, salgamento de carnes e peixes, fabricação de objetos de madeira e couro, construção de casas, cerâmica, telhas e vasos, utensílios domésticos, criação de gado caprino, ovino e bovino e seus derivados como leite e queijos, além de erva mate e muitos outros.

Ensinava-se ler, cantar, religião, moral e, principalmente, valorizar o tempo, mantendo todos ocupados, homens, mulheres e crianças. Foram de 13 a 16 as reduções fundadas pelos jesuítas castelhanos.

1626 - Montoya, que na Conquista Espiritual menciona várias vezes o padre Juan Vaseo, deixou informações valiosas também sobre a prática musical nas reduções entre os anos de 1610 e 1628, dizendo, inclusive, que os paulistas maravilhavam-se em ver a disciplina dos índios quando cantavam e tocavam seus violones e até compuham canções que os jesuítas escreviam e imprimiam.

1626 - Em 14 de fevereiro, em Vila Rica, o Bandeirante Francisco Pedro Xavier prendeu os maiores da redução e os desarmou.

1628 - Em 18 de fevereiro, o Governador do Guairá, Hernando A. de Saavedra, coloca o marco comemorativo de sua passagem por Sete Quedas.

1628 - Em 18 de setembro, parte de São Paulo a grande bandeira comandada por Raposo Tavares tendo como imediato Manoel Preto que atacou as reduções jesuíticas e aldeias guaranis, com 69 portugueses, 900 mamelucos e 3 mil índios. Já entre 1590 e 1628 o remédio da pobreza dos bandeirantes ou seu meio de lucro era apresar indígenas, a captura e comércio de índios tornara-se a atividade essencial.

Os padres Montoya, Dias Tano e Simão Maceta, comandavam o êxodo tremendo dos indígenas até a região do Uruguai e Argentina. Somente as reduções de Nossa Senhora de Loreto e Santo Inácio Mini, por serem mais ao norte, escaparam dos ataques, porém foram evacuadas em 1631 por Dias Tano. Os padres Mansilla e Maceta seguiram com os índios aprisionados, tentaram de todas as maneiras libertá-los, representaram contra Raposo Tavares, porém nada conseguiram.

Raposo Tavares continuou com os ataques aos habitantes de Guairá e as próprias povoações espanholas foram atacadas de modo que Ciudad Real e Villa Rica foram completamente abandonadas em 1632. Aprisionaram-se 60 mil índios, aproximadamente 40 mil fugiram e entre 100 e 150 mil foram mortos e feridos ou simplesmente dizimados nestes cinco anos. Esta bandeira destruiu quase a totalidade das reduções no território paranaense.

1650 - Ficou o ocidente do Paraná em total e completo esquecimento. Com poucos índios, sem prata, não atraindo mais a atenção.

1750 - Com o Tratado de Madri, baseado no argumento uti-possedetis, resolviam-se as fronteiras ocidentais do Paraná. São fixados no tratado os limites do Brasil, estendendo-se para muito além da Linha de Tordesilhas, levando em conta os pontos mais distantes a que chegaram os bandeirantes.

1767 - Os jesuítas são expulsos do Paraguai (a Ordem de Jesus já tinha sido extinta em 1761).

1773 - A Ordem de Jesus foi dissolvida pela Bula Papal (Papa Clemente XIV).

1845 - O Ministério do Império recolhe de Curitiba e Paranaguá e outras povoações para a província de São Paulo e depois para o Arquivo Nacional "documentos interessantes" da história do Paraná. Os arquivos paranaenses, à época, igrejas, capelas, prefeituras, freguesias etc. foram "visitados" pelas ditas autoridades. Razão pela qual as instituições paranaenses não possuem documentos, ou seja, ausência total de papéis de música dos índios Guaranis do Guayrá, nem das antigas irmandades religiosas, nem qualquer outro documento, inclusive do fandango do litoral, pois, medidas proibitivas e o recolhimento de qualquer documento relativo a essa cultura, havendo desde final do século XVI a existência intermitente de editais, quem insistisse nisso incorria em ser açoitado no pelourinho e pelo menos trinta dias de cadeia etc. Ninguém podia oferecer um domicílio para que tais reuniões acontecessem.

1864 - Início da Guerra da Tríplice Aliança (união da Argentina, Brasil e Uruguai contra o Paraguai). A maioria dos vestígios das reduções espanholas foram destruídas nesta época e jogadas nos rios.

1866 - Os rumores de destruição de duas etapas da ponte ligando o Paraguai ao Brasil pelos paraguaios circulou nos meios civis que já não tinham acesso as mesmas.

1870 - Rendição do Paraguai e fim da guerra.

1872 - Pela primeira vez aparece o nome Sete Quedas que é registrado no Tratado de Limites pós-guerra entre o Brasil e o Paraguai. O oeste paranaense permanece desabitado, apenas o visitam turistas, aventureiros e pesquisadores.

1872 - O Censo de 1872, aponta uma população de 1016 pessoas para Guaíra.

1872 - Nos trabalhos de demarcação entre o Brasil e o Paraguai no pós-guerra dois nomes se destacaram e se transformaram mais tarde em importantes empresários ligados à atividade ervateira: Dom Francisco Mendes Gonçalves (português da Ilha da Madeira, irmão de Dom Ricardo Mendes Gonçalves, e que foram fornecedores de víveres ao Exército Brasileiro na Guerra) e Thomaz Laranjeira (nascido em Bagé-RS, também trabalhava para uma empresa de Porto Alegre que abastecera a Comissão de Limites).

1874 - Dom Francisco Mendes Gonçalves funda em Buenos Aires a Sociedade Comercial Francisco Mendes e Companhía, que se dedicou à industrialização e à venda da erva recebida do Brasil e do Paraguai. Thomaz Laranjeira inicia a exploração da erva mate nativa nos rincões do atual Mato Grosso do Sul trazendo alguns gaúchos consigo.

1876 - é editado o primeiro Mapa da Província do Paraná onde aparece o topônimo Ciudad Real Del Guayrá.

1876 - Em 23 de junho, os irmãos paranaenses Telêmaco e Nestor Borba descobrem as ruínas de Ontiveiros e de Ciudad Real Del Guayrá na foz do Rio Piquiri. A finalidade principal da visita dos irmãos, engenheiros militares, às Sete Quedas, que iniciou em 03.01.1876, era fazer os levantamentos para uma nova ponte pênsil que ligasse o Brasil ao Paraguai. Eles fizeram todos os trabalhos topográficos, inclusive medindo a menor distância entre o Paraguai e o Brasil no Rio Paraná abaixo das Sete Quedas que era de 60 metros de largura, paredões em ambos os lados de 34 metros de altura e supuseram que as enormes rochas eram de grés (arenito), o trabalho foi efetuado por triangulação.

1882 - O Decreto Imperial nº 8.799, de 09.12.1882, autoriza Thomaz Laranjeira a colher erva-mate nos limites da Província de Mato Grosso pelos Morros do Rincão de Julho às Cabeceiras do Iguatemi, e para o interior numa faixa de até 40 km, sendo válida por 10 anos, quando o mesmo legaliza os seus trabalhos e privilégio de exploração da erva mate.

1883 - Em 25 de julho, Thomaz Laranjeira associa-se aos banqueiros Dr. Joaquim Duartes Murtinho e Dr. Francisco Murtinho, constituindo assim a Companhia Mate Laranjeira que passou a ser a elaboradora e exportadora do produto, com exclusividade, para a Sociedade Comercial Francisco Mendes e Compañía, de Buenos Aires, que se ocupava da colocação da erva no mercado argentino.

