Início » Paraná » Francisco Alves » Notícias


Últimas Notícias da cidade de Francisco Alves - PR nas Redes Sociais

As Notícias são atualizadas em tempo real.

  • Francisco Alves - ADIOS MIS FARRAS - tango de Raul Roulien - gravação de 1928

    Francisco Alves - ADIOS MIS FARRAS - tango de Raul Roulien. Gravação de 1928. Samuel Machado Filho: Raul Roulien, autor deste "tango argentino", foi também c...

  • A Flor e o Vento - Francisco Alves 1941

    A Flor e o Vento Composição de Alberto Ribeiro e Braguinha (João de Barro) Intérprete: Francisco Alves Marcha Rancho de 1941 "Cantam na mata cigarras, anunci...

  • CoroMadrigale

    em 31/07/2014 Via Youtube
    Conversa de Botequim - Noel Rosa / Vadico / Francisco Alves (Coro Madrigale 2014)

    Conversa de Botequim - Vadico / Noel Rosa / Francisco Alves Coro Madrigale (2014) Concerto HelyElas Conservatório da UFMG (BH) - 25/03/2014 Naipes femininos ...

  • Silveira J.R

    em 11/02/2013 Via Google+
    Lista não oficial, precisamos validar a veracidade:

    1.Alfredo Nascimento PR/ AM 
    2.Ana Amélia PP/ RS 
    3.Ana Rita PT/ ES 
    4.Angela Portela PT/RR 
    5.Anibal Diniz PT/AC 
    6.Antonio Carlos Rodrigues PR/ SP 
    7.Armando Monteiro PTB/PE 
    8.Benedito de Lira PP/ AL 
    9.Blairo Maggi PR/ MT 
    10.Casildo Maldaner PMDB/SC 
    11.Ciro Nogueira PP/ PI 
    12.Clésio Andrade PMDB/MG 
    13.Delcídio do Amaral PT/MS 
    14.Eduardo Braga PMDB/AM 
    15.Eduardo Lopes PRB/RJ 
    16.Eduardo Suplicy PT/ SP 
    17.Epitácio Cafeteira PTB/MA 
    18.Eunício Oliveira PMDB/CE 
    19.Fernando Collor PTB/ AL 
    20.Francisco Dornelles PP/ RJ 
    21.Garibaldi Alves PMDB/RN 
    22.Gim PTB/DF 
    23.Humberto Costa PT/PE 
    24.Inácio Arruda PC DO B/ CE 
    25.Ivo Cassol PP/ RO 
    26.Jader Barbalho PMDB/PA 
    27.Jayme Campos DEM/ MT 
    28.João Alberto Souza PMDB/MA 
    29.João Ribeiro PR/TO 
    30.João Vicente Claudino PTB/PI 
    31.Jorge Viana PT/AC 
    32.José Agripino DEM/RN 
    33.José Pimentel PT/CE 
    34.José Sarney PMDB/AP 
    35.Kátia Abreu PSD/TO 
    36.Lindbergh Farias PT/ RJ 
    37.Lobão Filho PMDB/MA 
    38.Luiz Henrique PMDB/SC 
    39.Maria do Carmo Alves DEM/SE 
    40.Paulo Paim PT/RS 
    41.Renan Calheiros PMDB/AL 
    42.Ricardo Ferraço PMDB/ES 
    43.Roberto Requião PMDB/PR 
    44.Rodrigo Rollemberg PSB/DF 
    45.Romero Jucá PMDB/RR 
    46.Sérgio Petecão PSD/ AC 
    47.Sérgio Souza PMDB/PR 
    48.Sodré Santoro PTB/RR 
    49.Valdir Raupp PMDB/RO 
    50.Vanessa Grazziotin PC DO B/ AM 
    51.Vicentinho Alves PR/TO 
    52.Vital do Rêgo PMDB/PB 
    53.Waldemir Moka PMDB/MS 
    54.Walter Pinheiro PT/BA 
    55.Wellington Dias PT/PI 
    56.Wilder Morais DEM/GO


    A 97.jpg
  • Minha Apuka

    em 02/04/2014 Via Google+
    Governo Paraná libera R$ 11,5 milhões para investimentos em quatro municípios
    O governador Beto Richa garantiu nesta terça-feira (01) o repasse de cerca de R$11,5 milhões para investimento em infraestrutura urbana e melhoria da qualidade de vida da população de Araucária, Quedas do Iguaçu, Rosário do Ivaí e Francisco Alves. “São melh...

    Governo Paraná libera R$ 11,5 milhões para investimentos em quatro municípios - MINHA APUKA
  • Pedro Salomao

    em 23/07/2014 Via Youtube
    FRANCISCO ALVES - HISTÓRIA JOANINA - SÉRIE RELÍQUIAS - acervo de PEDRO LECUONA

    260 - SÉRIE RELÍQUIAS - parte do acervo pessoal de PEDRO LECUONA BRASIL - GRAVAÇÃO ORIGINAL.

  • JackStarkey57

    em 08/08/2014 Via Youtube
    Francisco Alves - Ciúme (Jalousie)

    Francisco Alves foi uma dos Maiores Cantores do Brasil, sua voz encorpada de Barítono lembra a de Bing Crosby, com certeza Chico Viola como também era chamad...

  • Silveira J.R

    em 11/02/2013 Via Google+
    Lista não oficial, precisamos validar a veracidade:

    1.Alfredo Nascimento PR/ AM 
    2.Ana Amélia PP/ RS 
    3.Ana Rita PT/ ES 
    4.Angela Portela PT/RR 
    5.Anibal Diniz PT/AC 
    6.Antonio Carlos Rodrigues PR/ SP 
    7.Armando Monteiro PTB/PE 
    8.Benedito de Lira PP/ AL 
    9.Blairo Maggi PR/ MT 
    10.Casildo Maldaner PMDB/SC 
    11.Ciro Nogueira PP/ PI 
    12.Clésio Andrade PMDB/MG 
    13.Delcídio do Amaral PT/MS 
    14.Eduardo Braga PMDB/AM 
    15.Eduardo Lopes PRB/RJ 
    16.Eduardo Suplicy PT/ SP 
    17.Epitácio Cafeteira PTB/MA 
    18.Eunício Oliveira PMDB/CE 
    19.Fernando Collor PTB/ AL 
    20.Francisco Dornelles PP/ RJ 
    21.Garibaldi Alves PMDB/RN 
    22.Gim PTB/DF 
    23.Humberto Costa PT/PE 
    24.Inácio Arruda PC DO B/ CE 
    25.Ivo Cassol PP/ RO 
    26.Jader Barbalho PMDB/PA 
    27.Jayme Campos DEM/ MT 
    28.João Alberto Souza PMDB/MA 
    29.João Ribeiro PR/TO 
    30.João Vicente Claudino PTB/PI 
    31.Jorge Viana PT/AC 
    32.José Agripino DEM/RN 
    33.José Pimentel PT/CE 
    34.José Sarney PMDB/AP 
    35.Kátia Abreu PSD/TO 
    36.Lindbergh Farias PT/ RJ 
    37.Lobão Filho PMDB/MA 
    38.Luiz Henrique PMDB/SC 
    39.Maria do Carmo Alves DEM/SE 
    40.Paulo Paim PT/RS 
    41.Renan Calheiros PMDB/AL 
    42.Ricardo Ferraço PMDB/ES 
    43.Roberto Requião PMDB/PR 
    44.Rodrigo Rollemberg PSB/DF 
    45.Romero Jucá PMDB/RR 
    46.Sérgio Petecão PSD/ AC 
    47.Sérgio Souza PMDB/PR 
    48.Sodré Santoro PTB/RR 
    49.Valdir Raupp PMDB/RO 
    50.Vanessa Grazziotin PC DO B/ AM 
    51.Vicentinho Alves PR/TO 
    52.Vital do Rêgo PMDB/PB 
    53.Waldemir Moka PMDB/MS 
    54.Walter Pinheiro PT/BA 
    55.Wellington Dias PT/PI 
    56.Wilder Morais DEM/GO


    A 97.jpg
  • A população da região Noroeste aprovou a obra de duplicação da PR-323, que liga Maringá a Francisco Alves. O Governo do Estado promoveu, nesta quinta-feira, uma audiência pública com os moradores da região para dúvidas e sugestões. A duplicação de 220 quilômetros vai beneficiar 14 municípios. http://goo.gl/WuPV9u

    A população da região Noroeste aprovou a obra de duplicação da PR-323, que liga Maringá a Francisco Alves. O Governo do Estado promoveu, nesta quinta-feira, uma audiência pública com os moradores da região para dúvidas e sugestões. A duplicação de 220 quilômetros vai beneficiar 14 municípios. http://goo.gl/WuPV9u
    http://static.ow.ly/photos/normal/3WzsR.jpg
  • Cristina Buarque - AMOR DE MALANDRO - samba de Francisco Alves e Ismael Silva - gravação de 1974

    Cristina Buarque - AMOR DE MALANDRO - samba de Francisco Alves e Ismael Silva. Álbum: Cristina - RCA Victor. Ano de 1974.