1889 - O Decreto Imperial nº 10.432, de 09.11.1889 (assinado seis dias antes da Proclamação da República), concede a construção de uma estrada de ferro à Cia do Engenheiro João Teixeira Soares, pelo privilégio de 90 anos, ligando São Paulo ao Rio Grande do Sul e uma linha principal indo até Guaíra-Paraná e de Guaíra até Porto Mendes-Paraná. O interessante na redação do Decreto é que somente 15% da população deste local poderia ser brasileira, as outras seriam de imigrantes europeus ou das possessões portuguesas e espanholas. Há que se entender também que várias Cláusulas deste Decreto ligam a Mate Laranjeira diretamente com a construção da Estrada de Ferro Guaíra - Porto Mendes senão, vejamos: A Estrada de Ferro "...descerá o Piquiry até a sua confluência no Rio Paraná, fornecendo dous sub-ramaes, um destinado a ligar as secções navegáveis deste último rio...". Na Cláusula VII temos: ..."Estes estudos poderão ser apresentados por secções de extensão não inferior a 100 kilômetros, contanto que se estendam de um ponto obrigatório de passagema um outro e que no prazo marcado tenham sido apresentadas todas as secções". O trecho de Guaíra a Porto Mendes mesmo tendo 60 kilômetros justificava a sua construção. A Cláusula XLV estabelecia que "...Logo que em um núcleo colonial acharem-se estabelecidas 30 ou mais famílias, a companhia construirá uma escola e uma capella de conformidade com os typos approvados, que variarão, segundo a importância do núcleo." Por isso que foram fundadas a Escola Mendes Gonçalves e a Capela Nosso Senhor do Perdon.

1890 - Segundo o Censo de 1890, Guaíra tinha uma população residente de 115 pessoas.

1894 - é renovada por mais dez anos a colheita de erva mate para Thomaz Laranjeira.

1900 - Somente tribos nômades (os gés) vagueiam pelas terras abandonadas. Segundo o Censo de 1900, Guaíra possuía uma população residente de 365 pessoas.

1902 - A Empresa Mate Laranjeira estabelece-se em Guaíra, fazendo ali a fundação de Porto Mojoli (diziam Monjoli), porto adquirido de um argentino do mesmo nome, atual porto Paragem.

1902 - São construídos os dois prédios mais antigos de Guaíra que ficam na confluencia das ruas Mojoli e Presidente Getúlio Vargas (em frente da casa onde residiu o engenheiro Wilson Sidwell).

1908 - A Lei Estadual nº 815, de 06.05.1908, cria a Cidade de Guaíra, homenagem do Governo do Paraná a infinidade de quedas d′água e cataratas. à epoca era Governador do Estado do Paraná o Sr. Francisco Xavier da Silva.

1909 - São feitas diversas construções, depósitos e armazéns de erva mate.

1910 - Começa o transporte de erva mate para Buenos Aires para ser lá industrializada. Tendo o percurso via fluvial até Guaíra, depois puxadas por tropas de bovinos até o Salto Carapan e deste por roldanas através de um cabo aéreo para o Paraguai.

1910 - Para se ter uma idéia da organização em Guaíra a administração funcionava com as seguintes seções: estrada de ferro, manutenção mecânica, estaleiros e navegação, almoxarifado, serraria e carpintaria (principalmente para serrar dormentes), carreria, usina elétrica a vapor (gerador G.E.), engenharia e serviços comunitários.

1911 - A Empresa inicia a construção numa extensão de 45 km de suposta estrada de ferro Decauville até Porto São João.

1915 - São construídos mais 15 km de trilhos até Porto Mendes Gonçalves.

1915 - A Lei nº 180, de 18.03.1915, cria o Distrito Policial de Guaíra.

1915 - São transferidos definitivamente os direitos de Isnardi, Alves e Cia para a Cia Mate Laranjeira. Título n.º 000307.

1917 - A Mate Laranjeira, em 01 de junho, coloca para uso privativo e exclusivo em funcionamento a Estrada de Ferro Guaíra - Porto Mendes, bem como a construção de estaleiro, clube, hotel, posto de gasolina, aeroporto etc. Da Argentina vinham para Guaíra e Campanário, combustíveis, veículos, motores, máquinas, equipamentos, peças de reposição, etc. provenientes dos Estados Unidos, Inglaterra e Alemanha. Via Rio Paraná vinham de São Paulo insumos e produtos.

1917 - No Brasil, a Cia Mate Laranjeira veio a se constituir a S/A Laranjeira, Mendes e Cia, da qual passaram a fazer parte como acionistas, os antigos sócios e a firma argentina Francisco Mendes e Cia, constituindo então a sociedade anônima argentina Empresa Mate Laranjeira. Como dona de todos os bens existentes tanto na Argentina como no Brasil e no Paraguai. Constituindo-se, na verdade, na primeira multinacional latina, a nova empresa assumía então características de entidade estrangeira.

1918 - Lei n.º 1783 de 05.04.1918, cria o Distrito Judiciário de Guaíra que ficava subordinado a Foz do Iguaçu.

1919 - A partir deste ano Guaíra (construída à epoca apenas a vila velha) já contava com iluminação elétrica a vapor, água tratada encanada (1.100 metros de rede), esgoto (2.348 metros de manilhas de 8), telefones (32 telefones moldurados em madeira de lei, espalhados estratégicamente, nas residências e nas estações de embarque, desde Porto Thomaz Laranjeira até Porto Mendes) serviço de limpeza pública e remoção de lixo, capela, biblioteca, almoxarifado, aeroporto, escola com fornecimento de material (livros, cadernos, lápis, etc.) gratuitamente, posto pluviométrico, fluviométrico, hospital (um médico e cinco enfermeiras, serviços de parteira, sala de cirurgia, apartamentos para ambos os sexos), serviço odontológico com dentista, farmácia (três setores: elementos químicos, laboratório onde se preparavam os medicamentos e atendimento ao público a direção estava a cargo de um farmacêutico-bioquímico), serviço telefônico, depósitos, armazém, metalurgia, oficina, estaleiro, clube de lazer, um serviço de policiamento que proporcionava asseio e ordem com 26 guardas e 4 supervisores além do comandante e também nesse período fora construída uma ponte pênsil (internacional), ligando o Brasil ao Paraguai, num vão de 89 metros, logo no início do baixo Paraná, nos mesmos moldes daquela que havia sido destruída em 1866. Esta segunda ponte também não duraria muito. A moeda corrente era o peso e a moeda que a própria cia chegou a cunhar, em latão, primeiro manualmente e depois mecanicamente. tendo uma das faces lisa e na outra, o emblema da empresa, a Cruz de Malta, com as inscrições de ½ kg, 1 kg e 2kg, bem como, falavam-se os idiomas espanhol, guarani (dialeto) e inglês. Tinha um código de posturas que era aberto a todos os moradores, era regida por normas urbanísticas, só a cia tinha permissão para construir. Havia uma seção de manutenção cujos serviços, desde a capina do calçamento e ruas, pintura das casas, ou qualquer outra benfeitoria, eram gratuitos e estendiam-se a todos os moradores. As habitações eram de madeira de qualidade, padronizadas, assentadas sobre pilares de madeira, pintadas e cercadas, sendo de táboas de peroba de 40 centímetros dispostas em sentido transversal de modo que cobrissem os pregos ou parafusos das interpéries climáticas evitando assim o seu apodrecimento, revistidas por dentro por madeirinhas de cedro de qualidade que vinham da serraria de Zororó e as telhas eram de madeira de canjarana, cortadas, preparadas, montadas e colocadas no telhado em forma de escamas de peixe, que proporcionavam um aspecto agradável a habitação. Imperava a Lei Seca, ou seja, era proibido o consumo de bebidas alcoólicas.

1919 - O Decreto n.º 796 de 23.08.1919 estabelece o trânsito público na ferrovia.

1920 - O Censo de 1920 apontou que Guaíra possuía uma população residente de 2.355 pessoas.

1921 - Pelo título n.º 00088 de 01.04.1921 a Mate obtém outro lote de terras.

1922 - Nota-se no Município de Foz do Iguaçu (a área de guaíra estava incluída nele), pelo Censo de 1920 que 65% do total de residentes são estrangeiros.

1924 - A Coluna Prestes passa por Guaíra. Vale a pena salientar aqui o episódio da destruição novamente em 1924 da Ponte Pênsil Internacional, ligando Brasil ao Paraguai.

1924 - O Tenente J. Nunes de Carvalho, passando por Guaíra, na retirada de suas tropas paulistas que iam se unir aos revolucionários gaúchos na região de Santa Helena, cerca de 80 km de Guaíra declarou: Nessa longínqua cidade despatriada, instalou os seus armazéns e escritórios comerciais a poderosa Cia Mate Laranjeira, que explora os ervatáis que cobrem grande extensão do Alto Paraná, como também milhares de trabalhadores que, escravizados aos preços impostos pelos administradores, labutam a vida inteira para obter o indispensavel para sua sobrevivência.

1924 - Em contrapartida o Industrial Cézar Prieto Martinez divulga uma nota na imprensa paulista, após visitar Guaíra: Guaíra é uma organização que honra as sociedades industriais do Brasil, é a maior cidade pertencente a uma empresa, a maior e a mais completa, porque nada lhe falta, nem mesmo um código de posturas e um serviço de policiamento que lhe proporciona asseio e ordem:

Comentário do autor: O que nos dá uma idéia do potencial econômico da Cia Mate Laranjeira é que no ano de 1924 a receita da empresa era seis vezes superior a receita do Estado.

1924 - Pela última vez aparece no Mapa do Paraná, editado pelo Governo do Estado, a localização de Ciudad Real.

Em 15/09/1924 Guaira é ocupada pelas forças do Gal. João Francisco (episódio da Coluna Prestes).

1925 - 09/04/1925 A tropa legal ocupa Guaira, que estava em poder dos revoltosos (Coluna Prestes).

1926 - Dois navios da Mate participam da revolução, transportando revolucionários de Presidente Epitácio para Guaíra, deslocando tropas federais entrincheiradas em Guaíra. Houve perseguições na estrada de ferro.

1929 - Foi instalado o Tabelião e Cartório do Registro Civil em Guaíra. Seu primeiro oficial foi o Dr. Newton Laporte. O primeiro registro de nascimento foi o do Sr. Angelo Aguirre (21/09/1929), o primeiro óbito registrado foi o do Sr. Generoso Britez (20/12/1928) e o primeiro casamento foi do Sr. Paulo Emiliano Escumbarti e Elvira Rachel Milano (25/08/1929). O Sr. Newton Laporte também lavrou a Ata de Fundação da Igreja Nossa Senhora do Perdão. à epoca era Governador do Estado do Paraná o Sr. Afonso Alves de Camargo (25.02.1924 a 05.10.1930).

1929 - Neste ano, separou-se a empresa argentina da parte situada no Brasil, devido a legislação vigente e, deu origem à nova sociedade anônima brasileira, Cia Mate Laranjeira S/A, com sede no Rio de Janeiro, tendo como ativos todos os bens existentes em territorio brasileiro, embora continuassem na Argentina a maioría de suas ações

O Decreto n.º 365 de 27.02.1929 determina que a estrada de ferro seja entregue ao tráfego público.

Foram entregues à população da Mate outras obras como ajardinamento, uma outra parte de água e esgoto canalizadas, as pontes Pênsis das Sete Quedas que foram elaboradas pelo Engº Americano Wilson Sidwell, não foi mais refeita a ponte internacional.

1930 - A Mate Laranjeira entrega ao público o trânsito por sua ferrovia.

A Marinha do Brasil instala-se em Guaíra em 24.11.1930.

1932 - Iniciada a construção do Grupo Escolar Mendes Gonçalves (madeira) e da Capela São Francisco (Igreja de Pedra).

1933 - A Argentina maior importadora de erva mate adota a política de incentivo a plantação em seu território de modo a prover a metade do consumo no país. O preço do mate exportado por kilo em 1916 que era de 1$000, baixa para $800 em 1933.

O governo argentino dobra o imposto de importação. A exploração da madeira de lei que descia por marombas pelo Rio Paraná torna-se cada vez mais difícil.

1934 - Em 11.11.1934 a Mate inaugura a Igreja de São Francisco (atual Igreja de Nossa Senhora do Perdão nota-se que as imagens dos Santos tem feições indígenas). Também neste ano o Grupo Escolar Mendes Gonçalves, homenagem a Francisco Mendes Gonçalves.

O Decreto n.º 2436 de 21.11.1934, determina as novas divisas do Distrito Judiciário de Guaíra.

1938 - Pelo Decreto-Lei Estadual n.º 7.573 de 20.10.1938, o Distrito Judiciário de Guaíra, foi extinto, sendo o seu território anexado ao Distrito de Foz do Iguaçu do mesmo município.

1940 - Obedecendo a legislação brasileira a maioría das ações da Cia são transferidas para o Brasil, os proprietários e sócios são os membros das famílias Murtinho, Mendes Gonçalves, Oliveira Castro e outros. Assim, a conhecida e famosa erva-mate Cruz de Malta era extraída do atual Mato Grosso do Sul, cancheada e enviada a sua produção para à Empresa argentina Mate Laranjeira que, completava-lhe a industrialização, moendo-a, embalando-a e distribuindo para todo o mercado platino.

1941 - O cerco começa a fazer frente à grande organização. A visita às instalações da Cia pelo Ministro da Aeronáutica Dr. Salgado Filho e também do Dr. Assis Chateaubriand.

1942 a 1946 - O Prof. Sydnei Lima Santos visitou seu pai em Guaíra várias vezes que foi o Comandante da Marinha em Guaíra. Tenente Astolpho Severo Dias Santos.

1943 - Decreto-Lei nº 5.252, de 16 de fevereiro de 1943, que Institui com personalidade própria, de natureza autárquica, o Serviço de Navegação da Bacia do Prata, e dá outras providências.

Em 31.09.1943 o Dec. Lei n.º 5812, cria o Território Federal do Iguaçu. Guaíra está incluída nesta área geográfica.

1944 - Em 02.02.1944 Getúlio Vargas visita Guaíra e elogia a Mate.

Em 17.04.1944 Getúlio Vargas assina o Decreto-Lei n.º 6428 que incorpora a União (Serviço de Navegação da Bacia do Prata SNBP) incluindo também a Estrada de Ferro Guaíra Porto Mendes (na verdade a Ferrovia tinha 68 km de extensão, sendo 8 km de Porto Thomaz Laranjeira à Guaíra e mais 60 km de Guaíra a Porto Mendes), bem como todos os bens da Mate. Vale aquí salientar que no projeto original a ferrovia iria até o Porto Picadão, ao lado de Ciudad Real Del Guayrá. á época era Governador do Estado do Paraná o Interventor Manoel Ribas no período de 12.01.1935 a 03.11.1945.

Em 01.07.1944 o Correio Nacional instala-se em Guaíra.

1945 - Neste ano são feitas várias modificações na administração de Guaíra. é instalada a Cadeia Pública e um destacamento da Polícia Militar.

Termina a Segunda Guerra Mundial que começou em 1939, com a plantio de erva mate já em ampla produção, a Argentina poupa as suas divisas deixando de importar o mate.

1946 - Guaíra volta a integrar o Estado do Paraná, com o advento da Nova Constituição. Através do Decreto n.º 745 de 01.10.1946.

1947 - A 5ª Cia de Fronteira instala-se em Guaíra, acampam em barracas, com o efetivo de 224 homens.

V.D. Watson visita Ciudad Real del Guayrá

A Lei n.º 2 de10.10.1947, delimita o Município de Foz do Iguaçu em duas zonas: Foz do Iguaçu e Guaíra.

1948 - A Lei Estadual n.º 33 de 17.01.1948, cria uma área mínima de 121 hectares, como patrimônio inalienável do Estado incluindo a Ciudad Real Del Guayrá na foz do Rio Piquiri, em sua margem esquerda.