  • FRANCISCO ALVES - PR

    FRANCISCO ALVES - PR
    SAM_0006.JPG
  • Pois bem minha gente a coisa vai feder e já é sem tempo SENHORA DILMA VANA ROUSSEFF, PRESIDENTE DE 55.725.529 BRASILEIROS. PELA PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA PROTOCOLO: PR/MS-00015405/2014 – 21,08.2014 14:55:33 Horário de Brasilia O POVO BRASILEIRO formado pela tríade jurídica originária: Nação-Território-Soberania, autoproclamado no Preâmbulo da Constituição em Poder Constituinte, pelo qual se institui em Estado Democrático de Direito, no art. 1º caput e incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II, III da Constituição, e se constituí em Ente Político de civilização distribuído em organização federativa pela mesma, através das Constituições Estaduais e Leis Orgânicas Municipais; sediado na Instituição da Presidência da República da Magistratura de Estado em Foro de Soberania; onde se bifurca pela cidadania em: a) poder civil constitucional, mandatário, transitório indireto, formado dos partidos políticos no art. 1º incs. II,V e Parág. único, com o art. 14 incs. e §§ e art. 17 incs. e §§, art. 27 § 1º, art. 28, art. 29 inc. II, art. 46 e o art. 76, da Constituição, no Colegiado Mandatário composto do Presidente e Vice-Presidente da República, Presidente da Câmara dos Deputados, Presidente do Senado federal e Presidente do STF; b) poder militar constituinte, permanente direto, formado das patentes eleitorais de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, no art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II,III, o art. 84 incs. XIII e o art. 142 com o art. 80 da Constituição, no Colegiado Constituinte, composto dos Comandantes Superiores e Chefes de Estados-Maiores da Armada, Exército e Aeronáutica. Com a sua sede constitucional no Palácio do Planalto, Praça dos Três Poderes, Brasília/DF. Aqui representado constitucionalmente pelo cidadão Celio Evangelista Ferreira, brasileiro, casado, com título de cidadania instituído no art. 14 § 1º, inc. II da Constituição e inscrição eleitoral 0038.4759.0647-Brasília/DF; com endereço operacional de cidadania no Quartel General do Exército – SMU – Brasília/DF, acompanhado de: 1) Gal. de Ex. Pedro Luiz de Araujo Braga; 2 – Gen Ex Angelo Baratta Filho; 3- Gen Ex Luiz Guilherme de Freitas Coutinho 4 – Gen Ex José Carlos Leite Filho 5 – Gen Ex Domingos Miguel Antônio Gazzineo 6 – Gen Ex José Luis Lopes da Silva 7 – Gen Ex Luiz De Góis Nogueira Filho 8 – Gen Ex Valdésio Guilherme de Figueiredo 9 – Gen Ex Gilberto Barbosa de Figueiredo 10 – Gen Ex Luiz Edmundo Maia de Carvalho 11 – Gen Ex Antônio Araújo de Medeiros – 12 Tem. Brig. Ar (Refm) Ivan Frota 13 – Gen Ex Domingos Carlos Campos Curado 14 – Gen Ex Ivan de Mendonça Bastos 15 – Gen Ex Rui Alves Catão 16 – Desembargador do Tribunal de Justiça/RJ Bernardo Moreira Garcez Neto 17 – Gen Ex Cláudio Barbosa de Figueiredo 18- Gen Ex Carlos Alberto Pinto Silva 19 – Gen Ex Luiz Cesário da Silveira Filho 20 – Gen Ex Maynard Marques de Santa Rosa. 1- Gen Div Francisco Batista Torres de Melo 2 – Gen Div Amaury Sá Freire de Lima 3 – Gen Div Leone da Silveira Lee 4 – Gen Div Cássio Rodrigues da Cunha 5 – Gen Div Aloísio Rodrigues dos Santos 6 – Gen Div Robero Viana Maciel dos Santos Lista completa, 7 – Gen Div Marcio Rosendo de Melo 8 – Gen Div Luiz Carlos Minussi 9 – Gen Div Gilberto Rodrigues Pimentel 10 – Gen Div Ulisses Lisboa Perazzo Lannes 11 – Gen Div Luiz Wilson Marques Daudt 12 – Maj Brig Ar Edilberto Telles Shirotheau Corrêa 13 – Maj- Brig do Ar Cezar Ney Britto de Mello 14 – Maj Brig Ar Irineu Rodrigues Neto 15 – Maj Brig Ademir Siqueira Viana 16 – Ge n Div Clóvis Puper Bandeira 17 – Gen Div Roberto Schifer Bernadi. 18- Gen Div Remy de Almeida Escalante 19 – Gen Div Sérgio Ruschell Berganaschi 20 – Gen Div Sérgio Pedro Coelho Lima. 1- Gen Bda Rui Leal Campello – Detentor do Bastão da FEB 2 – Brig Ar Leci Oliveira Peres 3 – Gen Bda Dickens Ferraz 4 – Gen Bda Paulo Ricardo Naumann 5 – Gen Bda Gilberto Serra 6 – Gen Bda Aricildes de Moraes Motta 7 – Gen Bda Durval A. M. P. de Andrade Nery 8 – Gen Bda Carlos Augusto Fernandes dos Santos 9 – Gen Bda Miguel Monori Filho 10 – Gen Bda Iberê Mariano da Silva 11 – Gen Bda Eduardo Cunha da Cunha 12 – Gen Bda Tirteu Frota 13 – Gen Bda César Augusto Nicodemus de Souza 14 – Gen Bda Geraldo Luiz Nery da Silva 15 – Gen Bda Marco Antonio Felício da Silva 16 – Gen Bda Newton Mousinho de Albuquerque 17 – Gen Bda Paulo César Lima de Siqueira 18 – Gen Bda Marco Antonio Tilscher Saraiva 19 – Gen Bda Manoel Theóphilo Gaspar de Oliveira 20 – Gen Bda Hamilton Bonat 21 – Gen Bda Elieser Girão Monteiro 22 – Gen Bda Pedro Fernando Malta 23 – Gen Bda Mauro Patrício Barroso 24 – Gen Bda Marcos Miranda Guimarães 25 – Gen Bda Zamir Meis Veloso 26 – Gen Bda Valmir Fonseca Azevedo 27 – Gen Bda Marco Antônio Sávio Costa 28 – Brig.Ar Sérgio Luiz Millon 29 – Gen Bda Carlos Eduardo Jansen 30 – Gen Bda Mario Monteiro Muzzi 31 – Gen Bda Paulo Roberto Correa Assis 32- Gen Bda Iram Carvalho 33 – Brig Ar Danilo Paiva Alvares 34- Gen Bda Jos´e Alberto Leal 35 – Gen Bda José Luiz Gameiro Sarahyba 36 – Gen Brig Ar – Guido de Resende Souza 37 – Gen Bda Sady Guilherme Schmidt 38 – Contra- Alm Med Luiz Roberto Matias Dias. Oficiais Superiores 1- Cel Jarbas Gonçalves Passarinho 2 – Cel Carlos de Souza Scheliga 3 – Cel Carlos Alberto Brilhante Ustra 4 – Cel Ronaldo Pêcego de Morais Coutinho 5 – Capitão-de-Mar-e-Guerra Joannis Cristino Roidis 6 – Cel Celso Seixas Marques Ferreira 7 – Cel Pedro Moezia de Lima 8 – Cel Cláudio Miguez 9 – Cel Yvo Salvany 10 – Cel Ernesto Caruso 11 – Cel Juvêncio Saldanha Lemos 12 – Cel Paulo Ricardo Paiva 13 – Cel Raul Borges 14 – Cel Rubens Del Nero 15 – Cel Ronaldo Pimenta Carvalho 16 – Cel Jarbas Guimarães Pontes 17 – Cel Miguel Netto Armando 18 – Cel Florimar Ferreira Coutinho 19 – Cel Av Julio Cesar de Oliveira Medeiros 20 – Cel.Av.Luís Mauro Ferreira Gomes 21 – Cel Carlos Rodolfo Bopp 22 – Cel Nilton Correa Lampert 23 – Cel Horacio de Godoy 24 – Cel Manuel Joaquim de Araujo Goes 25 – Cel Luiz Veríssimo de Castro 26 – Cel Sergio Marinho de Carvalho 27 – Cel Antenor dos Santos Oliveira 28 – Cel Josã de Mattos Medeiros 29 – Cel Mario Monteiro Campos 30 – Cel Armando Binari Wyatt 31 – Cel Antonio Osvaldo Silvano 32 – Cel Alédio P. Fernandes 33 – Cel Francisco Zacarias 34 – Cel Paulo Baciuk 35 – Cel Julio da Cunha Fournier 36 – Cel Arnaldo N. Fleury Curado 37 – Cel Walter de Campos 38 – Cel Silvério Mendes 39 – Cel Luiz Carvalho Silva 40 – Cel Reynaldo De Biasi Silva Rocha 41 – Cel Wadir Abbês 42 – Cel Flavio Bisch Fabres 43 – Cel Flavio Acauan Souto 44 – Cel Luiz Carlos Fortes Bustamante Sá 45 – Cel Plotino Ladeira da Matta 46 – Cel Jacob Cesar Ribas Filho 47 – Cel Murilo Silva de Souza 48 – Cel Gilson Fernandes 49 – Cel José Leopoldino e Silva 50 – Cel Pedro Carlos Pires de Camargo 51 – Cel Antonio Medina Filho 52 – Cel José Eymard Bonfim Borges 53 – Cel Dirceu Wolmann Junior 54 – Cel Sérgio Lobo Rodrigues 55 – Cel Jones Amaral 56 – Cel Moacyr Mansur de Carvalho 57 – Cel Waine Canto 58 – Cel Moacyr Guimarães de Oliveira 59 – Cel Paulo Carvalho Espindola 60 – Cel Nelson Henrique Bonança de Almeida 61 – Cel Roberto Fonseca 62 – Cel Jose Antonio Barbosa 63 – Cel Jomar Mendonça 64 – Cel Carlos Sergio Maia Mondaini 65 – Cel Nilo Cardoso Daltro 66 – Cel Vicente Deo 67 – Cel Av Milton Mauro Mallet Aleixo 68 – Cel José Roberto Marques Frazão 69 – Cel Brigido Montarroyos Leite 70 – Cel Flavio Andre Teixeira 71 – Cel Jorge Luiz Kormann 72 – Cel Aluísio Madruga de Moura e Souza 73 – Cel Aer Edno Marcolino 74 – Cel Paulo Cesar Romero Castelo Branco 75 – Cel Carlos Leger Sherman Palmer 76 – Cel Gilberto Guedes Pereira 77 – Cel Carlos da Rocha Torres 78 – Cel Paulo Soares dos Santos 79 – Cel Mário Luiz de Oliveira 80 – Cel Wilson Musco 81 – Cel Luiz Fontoura de Oliveira Reis 82 – Cel Rubens Reinaldo Santana 83 – Cel Arthur Paulino Tapajoz de Souza 84 – Cel Josimar Gonçalves Bezerra 85 – Cel Affonso Correa de Araújo 86 – Cel Era Derli Stopato da Fonseca 87 – Cel Elmio David Dansa de Franco 88 – Cel Antonio Carlos Pinheiro 89 – Cel Av Silvio Brasil Gadelha 89 – Cel Av Sílvio Barreto Viana 90 – Cel Jorge Caetano Souza do Nascimento 91 – Cel Sérgio Augusto Machado Cambraia 92 – Cel Manoel Soriano Neto 93 – Cel Nelson Roque Vaz Musa 94 – Cel Rubens Vaz da Cunha 95 – Cel Mário Muzzi 96 – Cel Luiz Caramuru Xavier 97 – Cel Av Valdir Eliseu Soldatelli 98 – CMG (FN) Guilherme Gonzaga 99 – CMG Cesar Augusto Santos Azevedo 100 – Cel José Alberto Neves Tavares da Silva 101 – Cel Pedro Figueira Santos 102 – Cel Respício Antonio do Espírito Santos 103 – Cel Av Silvio da Gama Barreto Viana 104 – Cel Djair Braga Maranhoto 105 – Cel Airton Alcântara Gomes 106 – Cel Arcanjo Miguel Vanzan 107 – CMG Francisco Heráclio Maia do Carmo 108 – Cel Ary Vieira Costa 109 – Cel Ricardo Perera de Miranda 110 – CMG Edmundo Amaral Baptista 111 – Cel Nicolau Loureiro Neto 112 – Cel AV Sérgio Ivan Pereira 113 – CMG Geraldo da Fonseca 114 – Cel Nelsimar Moura Vandelli 115 – Cel Cesar Augusto de Jesus Magalhães 116 – Cel Rogério Oliveira da Cunha 117 – Cel José Augusto de Castro Neto 118 – Cel Benedito Luiz Longhi 119 – CMG Rogério Ferreira Esteves 120 – Cel Albérico da Conceição Andrade 121 – Cel Orlando Galvão Canário 122 – Cel AV José Alfredo de Tolosa Andrade 123 – Cel Pedro Arnóbio de Medeiros 124 – Cel Sérgio dos Santos Lima 125 – Cel Cezar Nunes de Araújo 126 – Cel Ivan Fontelles 127 – Cel Paulo Soares de Souza 128 – Cel Renato Brilhante Ustra 129 – Cel Ariel Rocha de Cunto 130 – Cel Rui Pinheiro Silva 131 – Cel Milton Moraes Sarmento 132 – Cel Paulo Sérgio da Silva Maia 133 – Cel Ney de Oliveira Waszak 134 – Eliana M.Pinheiro Winckler 1 – Cibele Silveira Alves Nunes 2 – Norival Mendoniça 3 – Paulo Medina Filho 4 – Jaziva Fanstone 5 – Marcio Botelho 6 – Pedro Dalges Vences Leal 7 – Gil Macros Araújo 8 – Nivalo Georg 9 – Jefferson Rodrigue 10 – Eduardo José Wolff 11 – Gen Bda Paulo Chagas – Presidente do TERNUMA - Cel Inf Paulo Cesar Fonseca – Secretário Executivo do TERNUMA - Gen Bda Nelson Santini Júnior - Cel Inf Ronaldo do Vale Brito - Cel Inf Nilton Nunes Ramos - Dr Gustavo Groszewicz Brito – Advogado - Gen Bda Newton Mousinho de Albuquerque - Gen Bda Álvaro de Souza Pinheiro - Gen Ex JoséCarlos Leite Filho - Gen Ex Maynard Marques de Santa Rosa - Cel Inf Adonai de Ávila Camargo - Gen Bda Luiz Eduardo Rocha Paiva - Cel Inf Norton Luis Silva da Costa - Cel Inf Aluisio Madruga de Moura e Souza - Dr Francisco Ramos - Engenheiro Químico - Dr Sérgio Pegoraro - Engenheiro Civil - Cel Cav Jorge Alberto Forrer Garcia - Cel Com James Correa Caldas - Cel Art Marco Antonio Esteves Balbi - Gen Ex Armando Luiz Malan de Paiva Chaves - Cel Art Carlos Alberto Brilhante Ustra - Sra Marilia S. Pegoraro - Cel Cav José Renato Costa Hilsdorf - Sr Mário Sérgio de Oliveira - Veterano da Polícia do Exército - Cel Eng Albérico da Conceição Andrade - Gen Bda António Florêncio Silva - Gen Div Ulisses Lisboa Perazzo Lannes - Cel Inf Roberto Barbosa - Cel Eng Luiz Osório Marinho Silva - Cel Inf Cláudio Eustáquio Duarte - Cel Inf Sergio Mauricio Marques /Tu 67- Cel Inf Edson Franco Immaginario - Cel Inf Edu Caldeira Antunes - Cel Inf Marco Antônio Cunha - Cel Inf Waldir Mattos - Cel Inf Juarez Antonio da Silva - Cel IE Marco Aurélio dos Santos Amaral - Cel Inf Antônio Rodrigues da Silva Filho- Cel Inf Joaquim de Castro Junior- Cel QEM Paulo Sérgio de Carvalho Alvarenga -Cel MB Jeová Ferreira Rocha- Dr Antônio Luis Fernandes Astorga - Cad Art / Eng e Adv- Cel Ronaldo Costa Magalhães- Cel Sebastiao Celio de Aquino Almeida- Cel Int Samuel Bohler de Oliveira- Cel Inf Renato Cevenini Salvador Ramos- Cel IE Francisco Eduardo Ferreira da Silva- Cel Inf Paulo Cesar Alves Schütt- 71- Cel Eng Gilberto Machado da Rosa- Cel Cav Jones Moura do Amaral- Sd Ricardo Henrique Vitti- SR Francisco Ramos- SR Antonio Carlos da Costa Portela- Cel Luiz Ernani Caminha Giorgis- SR Alexandre Cordeiro- SR(a) Maria Cristina Beraldo Santini- SR João Rogério Bocicovar- SR Thiago Groszewicz Brito- SR Marcio Menezes Mendonça- SR(a) Salete Oliveira- Gen Sergio Pedro Coelho Lima- SR Pedro Dalgis Vences Leal- Cap Pedro Celestino Alves Tabajara- SR Fernando Dias Ramos - Gen Osmário Monteiro Zan- Cb Edison José Garrett- Cel Com Vanildo Braga Vilela - SR Italo Jose Cardoso- Cel Ariel Martim de Oliveira e Silva Junior- Professor(a) Carmelina Henriques Alves- SR Pedro Paulo Leite do Prado- Cel Com Gabriel Cruz Pires Ribeiro- Cel Walber Guerreiro Pinheiro- Cel Geraldo Pereira de Paula- Ten Cel Rene Silveira- Sr Carlos I.S. Azambuja- Gen Valmir Fonseca Azevedo Pereira- Sr Benedito Delfino da Silva Junior- Cel Auler Afonso J C- Sr Antonio Augusto Teixeira de Freitas- Sr Alberto Marzullo- Sra Érica Rosa Trindade- Sr Josenilton Ferreira- Sr Euclydes Corrêa de Souza Filho- Sr Tiago Ozolin- Sr Sergio Marcelo Dolgoruky - Dra Geórgia Las Casas- Dr Teódulo Calasans De Almeida- Sr Adilson Martins Gonçalez- Sr Roberto Asterio de Castro Guerra- Sra Grasiela Gonçalves Perez - Cel Mileno Feitosa de Araújo- Sra Bernardete de Almeida Costa- Sr Antonio Araujo Medeiros- Gen Newton Mousinho de Albuquerque- Sr Rui Mendes- Sr Doriel Locatel de Oliveira- Sra Rosana Pie- Cel Jose M Medeiros- Ten Cel Juarez Marcon- Sr Pedro Dalgis Vences Leal- Cel Aldemir Soares de Alencar- Sr Roberto Luiz da Rocha- Cel Paulo Delage- Sr Hoche Luiz Pulcherio- Cel Arlindo Souza- Profª Iara Maria Caetano Jacques- Srª Sandra Ferreira Marins- Sr Nelson Ferreira Filho- Sr Matheus Dias - Srª Maria Lucia Antunes Correa- Gen Pedro Fernando Malta- Maj George Pereira Santa Rosa- Cel QMB Aguinaldo Paulo Nascimento- Ten Cel Luis Azambuja Contreiras Rodrigues- Cel Ademar Antonio Eberl Garlipp- Sr Ricardo Arruda Labatut Rodrigues - Dr Leocádio Celso Gonçalves – Médico- Cel Alexandre E. Javoski Gama- Gen Abelardo Prisco de Souza Junior- Sr Marcos Martinelli- Sr Marco Antonio Sá- Srª Carolina Vignolo Chagas Sette- Sr Rafael Ramos Sette- Sr José Paulo Vieira Salles - Sr Marco Antonio Sávio Costa- Sr Antonio Carlos Iranlei- Profª Sheila M C Bertrand - Gen Div Gilberto Rodrigues Pimentel- Profª Luci Tavares de Ascenção- Cel Cav Raul Mario Magalhães Ribeiro- Cel Vet Cyro Floriano Rivaldo Filho- Srª Giesela Getzel - Sr Frederico Frazão- Sra Suely Rangel da Silva- Ten Cel Inf Áureo Torres de Oliveira, e demais cidadãos e cidadãs que já ratificaram o PROCEDIMENTO CONSTITUCIONAL DE REAÇÃO DE CIDADANIA contra a TIRANIA TERRORISTA COMUNISTA DE BANDIDOS, constante do PO 1300820 – 7.2.2013, perante o Colegiado Constituinte na Instituição da Presidência da República da Magistratura de Estado no Foro de Soberania, formalizado pelos PROTOCOLOS: STF 0038341, 0048211; 0038342, 01.10.2012,4182/12; MRE-DCA 17.07.2012; PGR 31056422, 13.04.2012, SF17.07.2012, ACFA 29.2.2012, PR CODIN/POT /19.02.2012; SF29.02.2012; SF17.07.2012; SF11.06.2012 STF; PGR CD PR SF; ACFA 117.419 29.02012 30.05.2012, 10.10.12; DPF/MS 08335.025373/2012-65 27.11.2012; DPF/MS 08335.005016/2013-61 28.01.2013; DPF/DF 08001.08335.0032 35/2002-5; 08001.008976/2012-74; 08001.014173/20 12-59 – COGER/DPF; 08200.008079/2013-03; 08200.008592/2013-96; DPF/CEVEL-PR 02.05.2013; MPF/MS-00000744/2014; PR-MS-00019658/2013. PR-MS-00000744/2014– 00007443/2014 - 00007787/2014 – A.D. SF 15492345 1 BR; MPE/MS-PGJ – 043779-2/2; 018742-2/2019223-2/2M; CD 006198-30.9.13; SPF 08335.006262/2014-11; PGR 00001654/2014; PGR 0007443 PR 04.09.2013; PR JG 642440674BR; STF AR-J6603237679BR; PF 08335.018120/2014-05; PGJ 022451-2/2; 022450-2/2; 018742-2/2; 019223-22/, 01237180; 151113 1403 67; 01238632-1; 10123 1355; 11988/2014, e formalizam a “escritura de inteligência” que mostra a RAZÃO DE ESTADO tipificada pela CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO na Instituição da Presidência da República, para a INTERVENÇÃO CONSTITITUINTE, na operacionalidade direta do poder e/ou, do Estado Democrático de Direito pelo art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II, III, VIII, o art. 5º caput e incs XLIII, LXXIII, §§ 2º e 3º, com o art.. 37 caput, o art. 84 inc. XIII e o art. 142 com o art. 80, da CF, que recepcionam o art. 1º com o art. 5º n. 1, o art. 10º n. 1, 2 da Convenção Americana Sobre Direitos Humanos, o art. 2º com o art. 21 n. 1 da Declaração Universal dos Direitos do Homem, a Resol. do CS/ONU n. 1.373 de 28.09.2001 e faz aplicável o art. 6º com o art. 8º da Carta Democrática Interamericana, e o art. 55 c, da Carta da ONU, pelo