1948 Muitas pessoas com visitas clandestinas lá estiveram e depredavam os restos de Ciudad Real Del Guayrá, muitos diziam-se pesquisadores e representantes de instituições. Este autor falou com alguns moradores próximos do local, e moradores da região desde a década de 1940, a partir 1970 e anos posteriores, e os mesmos alegavam que as visitas clandestinas e também oficiais eram comuns ao local enquanto as primeiras procuravam achar tesouros, as visitas oficiais demarcavam os terrenos e pesquisavam pelo período de quase um mês. Daí conclue-se que não havia controle e proteção de nenhuma espécie ao patrimônio, já em vigor da Lei N.º 33.

1948 A Lei n.º 93 de 14.09.1948, cria o Distrito Judiciário de Guaíra e Santa Helena.

1950 Instala-se em Guaíra a SUCAM Superintendência de Campanhas de Saúde Pública.

1950 O Censo de 1950 contou uma população em Guaíra com 7.081 pessoas.

1951 A Lei Estadual n.º 790 de 14.11.1951, cria o Município de Guaíra, dando as suas divisas que compreenderiam hoje nada mais que 10 municípios, incluindo Cafelândia e Nova Aurora. O Município foi instalado somente em 14.12.1952. à epoca o Governador do Paraná o Dr. Bento Munhoz da Rocha Netto, de 31.01.1951 a 03.04.1955.

1951 A Lei n.º 716 de 04.10.1951, destina para Guaíra e consigna no decorrer de 10 anos consecutivos no orçamento do Estado uma importância nunca inferior a CR$.10.000.000,00.

1952 Instala-se no Município de Guaíra a Navegação São Paulo Paraná Ltda, Navegação Alto Paraná Ltda, e Serviço de Navegação da Bacia do Prata, com transporte fluvial, os comerciantes Heitor Heitor Mendes Gonçalves Filho e Lall Singh.

1952 Toma posse o primeiro Prefeito Eleito de Guaíra em 14.12.1952, Dr. Gabriel Fialho Gurgel. Organiza-se o Cemitério de Guaíra, o Governo Federal instala o Curso de Educação de Adultos.

1952 Instala-se a Delegacia de Polícia.

1953 O Decreto n.º 8424 de 20.01.1953, concede a Guaíra um auxílio de CR$.500.000,00. O Decreto Municipal n.º 5 de 02.07.1953, delimita uma área para execução do plano de urbanização da Cidade de Guaíra e para o aeroporto.

1953 A Lei Estadual n.º 1542, de 14.12.1953, cria o Distrito Judiciário de Guaíra, subordinado a Comarca do Município de Toledo (todos os imóveis de Guaíra estavam registrados em Foz do Iguaçú e Toledo).

1953 Instala-se a Receita Federal.

1953 A Lei n.º 25 de 22.07.1953, autoriza o Estado a aplicar quantia não inferior a 50% da arrecadação total que fizer dos mesmos no município.

1953 A partir deste ano começam a ser estudados vários projetos por engenheiros de diversas nações como Alemanha, União Soviética, Estados Unidos, Inglaterra, Japão e no decorrer também, outros nacionais como o do Engenheiro Marcondes Ferraz para o aproveitamento hidrelétrico de Sete Quedas. O mais interessante de todos foi o dos engenheiros do Japão divulgado em maio de 1961 que fazia um poderoso muro de semicírculo ao redor das Sete Quedas, salvaguardando-as, isto é, elas não iriam desaparecer permaneceriam como eram e a água seria retirada por mecanismos compostos de bombas sugadoras que manteriam em nível de 20% de sua água.

1954 A Lei Estadual n.º 1894, cria o Departamento de Fronteiras.

1954 Em 02.02.1954 instala-se a Coletoria Estadual.

1954 O Decreto n.º 11.678 de 05.02.1954 concede auxílio de CR$.500.000,00 a Guaíra. Estabelecem comércio: Thomé Pratti e Denadai, Soley, Hospital Guaíra, Hotel Guaíra, pensões Ramirez e Damaradzki, Cerâmica Guaíra, Posto Esso de Walter Martins de Oliveira e Madeireira Sobrasil. Implanta-se o Matadouro Municipal, Club Social Guaíra e Ipiranga, Centro Recreativo e Cinema de Carlos Alberto Moreira. Assume o Tabelionato da Cidade Dona Nélida Esther Zeballos Rollon.

1955 O Decreto n.º 16451 de 05.04.1955 concede auxílio de CR$.500.000,00 a Guaíra.

1955 A FAB Força Aérea Brasileira instala um posto em Guaíra.

1955 Guaíra passa a contar com a S.A. Real Transp. Aerovias, Vasp S/A, Empresa Rio Paraná Ltda, Auto Viação Cruzeiro do Oeste.

1955 O Estatístico, Dr. João Batista Mendes Gonçalves, instala a Agência do IBGE em Guaíra, em 06.12.1955.

1956 Em 14.12.1956, toma posse o segundo Prefeito de Guaíra Sr. Celino da Rocha Araújo. Instala-se a Casa Primavera da Sra. Yoshiko Matsuyama, funda-se em Guaíra a Igreja Evangélica Assembléia de Deus, Hotel 7 Quedas e Hotel Crisântemo. Nessa época por intermédio do Sr. Shinjiro Matsuyama, corretor da Cia Mate Laranjeira, trouxe inúmeras famílias japonesas oriundas do norte do Estado para comprar terras em Guaíra.

1958 O Prof. Dr. Igor Schimicz da UFPR escava as ruínas de Ciudad Real Del Guayrá, retornando outras duas vezes em 1963 e 1987 e só encontrou urnas mortuárias. Instala-se o Centro de Saúde.

1959 é construído o Museu Sete Quedas de propriedade da família Matsuyama. Instalam-se a Fundação Colagul, Colégio Roosevelt, Navegação Meca e Biblioteca Municipal.

1959 Instalam-se os Bancos Bamerindus, atual HSBC (17.02.1959) e o Banestado atual ITAú (01.07.1959).

1960 Eleito em 14.12.1960 o terceiro Prefeito de Guaíra, Sr. Vicente Augusto Brillante, antigo funcionário da Cia Mate Larangeira e depois do Serviço de Navegação da Bacia do Prata.

1960 O Censo de 1960 contou uma população de 21.486 pessoas em Guaíra.

1960 Começou a funcionar a Usina Hidrelétrica de Guaíra, nas Sete Quedas. A COPEL assume em 1966.

1960 Começa a construção do Aeroporto de Guaíra pela iniciativa do Presidente João Goulart, na Vila Guarani, que foi terminado e inaugurado somente em 1977. Iniciou as atividades o Colégio Nossa Senhora do Carmo. O aeroporto construído pela Mate Laranjeira era no Centro de Guaíra, a pista terminava onde hoje situa-se o prédio do Correio.

1960 Desmembra-se de Guaíra o Município de Palotina (25.07.1960).

1961 Desmembra-se de Guaíra o Município de Terra Roxa (01.02.1961).

1961 é inaugurado com a presença do Governador Ney Braga, o Museu Sete Quedas da família Matsuyama (Shinjiro e Yoshiko Matsuyama), seu Diretor Prof. Dr. Goro Hashimoto era um renomado Botânico, amigo pessoal do atual Imperador do Japão. Essa inauguração aconteceu em 22.07.1961.

1961 Pelo Decreto n.º 50.665 de 30.05.1961, o Presidente Jânio Quadros cria o Parque Nacional das Sete Quedas. Guaíra passa a contar com o Hospital São Lucas dos Drs. Bardal, Drumond e Quintas.

1962 Guaíra passa a contar com a Viação Umuarama, Ginásio Municipal atual CNBC e Cine Cataratas. Amadeu G. Rodrigues instala indústria de beneficiamento de arroz.

1963 é leiloada a maquinaria, locomotiva, etc. do SNBP, tendo vencido a concorrência a Cia Siderúrgica Guaíra, que consegue levar grande parte para Curitiba, muitos equipamentos são roubados, tais como trilhos, que foram usados na atividade de construção da região. Foi solicitada ao Min. Juarez Távora (1966) uma locomotiva que se encontrava na Praça Eurico Dutra, posteriormente transferida para o local atual (Marinas de Guaíra).

1963 Foi instalada a Comarca de Guaíra em 04.08.1963 e seus Cartórios e também o Posto de Saúde. O Museu Sete Quedas foi declarado de utilidade pública por Lei Municipal. Fundou-se a Associação Cultural de Guaíra (Clube Japonês) e também o 7 Quedas Country Club. Em 22 de outubro de 1963 é expedido a primeira transcrição de transmissão de imóveis (Sr. Vicente Fidelis de Souza), a totalidade/maioria dos imóveis estavam registrados na Comarca de Toledo e alguns até na Comarca de Foz do Iguaçu. O primeiro Oficial nomeado e até hoje desempenhando as funções é o Sr. José Maria de Freitas Collin.

1964 Eleito o quarto Prefeito de Guaíra, Sr. Kurt Walter Hasper com 683 votos, seus adversários obtiveram respectivamente 632 votos para João Zeballos, 281 votos para Ivo Miranda Ramos. Instala-se o Grupo Lex em 03.03.1964, fundado pelos Srs. Albino Guzella e Ermínio Vendruscolo. Funda-se também o Cine Sete Quedas e a Colônia de Pescadores Z-13.

1964 Em 14.12.1964 toma posse o Sr. Kurt Walter Hasper.

1965 é assinado em acordo com o Governo do Paraguai a Ata de Itaipú, documento que visa iniciar entendimentos para a construção da maior hidrelétrica do mundo na região das 7 Quedas. à época o Governador do Paraná era o Sr. Algacyr Guimarães, de 20.11.1965 a 31.01.1966.

1965 Instala-se o Banco do Brasil (22.11.1965). Funda-se o Palace Hotel.

1966 A VARIG encerra suas atividades em Guaíra. é extinto o Hotel Guaíra com a instalação da Prefeitura de Guaíra nesse local (atual Câmara Municipal). Funda-se a Associação Comercial de Guaíra e o Hospital Santa Rita.

1966 Em 22/06/1966 Brasil e Paraguai assinam a Ata de Iguaçu, uma declaração conjunta que manifestava a disposição de levantar os recursos hidráulicos pertencentes em condomínio aos dois países, desde inclusive o Salto de Sete Quedas até Foz do Iguaçu. à época o Governador do Estado do Paraná era o Dr. Paulo Cruz Pimentel.

1967 Em 12/02/1967 é instituída a Comissão Mista Brasileira-Paraguaia para a implementação da Ata do Iguaçu na parte relativa ao estudo sobre o aproveitamento do rio Paraná.

1967 A Lei n.º 5510 de 10.02.1967, retifica a divisa dos Municípios de Guaíra e Terra Roxa. Guaíra ganha as localidades de Maracajú e Bela Vista na Adm. Kurt Walter Hasper. A Braswey Instala-se em Guaíra (01.06.1967). A Cooperativa Agrícola de Cotia instala-se em Guaíra.

1968 Guaíra é declarado município de segurança nacional (Lei Federal n.º 5449 de 04.06.1968) e seu prefeito passa a ser nomeado pelo Presidente da República, por ser cargo de confiança permanece no cargo o Sr. Kurt Walter Hasper. Funda-se a Igreja Adventista do 7º Dia.

1968 O Art. 5º da Lei n.º 5449 prorroga o mandato dos prefeitos das áreas de segurança nacional. Em 29.01.1969 o então Governador do Paraná, Dr. Paulo Pimentel assina o Decreto n.º 14027, nomeando o Sr. Kurt Walter Hasper como Prefeito de Guaíra.

1970 Sobre Itaipú. No dia 10/04 é celebrado o Convênio de Cooperação entre a Comissão e a Eletrobrás. Em 30 de maio a solicitação de propostas é efetuada, em 07 de agosto são apresentadas as propostas. No dia 18 de novembro são feitas as assinaturas do Contrato no Rio de Janeiro e em 21 de novembro em Assunção, no Paraguai.

1970 Instala-se a Polícia Federal em Guaíra e também o Sindicato dos Trabalhadores Rurais.

1970 Segundo o Censo de 1970 o Municipio de Guaíra tinha uma população residente de 32.876 pessoas.

1972 Em abril é inaugurada a Escola Mário Calmon Eppinguaus no povoado de Bela Vista.

1973 Em 26/04/1973 como resultado dos estudos, Brasil e Paraguai assinam o Tratado de Itaipú, que se constitui no instrumento para realizar o aproveitamento hidrelétrico do rio Paraná. Sete Quedas de acordo com o projeto aprovado estava com os dias contados. A Eletrobrás e a Ande criam a Itaipú Binacional.

1974 Em 18.05.1974 são iniciadas as obras da Hidrelétrica de Itaipú quando da criação de uma instituição Binacional a Itaipú Binacional (Itaipú em Guarani quer dizer pedra que canta). Instala-se também em meados de junho o Escritório do Ministério da Agricultura. Em 15.08.1974 instala-se a Retificadora Primor.

1975 Acha-se o sítio arqueológico de Ontiveros nos terrenos do Parque Nacional das Sete Quedas, em plena zona militar quando da pretensão de abrir-se uma estrada nova do centro da cidade para as quedas. Funda-se o Hotel Jaraguá.

1976 - Instala-se a Polícia Rodoviária Estadual.

1977 O Governador Jaime Canet inaugura a pavimentação da estrada para as Sete Quedas. Inaugura-se o aeroporto em 14.11.1977 (1.370 m de comprimento por 30 m de largura) sendo que sua construção foi iniciada pela então Presidente João Goulart e daí iniciaram-se as decolagens dos aviões da empresa aérea RIO-SUL Guaíra-Curitiba-Guaíra, a concessão era do Empresário Ermínio Vendruscolo.

1978 Em 29.10.1979 o Decreto n.º 84126, concede a Eletrosul a área entre Guaíra e o Rio Paranapanema para a construção de uma Hidrelétrica (Ilha Grande). O Hotel Deville instala-se em Guaíra e também a Constecca.

1980 O Censo de 1980 contou no Municipio de Guaíra uma população residente de 30.012 pessoas. é inaugurado em Guaíra o Hotel Deville.

1981 O Decreto n.º 86071 de 04.06.1981 extingue o Parque Nacional das Sete Quedas e dá providências para alienação da madeira ali existente.

1982 O Presidente João Figueiredo visita Guaíra, dias antes de desaparecer as Sete Quedas pelo fechamento do reservatório.

1982 Em 11 de abril dá-se início a construção da Ponte de serviço da Eletrosul para a Construção da Hidrelétrica de Ilha Grande, estabelecendo-se também a construção da Vila Eletrosul. é também fundada a Escola Amália Flores.

1982 Em 13.10.1982 fecham-se as comportas de Itaipú, e em Guaíra agoniza as Sete Quedas.

1983 Em 17.12.1983 a primeira das 18 unidades geradoras de energia de Itaipu dá o seu primeiro giro mecânico.

1983- Inicia-se a Travessia Guaíra entre Guaíra e Salto Del Guayrá pelo Porto Novo.

1984 Em 05.05.1984 Itaipu deixa de ser apenas uma grande obra. Nesse dia começa a produção comercial de energia de sua primeira unidade.

1985 Inicia-se em 11.04.1985 a construção da ponte de serviço sobre o Rio Paraná, interligando o Paraná ao Mato Grosso do Sul. Começa a transmissão da Rádio FM Siriema do Grupo Lex.