exercício do Decreto n. 4.388 de 25.09.2002, com a Lei n. 7.170/1983 e a 1.079 de 10.04.1950, em virtude de estarem presentes os pressupostos de legalidade, moralidade e responsabilidade, impostos pelo dever de hombridade, honradez, caráter e bom senso em que o Povo resulta em Foro de Soberania, SE DECLARA EM REAÇÃO DE CIDADANIA EM SUAS FORÇAS ARMADAS PARA INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO CON TRA TIRANIA TERRORISTA COMUNISTA DE BANDIDOS, OBJETIVANDO: 1) recuperação do Estado Democrático de Direito; 2) reencaminhamento constitucional da civilização brasileira pelos Simbo los, Valores, História e Tradição que a identificam no meio ambiente existencial que disso se deflagra na dinâmica dos interesses empreendida pela livre iniciativa pelos trilhos da competição e concorrência; 3) restauração da unidade da nação pelo trabalho em canteiro de obras de onstrução da Pátria pela democracia pluralista e rotativa que a Consti- tuição institui. A qual deverá ser feita por EXECUÇÃO DA CONSTITUIÇÃO através de denúncia do Colegiado Constituinte na Instituição da Presidência da República da Magistratura de Estado no Foro de Soberania, ao Congresso Nacional, para que, no prazo de 48 hs a contar da hora de protocolização da denúncia, reconheça vago o cargo de Presidente da República em virtude de nenhum dos titulares no art. 80 da Constituição preencher os pressupostos constitucionais das patentes eleitorais de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, e no prazo do art. 78 Parág. único da Constituição, dê posse ao titular constitucional dentre os seis Comandantes Superiores e Chefes de Estado-Maior da Armada, Exército e Aeronáutica que for indicado; sob pena de não o fazendo, o Colegiado Constituinte na Instituição da Presidência da República da Magistratura de Estado em Foro de Soberania o fazer, com a posse do respectivo titular dada pelo próprio Poder Executivo. A CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO que se opera por rompimento do poder civil com o poder militar no mandato de Presidente da República dá emersão ao Povo nas Forças Armadas em poder constituinte no Estado Democrático de Direito, que o transforma em FORO DE SOBERANIA, absorvendo os poderes constitucionais e a estrutura infraconstitucional do Regime. Porquanto, o Povo passa a exercer o poder diretamente e assim, se reinveste da outorga mandatária pelas urnas, tornando vagas as patentes mandatárias de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, e impondo a consequente titularidade constituinte que resulta a quem sobra na respectiva investidura. De modo que o cargo de Presidente da República resulta vago imediatamente à ocorrência de ruptura na FUSÃO DO VOTO COM A BALA no Mandato de Presidente da República. Mas, como os efetivos das Forças Armadas são desprovidos de cidadania no art. 14 §§ 2º e 8º incs. I,II, com o art. 142 inc. V, da Constituição, o Foro de Soberania tem de ser instalado por reação de cidadania do Povo em qualquer dos seus cidadãos, pelo art. 1º incs. I,II e Parág único com o art. 4º incs. II, III e o art. 84 inc. XIII com o art. 142 e o art. 80 da Constituição, perante os poderes constitucional. Como foi procedido pelos eventos invocatórios constantes dos protocolos retro mencionados; todos homologados por reconhecimentos tácitos e expressos dos poderes e instituições invocadas, sobre o que neles se contém. E resultou identificado o envolvimento dos políticos, da vadiagem e da força de trabalho operária na FARRA DO PT NO PODER, escondendo a construção da TIRANIA TERRORISTA COMUNISTA FUNDAMENTALISTA DE BANDIDOS, integrada por Brasil, Cuba, Venezuela, Haiti, Peru, Colômbia, Bolívia, Argentina, Uruguai, Angola, Coreia do Norte, Síria, Hamas, Al Qaeda, China e Rússia, com o Brasil submetido a um governo multinacional liderado por Fidel Castro, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Vana Rousseff, por Havana, Palácio do Planalto, Foro de São Paulo e Instituto Lula; assentado sobre o crime organizado no governo, operado por gangues políticas e gerido por corporações quadrilheiras, com suas forças de campo na CUT, CGT, MST, IBAMA, FUNAI, INCRA, CV, PCC. Por onde a democracia foi transformada em regime prisional, com o povo sequestrado em seus lares e locais de trabalho, sob o terrorismo do medo, insegurança pública, insegurança jurídica, insegurança econômica e insegurança nacional; sofrendo o saqueamento do País; guerra civil terrorista marginal; apodrecimento moral da civilização brasileira; destruição da família; desintegração da nação; destruição da Pátria e demolição da Economia. Com o País falido, sendo movido por falcatruas contábeis, estelionato estatístico, renúncias fiscais, estelionato de consumo, estelionato de preços públicos e emissões de moeda fria. Os ATOS TERRORISTAS, que assim se tipificam por aniquilarem o Estado Democrático de Direito, desde os que consolidam a subversão comunista terrorista no poder por pleitos inconstitucionais, até o Decreto n. 8.243 de23.05.2014 que extingue a Constituição da República e cria impositivamente um ESTADO CORPORATIVO ANÁRQUICO, identificam a TIRANIA TERRORISTA COMUNISTA FUNDAMENTALISTA DE BANDIDOS, que, somada com o desprovimento de: padrão moral instituído no art. 1º inc. IIII com o art. 5º incs. X, LXXIII, art. 37 caput, art. 55 inc. II, art. 52 incs. I,II com o art. 101 e o art. 85 inc. V da CF; o padrão de cátedra instituindo no art. 1º incs. II,III com o art. 3º inc. II, o art. 5º inc. X, e o art. 205 caput com o art. 208 inc. I, da CF; e o padrão cívico instituido no art. 1º inc. II, III, V, com o art. 17, o art. 14 § 1º incs. I, II, a/c, art. 27 § 1º, art. 29 incs I, II, art. 44, art. 46, art. 77 § 1º e o art. 82, com o art. 84 inc. XIII e o art. 142 com o art. 80 da CF, no desempenho de vida pública e de governo de Vossa Senhora, somados com a sua vida pregressa numa ficha criminal registrando que: no dia 6.10.1968 assaltou o Banespa; no dia 12.10.1968 Planejou assassinato do Cap. Charles Chandler; no dia 11.12.1968 assaltou a Casa de Armas Diana; no dia 24.1.1969 assaltou o 4º RI Quintauma; no dia 18.1.1969 assaltou a casado do governador Adhemar de Barros. No dia 1º.08.1968 assaltou o Banco Mercantil de São Paulo; no dia 20.09.1969, assaltou o Quartel da Forças Pública Barro Branco. Depois disso virou sacoleira em Porto Alegre onde fundou o PDT pelo qual ingressou no Governo Municipal e desse ao Governo Estadual. De onde se integrou ao PT com o Lula, e desde então, é responsável pelo saqueamento da Petrobras da 4ª maior empresa do mundo que ela era em 2003 quando Vossa Senhoria começou administrá-la, para a 120ª que é hoje; e do saqueamento do Brasil que era a 11ª economia do mundo em 2003, com uma dívida pública interna de R$ 486 bilhões e hoje é um País falido com essa dívida pública em R$ 2,8 trilhões e a economia recuada à década de 1950, fazem Vossa Senhoria desprovida dos pressupostos constitucionais para envergar as patentes eleitorais de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas. Porquanto estas, sendo a fachada do Povo brasileiro nas patentes eleitorais de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, não podem ser modelo do que a civilização brasileira tenha de pior, em ínfima minoria penal, mas sim, do que ela é em sua maioria democrática absoluta de 80.041.804 constituintes que não reconhecem Vossa Senhoria com qualificações para representá-lo. Resultando a ruptura no Mandato de Presidente da República instalada pelo: 1) desempenho subversivo e terrorista de governo de Vossa Senhoria; 2) pelo absoluto desprovimento moral, cultural e cívico de Vossa Senhoria; 3) pela índole perversa desmerecedora da anistia estendida pela nação, que Vossa Senhoria renunciou no poder, para restabelecer o status quo ante da Revolução de 1964, para se declarar vencedora em sua ficha criminal, e a nação vencida para sofrer em suas Forças Armadas, em seus soldados vivos e mortos, como infame, as condenações perpetuas de execração moral e esquartejamento de personalidade. Mas que, também recuperou a punibilidade de Vossa Senhoria, que tem de iniciar com o expurgo do comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, que vitima o povo brasileiro em sua respeitabilidade histórica de hombridade, honradez, caráter e fraternidade nacional pela Lei e a Ordem. E tão efêmera resulta a CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO que impõe a REAÇÃO DE CIADADANIA DA NAÇÃO em Foro de Soberania, que a nação está constitucionalmente impedida de cultivar os sinais de respeito da educação humana com Vossa Senhoria, porque, se lhe chamasse de Excelência, estaria cultuando a índole perversa e a conduta imputável. E o efeito disto, o Mundo testemunhou na abertura da Copa da Fifa, quando a nação, por volumosa representação no respetivo estádio, confirmou a sua posição nas eleições de 2.010, repetida nas eleições de 2.012 e com sua manifestação na praça pública no dia 17.07.2013, mandando Vossa Senhoria “tomar no cu.” Bem ao nível da sua ficha criminal e do seu desempenho de governo. O que prova que Vossa Senhoria é do tipo “marginal incorrigível;” determinada perigosamente em seus objetivos terroristas, largamente empreendidos no poder. Porquanto, se pudor alicerçasse a sua suscetibilidade, Vossa Senhoria teria renunciado ao cargo naquele mesmo dia. Mas, também nem teria se constituído em recuperação do desafio terrorista de 1964, que a nação apenas conteve, e por isto, já mereceria uma conduta de contrição de Vossa Senhoria. Então, Vossa Senhoria estando desprovida historicamente, por uma ficha criminal e conduta que prova a sua índole perversa avessa à recuperação moral, e que fere mortalmente a honra do Povo brasileiro em suas Forças Armadas, em seus Símbolos, em seus Valores, em sua História e em suas Tradições, o POVO BRASILEIRO EM REAÇÃO DE CIDADANIA EM SUAS FORÇAS ARMADAS NO FORO DE SOBERANIA, RECONHECE VAGAS AS PATENTES DE COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADAS NO MANDATO DE PRESIDENTE DA REPÚBLICA; E SE DECLARA INVESTIDO NELAS POR FORÇA DO EXERCÍCIO DIRETO DO PODER, CONSTITUINTE, QUE IMPLICA NA SUSPENSÃO DO PODER INDIRETO, CONSTITUCIONAL, EXERCIDO POR VOSSA SENHORIA. E, em razão disto, o Povo brasileiro se reconhece ultrajado em toda a gradação do art. 80 da Constituição da República, por nenhum dos substitutos constitucionais ali instituídos incorporar o padrão moral, padrão cultural e padrão cívico exigidos pelo Estado Democrático de Direito para a investidura de Magistrado de Estado. E qualquer ato ou atitude de Vossa Senhoria ou na eventualidade de substituição dentro dessa gradação, de qualquer deles, sobre Comandantes, Chefes de Estado-Maior ou de qualquer posto em toda a hierarquia das Forças Armadas, configurará AÇÃO TERRORISTA de parte de Vossa Senhoria, passível de consequencias. O Povo brasileiro não aceita também, qualquer substituição de comandos, ou remanejamentos. O representante constitucional do Povo brasileiro em suas Forças Armadas, perante os poderes constitucionais, instituições e foros internacionais onde o Brasil deva soberania solidária em sua Constituição e tratados internacionais assentados nela, é o cidadão celio evangelista ferreira, subscritor da presente, com endereço operacional de cidadania no Quartel General do Exército – SMU – Brasília/DF. Por imposição do art. 1º inc. I, com o art. 14 §§ 2º, 8º incs. I,II e o art. 142 inc. V da CF, o Povo brasileiro não reconhece prerrogativas políticas aos efetivos das Forças Armadas, além da investidura constituinte de comando supremo e autoridade suprema na Instituição da Presidência da República, por vaga insuprível na gradação do art. 80 da CF. Em razão do que, se houvesse comandante que invocasse fidelidade a Vossa Senhoria por motivo de patentes ou prerrogativas conferidas por Vossa Senhora em razão do mandato, incidiria em conspiração terrorista contra o Estado Democrático de Direito. Pois que, absorvido o Estado no Foro de Soberania, cessa a Ordem Jurídica infraconstitucional, em sede de Processo Histórico, que resulta com todo o seu composto institucional regido unicamente pela Constituição da República. Por execução do art. 1º incs. I,II, V, e Parág. único com o art. 14 §§ 2º,8º incs. I,II, e o art. 142 inc. V da CF, as Forças Armadas no Povo aniquilado no Estado Democrático de Direito pelo pleito eleitoral subversivo terrorista, no art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II,III,V, o art. 5º incs. XLIII, LXXIII, art. 37 caput, art. 14 § 1º inc. I, art. 17 inc. I, ER. 27 § 1º, art. 28, art. 29 incs. I,II, art. 44, art. 46, art. 77 § 1º e art, 82 da CF, que o inquinam de inconstitucionalidade, não estão em campanha eleitoral, não garantem a realização do sufrágio e nem posse aos eventuais eleitos, se estiverem desprovidos de padrão moral, padrão cultural e padrão cívico para a Magistratura de Estado. Pois que, se assim o fizessem, estariam reconhecendo a extinção do Estado Democrático de Direito, por ausência de eficácia da Constituição da República, e consolidando a TIRANIA TERRORISTA COMUNISTA FUNDAMENTALISTA DE BANDIDOS que saqueia o País, massacra a Nação e destrói a Pátria. O pleito eleitoral instaurado inquina-se de inviabilidade constitucional em todos os seus pressupostos constitucionais. Dentre eles, ressalta a sua natureza marginal agressiva da nação, tipificada pelo princípio da isonomia que impõe a reciprocidade em todas as esferas da civilização brasileira. E assim, a agressão principia com a transformação do pluralismo político em “coligações quadrilheiras” formadas para a disputa do País como despojo das urnas para ser redistribuído entre as respectiva gangues políticas, pelas “bases parlamentares,” e “governos participativos.” E se acentua com a imposição de indivíduos de vida suja, que transformam o contraditório eleitoral em estrebuchamento mútuo de marginalidades, cafajestismo e desqualificações de toda a ordem, para resultarem justificados no saqueamento do Pais. Vez que, sendo sagrados por mandatos, resulta o povo identificado pelo banditismo que eles discutiram a fundo na campanha eleitoral. Pois, ao dever constitucional de votar, corresponde ao Estado o dever constitucional de oferecer pleito legítimo, identificado pelo pluralismo político e a renovação dos poderes, com candidatos que sejam a encarnação em si, do padrão moral instituído no art. 1º inc. IIII com o art. 5º incs. X, LXXIII, art. 37 caput, art. 55 inc. II, art. 52 incs. I,II com o art. 101 e o art. 85 inc. V da CF; o padrão de cátedra instituindo no art. 1º incs. II,III com o art. 3º inc. II, o art. 5º inc. X, e o art. 205 caput com o art. 208 inc. I, da CF; e o padrão cívico instituido no art. 1º inc. II, III, V, com o art. 17, o art. 14 § 1º incs. I, II, a/c, art. 27 § 1º, art. 29 incs I, II, art. 44, art. 46, art. 77 § 1º e o art. 82, com o art. 84 inc. XIII e o art. 142 com o art. 80 da CF. Face ao que, o pleito eleitoral instalado tipifica-se um ESTELIONATO POLÍTICO executado por SUBVERSÃO TERRORISTA. E isto impõe, de imediato, INTERVENÇÃO CONSTITUINTE no Processo Histórico. O Povo em reação de cidadania em Foro de Soberania nas Forças Armadas, é titular originário pelo exercício direto do poder, das patentes mandatárias de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas. E nessa situação constitucional o cidadão que representa constitucionalmente a nação, encara os poderes constitucionais e as instituições perante as quais a reação de cidadania do Povo, promova a INTERVENÇÃO CONSTITUINTE no Processo Histórico. Pois, o Povo em reação de cidadania em Foro de Soberania nas Forças Armadas, é estas e estas são o povo. E então, o Povo fala pelas Forças Armadas e estas SÃO A SEGURANÇA CONSTITUCIONAL DO POVO. R E Q U E R I M E N T O. Nos fundamentos expostos, o Povo em suas Forças Armadas em Foro de Soberania, requer ao Poder Executivo sob serventia efêmera de Vossa Senhoria, seja atendido o presente, sob as consequências constitucionais respectivas. Quartel General do Exército – SMU – Brasília/DF. 19 de agosto de 2.014 celio evangelilsta ferreira na representação constitucional do Povo em suas Forças Armadas celio evangelista ferreira pelos demais que o acompanham na representação constitucional do Povo em suas Forças Armadas. NOTIFICAÇÕES: Ao Congresso Nacional Poder Judiciário Ministério Público em grau de federação. Embaixadas Em se tratando de PRONUNCIAMENTO DO POVO é naturalmente público ao Mundo.
  • Leiam isso!!!!!!!!