1985 Em 05.06.1985 o prefeito nomeado Kurt Walter Hasper demite-se a pedido do cargo de Prefeito de Guaíra. Assume a Prefeitura Municipal o Engenheiro Agrônomo Dr. Mário Barbosa Rodrigues, Presidente da Câmara Municipal, sendo o seu quinto prefeito, exercendo o seu mandato até 01.01.1986.

1986 Em primeiro de janeiro toma posse como Prefeito de Guaíra o empresário Osvaldino da Silveira.

1988 Em 09.07.1988 este autor protocola o Projeto Santuário de Ciudad Real Del Guayrá no Ministério da Cultura em Brasília sob N.º 380188-8/SEAP.

1989 Toma posse o sétimo Prefeito de Guaíra, Dr. Mário Barbosa Rodrigues em 01.01.1989 pelo PTB.

1989 é inaugurado a pavimentação da estrada do Porto para Mato Grosso do Sul com a visita do Governador Dr. álvaro Dias.

1989 Em 10.11.1989 o Prefeito de Guaíra Dr. Mário Barbosa Rodrigues entrega o projeto do Museu Histórico.

1991 O Censo Demográfico registra uma população de 30.000 pessoas residentes.

1993 A Prefeita Ada Mafalda Benassi da Silveira toma posse como primeira Prefeita de Guaíra. Cria a Guarda Municipal de Guaíra com o efetivo de 100 pessoas para proteger os bens públicos do município.

1993 A Prefeita Ada Mafalda Benassi da Silveira assina convênio com a UNIPAR Universidade Paranaense, dando um grande passo e trazendo o ensino superior para Guaíra e criando assim o Campus - Centro Universitário em Guaíra.

1997Em primeiro de janeiro toma posse como Prefeito de Guaíra, o Dr. Manoel Kuba.

1997São realizados em Guaíra e na Costa Oeste os jogos Mundiais da Natureza.

1997é criado por Decreto Presidencial em 30 de setembro o Parque Nacional de Ilha Grande. Em 11 de novembro é lançado o Projeto Costa Oeste que abrange os municípios lindeiros.

1998Em 24 de Janeiro é inaugurada a Ponte Ayrton Senna, a maior ponto Fluvial do Brasil com 3.600 metros com a presença do Governador Dr. Jaime Lerner que afirma segundo estudo deste autor dizendo que Guaíra significa Intransponível, intransitável.

1999 Com a criação do Parque Nacional de Ilha Grande, o município de Guaíra passa a contar com mais 66 km2 de área territorial abrangendo algumas ilhas e parte da Ilha grande.

1999 Em 2 de dezembro é inaugurada a sede própria da ACIAG que abriga também a Agência do IBGE EM Guaíra.

1999De 14 a 20 de junho são realizados no município de Guaíra os Jogos Indígenas, onde participam 31 tribos com 570 atletas competindo entre si.

2000 O Censo Demográfico registra uma população de 28.659 pessoas residentes.

2001 Reassumem a Prefeitura de Guaíra o Dr. Manoel Kuba e a Prof.ª Maria Elci Venâncio da Silva.

2005 Toma posse para o cargo de Prefeito de Guaíra Dr. Fabian Persian Vendruscolo tendo com vice a Empresária Ada Mafalda Benassi de Oliveira.

Aeroporto de Guaíra - Alçando sonhos:

A cidade de Guaíra possui uma história ligada à aviação. Por ser um local estratégico de fronteira, a Força Aérea Brasileira (FAB) instalou no município no ano de 1955 um posto avançado e a cidade passou a contar com as principais companhias aéreas da época, dentre elas a S.A. Real Transporte Aerovias e a Vasp S/A.

Nesta época o aeroporto era localizado no local onde hoje é o centro da cidade, e funcionou até o ano de 1968.

No ano de 1977, o então governador do Paraná Jaime Carnet Junior, inaugurou o novo aeródromo municipal, que passou a se chamar Valter Martins de Oliveira e fica localizado a sete quilômetros do centro urbano do município, na latitude: 24° 4′45.29"S e longitude: 54°11′17.10"W, cerca de 270 metros acima do nível do mar.

A pista possui 1.300 metros de comprimento por 30 metros de largura com revestimento asfáltico. O aeroporto conta com uma bomba para reabastecimento de aeronaves.

A primeira ferrovia do Oeste do Paraná

A ferrovia Guaíra a Porto Mendes, compreendeu 60km das margens do Rio Paraná. Foi construída pela Companhia Mate Laranjeira, no ano de 1910, para o transporte de erva-mate, madeiras de lei e posteriormente os turistas que vinham conhecer as Sete Quedas e iam até Foz do Iguaçu para visitarem as Cataratas.

A companhia Mate Laranjeira, que era dirigida por 04 ingleses, recebeu no ano de 1874, tempo do império, a primeira concessão para a exploração no local que hoje é o Mato Grosso do Sul, próximo de Ponta Porã. Como toda a erva-mate e madeiras extraídas daquele local iam para a Argentina, a direção da companhia decidiu escoar a produção de barcos pelos rios Amambai e Iguatemi até Guaíra.

Em Guaíra foi construída uma estrada de ferro por ser mais viável o transporte até a Argentina, já que a Sete Quedas impedia a navegação pelo Rio Paraná.

A primeira ferrovia do Oeste do Paraná :

A ferrovia Guaíra a Porto Mendes, compreendeu 68km das margens do Rio Paraná. Foi construída pela Companhia Mate Laranjeira, no ano de 1910, para o transporte de erva-mate, madeiras de lei.

A companhia Mate Laranjeira, foi a primeira multinacional da América do Sul, recebeu no ano de 1874, tempo do império, a primeira concessão para a exploração no local que hoje é o Mato Grosso do Sul, próximo de Ponta Porã. Como toda a erva-mate e madeiras extraídas daquele local iam para a Argentina, a direção da companhia decidiu escoar a produção de barcos pelos rios Amambai e Iguatemi até Guaíra.

Em Guaíra foi construída uma estrada de ferro ligando o alto ao baixo Paraná devido ao obstáculo das 7 Quedas por ser ester o caminho mais viável de transporte até a Argentina, já que a Sete Quedas impedia a navegação pelo Rio Paraná.

A locomotiva nº 4, que se encontra exposta na Praça Eurico Gaspar Dutra, em frente ao Museu Histórico, era usada nas manobras dos vagões, colocando e retirando locomotivas maiores do pátio de máquinas e fazendo pequenas viagens até o porto novo, onde também existia um depósito. No trecho até Porto Mendes, hoje município de Marechal Cândido Rondon somente funcionavam os trens de maiores portes.

No ano de 1944 o governo do então Presidente da República Getúlio Vargas, encampou esta ferrovia e toda a sua infraestrutura ao Serviço de Navegação da Bacia do Prata SNBP uma autarquia Federal para administração da mesma. A ferrovia e os navios funcionaram normalmente até o ano de 1963, quando foram leiloadas pelo Presidente Jânio Quadros e que ganhou a concorrência pública foi a Siderúrgica Guaíra sediada em Curitiba, os 68 km de extensão foram retirados em apenas três meses.

Nessa ocasião os cidadãos de Guaíra pediram junto com o então Prefeito Kurt Walter Hasper ao General Juarez Távora que deixassem a locomotiva nº 4, de lembrança para o município. Já que a ferrovia foi um importante marco do desenvolvimento sócio-econômico da região.

Igreja de Pedra Santuário histórico da fé guairense:

Em 1932 foi iniciada a construção do Grupo Escolar Mendes Gonçalves (madeira) e a Capela São Francisco (Igreja de Pedra Igreja Nosso Senhor do Perdão) e terminada e inaugurada em 11.11.1934.

A versão com todo rigor histórico da construção da Igreja de Pedra é que a Cia Mate Laranjeira precisava cumprir as determinações quando obteve a concessão de terras e da própria construção da Ferrovia de acordo com o Decreto Imperial de 1889 e acordo posteriores, ou seja, em cada povoado com mais de 50 domicílios seriam construídos uma Igreja e uma escola. As rochas pesando cerca de 20 a 60 kilos foram trazidas das Sete Quedas, as telhas foram feitas pelos oleiros da Cia Mate e os vitrais vieram de Buenos Aires, nota-se que todos os Santos tem feições indígenas.

.

A primeira missa foi realizada pelo Reverendíssimo Monsenhor Guilherme Maria Tchiletzeck A.Cholde, no dia 11 de novembro de 1934, dia de San Martin de Tours, um santo francês padroeiro dos turistas de todo o mundo. A elaboração da Ata foi efetuada pelo Dr. Nelson Laporte, Tabelião Oficial do Cartório de Guaíra.

Um espaço para a história de Guaíra

O Museu Sete Quedas foi fundado no ano de 1956 pela família Matsuyama. Antes do desaparecimento das Sete Quedas era muito frequentado por turistas que vinham de diversas partes do mundo conhecer o seu acervo que contava com as principais espécies da fauna, flora e herbário que habitavam a região, taxidermizados por Alfredo Krause.

De certa forma, o Sr. Shinjiro Matsuyama fundador do museu, tinha como intenção imortalizar àquilo que com o avanço do progresso acabaria por desaparecer.

No ano de 1990 o museu foi transferido para um edifício municipal mas seu acervo continuava nas mãos da família, o que impossibilitava a Prefeitura de fazer um maior investimento. No dia 09 de março de 2006, o Museu Municipal se transferiu para o prédio histórico onde funcionou a Sede da Companhia Mate Laranjeira. O edifício passou por uma importante recuperação trazendo de volta a arquitetura histórica que marcou a colonização da região.

Com a inauguração da nova sede, a Sra. Yoshico Murakami Matsuyama (Dona Geni), esposa do Sr. Shinjiro finalmente oficializou o repasse de seu acervo particular para o município, oficializando também o nome do museu, que passou a se chamar novamente Museu Sete Quedas e solicitou a proteção do governo municipal ao acervo e de cuidados de profissionais habilitados à função.

Atualmente o museu abriga peças datadas de aproximadamente dois mil anos, marcando a presença do homem primitivo que habitou a região. Nele é possível apreciar objetos de valor incalculável, como a Cruz de Lorena/Caravagio, peça com mais de 400 anos fundida no local de Ciudad Real Del Guayrá no século XVI como símbolo das Missões e as vestes do Monsenhor e coroinhas que rezaram a primeira Missa na Igreja de Pedra.

O Portal do Pantanal Paranaense

Há 24 anos a cidade de Guaíra, localizada no Oeste do Paraná, lamentava a perda das Sete Quedas - um complexo de cachoeiras no Rio Paraná que era a principal atração turística da região antes de ser submersa pelo reservatório da hidrelétrica de Itaipu. Passado por um longo período o município reencontrou sua vocação turística com a exploração de outros atrativos.

Um deles é o Parque Nacional de Ilha Grande, criado em 30 de setembro de 1997 pelo Governo Federal, um labirinto de canais, ilhas e lagoas, formado pelo Rio Paraná em uma área de 78.875 hectares.

O grande mérito da criação do Parque Nacional da Ilha Grande foi garantir a proteção de um ecosistema complexo de extrema importância e fragilidade ambiental.

A vegetação da planície conta com mais de 450 espécies identificadas, essa vegetação abriga espécies raras. O ecossistema também abriga animais silvestres ameaçados de extinção. A diversidade de fauna e flora costuma ser comparada ao Pantanal Mato-grossense.

Ponte Ayrton Senna - Interligando fronteiras, unindo pessoas

A Ponte de Guaíra, denominada Ayrton Senna é a maior ponte fluvial do Brasil e faz a transposição do Rio Paraná, ligando o Município de Guaíra (PR) ao município de Mundo Novo (MS), perfazendo um total de 3.598,6 metros de extensão mais 400 metros de aterro, sendo um prolongamento da rodovia BR/163.

O segmento de acesso à ponte, no lado paranaense, tem uma extensão de 946,39 metros e no lado matogrossense tem extensão de 950,0 metros.

Sua pista possui 7,20m de largura, mais 2,80m de acostamento. Construída sobre 98 colunas concretadas dentro do rio, com vãos de 32, 42 e 52 metros, e altura máxima no canal de navegação de 13 metros.

Para a construção da ponte foram escavadas cerca de 263m3 de rocha, utilizados 536 toneladas de aço, utilizados 2.893.733 Kg de vergalhões CA50/CB e 23.239m3 em concreto. A Ayrton Senna tem capacidade de suportar até 45 toneladas de peso por vão.

é a única ponte no mundo em curva na parte central com tobogã.

Rio Paraná - Um mar de água doce

O Rio Paraná, principal formador da Bacia do Prata, sua nascente no planalto central, até a foz, no estuário do Prata, percorre 4.695km, o que lhe rendeu o posto de o nono rio mais extenso do mundo e o quarto em área de drenagem. Em território brasileiro, drena uma área de 891.000km. Os principais tributários do rio Paraná são o Grande e o Paranaíba (formadores), Tietê, Paranapanema e Iguaçu.

Na bacia do Paraná, em seu trecho brasileiro, encontra-se a maior densidade demográfica do País. As águas da bacia são utilizadas para consumo humano e, também, para a indústria e irrigação.

A bacia é a que sofreu maior número de represamentos para geração de energia. Existem mais de 130 barragens no seu leito, considerando apenas aquelas com alturas superiores a 10mts, que transformaram o rio Paraná e seus principais tributários em uma sucessão de lagos.

Dos 809km originais do rio somente 230km ainda são de água corrente. O município de Guaíra é o trecho final de uma área navegável, mas também o início do Lago de Itaipu. A região é rica em variedade de peixes (mais de 170), cujo destaque está para o Armado (36%), Corvina (16%), Mapará (9%), Curimbatá (6%) e Barbado (6%).

Conhecendo Guaíra

Ao contrário do que o nome original dados pelos índios Guaranis, que significava um lugar de difícil acesso, hoje Guaíra tem seus caminhos abertos para você chegar a lugares maravilhosos e passar momentos inesquecíveis...

Localizada na região Oeste do Paraná, Guaíra conta com toda a estrutura e hospitalidade de uma cidade preparada para receber turistas que desejam além de simplesmente relaxar, conhecer um pouco mais da história da colonização e viver 24 horas em contato com a natureza.

O município possui um excelente terminal rodoviário que diariamente recebe ônibus vindos de todas as partes do Brasil, e também um aeroporto que permite a aterrissagem e decolagem de aeronaves de diversos portes.

O visitante que chegar a cidade terá a oportunidade de fazer um City Tour em lugares exóticos, marcados pelo contraste entre as características da época em que foram construídos e o arrojo dos empreendedores atuais que transformaram estes lugares em verdadeiras obras primas, seja pela sua conservação ou pela sua transformação.

Na rota do City Tour estão o Museu Sete Quedas, onde o interessante acervo se destaca pelos espécimes de animais capturados na região, a arte indígena e objetos que comprovam a passagem dos espanhóis e portugueses por essas terras.

A Igreja de Pedra Nuestro Señor Del Perdón, uma capela construída em modelo espanhol com pedras encaixadas que foi construída com pedras das Sete Quedas e seus vitrais argentinos destacam a fé do povo guairense.

O Cruzeiro das Américas com seus mitos e suas lendas, esculpido há cerca de 30 anos e fixado onde foi Ontiveros, talvez marque a mais antiga presença dos espanhóis em terras brasileiras. O Cruzeiro fica junto ao Centro Náutico Marinas, uma área de lazer em forma de aldeia, construída numa área de 15 alqueires contendo infra-estrutura para diversas atividades culturais, esportivas e de lazer, base náutica e sete pavilhões para eventos, dentre eles a Festa das Nações, o mais tradicional do município.