    Celio Evangellista.
    SENHORA DILMA VANA ROUSSEFF, PRESIDENTE DE 55.725.529 BRASILEIROS. PELA PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA PROTOCOLO: PR/MS-00015405/2014 – 21,08.2014 14:55:33 Horário de Brasilia O POVO BRASILEIRO formado pela tríade jurídica originária: Nação-Território-Soberania, autoproclamado no Preâmbulo da Constituição em Poder Constituinte, pelo qual se institui em Estado Democrático de Direito, no art. 1º caput e incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II, III da Constituição, e se constituí em Ente Político de civilização distribuído em organização federativa pela mesma, através das Constituições Estaduais e Leis Orgânicas Municipais; sediado na Instituição da Presidência da República da Magistratura de Estado em Foro de Soberania; onde se bifurca pela cidadania em: a) poder civil constitucional, mandatário, transitório indireto, formado dos partidos políticos no art. 1º incs. II,V e Parág. único, com o art. 14 incs. e §§ e art. 17 incs. e §§, art. 27 § 1º, art. 28, art. 29 inc. II, art. 46 e o art. 76, da Constituição, no Colegiado Mandatário composto do Presidente e Vice-Presidente da República, Presidente da Câmara dos Deputados, Presidente do Senado federal e Presidente do STF; b) poder militar constituinte, permanente direto, formado das patentes eleitorais de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, no art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II,III, o art. 84 incs. XIII e o art. 142 com o art. 80 da Constituição, no Colegiado Constituinte, composto dos Comandantes Superiores e Chefes de Estados-Maiores da Armada, Exército e Aeronáutica. Com a sua sede constitucional no Palácio do Planalto, Praça dos Três Poderes, Brasília/DF. Aqui representado constitucionalmente pelo cidadão Celio Evangelista Ferreira, brasileiro, casado, com título de cidadania instituído no art. 14 § 1º, inc. II da Constituição e inscrição eleitoral 0038.4759.0647-Brasília/DF; com endereço operacional de cidadania no Quartel General do Exército – SMU – Brasília/DF, acompanhado de: 1) Gal. de Ex. Pedro Luiz de Araujo Braga; 2 – Gen Ex Angelo Baratta Filho; 3- Gen Ex Luiz Guilherme de Freitas Coutinho 4 – Gen Ex José Carlos Leite Filho 5 – Gen Ex Domingos Miguel Antônio Gazzineo 6 – Gen Ex José Luis Lopes da Silva 7 – Gen Ex Luiz De Góis Nogueira Filho 8 – Gen Ex Valdésio Guilherme de Figueiredo 9 – Gen Ex Gilberto Barbosa de Figueiredo 10 – Gen Ex Luiz Edmundo Maia de Carvalho 11 – Gen Ex Antônio Araújo de Medeiros – 12 Tem. Brig. Ar (Refm) Ivan Frota 13 – Gen Ex Domingos Carlos Campos Curado 14 – Gen Ex Ivan de Mendonça Bastos 15 – Gen Ex Rui Alves Catão 16 – Desembargador do Tribunal de Justiça/RJ Bernardo Moreira Garcez Neto 17 – Gen Ex Cláudio Barbosa de Figueiredo 18- Gen Ex Carlos Alberto Pinto Silva 19 – Gen Ex Luiz Cesário da Silveira Filho 20 – Gen Ex Maynard Marques de Santa Rosa. 1- Gen Div Francisco Batista Torres de Melo 2 – Gen Div Amaury Sá Freire de Lima 3 – Gen Div Leone da Silveira Lee 4 – Gen Div Cássio Rodrigues da Cunha 5 – Gen Div Aloísio Rodrigues dos Santos 6 – Gen Div Robero Viana Maciel dos Santos Lista completa, 7 – Gen Div Marcio Rosendo de Melo 8 – Gen Div Luiz Carlos Minussi 9 – Gen Div Gilberto Rodrigues Pimentel 10 – Gen Div Ulisses Lisboa Perazzo Lannes 11 – Gen Div Luiz Wilson Marques Daudt 12 – Maj Brig Ar Edilberto Telles Shirotheau Corrêa 13 – Maj- Brig do Ar Cezar Ney Britto de Mello 14 – Maj Brig Ar Irineu Rodrigues Neto 15 – Maj Brig Ademir Siqueira Viana 16 – Ge n Div Clóvis Puper Bandeira 17 – Gen Div Roberto Schifer Bernadi. 18- Gen Div Remy de Almeida Escalante 19 – Gen Div Sérgio Ruschell Berganaschi 20 – Gen Div Sérgio Pedro Coelho Lima. 1- Gen Bda Rui Leal Campello – Detentor do Bastão da FEB 2 – Brig Ar Leci Oliveira Peres 3 – Gen Bda Dickens Ferraz 4 – Gen Bda Paulo Ricardo Naumann 5 – Gen Bda Gilberto Serra 6 – Gen Bda Aricildes de Moraes Motta 7 – Gen Bda Durval A. M. P. de Andrade Nery 8 – Gen Bda Carlos Augusto Fernandes dos Santos 9 – Gen Bda Miguel Monori Filho 10 – Gen Bda Iberê Mariano da Silva 11 – Gen Bda Eduardo Cunha da Cunha 12 – Gen Bda Tirteu Frota 13 – Gen Bda César Augusto Nicodemus de Souza 14 – Gen Bda Geraldo Luiz Nery da Silva 15 – Gen Bda Marco Antonio Felício da Silva 16 – Gen Bda Newton Mousinho de Albuquerque 17 – Gen Bda Paulo César Lima de Siqueira 18 – Gen Bda Marco Antonio Tilscher Saraiva 19 – Gen Bda Manoel Theóphilo Gaspar de Oliveira 20 – Gen Bda Hamilton Bonat 21 – Gen Bda Elieser Girão Monteiro 22 – Gen Bda Pedro Fernando Malta 23 – Gen Bda Mauro Patrício Barroso 24 – Gen Bda Marcos Miranda Guimarães 25 – Gen Bda Zamir Meis Veloso 26 – Gen Bda Valmir Fonseca Azevedo 27 – Gen Bda Marco Antônio Sávio Costa 28 – Brig.Ar Sérgio Luiz Millon 29 – Gen Bda Carlos Eduardo Jansen 30 – Gen Bda Mario Monteiro Muzzi 31 – Gen Bda Paulo Roberto Correa Assis 32- Gen Bda Iram Carvalho 33 – Brig Ar Danilo Paiva Alvares 34- Gen Bda Jos´e Alberto Leal 35 – Gen Bda José Luiz Gameiro Sarahyba 36 – Gen Brig Ar – Guido de Resende Souza 37 – Gen Bda Sady Guilherme Schmidt 38 – Contra- Alm Med Luiz Roberto Matias Dias. Oficiais Superiores 1- Cel Jarbas Gonçalves Passarinho 2 – Cel Carlos de Souza Scheliga 3 – Cel Carlos Alberto Brilhante Ustra 4 – Cel Ronaldo Pêcego de Morais Coutinho 5 – Capitão-de-Mar-e-Guerra Joannis Cristino Roidis 6 – Cel Celso Seixas Marques Ferreira 7 – Cel Pedro Moezia de Lima 8 – Cel Cláudio Miguez 9 – Cel Yvo Salvany 10 – Cel Ernesto Caruso 11 – Cel Juvêncio Saldanha Lemos 12 – Cel Paulo Ricardo Paiva 13 – Cel Raul Borges 14 – Cel Rubens Del Nero 15 – Cel Ronaldo Pimenta Carvalho 16 – Cel Jarbas Guimarães Pontes 17 – Cel Miguel Netto Armando 18 – Cel Florimar Ferreira Coutinho 19 – Cel Av Julio Cesar de Oliveira Medeiros 20 – Cel.Av.Luís Mauro Ferreira Gomes 21 – Cel Carlos Rodolfo Bopp 22 – Cel Nilton Correa Lampert 23 – Cel Horacio de Godoy 24 – Cel Manuel Joaquim de Araujo Goes 25 – Cel Luiz Veríssimo de Castro 26 – Cel Sergio Marinho de Carvalho 27 – Cel Antenor dos Santos Oliveira 28 – Cel Josã de Mattos Medeiros 29 – Cel Mario Monteiro Campos 30 – Cel Armando Binari Wyatt 31 – Cel Antonio Osvaldo Silvano 32 – Cel Alédio P. Fernandes 33 – Cel Francisco Zacarias 34 – Cel Paulo Baciuk 35 – Cel Julio da Cunha Fournier 36 – Cel Arnaldo N. Fleury Curado 37 – Cel Walter de Campos 38 – Cel Silvério Mendes 39 – Cel Luiz Carvalho Silva 40 – Cel Reynaldo De Biasi Silva Rocha 41 – Cel Wadir Abbês 42 – Cel Flavio Bisch Fabres 43 – Cel Flavio Acauan Souto 44 – Cel Luiz Carlos Fortes Bustamante Sá 45 – Cel Plotino Ladeira da Matta 46 – Cel Jacob Cesar Ribas Filho 47 – Cel Murilo Silva de Souza 48 – Cel Gilson Fernandes 49 – Cel José Leopoldino e Silva 50 – Cel Pedro Carlos Pires de Camargo 51 – Cel Antonio Medina Filho 52 – Cel José Eymard Bonfim Borges 53 – Cel Dirceu Wolmann Junior 54 – Cel Sérgio Lobo Rodrigues 55 – Cel Jones Amaral 56 – Cel Moacyr Mansur de Carvalho 57 – Cel Waine Canto 58 – Cel Moacyr Guimarães de Oliveira 59 – Cel Paulo Carvalho Espindola 60 – Cel Nelson Henrique Bonança de Almeida 61 – Cel Roberto Fonseca 62 – Cel Jose Antonio Barbosa 63 – Cel Jomar Mendonça 64 – Cel Carlos Sergio Maia Mondaini 65 – Cel Nilo Cardoso Daltro 66 – Cel Vicente Deo 67 – Cel Av Milton Mauro Mallet Aleixo 68 – Cel José Roberto Marques Frazão 69 – Cel Brigido Montarroyos Leite 70 – Cel Flavio Andre Teixeira 71 – Cel Jorge Luiz Kormann 72 – Cel Aluísio Madruga de Moura e Souza 73 – Cel Aer Edno Marcolino 74 – Cel Paulo Cesar Romero Castelo Branco 75 – Cel Carlos Leger Sherman Palmer 76 – Cel Gilberto Guedes Pereira 77 – Cel Carlos da Rocha Torres 78 – Cel Paulo Soares dos Santos 79 – Cel Mário Luiz de Oliveira 80 – Cel Wilson Musco 81 – Cel Luiz Fontoura de Oliveira Reis 82 – Cel Rubens Reinaldo Santana 83 – Cel Arthur Paulino Tapajoz de Souza 84 – Cel Josimar Gonçalves Bezerra 85 – Cel Affonso Correa de Araújo 86 – Cel Era Derli Stopato da Fonseca 87 – Cel Elmio David Dansa de Franco 88 – Cel Antonio Carlos Pinheiro 89 – Cel Av Silvio Brasil Gadelha 89 – Cel Av Sílvio Barreto Viana 90 – Cel Jorge Caetano Souza do Nascimento 91 – Cel Sérgio Augusto Machado Cambraia 92 – Cel Manoel Soriano Neto 93 – Cel Nelson Roque Vaz Musa 94 – Cel Rubens Vaz da Cunha 95 – Cel Mário Muzzi 96 – Cel Luiz Caramuru Xavier 97 – Cel Av Valdir Eliseu Soldatelli 98 – CMG (FN) Guilherme Gonzaga 99 – CMG Cesar Augusto Santos Azevedo 100 – Cel José Alberto Neves Tavares da Silva 101 – Cel Pedro Figueira Santos 102 – Cel Respício Antonio do Espírito Santos 103 – Cel Av Silvio da Gama Barreto Viana 104 – Cel Djair Braga Maranhoto 105 – Cel Airton Alcântara Gomes 106 – Cel Arcanjo Miguel Vanzan 107 – CMG Francisco Heráclio Maia do Carmo 108 – Cel Ary Vieira Costa 109 – Cel Ricardo Perera de Miranda 110 – CMG Edmundo Amaral Baptista 111 – Cel Nicolau Loureiro Neto 112 – Cel AV Sérgio Ivan Pereira 113 – CMG Geraldo da Fonseca 114 – Cel Nelsimar Moura Vandelli 115 – Cel Cesar Augusto de Jesus Magalhães 116 – Cel Rogério Oliveira da Cunha 117 – Cel José Augusto de Castro Neto 118 – Cel Benedito Luiz Longhi 119 – CMG Rogério Ferreira Esteves 120 – Cel Albérico da Conceição Andrade 121 – Cel Orlando Galvão Canário 122 – Cel AV José Alfredo de Tolosa Andrade 123 – Cel Pedro Arnóbio de Medeiros 124 – Cel Sérgio dos Santos Lima 125 – Cel Cezar Nunes de Araújo 126 – Cel Ivan Fontelles 127 – Cel Paulo Soares de Souza 128 – Cel Renato Brilhante Ustra 129 – Cel Ariel Rocha de Cunto 130 – Cel Rui Pinheiro Silva 131 – Cel Milton Moraes Sarmento 132 – Cel Paulo Sérgio da Silva Maia 133 – Cel Ney de Oliveira Waszak 134 – Eliana M.Pinheiro Winckler 1 – Cibele Silveira Alves Nunes 2 – Norival Mendoniça 3 – Paulo Medina Filho 4 – Jaziva Fanstone 5 – Marcio Botelho 6 – Pedro Dalges Vences Leal 7 – Gil Macros Araújo 8 – Nivalo Georg 9 – Jefferson Rodrigue 10 – Eduardo José Wolff 11 – Gen Bda Paulo Chagas – Presidente do TERNUMA - Cel Inf Paulo Cesar Fonseca – Secretário Executivo do TERNUMA - Gen Bda Nelson Santini Júnior - Cel Inf Ronaldo do Vale Brito - Cel Inf Nilton Nunes Ramos - Dr Gustavo Groszewicz Brito – Advogado - Gen Bda Newton Mousinho de Albuquerque - Gen Bda Álvaro de Souza Pinheiro - Gen Ex JoséCarlos Leite Filho - Gen Ex Maynard Marques de Santa Rosa - Cel Inf Adonai de Ávila Camargo - Gen Bda Luiz Eduardo Rocha Paiva - Cel Inf Norton Luis Silva da Costa - Cel Inf Aluisio Madruga de Moura e Souza - Dr Francisco Ramos - Engenheiro Químico - Dr Sérgio Pegoraro - Engenheiro Civil - Cel Cav Jorge Alberto Forrer Garcia - Cel Com James Correa Caldas - Cel Art Marco Antonio Esteves Balbi - Gen Ex Armando Luiz Malan de Paiva Chaves - Cel Art Carlos Alberto Brilhante Ustra - Sra Marilia S. Pegoraro - Cel Cav José Renato Costa Hilsdorf - Sr Mário Sérgio de Oliveira - Veterano da Polícia do Exército - Cel Eng Albérico da Conceição Andrade - Gen Bda António Florêncio Silva - Gen Div Ulisses Lisboa Perazzo Lannes - Cel Inf Roberto Barbosa - Cel Eng Luiz Osório Marinho Silva - Cel Inf Cláudio Eustáquio Duarte - Cel Inf Sergio Mauricio Marques /Tu 