Atelier do Frei Pacífico, artista plástico de renome, esse ex-frei franciscano decidiu dedicar sua vida à defesa da flora e da fauna, e retrata as belezas da natureza e da cultura indígena em peças de madeira.

Cine Teatro Sete Quedas. O prédio de 1905 era usado para chamuscar a folha da erva mate, hoje um espaço cultural moderno e equipado que projeta a cultura para todos os povos.

Ponte Ayrton Senna de Guaíra Com extensão de quase 4.000 metros essa majestosa obra tem no seu currículo números colossais de materiais usados na sua construção, além de ser a única ponte do mundo em curva na parte central com tobogã. Ela também é responsável pela ligação da Guaíra até Mundo Novo, no Mato Grosso do Sul.

O passeio também inclui uma visita ao Paraguai, onde a cidade de Salto Del Guayrá abriga um enorme centro de compras.

E por falar em compras, no centro da cidade está localizada a Casa do Artesão, onde o visitante poderá adquirir peças de artesanato típico da região.

Para o visitante que gosta de natureza Guaíra não poderia ser melhor... A cidade é localizada às margens do Rio Paraná, e o trecho ostenta o título de Maior Arquipélago da América do Sul, é considerado o Portal do Pantanal Paranaense e constitui um corredor da biodiversidade com mais de 200 ilhas, centenas de espécies de animais vertebrados, aves, répteis e anfíbios, além de 170 espécies de peixes.

Neste lugar paradisíaco se destacam os passeios fluviais com direito a pesca amadora e profissional, além de uma parada na Lagoa Saraiva para mergulhar nas suas águas quentes e transparentes, passeio ecológico pelas trilhas da Ilha São Francisco, a qual é mantida pelo Frei Pacífico e safári fotográfico com registro da flora e da fauna.

O município possui ainda um excelente parque hoteleiro, herdado da época das Sete Quedas. Na área gastronômica a cidade oferece dezenas de opções diurnas e noturnas, mas o destaque fica para o Pintado na Telha, prato típico de Guaíra... Simples e apetitoso, este prato busca resgatar a tradição da culinária local.

Como você pode ver, motivos não faltam para você visitar Guaíra, uma cidade erguida com suas bases cravadas nas pedras da justiça, abençoada pelas águas do Rio Paraná e alimentada pelo sonho de cidadãos felizes.

Gentílico: guairense

Formação Administrativa

Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, figura no município de Foz de Iguassú o distrito de Guaíra.

Pelo decreto-lei estadual n.º 7573, de 20-10-1938, o distrito de Guaíra foi extinto, sendo seu território anexado ao distrito sede do município de Foz do Iguassú.

No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, Guaíra figura como zona do distrito sede do município de Foz do Iguaçu.

Elevado à categoria de município com a denominação de Guaíra, pela lei estadual n.º 790, de 14-11-1951, desmembrado de Foz do Iguassú. Sede no atual distrito de Guaíra, ex-localidade. Constituído do distrito sede. Instalado em 14-12-1952.

Pela lei municipal n.º 11, de 20-04-1954, é criado o distrito de Maripá e anexado ao município de Guaíra.

Pela lei municipal n.º 12, de 20-04-1954, é criado o distrito de Vila Palotina e anexado ao município de Guaíra.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1955, o município é constituído de 3 distritos: Guaíra, Maripá e Vila Palotina.

Pela lei municipal n.º 43, de 03-10-1956, é criado o distrito de Terra Roxa d′Oeste e anexado ao município de Guaíra.

Pela lei municipal n.º 22, de 26-10-1957, é criado o distrito de Memória e anexado ao município de Guaíra.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 5 distritos: Guaíra, Maripá, Memória, Terra Roxa d′Oeste e Vila Palotina.

Pela lei estadual n.º 4245, de 25-07-1960, desmembra do município de Guaíra os distritos de Palotina ex-vila Palotina e Novo Maripá (ex-Maripá). Para formar o novo município de Palotina.

Pela lei municipal n.º 99, de 24-01-1961, é criado o distrito de Santa Rita do Oeste e anexado ao município de Guaíba.

Pela lei estadual n.º 220, de 15-12-1963, desmembra do município de Guaíra o distrito de Terra Roxa, ex-Terra Roxa d′Oeste. Elevado à categoria de município.

Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído de 2 distritos: Guaíra e Santa Rita do Oeste.

Pela lei estadual n.º 5547, de 19-05-1967, é criado o distrito de Doutor Oliveira Castro e anexado ao município de Guaíra.

Em divisão territorial datada de 1-I-1979, o município é constituído de 2 distritos: Guaíra e Doutor Oliveira Castro.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 14-V-2001.

Fonte: Omar Fedato Aleksiejuk; Zido Raddatz

Ajude a construir a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco e envie a sua contribuição.

Guaíra: Imagens da cidade e Região

Pôr do Sol - Rio Paraná/Lago de Itaipú (28/02/2006)
Data : 21 February 2007
Autor: Erico Christmann
Borboleta - Butterfly - Farfalla - Moth - Motylki - Papillon - Schmetterlinge - Volvoreta - Motýl - Pillangó, бабочка, 蝴蝶, Mariposa - Leptir - метелик. Hamadryas a. amphinome (Linnaeus, 1767).
Data : 04 January 2009
Autor: Aluisio Ribeiro 2
Pôr do Sol/Rio Paraná (Jul.2005)
Data : 01 May 2007
Autor: Erico Christmann
Pôr do Sol - Rio Paraná/Marinas
Data : 01 May 2008
Autor: Erico Christmann
Pôr do Sol/Rio Paraná (Mar.2006)
Data : 01 May 2007
Autor: Erico Christmann
Ponte Ayrton Senna (Mai.2005)
Data : 15 April 2007
Autor: Erico Christmann
Sete Quedras (out./1980) - rio Paraná - registro histórico, antes de seu desaparecimento, Guaira, PR, Brasil.
Data : 30 April 2007
Autor: André Bonacin
Chalana (Out.2005)
Data : 01 May 2007
Autor: Erico Christmann
Sete Quedas!!! 14.09.1979
Data : 11 September 2008
Autor: LuziACruzFrata
BRASIL-PARANA-PONTE PENSIL SOBRE CANAL EM-EX. SETE QUEDAS
Data : 19 September 2008
Autor: Darciobc
Sete Quedas - Salto Osório - Era a Mais Pujante Cachoeira do Globo - 1973
Data : 05 March 2007
Autor: celso m. andrade
Ponto sobre o Rio paraná na divisa do Paraná e Mato Grosso do Sul - Brazil
Data : 02 July 2008
Autor: Paulo Yuji Takarada
Rio Paraná/Transporte Fluvial
Data : 15 August 2007
Autor: Erico Christmann
Ao Sabor do Vento (Abr.2006)
Data : 15 April 2007
Autor: Erico Christmann
Nascer do Sol/Rio Paraná (Ago.2005)
Data : 01 May 2007
Autor: Erico Christmann
Ponte Ayrton Senna (Fev.2007)
Data : 01 May 2007
Autor: Erico Christmann
Ponte Ayrton Senna
Data : 15 August 2007
Autor: Erico Christmann
Rio que vale OURO (Abr.2007)
Data : 15 April 2007
Autor: Erico Christmann
Rio Paraná/Parque Nacional de Ilha Grande
Data : 07 January 2009
Autor: Erico Christmann
14.09.1979 Sete Quedas- Nós fomos!!!! pouco tempo antes de serem engolidas pelas águas da usina hidroelétrica de Itaipu...
Data : 11 September 2008
Autor: LuziACruzFrata
As fotos fornecidas pelo Panoramio estão sobre direitos autorais de seus proprietários.

Você conhece a cidade de Guaíra? Então deixe seu comentário!


Comentários (1)

  1. manuel Antonio lopes's avatar manuel Antonio lopes

    a cidade e linda e atraente...

    #1 – 02/08/2013 - 13:35

Postar um comentário

     (Opcional)