67- Cel Inf Edson Franco Immaginario - Cel Inf Edu Caldeira Antunes - Cel Inf Marco Antônio Cunha - Cel Inf Waldir Mattos - Cel Inf Juarez Antonio da Silva - Cel IE Marco Aurélio dos Santos Amaral - Cel Inf Antônio Rodrigues da Silva Filho- Cel Inf Joaquim de Castro Junior- Cel QEM Paulo Sérgio de Carvalho Alvarenga -Cel MB Jeová Ferreira Rocha- Dr Antônio Luis Fernandes Astorga - Cad Art / Eng e Adv- Cel Ronaldo Costa Magalhães- Cel Sebastiao Celio de Aquino Almeida- Cel Int Samuel Bohler de Oliveira- Cel Inf Renato Cevenini Salvador Ramos- Cel IE Francisco Eduardo Ferreira da Silva- Cel Inf Paulo Cesar Alves Schütt- 71- Cel Eng Gilberto Machado da Rosa- Cel Cav Jones Moura do Amaral- Sd Ricardo Henrique Vitti- SR Francisco Ramos- SR Antonio Carlos da Costa Portela- Cel Luiz Ernani Caminha Giorgis- SR Alexandre Cordeiro- SR(a) Maria Cristina Beraldo Santini- SR João Rogério Bocicovar- SR Thiago Groszewicz Brito- SR Marcio Menezes Mendonça- SR(a) Salete Oliveira- Gen Sergio Pedro Coelho Lima- SR Pedro Dalgis Vences Leal- Cap Pedro Celestino Alves Tabajara- SR Fernando Dias Ramos - Gen Osmário Monteiro Zan- Cb Edison José Garrett- Cel Com Vanildo Braga Vilela - SR Italo Jose Cardoso- Cel Ariel Martim de Oliveira e Silva Junior- Professor(a) Carmelina Henriques Alves- SR Pedro Paulo Leite do Prado- Cel Com Gabriel Cruz Pires Ribeiro- Cel Walber Guerreiro Pinheiro- Cel Geraldo Pereira de Paula- Ten Cel Rene Silveira- Sr Carlos I.S. Azambuja- Gen Valmir Fonseca Azevedo Pereira- Sr Benedito Delfino da Silva Junior- Cel Auler Afonso J C- Sr Antonio Augusto Teixeira de Freitas- Sr Alberto Marzullo- Sra Érica Rosa Trindade- Sr Josenilton Ferreira- Sr Euclydes Corrêa de Souza Filho- Sr Tiago Ozolin- Sr Sergio Marcelo Dolgoruky - Dra Geórgia Las Casas- Dr Teódulo Calasans De Almeida- Sr Adilson Martins Gonçalez- Sr Roberto Asterio de Castro Guerra- Sra Grasiela Gonçalves Perez - Cel Mileno Feitosa de Araújo- Sra Bernardete de Almeida Costa- Sr Antonio Araujo Medeiros- Gen Newton Mousinho de Albuquerque- Sr Rui Mendes- Sr Doriel Locatel de Oliveira- Sra Rosana Pie- Cel Jose M Medeiros- Ten Cel Juarez Marcon- Sr Pedro Dalgis Vences Leal- Cel Aldemir Soares de Alencar- Sr Roberto Luiz da Rocha- Cel Paulo Delage- Sr Hoche Luiz Pulcherio- Cel Arlindo Souza- Profª Iara Maria Caetano Jacques- Srª Sandra Ferreira Marins- Sr Nelson Ferreira Filho- Sr Matheus Dias - Srª Maria Lucia Antunes Correa- Gen Pedro Fernando Malta- Maj George Pereira Santa Rosa- Cel QMB Aguinaldo Paulo Nascimento- Ten Cel Luis Azambuja Contreiras Rodrigues- Cel Ademar Antonio Eberl Garlipp- Sr Ricardo Arruda Labatut Rodrigues - Dr Leocádio Celso Gonçalves – Médico- Cel Alexandre E. Javoski Gama- Gen Abelardo Prisco de Souza Junior- Sr Marcos Martinelli- Sr Marco Antonio Sá- Srª Carolina Vignolo Chagas Sette- Sr Rafael Ramos Sette- Sr José Paulo Vieira Salles - Sr Marco Antonio Sávio Costa- Sr Antonio Carlos Iranlei- Profª Sheila M C Bertrand - Gen Div Gilberto Rodrigues Pimentel- Profª Luci Tavares de Ascenção- Cel Cav Raul Mario Magalhães Ribeiro- Cel Vet Cyro Floriano Rivaldo Filho- Srª Giesela Getzel - Sr Frederico Frazão- Sra Suely Rangel da Silva- Ten Cel Inf Áureo Torres de Oliveira, e demais cidadãos e cidadãs que já ratificaram o PROCEDIMENTO CONSTITUCIONAL DE REAÇÃO DE CIDADANIA contra a TIRANIA TERRORISTA COMUNISTA DE BANDIDOS, constante do PO 1300820 – 7.2.2013, perante o Colegiado Constituinte na Instituição da Presidência da República da Magistratura de Estado no Foro de Soberania, formalizado pelos PROTOCOLOS: STF 0038341, 0048211; 0038342, 01.10.2012,4182/12; MRE-DCA 17.07.2012; PGR 31056422, 13.04.2012, SF17.07.2012, ACFA 29.2.2012, PR CODIN/POT /19.02.2012; SF29.02.2012; SF17.07.2012; SF11.06.2012 STF; PGR CD PR SF; ACFA 117.419 29.02012 30.05.2012, 10.10.12; DPF/MS 08335.025373/2012-65 27.11.2012; DPF/MS 08335.005016/2013-61 28.01.2013; DPF/DF 08001.08335.0032 35/2002-5; 08001.008976/2012-74; 08001.014173/20 12-59 – COGER/DPF; 08200.008079/2013-03; 08200.008592/2013-96; DPF/CEVEL-PR 02.05.2013; MPF/MS-00000744/2014; PR-MS-00019658/2013. PR-MS-00000744/2014– 00007443/2014 - 00007787/2014 – A.D. SF 15492345 1 BR; MPE/MS-PGJ – 043779-2/2; 018742-2/2019223-2/2M; CD 006198-30.9.13; SPF 08335.006262/2014-11; PGR 00001654/2014; PGR 0007443 PR 04.09.2013; PR JG 642440674BR; STF AR-J6603237679BR; PF 08335.018120/2014-05; PGJ 022451-2/2; 022450-2/2; 018742-2/2; 019223-22/, 01237180; 151113 1403 67; 01238632-1; 10123 1355; 11988/2014, e formalizam a “escritura de inteligência” que mostra a RAZÃO DE ESTADO tipificada pela CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO na Instituição da Presidência da República, para a INTERVENÇÃO CONSTITITUINTE, na operacionalidade direta do poder e/ou, do Estado Democrático de Direito pelo art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II, III, VIII, o art. 5º caput e incs XLIII, LXXIII, §§ 2º e 3º, com o art.. 37 caput, o art. 84 inc. XIII e o art. 142 com o art. 80, da CF, que recepcionam o art. 1º com o art. 5º n. 1, o art. 10º n. 1, 2 da Convenção Americana Sobre Direitos Humanos, o art. 2º com o art. 21 n. 1 da Declaração Universal dos Direitos do Homem, a Resol. do CS/ONU n. 1.373 de 28.09.2001 e faz aplicável o art. 6º com o art. 8º da Carta Democrática Interamericana, e o art. 55 c, da Carta da ONU, pelo exercício do Decreto n. 4.388 de 25.09.2002, com a Lei n. 7.170/1983 e a 1.079 de 10.04.1950, em virtude de estarem presentes os pressupostos de legalidade, moralidade e responsabilidade, impostos pelo dever de hombridade, honradez, caráter e bom senso em que o Povo resulta em Foro de Soberania, SE DECLARA EM REAÇÃO DE CIDADANIA EM SUAS FORÇAS ARMADAS PARA INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO CON TRA TIRANIA TERRORISTA COMUNISTA DE BANDIDOS, OBJETIVANDO: 1) recuperação do Estado Democrático de Direito; 2) reencaminhamento constitucional da civilização brasileira pelos Simbo los, Valores, História e Tradição que a identificam no meio ambiente existencial que disso se deflagra na dinâmica dos interesses empreendida pela livre iniciativa pelos trilhos da competição e concorrência; 3) restauração da unidade da nação pelo trabalho em canteiro de obras de onstrução da Pátria pela democracia pluralista e rotativa que a Consti- tuição institui. A qual deverá ser feita por EXECUÇÃO DA CONSTITUIÇÃO através de denúncia do Colegiado Constituinte na Instituição da Presidência da República da Magistratura de Estado no Foro de Soberania, ao Congresso Nacional, para que, no prazo de 48 hs a contar da hora de protocolização da denúncia, reconheça vago o cargo de Presidente da República em virtude de nenhum dos titulares no art. 80 da Constituição preencher os pressupostos constitucionais das patentes eleitorais de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, e no prazo do art. 78 Parág. único da Constituição, dê posse ao titular constitucional dentre os seis Comandantes Superiores e Chefes de Estado-Maior da Armada, Exército e Aeronáutica que for indicado; sob pena de não o fazendo, o Colegiado Constituinte na Instituição da Presidência da República da Magistratura de Estado em Foro de Soberania o fazer, com a posse do respectivo titular dada pelo próprio Poder Executivo. A CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO que se opera por rompimento do poder civil com o poder militar no mandato de Presidente da República dá emersão ao Povo nas Forças Armadas em poder constituinte no Estado Democrático de Direito, que o transforma em FORO DE SOBERANIA, absorvendo os poderes constitucionais e a estrutura infraconstitucional do Regime. Porquanto, o Povo passa a exercer o poder diretamente e assim, se reinveste da outorga mandatária pelas urnas, tornando vagas as patentes mandatárias de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, e impondo a consequente titularidade constituinte que resulta a quem sobra na respectiva investidura. De modo que o cargo de Presidente da República resulta vago imediatamente à ocorrência de ruptura na FUSÃO DO VOTO COM A BALA no Mandato de Presidente da República. Mas, como os efetivos das Forças Armadas são desprovidos de cidadania no art. 14 §§ 2º e 8º incs. I,II, com o art. 142 inc. V, da Constituição, o Foro de Soberania tem de ser instalado por reação de cidadania do Povo em qualquer dos seus cidadãos, pelo art. 1º incs. I,II e Parág único com o art. 4º incs. II, III e o art. 84 inc. XIII com o art. 142 e o art. 80 da Constituição, perante os poderes constitucional. Como foi procedido pelos eventos invocatórios constantes dos protocolos retro mencionados; todos homologados por reconhecimentos tácitos e expressos dos poderes e instituições invocadas, sobre o que neles se contém. E resultou identificado o envolvimento dos políticos, da vadiagem e da força de trabalho operária na FARRA DO PT NO PODER, escondendo a construção da TIRANIA TERRORISTA COMUNISTA FUNDAMENTALISTA DE BANDIDOS, integrada por Brasil, Cuba, Venezuela, Haiti, Peru, Colômbia, Bolívia, Argentina, Uruguai, Angola, Coreia do Norte, Síria, Hamas, Al Qaeda, China e Rússia, com o Brasil submetido a um governo multinacional liderado por Fidel Castro, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Vana Rousseff, por Havana, Palácio do Planalto, Foro de São Paulo e Instituto Lula; assentado sobre o crime organizado no governo, operado por gangues políticas e gerido por corporações quadrilheiras, com suas forças de campo na CUT, CGT, MST, IBAMA, FUNAI, INCRA, CV, PCC. Por onde a democracia foi transformada em regime prisional, com o povo sequestrado em seus lares e locais de trabalho, sob o terrorismo do medo, insegurança pública, insegurança jurídica, insegurança econômica e insegurança nacional; sofrendo o saqueamento do País; guerra civil terrorista marginal; apodrecimento moral da civilização brasileira; destruição da família; desintegração da nação; destruição da Pátria e demolição da Economia. Com o País falido, sendo movido por falcatruas contábeis, estelionato estatístico, renúncias fiscais, estelionato de consumo, estelionato de preços públicos e emissões de moeda fria. Os ATOS TERRORISTAS, que assim se tipificam por aniquilarem o Estado Democrático de Direito, desde os que consolidam a subversão comunista terrorista no poder por pleitos inconstitucionais, até o Decreto n. 8.243 de23.05.2014 que extingue a Constituição da República e cria impositivamente um ESTADO CORPORATIVO ANÁRQUICO, identificam a TIRANIA TERRORISTA COMUNISTA FUNDAMENTALISTA DE BANDIDOS, que, somada com o desprovimento de: padrão moral instituído no art. 1º inc. IIII com o art. 5º incs. X, LXXIII, art. 37 caput, art. 55 inc. II, art. 52 incs. I,II com o art. 101 e o art. 85 inc. V da CF; o padrão de cátedra instituindo no art. 1º incs. II,III com o art. 3º inc. II, o art. 5º inc. X, e o art. 205 caput com o art. 208 inc. I, da CF; e o padrão cívico instituido no art. 1º inc. II, III, V, com o art. 17, o art. 14 § 1º incs. I, II, a/c, art. 27 § 1º, art. 29 incs I, II, art. 44, art. 46, art. 77 § 1º e o art. 82, com o art. 84 inc. XIII e o art. 142 com o art. 80 da CF, no desempenho de vida pública e de governo de Vossa Senhora, somados com a sua vida pregressa numa ficha criminal registrando que: no dia 6.10.1968 assaltou o Banespa; no dia 12.10.1968 Planejou assassinato do Cap. Charles Chandler; no dia 11.12.1968 assaltou a Casa de Armas Diana; no dia 24.1.1969 assaltou o 4º RI Quintauma; no dia 18.1.1969 assaltou a casado do governador Adhemar de Barros. No dia 1º.08.1968 assaltou o Banco Mercantil de São Paulo; no dia 20.09.1969, assaltou o Quartel da Forças Pública Barro Branco. Depois disso virou sacoleira em Porto Alegre onde fundou o PDT pelo qual ingressou no Governo Municipal e desse ao Governo Estadual. De onde se integrou ao PT com o Lula, e desde então, é responsável pelo saqueamento da Petrobras da 4ª maior empresa do mundo que ela era em 2003 quando Vossa Senhoria começou administrá-la, para a 120ª que é hoje; e do saqueamento do Brasil que era a 11ª economia do mundo em 2003, com uma dívida pública interna de R$ 486 bilhões e hoje é um País falido com essa dívida pública em R$ 2,8 trilhões e a economia recuada à década de 1950, fazem Vossa Senhoria desprovida dos pressupostos constitucionais para envergar as patentes eleitorais de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas. Porquanto estas, sendo a fachada do Povo brasileiro nas patentes eleitorais de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, não podem ser modelo do que a civilização brasileira tenha de pior, em ínfima minoria penal, mas sim, do que ela é em sua maioria democrática absoluta de 80.041.804 constituintes que não reconhecem Vossa Senhoria com qualificações para representá-lo. Resultando a ruptura no Mandato de Presidente da República instalada pelo: 1) desempenho subversivo e terrorista de governo de Vossa Senhoria; 2) pelo absoluto desprovimento moral, cultural e cívico de Vossa Senhoria; 3) pela índole perversa desmerecedora da anistia estendida pela nação, que Vossa Senhoria renunciou no poder, para restabelecer o status quo ante da Revolução de 1964, para se declarar vencedora em sua ficha criminal, e a nação vencida para sofrer em suas Forças Armadas, em seus soldados vivos e mortos, como infame, as condenações perpetuas de execração moral e esquartejamento de personalidade. Mas que, também recuperou a punibilidade de Vossa Senhoria, que tem de iniciar com o expurgo do comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, que vitima o povo brasileiro em sua respeitabilidade histórica de hombridade, honradez, caráter e fraternidade nacional pela Lei e a Ordem. E tão efêmera resulta a CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO que impõe a REAÇÃO DE CIADADANIA DA NAÇÃO em Foro de Soberania, que a nação está constitucionalmente impedida de cultivar os sinais de respeito da educação humana com Vossa Senhoria, porque, se lhe chamasse de Excelência, estaria cultuando a índole perversa e a conduta imputável. E o efeito disto, o Mundo testemunhou na abertura da Copa da Fifa, quando a nação, por volumosa representação no respetivo estádio, confirmou a sua posição nas eleições de 2.010, repetida nas eleições de 2.012 e com sua manifestação na praça pública no dia 17.07.2013, mandando Vossa Senhoria “tomar no cu.” Bem ao nível da sua ficha criminal e do seu desempenho de governo. O que prova que Vossa Senhoria é do tipo “marginal incorrigível;” determinada perigosamente em seus objetivos terroristas, largamente empreendidos no poder. Porquanto, se pudor alicerçasse a sua suscetibilidade, Vossa Senhoria teria renunciado ao cargo naquele mesmo dia. Mas, também nem teria se constituído em recuperação do desafio terrorista de 1964, que a nação apenas conteve, e por isto, já mereceria uma conduta de contrição de Vossa Senhoria. Então, Vossa Senhoria estando desprovida historicamente, por uma ficha criminal e conduta que prova a sua índole perversa avessa à recuperação moral, e que fere mortalmente a honra do Povo brasileiro em suas Forças Armadas, em seus Símbolos, em seus Valores, em sua História e em suas Tradições, o POVO BRASILEIRO EM REAÇÃO DE CIDADANIA EM SUAS FORÇAS ARMADAS NO FORO DE SOBERANIA, RECONHECE VAGAS AS PATENTES DE COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADAS NO MANDATO DE PRESIDENTE DA REPÚBLICA; E SE DECLARA INVESTIDO NELAS POR FORÇA DO EXERCÍCIO DIRETO DO PODER, CONSTITUINTE, QUE IMPLICA NA SUSPENSÃO DO PODER INDIRETO, CONSTITUCIONAL, EXERCIDO POR VOSSA SENHORIA. E, em razão disto, o Povo brasileiro se reconhece ultrajado em toda a gradação do art. 80 da Constituição da República, por nenhum dos substitutos constitucionais ali instituídos incorporar o padrão moral, padrão cultural e padrão cívico exigidos pelo Estado Democrático de Direito para a investidura de Magistrado de Estado. E qualquer ato ou atitude de Vossa Senhoria ou na eventualidade de substituição dentro dessa gradação, de qualquer deles, sobre Comandantes, Chefes de Estado-Maior ou de qualquer posto em toda a hierarquia das Forças Armadas, configurará AÇÃO TERRORISTA de parte de Vossa Senhoria, passível de consequencias. O Povo brasileiro não aceita também, qualquer substituição de comandos, ou remanejamentos. O representante constitucional do Povo brasileiro em suas Forças Armadas, perante os poderes constitucionais, instituições e foros internacionais onde o Brasil deva soberania solidária em sua Constituição e tratados internacionais assentados nela, é o cidadão celio evangelista ferreira, subscritor da presente, com endereço operacional de cidadania no Quartel General do Exército – SMU – Brasília/DF. Por imposição do art. 1º inc. I, com o art. 14 §§ 2º, 8º incs. I,II e o art. 142 inc. V da CF, o Povo brasileiro não reconhece prerrogativas políticas aos efetivos das Forças Armadas, além da investidura constituinte de comando supremo e autoridade suprema na Instituição da Presidência da República, por vaga insuprível na gradação do art. 80 da CF. Em razão do que, se houvesse comandante que invocasse fidelidade a Vossa Senhoria por motivo de patentes ou prerrogativas conferidas por Vossa Senhora em razão do mandato, incidiria em conspiração terrorista contra o Estado Democrático de Direito. Pois que, absorvido o Estado no Foro de Soberania, cessa a Ordem Jurídica infraconstitucional, em sede de Processo Histórico, que resulta com todo o seu composto institucional regido unicamente pela Constituição da República. Por execução do art. 1º incs. I,II, V, e Parág. único com o art. 14 §§ 2º,8º incs. I,II, e o art. 142 inc. V da CF, as Forças Armadas no Povo aniquilado no Estado Democrático de Direito pelo pleito eleitoral subversivo terrorista, no art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II,III,V, o art. 5º incs. XLIII, LXXIII, art. 37 caput, art. 14 § 1º inc. I, art. 17 inc. I, ER. 27 § 1º, art. 28, art. 29 incs. I,II, art. 44, art. 46, art. 77 § 1º e art, 82 da CF, que o inquinam de inconstitucionalidade, não estão em campanha eleitoral, não garantem a realização do sufrágio e nem posse aos eventuais eleitos, se estiverem desprovidos de padrão moral, padrão cultural e padrão cívico para a Magistratura de Estado. Pois que, se assim o fizessem, estariam reconhecendo a extinção do Estado Democrático de Direito, por ausência de eficácia da Constituição da República, e consolidando a TIRANIA TERRORISTA COMUNISTA FUNDAMENTALISTA DE BANDIDOS que saqueia o País, massacra a Nação e destrói a Pátria. O pleito eleitoral instaurado inquina-se de inviabilidade constitucional em todos os seus pressupostos constitucionais. Dentre eles, ressalta a sua natureza marginal agressiva da nação, tipificada pelo princípio da isonomia que impõe a reciprocidade em todas as esferas da civilização brasileira. E assim, a agressão principia com a transformação do pluralismo político em “coligações quadrilheiras” formadas para a disputa do País como despojo das urnas para ser redistribuído entre as respectiva gangues políticas, pelas “bases parlamentares,” e “governos participativos.” E se acentua com a imposição de indivíduos de vida suja, que transformam o contraditório eleitoral em estrebuchamento mútuo de marginalidades, cafajestismo e desqualificações de toda a ordem, para resultarem justificados no saqueamento do Pais. Vez que, sendo sagrados por mandatos, resulta o povo identificado pelo banditismo que eles discutiram a fundo na campanha eleitoral. Pois, ao dever constitucional de votar, corresponde ao Estado o dever constitucional de oferecer pleito legítimo, identificado pelo pluralismo político e a renovação dos poderes, com candidatos que sejam a encarnação em si, do padrão moral instituído no art. 1º inc. IIII com o art. 5º incs. X, LXXIII, art. 37 caput, art. 55 inc. II, art. 52 incs. I,II com o art. 101 e o art. 85 inc. V da CF; o padrão de cátedra instituindo no art. 1º incs. II,III com o art. 3º inc. II, o art. 5º inc. X, e o art. 205 caput com o art. 208 inc. I, da CF; e o padrão cívico instituido no art. 1º inc. II, III, V, com o art. 17, o art. 14 § 1º incs. I, II, a/c, art. 27 § 1º, art. 29 incs I, II, art. 44, art. 46, art. 77 § 1º e o art. 82, com o art. 84 inc. XIII e o art. 142 com o art. 80 da CF. Face ao que, o pleito eleitoral instalado tipifica-se um ESTELIONATO POLÍTICO executado por SUBVERSÃO TERRORISTA. E isto impõe, de imediato, INTERVENÇÃO CONSTITUINTE no Processo Histórico. O Povo em reação de cidadania em Foro de Soberania nas Forças Armadas, é titular originário pelo exercício direto do poder, das patentes mandatárias de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas. E nessa situação constitucional o cidadão que representa constitucionalmente a nação, encara os poderes constitucionais e as instituições perante as quais a reação de cidadania do Povo, promova a INTERVENÇÃO CONSTITUINTE no Processo Histórico. Pois, o Povo em reação de cidadania em Foro de Soberania nas Forças Armadas, é estas e estas são o povo. E então, o Povo fala pelas Forças Armadas e estas SÃO A SEGURANÇA CONSTITUCIONAL DO POVO. R E Q U E R I M E N T O. Nos fundamentos expostos, o Povo em suas Forças Armadas em Foro de Soberania, requer ao Poder Executivo sob serventia efêmera de Vossa Senhoria, seja atendido o presente, sob as consequências constitucionais respectivas. Quartel General do Exército – SMU – Brasília/DF. 19 de agosto de 2.014 celio evangelilsta ferreira na representação constitucional do Povo em suas Forças Armadas celio evangelista ferreira pelos demais que o acompanham na representação constitucional do Povo em suas Forças Armadas. NOTIFICAÇÕES: Ao Congresso Nacional Poder Judiciário Ministério Público em grau de federação. Embaixadas Em se tratando de PRONUNCIAMENTO DO POVO é naturalmente Çpúblico ao Mundo.
  • PPP para duplicação da PR-323 é aprovada pelo setor produtivo
    18/11/2013 18:27 Lideranças empresariais do setor produtivo paranaense que integram o grupo conhecido como G7 aprovaram a proposta de duplicação dos 219,9 quilômetros da PR-323, entre Maringá e Francisco Alves, Noroeste do Estado, por meio de uma Parceria P...

    PPP para duplicação da PR-323 é aprovada pelo setor produtivo | Folha de São Jorge do Patrocinio
    Lideranças empresariais do setor produtivo paranaense que integram o grupo conhecido como G7 aprovaram a proposta de duplicação dos 219,9 quilômetros da PR-323, entre Maringá e Francisco Alves, Noroeste do Estado, por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP).



  • Roberto Souza Rodney compartilhou uma atualização de status de Celio Evangellista.
    Celio Evangellista.
    SENHORA DILMA VANA ROUSSEFF, PRESIDENTE DE 55.725.529 BRASILEIROS. PELA PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA PROTOCOLO: PR/MS-00015405/2014 – 21,08.2014 14:55:33 Horário de Brasilia O POVO BRASILEIRO formado pela tríade jurídica originária: Nação-Território-Soberania, autoproclamado no Preâmbulo da Constituição em Poder Constituinte, pelo qual se institui em Estado Democrático de Direito, no art. 1º caput e incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II, III da Constituição, e se constituí em Ente Político de civilização distribuído em organização federativa pela mesma, através das Constituições Estaduais e Leis Orgânicas Municipais; sediado na Instituição da Presidência da República da Magistratura de Estado em Foro de Soberania; onde se bifurca pela cidadania em: a) poder civil constitucional, mandatário, transitório indireto, formado dos partidos políticos no art. 1º incs. II,V e Parág. único, com o art. 14 incs. e §§ e art. 17 incs. e §§, art. 27 § 1º, art. 28, art. 29 inc. II, art. 46 e o art. 76, da Constituição, no Colegiado Mandatário composto do Presidente e Vice-Presidente da República, Presidente da Câmara dos Deputados, Presidente do Senado federal e Presidente do STF; b) poder militar constituinte, permanente direto, formado das patentes eleitorais de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, no art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II,III, o art. 84 incs. XIII e o art. 142 com o art. 80 da Constituição, no Colegiado Constituinte, composto dos Comandantes Superiores e Chefes de Estados-Maiores da Armada, Exército e Aeronáutica. Com a sua sede constitucional no Palácio do Planalto, Praça dos Três Poderes, Brasília/DF. Aqui representado constitucionalmente pelo cidadão Celio Evangelista Ferreira, brasileiro, casado, com título de cidadania instituído no art. 14 § 1º, inc. II da Constituição e inscrição eleitoral 0038.4759.0647-Brasília/DF; com endereço operacional de cidadania no Quartel General do Exército – SMU – Brasília/DF, acompanhado de: 1) Gal. de Ex. Pedro Luiz de Araujo Braga; 2 – Gen Ex Angelo Baratta Filho; 3- Gen Ex Luiz Guilherme de Freitas Coutinho 4 – Gen Ex José Carlos Leite Filho 5 – Gen Ex Domingos Miguel Antônio Gazzineo 6 – Gen Ex José Luis Lopes da Silva 7 – Gen Ex Luiz De Góis Nogueira Filho 8 – Gen Ex Valdésio Guilherme de Figueiredo 9 – Gen Ex Gilberto Barbosa de Figueiredo 10 – Gen Ex Luiz Edmundo Maia de Carvalho 11 – Gen Ex Antônio Araújo de Medeiros – 12 Tem. Brig. Ar (Refm) Ivan Frota 13 – Gen Ex Domingos Carlos Campos Curado 14 – Gen Ex Ivan de Mendonça Bastos 15 – Gen Ex Rui Alves Catão 16 – Desembargador do Tribunal de Justiça/RJ Bernardo Moreira Garcez Neto 17 – Gen Ex Cláudio Barbosa de Figueiredo 18- Gen Ex Carlos Alberto Pinto Silva 19 – Gen Ex Luiz Cesário da Silveira Filho 20 – Gen Ex Maynard Marques de Santa Rosa. 1- Gen Div Francisco Batista Torres de Melo 2 – Gen Div Amaury Sá Freire de Lima 3 – Gen Div Leone da Silveira Lee 4 – Gen Div Cássio Rodrigues da Cunha 5 – Gen Div Aloísio Rodrigues dos Santos 6 – Gen Div Robero Viana Maciel dos Santos Lista completa, 7 – Gen Div Marcio Rosendo de Melo 8 – Gen Div Luiz Carlos Minussi 9 – Gen Div Gilberto Rodrigues Pimentel 10 – Gen Div Ulisses Lisboa Perazzo Lannes 11 – Gen Div Luiz Wilson Marques Daudt 12 – Maj Brig Ar Edilberto Telles Shirotheau Corrêa 13 – Maj- Brig do Ar Cezar Ney Britto de Mello 14 – Maj Brig Ar Irineu Rodrigues Neto 15 – Maj Brig Ademir Siqueira Viana 16 – Ge n Div Clóvis Puper Bandeira 17 – Gen Div Roberto Schifer Bernadi. 18- Gen Div Remy de Almeida Escalante 19 – Gen Div Sérgio Ruschell Berganaschi 20 – Gen Div Sérgio Pedro Coelho Lima. 1- Gen Bda Rui Leal Campello – Detentor do Bastão da FEB 2 – Brig Ar Leci Oliveira Peres 3 – Gen Bda Dickens Ferraz 4 – Gen Bda Paulo Ricardo Naumann 5 – Gen Bda Gilberto Serra 6 – Gen Bda Aricildes de Moraes Motta 7 – Gen Bda Durval A. M. P. de Andrade Nery 8 – Gen Bda Carlos Augusto Fernandes dos Santos 9 – Gen Bda Miguel Monori Filho 10 – Gen Bda Iberê Mariano da Silva 11 – Gen Bda Eduardo Cunha da Cunha 12 – Gen Bda Tirteu Frota 13 – Gen Bda César Augusto Nicodemus de Souza 14 – Gen Bda Geraldo Luiz Nery da Silva 15 – Gen Bda Marco Antonio Felício da Silva 16 – Gen Bda Newton Mousinho de Albuquerque 17 – Gen Bda Paulo César Lima de Siqueira 18 – Gen Bda Marco Antonio Tilscher Saraiva 19 – Gen Bda Manoel Theóphilo Gaspar de Oliveira 20 – Gen Bda Hamilton Bonat 21 – Gen Bda Elieser Girão Monteiro 22 – Gen Bda Pedro Fernando Malta 23 – Gen Bda Mauro Patrício Barroso 24 – Gen Bda Marcos Miranda Guimarães 25 – Gen Bda Zamir Meis Veloso 26 – Gen Bda Valmir Fonseca Azevedo 27 – Gen Bda Marco Antônio Sávio Costa 28 – Brig.Ar Sérgio Luiz Millon 29 – Gen Bda Carlos Eduardo Jansen 30 – Gen Bda Mario Monteiro Muzzi 31 – Gen Bda Paulo Roberto Correa Assis 32- Gen Bda Iram Carvalho 33 – Brig Ar Danilo Paiva Alvares 34- Gen Bda Jos´e Alberto Leal 35 – Gen Bda José Luiz Gameiro Sarahyba 36 – Gen Brig Ar – Guido de Resende Souza 37 – Gen Bda Sady Guilherme Schmidt 38 – Contra- Alm Med Luiz Roberto Matias Dias. Oficiais Superiores 1- Cel Jarbas Gonçalves Passarinho 2 – Cel Carlos de Souza Scheliga 3 – Cel Carlos Alberto Brilhante Ustra 4 – Cel Ronaldo Pêcego de Morais Coutinho 5 – Capitão-de-Mar-e-Guerra Joannis Cristino Roidis 6 – Cel Celso Seixas Marques Ferreira 7 – Cel Pedro Moezia de Lima 8 – Cel Cláudio Miguez 9 – Cel Yvo Salvany 10 – Cel Ernesto Caruso 11 – Cel Juvêncio Saldanha Lemos 12 – Cel Paulo Ricardo Paiva 13 – Cel Raul Borges 14 – Cel Rubens Del Nero 15 – Cel Ronaldo Pimenta Carvalho 16 – Cel Jarbas Guimarães Pontes 17 – Cel Miguel Netto Armando 18 – Cel Florimar Ferreira Coutinho 19 – Cel Av Julio Cesar de Oliveira Medeiros 20 – Cel.Av.Luís Mauro Ferreira Gomes 21 – Cel Carlos Rodolfo Bopp 22 – Cel Nilton Correa Lampert 23 – Cel Horacio de Godoy 24 – Cel Manuel Joaquim de Araujo Goes 25 – Cel Luiz Veríssimo de Castro 26 – Cel Sergio Marinho de Carvalho 27 – Cel Antenor dos Santos Oliveira 28 – Cel Josã de Mattos Medeiros 29 – Cel Mario Monteiro Campos 30 – Cel Armando Binari Wyatt 31 – Cel Antonio Osvaldo Silvano 32 – Cel Alédio P. Fernandes 33 – Cel Francisco Zacarias 34 – Cel Paulo Baciuk 35 – Cel Julio da Cunha Fournier 36 – Cel Arnaldo N. Fleury Curado 37 – Cel Walter de Campos 38 – Cel Silvério Mendes 39 – Cel Luiz Carvalho Silva 40 – Cel Reynaldo De Biasi Silva Rocha 41 – Cel Wadir Abbês 42 – Cel Flavio Bisch Fabres 43 – Cel Flavio Acauan Souto 44 – Cel Luiz Carlos Fortes Bustamante Sá 45 – Cel Plotino Ladeira da Matta 46 – Cel Jacob Cesar Ribas Filho 47 – Cel Murilo Silva de Souza 48 – Cel Gilson Fernandes 49 – Cel José Leopoldino e Silva 50 – Cel Pedro Carlos Pires de Camargo 51 – Cel Antonio Medina Filho 52 – Cel José Eymard Bonfim Borges 53 – Cel Dirceu Wolmann Junior 54 – Cel Sérgio Lobo Rodrigues 55 – Cel Jones Amaral 56 – Cel Moacyr Mansur de Carvalho 57 – Cel Waine Canto 58 – Cel Moacyr Guimarães de Oliveira 59 – Cel Paulo Carvalho Espindola 60 – Cel Nelson Henrique Bonança de Almeida 61 – Cel Roberto Fonseca 62 – Cel Jose Antonio Barbosa 63 – Cel Jomar Mendonça 64 – Cel Carlos Sergio Maia Mondaini 65 – Cel Nilo Cardoso Daltro 66 – Cel Vicente Deo 67 – Cel Av Milton Mauro Mallet Aleixo 68 – Cel José Roberto Marques Frazão 69 – Cel Brigido Montarroyos Leite 70 – Cel Flavio Andre Teixeira 71 – Cel Jorge Luiz Kormann 72 – Cel Aluísio Madruga de Moura e Souza 73 – Cel Aer Edno Marcolino 74 – Cel Paulo Cesar Romero Castelo Branco 75 – Cel Carlos Leger Sherman Palmer 76 – Cel Gilberto Guedes Pereira 77 – Cel Carlos da Rocha Torres 78 – Cel Paulo Soares dos Santos 79 – Cel Mário Luiz de Oliveira 80 – Cel Wilson Musco 81 – Cel Luiz Fontoura de Oliveira Reis 82 – Cel Rubens Reinaldo Santana 83 – Cel Arthur Paulino Tapajoz de Souza 84 – Cel Josimar Gonçalves Bezerra 85 – Cel Affonso Correa de Araújo 86 – Cel Era Derli Stopato da Fonseca 87 – Cel Elmio David Dansa de Franco 88 – Cel Antonio Carlos Pinheiro 89 – Cel Av Silvio Brasil Gadelha 89 – Cel Av Sílvio Barreto Viana 90 – Cel Jorge Caetano Souza do Nascimento 91 – Cel Sérgio Augusto Machado Cambraia 92 – Cel Manoel Soriano Neto 93 – Cel Nelson Roque Vaz Musa 94 – Cel Rubens Vaz da Cunha 95 – Cel Mário Muzzi 96 – Cel Luiz Caramuru Xavier 97 – Cel Av Valdir Eliseu Soldatelli 98 – CMG (FN) Guilherme Gonzaga 99 – CMG Cesar Augusto Santos Azevedo 100 – Cel José Alberto Neves Tavares da Silva 101 – Cel Pedro Figueira Santos 102 – Cel Respício Antonio do Espírito Santos 103 – Cel Av Silvio da Gama Barreto Viana 104 – Cel Djair Braga Maranhoto 105 – Cel Airton Alcântara Gomes 106 – Cel Arcanjo Miguel Vanzan 107 – CMG Francisco Heráclio Maia do Carmo 108 – Cel Ary Vieira Costa 109 – Cel Ricardo Perera de Miranda 110 – CMG Edmundo Amaral Baptista 111 – Cel Nicolau Loureiro Neto 112 – Cel AV Sérgio Ivan Pereira 113 – CMG Geraldo da Fonseca 114 – Cel Nelsimar Moura Vandelli 115 – Cel Cesar Augusto de Jesus Magalhães 116 – Cel Rogério Oliveira da Cunha 117 – Cel José Augusto de Castro Neto 118 – Cel Benedito Luiz Longhi 119 – CMG Rogério Ferreira Esteves 120 – Cel Albérico da Conceição Andrade 121 – Cel Orlando Galvão Canário 122 – Cel AV José Alfredo de Tolosa Andrade 123 – Cel Pedro Arnóbio de Medeiros 124 – Cel Sérgio dos Santos Lima 125 – Cel Cezar Nunes de Araújo 126 – Cel Ivan Fontelles 127 – Cel Paulo Soares de Souza 128 – Cel Renato Brilhante Ustra 129 – Cel Ariel Rocha de Cunto 130 – Cel Rui Pinheiro Silva 131 – Cel Milton Moraes Sarmento 132 – Cel Paulo Sérgio da Silva Maia 133 – Cel Ney de Oliveira Waszak 134 – Eliana M.Pinheiro Winckler 1 – Cibele Silveira Alves Nunes 2 – Norival Mendoniça 3 – Paulo Medina Filho 4 – Jaziva Fanstone 5 – Marcio Botelho 6 – Pedro Dalges Vences Leal 7 – Gil Macros Araújo 8 – Nivalo Georg 9 – Jefferson Rodrigue 10 – Eduardo José Wolff 11 – Gen Bda Paulo Chagas – Presidente do TERNUMA - Cel Inf Paulo Cesar Fonseca – Secretário Executivo do TERNUMA - Gen Bda Nelson Santini Júnior - Cel Inf Ronaldo do Vale Brito - Cel Inf Nilton Nunes Ramos - Dr Gustavo Groszewicz Brito – Advogado - Gen Bda Newton Mousinho de Albuquerque - Gen Bda Álvaro de Souza Pinheiro - Gen Ex JoséCarlos Leite Filho - Gen Ex Maynard Marques de Santa Rosa - Cel Inf Adonai de Ávila Camargo - Gen Bda Luiz Eduardo Rocha Paiva - Cel Inf Norton Luis Silva da Costa - Cel Inf Aluisio Madruga de Moura e Souza - Dr Francisco Ramos - Engenheiro Químico - Dr Sérgio Pegoraro - Engenheiro Civil - Cel Cav Jorge Alberto Forrer Garcia - Cel Com James Correa Caldas - Cel Art Marco Antonio Esteves Balbi - Gen Ex Armando Luiz Malan de Paiva Chaves - Cel Art Carlos Alberto Brilhante Ustra - Sra Marilia S. Pegoraro - Cel Cav José Renato Costa Hilsdorf - Sr Mário Sérgio de Oliveira - Veterano da Polícia do Exército - Cel Eng Albérico da Conceição Andrade - Gen Bda António Florêncio Silva - Gen Div Ulisses Lisboa Perazzo Lannes - Cel Inf Roberto Barbosa - Cel Eng Luiz Osório Marinho Silva - Cel Inf Cláudio Eustáquio Duarte - Cel Inf Sergio Mauricio Marques /Tu 67- Cel Inf Edson Franco Immaginario - Cel Inf Edu Caldeira Antunes - Cel Inf Marco Antônio Cunha - Cel Inf Waldir Mattos - Cel Inf Juarez Antonio da Silva - Cel IE Marco Aurélio dos Santos Amaral - Cel Inf Antônio Rodrigues da Silva Filho- Cel Inf Joaquim de Castro Junior- Cel QEM Paulo Sérgio de Carvalho Alvarenga -Cel MB Jeová Ferreira Rocha- Dr Antônio Luis Fernandes Astorga - Cad Art / Eng e Adv- Cel Ronaldo Costa Magalhães- Cel Sebastiao Celio de Aquino Almeida- Cel Int Samuel Bohler de Oliveira- Cel Inf Renato Cevenini Salvador Ramos- Cel IE Francisco Eduardo Ferreira da Silva- Cel Inf Paulo Cesar Alves Schütt- 71- Cel Eng Gilberto Machado da Rosa- Cel Cav Jones Moura do Amaral- Sd Ricardo Henrique Vitti- SR Francisco Ramos- SR Antonio Carlos da Costa Portela- Cel Luiz Ernani Caminha Giorgis- SR Alexandre Cordeiro- SR(a) Maria Cristina Beraldo Santini- SR João Rogério Bocicovar- SR Thiago Groszewicz Brito- SR Marcio Menezes Mendonça- SR(a) Salete Oliveira- Gen Sergio Pedro Coelho Lima- SR Pedro Dalgis Vences Leal- Cap Pedro Celestino Alves Tabajara- SR Fernando Dias Ramos - Gen Osmário Monteiro Zan- Cb Edison José Garrett- Cel Com Vanildo Braga Vilela - SR Italo Jose Cardoso- Cel Ariel Martim de Oliveira e Silva Junior- Professor(a) Carmelina Henriques Alves- SR Pedro Paulo Leite do Prado- Cel Com Gabriel Cruz Pires Ribeiro- Cel Walber Guerreiro Pinheiro- Cel Geraldo Pereira de Paula- Ten Cel Rene Silveira- Sr Carlos I.S. Azambuja- Gen Valmir Fonseca Azevedo Pereira- Sr Benedito Delfino da Silva Junior- Cel Auler Afonso J C- Sr Antonio Augusto Teixeira de Freitas- Sr Alberto Marzullo- Sra Érica Rosa Trindade- Sr Josenilton Ferreira- Sr Euclydes Corrêa de Souza Filho- Sr Tiago Ozolin- Sr Sergio Marcelo Dolgoruky - Dra Geórgia Las Casas- Dr Teódulo Calasans De Almeida- Sr Adilson Martins Gonçalez- Sr Roberto Asterio de Castro Guerra- Sra Grasiela Gonçalves Perez - Cel Mileno Feitosa de Araújo- Sra Bernardete de Almeida Costa- Sr Antonio Araujo Medeiros- Gen Newton Mousinho de Albuquerque- Sr Rui Mendes- Sr Doriel Locatel de Oliveira- Sra Rosana Pie- Cel Jose M Medeiros- Ten Cel Juarez Marcon- Sr Pedro Dalgis Vences Leal- Cel Aldemir Soares de Alencar- Sr Roberto Luiz da Rocha- Cel Paulo Delage- Sr Hoche Luiz Pulcherio- Cel Arlindo Souza- Profª Iara Maria Caetano Jacques- Srª Sandra Ferreira Marins- Sr Nelson Ferreira Filho- Sr Matheus Dias - Srª Maria Lucia Antunes Correa- Gen Pedro Fernando Malta- Maj George Pereira Santa Rosa- Cel QMB Aguinaldo Paulo Nascimento- Ten Cel Luis Azambuja Contreiras Rodrigues- Cel Ademar Antonio Eberl Garlipp- Sr Ricardo Arruda Labatut Rodrigues - Dr Leocádio Celso Gonçalves – Médico- Cel Alexandre E. Javoski Gama- Gen Abelardo Prisco de Souza Junior- Sr Marcos Martinelli- Sr Marco Antonio Sá- Srª Carolina Vignolo Chagas Sette- Sr Rafael Ramos Sette- Sr José Paulo Vieira Salles - Sr Marco Antonio Sávio Costa- Sr Antonio Carlos Iranlei- Profª Sheila M C Bertrand - Gen Div Gilberto Rodrigues Pimentel- Profª Luci Tavares de Ascenção- Cel Cav Raul Mario Magalhães Ribeiro- Cel Vet Cyro Floriano Rivaldo Filho- Srª Giesela Getzel - Sr Frederico Frazão- Sra Suely Rangel da Silva- Ten Cel Inf Áureo Torres de Oliveira, e demais cidadãos e cidadãs que já ratificaram o PROCEDIMENTO CONSTITUCIONAL DE REAÇÃO DE CIDADANIA contra a TIRANIA TERRORISTA COMUNISTA DE BANDIDOS, constante do PO 1300820 – 7.2.2013, perante o Colegiado Constituinte na Instituição da Presidência da República da Magistratura de Estado no Foro de Soberania, formalizado pelos PROTOCOLOS: STF 0038341, 0048211; 0038342, 01.10.2012,4182/12; MRE-DCA 17.07.2012; PGR 31056422, 13.04.2012, SF17.07.2012, ACFA 29.2.2012, PR CODIN/POT /19.02.2012; SF29.02.2012; SF17.07.2012; SF11.06.2012 STF; PGR CD PR SF; ACFA 117.419 29.02012 30.05.2012, 10.10.12; DPF/MS 08335.025373/2012-65 27.11.2012; DPF/MS 08335.005016/2013-61 28.01.2013; DPF/DF 08001.08335.0032 35/2002-5; 08001.008976/2012-74; 08001.014173/20 12-59 – COGER/DPF; 08200.008079/2013-03; 08200.008592/2013-96; DPF/CEVEL-PR 02.05.2013; MPF/MS-00000744/2014; PR-MS-00019658/2013. PR-MS-00000744/2014– 00007443/2014 - 00007787/2014 – A.D. SF 15492345 1 BR; MPE/MS-PGJ – 043779-2/2; 018742-2/2019223-2/2M; CD 006198-30.9.13; SPF 08335.006262/2014-11; PGR 00001654/2014; PGR 0007443 PR 04.09.2013; PR JG 642440674BR; STF AR-J6603237679BR; PF 08335.018120/2014-05; PGJ 022451-2/2; 022450-2/2; 018742-2/2; 019223-22/, 01237180; 151113 1403 67; 01238632-1; 10123 1355; 11988/2014, e formalizam a “escritura de inteligência” que mostra a RAZÃO DE ESTADO tipificada pela CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO na Instituição da Presidência da República, para a INTERVENÇÃO CONSTITITUINTE, na operacionalidade direta do poder e/ou, do Estado Democrático de Direito pelo art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II, III, VIII, o art. 5º caput e incs XLIII, LXXIII, §§ 2º e 3º, com o art.. 37 caput, o art. 84 inc. XIII e o art. 142 com o art. 80, da CF, que recepcionam o art. 1º com o art. 5º n. 1, o art. 10º n. 1, 2 da Convenção Americana Sobre Direitos Humanos, o art. 2º com o art. 21 n. 1 da Declaração Universal dos Direitos do Homem, a Resol. do CS/ONU n. 1.373 de 28.09.2001 e faz aplicável o art. 6º com o art. 8º da Carta Democrática Interamericana, e o art. 55 c, da Carta da ONU, pelo exercício do Decreto n. 4.388 de 25.09.2002, com a Lei n. 7.170/1983 e a 1.079 de 10.04.1950, em virtude de estarem presentes os pressupostos de legalidade, moralidade e responsabilidade, impostos pelo dever de hombridade, honradez, caráter e bom senso em que o Povo resulta em Foro de Soberania, SE DECLARA EM REAÇÃO DE CIDADANIA EM SUAS FORÇAS ARMADAS PARA INTERVENÇÃO CONSTITUINTE NO PROCESSO HISTÓRICO CON TRA TIRANIA TERRORISTA COMUNISTA DE BANDIDOS, OBJETIVANDO: 1) recuperação do Estado Democrático de Direito; 2) reencaminhamento constitucional da civilização brasileira pelos Simbo los, Valores, História e Tradição que a identificam no meio ambiente existencial que disso se deflagra na dinâmica dos interesses empreendida pela livre iniciativa pelos trilhos da competição e concorrência; 3) restauração da unidade da nação pelo trabalho em canteiro de obras de onstrução da Pátria pela democracia pluralista e rotativa que a Consti- tuição institui. A qual deverá ser feita por EXECUÇÃO DA CONSTITUIÇÃO através de denúncia do Colegiado Constituinte na Instituição da Presidência da República da Magistratura de Estado no Foro de Soberania, ao Congresso Nacional, para que, no prazo de 48 hs a contar da hora de protocolização da denúncia, reconheça vago o cargo de Presidente da República em virtude de nenhum dos titulares no art. 80 da Constituição preencher os pressupostos constitucionais das patentes eleitorais de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, e no prazo do art. 78 Parág. único da Constituição, dê posse ao titular constitucional dentre os seis Comandantes Superiores e Chefes de Estado-Maior da Armada, Exército e Aeronáutica que for indicado; sob pena de não o fazendo, o Colegiado Constituinte na Instituição da Presidência da República da Magistratura de Estado em Foro de Soberania o fazer, com a posse do respectivo titular dada pelo próprio Poder Executivo. A CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO que se opera por rompimento do poder civil com o poder militar no mandato de Presidente da República dá emersão ao Povo nas Forças Armadas em poder constituinte no Estado Democrático de Direito, que o transforma em FORO DE SOBERANIA, absorvendo os poderes constitucionais e a estrutura infraconstitucional do Regime. Porquanto, o Povo passa a exercer o poder diretamente e assim, se reinveste da outorga mandatária pelas urnas, tornando vagas as patentes mandatárias de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, e impondo a consequente titularidade constituinte que resulta a quem sobra na respectiva investidura. De modo que o cargo de Presidente da República resulta vago imediatamente à ocorrência de ruptura na FUSÃO DO VOTO COM A BALA no Mandato de Presidente da República. Mas, como os efetivos das Forças Armadas são desprovidos de cidadania no art. 14 §§ 2º e 8º incs. I,II, com o art. 142 inc. V, da Constituição, o Foro de Soberania tem de ser instalado por reação de cidadania do Povo em qualquer dos seus cidadãos, pelo art. 1º incs. I,II e Parág único com o art. 4º incs. II, III e o art. 84 inc. XIII com o art. 142 e o art. 80 da Constituição, perante os poderes constitucional. Como foi procedido pelos eventos invocatórios constantes dos protocolos retro mencionados; todos homologados por reconhecimentos tácitos e expressos dos poderes e instituições invocadas, sobre o que neles se contém. E resultou identificado o envolvimento dos políticos, da vadiagem e da força de trabalho operária na FARRA DO PT NO PODER, escondendo a construção da TIRANIA TERRORISTA COMUNISTA FUNDAMENTALISTA DE BANDIDOS, integrada por Brasil, Cuba, Venezuela, Haiti, Peru, Colômbia, Bolívia, Argentina, Uruguai, Angola, Coreia do Norte, Síria, Hamas, Al Qaeda, China e Rússia, com o Brasil submetido a um governo multinacional liderado por Fidel Castro, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Vana Rousseff, por Havana, Palácio do Planalto, Foro de São Paulo e Instituto Lula; assentado sobre o crime organizado no governo, operado por gangues políticas e gerido por corporações quadrilheiras, com suas forças de campo na CUT, CGT, MST, IBAMA, FUNAI, INCRA, CV, PCC. Por onde a democracia foi transformada em regime prisional, com o povo sequestrado em seus lares e locais de trabalho, sob o terrorismo do medo, insegurança pública, insegurança jurídica, insegurança econômica e insegurança nacional; sofrendo o saqueamento do País; guerra civil terrorista marginal; apodrecimento moral da civilização brasileira; destruição da família; desintegração da nação; destruição da Pátria e demolição da Economia. Com o País falido, sendo movido por falcatruas contábeis, estelionato estatístico, renúncias fiscais, estelionato de consumo, estelionato de preços públicos e emissões de moeda fria. Os ATOS TERRORISTAS, que assim se tipificam por aniquilarem o Estado Democrático de Direito, desde os que consolidam a subversão comunista terrorista no poder por pleitos inconstitucionais, até o Decreto n. 8.243 de23.05.2014 que extingue a Constituição da República e cria impositivamente um ESTADO CORPORATIVO ANÁRQUICO, identificam a TIRANIA TERRORISTA COMUNISTA FUNDAMENTALISTA DE BANDIDOS, que, somada com o desprovimento de: padrão moral instituído no art. 1º inc. IIII com o art. 5º incs. X, LXXIII, art. 37 caput, art. 55 inc. II, art. 52 incs. I,II com o art. 101 e o art. 85 inc. V da CF; o padrão de cátedra instituindo no art. 1º incs. II,III com o art. 3º inc. II, o art. 5º inc. X, e o art. 205 caput com o art. 208 inc. I, da CF; e o padrão cívico instituido no art. 1º inc. II, III, V, com o art. 17, o art. 14 § 1º incs. I, II, a/c, art. 27 § 1º, art. 29 incs I, II, art. 44, art. 46, art. 77 § 1º e o art. 82, com o art. 84 inc. XIII e o art. 142 com o art. 80 da CF, no desempenho de vida pública e de governo de Vossa Senhora, somados com a sua vida pregressa numa ficha criminal registrando que: no dia 6.10.1968 assaltou o Banespa; no dia 12.10.1968 Planejou assassinato do Cap. Charles Chandler; no dia 11.12.1968 assaltou a Casa de Armas Diana; no dia 24.1.1969 assaltou o 4º RI Quintauma; no dia 18.1.1969 assaltou a casado do governador Adhemar de Barros. No dia 1º.08.1968 assaltou o Banco Mercantil de São Paulo; no dia 20.09.1969, assaltou o Quartel da Forças Pública Barro Branco. Depois disso virou sacoleira em Porto Alegre onde fundou o PDT pelo qual ingressou no Governo Municipal e desse ao Governo Estadual. De onde se integrou ao PT com o Lula, e desde então, é responsável pelo saqueamento da Petrobras da 4ª maior empresa do mundo que ela era em 2003 quando Vossa Senhoria começou administrá-la, para a 120ª que é hoje; e do saqueamento do Brasil que era a 11ª economia do mundo em 2003, com uma dívida pública interna de R$ 486 bilhões e hoje é um País falido com essa dívida pública em R$ 2,8 trilhões e a economia recuada à década de 1950, fazem Vossa Senhoria desprovida dos pressupostos constitucionais para envergar as patentes eleitorais de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas. Porquanto estas, sendo a fachada do Povo brasileiro nas patentes eleitorais de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, não podem ser modelo do que a civilização brasileira tenha de pior, em ínfima minoria penal, mas sim, do que ela é em sua maioria democrática absoluta de 80.041.804 constituintes que não reconhecem Vossa Senhoria com qualificações para representá-lo. Resultando a ruptura no Mandato de Presidente da República instalada pelo: 1) desempenho subversivo e terrorista de governo de Vossa Senhoria; 2) pelo absoluto desprovimento moral, cultural e cívico de Vossa Senhoria; 3) pela índole perversa desmerecedora da anistia estendida pela nação, que Vossa Senhoria renunciou no poder, para restabelecer o status quo ante da Revolução de 1964, para se declarar vencedora em sua ficha criminal, e a nação vencida para sofrer em suas Forças Armadas, em seus soldados vivos e mortos, como infame, as condenações perpetuas de execração moral e esquartejamento de personalidade. Mas que, também recuperou a punibilidade de Vossa Senhoria, que tem de iniciar com o expurgo do comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas, que vitima o povo brasileiro em sua respeitabilidade histórica de hombridade, honradez, caráter e fraternidade nacional pela Lei e a Ordem. E tão efêmera resulta a CRISE INSTITUCIONAL DE ESTADO que impõe a REAÇÃO DE CIADADANIA DA NAÇÃO em Foro de Soberania, que a nação está constitucionalmente impedida de cultivar os sinais de respeito da educação humana com Vossa Senhoria, porque, se lhe chamasse de Excelência, estaria cultuando a índole perversa e a conduta imputável. E o efeito disto, o Mundo testemunhou na abertura da Copa da Fifa, quando a nação, por volumosa representação no respetivo estádio, confirmou a sua posição nas eleições de 2.010, repetida nas eleições de 2.012 e com sua manifestação na praça pública no dia 17.07.2013, mandando Vossa Senhoria “tomar no cu.” Bem ao nível da sua ficha criminal e do seu desempenho de governo. O que prova que Vossa Senhoria é do tipo “marginal incorrigível;” determinada perigosamente em seus objetivos terroristas, largamente empreendidos no poder. Porquanto, se pudor alicerçasse a sua suscetibilidade, Vossa Senhoria teria renunciado ao cargo naquele mesmo dia. Mas, também nem teria se constituído em recuperação do desafio terrorista de 1964, que a nação apenas conteve, e por isto, já mereceria uma conduta de contrição de Vossa Senhoria. Então, Vossa Senhoria estando desprovida historicamente, por uma ficha criminal e conduta que prova a sua índole perversa avessa à recuperação moral, e que fere mortalmente a honra do Povo brasileiro em suas Forças Armadas, em seus Símbolos, em seus Valores, em sua História e em suas Tradições, o POVO BRASILEIRO EM REAÇÃO DE CIDADANIA EM SUAS FORÇAS ARMADAS NO FORO DE SOBERANIA, RECONHECE VAGAS AS PATENTES DE COMANDO SUPREMO E AUTORIDADE SUPREMA DAS FORÇAS ARMADAS NO MANDATO DE PRESIDENTE DA REPÚBLICA; E SE DECLARA INVESTIDO NELAS POR FORÇA DO EXERCÍCIO DIRETO DO PODER, CONSTITUINTE, QUE IMPLICA NA SUSPENSÃO DO PODER INDIRETO, CONSTITUCIONAL, EXERCIDO POR VOSSA SENHORIA. E, em razão disto, o Povo brasileiro se reconhece ultrajado em toda a gradação do art. 80 da Constituição da República, por nenhum dos substitutos constitucionais ali instituídos incorporar o padrão moral, padrão cultural e padrão cívico exigidos pelo Estado Democrático de Direito para a investidura de Magistrado de Estado. E qualquer ato ou atitude de Vossa Senhoria ou na eventualidade de substituição dentro dessa gradação, de qualquer deles, sobre Comandantes, Chefes de Estado-Maior ou de qualquer posto em toda a hierarquia das Forças Armadas, configurará AÇÃO TERRORISTA de parte de Vossa Senhoria, passível de consequencias. O Povo brasileiro não aceita também, qualquer substituição de comandos, ou remanejamentos. O representante constitucional do Povo brasileiro em suas Forças Armadas, perante os poderes constitucionais, instituições e foros internacionais onde o Brasil deva soberania solidária em sua Constituição e tratados internacionais assentados nela, é o cidadão celio evangelista ferreira, subscritor da presente, com endereço operacional de cidadania no Quartel General do Exército – SMU – Brasília/DF. Por imposição do art. 1º inc. I, com o art. 14 §§ 2º, 8º incs. I,II e o art. 142 inc. V da CF, o Povo brasileiro não reconhece prerrogativas políticas aos efetivos das Forças Armadas, além da investidura constituinte de comando supremo e autoridade suprema na Instituição da Presidência da República, por vaga insuprível na gradação do art. 80 da CF. Em razão do que, se houvesse comandante que invocasse fidelidade a Vossa Senhoria por motivo de patentes ou prerrogativas conferidas por Vossa Senhora em razão do mandato, incidiria em conspiração terrorista contra o Estado Democrático de Direito. Pois que, absorvido o Estado no Foro de Soberania, cessa a Ordem Jurídica infraconstitucional, em sede de Processo Histórico, que resulta com todo o seu composto institucional regido unicamente pela Constituição da República. Por execução do art. 1º incs. I,II, V, e Parág. único com o art. 14 §§ 2º,8º incs. I,II, e o art. 142 inc. V da CF, as Forças Armadas no Povo aniquilado no Estado Democrático de Direito pelo pleito eleitoral subversivo terrorista, no art. 1º incs. I,II e Parág. único, com o art. 4º incs. II,III,V, o art. 5º incs. XLIII, LXXIII, art. 37 caput, art. 14 § 1º inc. I, art. 17 inc. I, ER. 27 § 1º, art. 28, art. 29 incs. I,II, art. 44, art. 46, art. 77 § 1º e art, 82 da CF, que o inquinam de inconstitucionalidade, não estão em campanha eleitoral, não garantem a realização do sufrágio e nem posse aos eventuais eleitos, se estiverem desprovidos de padrão moral, padrão cultural e padrão cívico para a Magistratura de Estado. Pois que, se assim o fizessem, estariam reconhecendo a extinção do Estado Democrático de Direito, por ausência de eficácia da Constituição da República, e consolidando a TIRANIA TERRORISTA COMUNISTA FUNDAMENTALISTA DE BANDIDOS que saqueia o País, massacra a Nação e destrói a Pátria. O pleito eleitoral instaurado inquina-se de inviabilidade constitucional em todos os seus pressupostos constitucionais. Dentre eles, ressalta a sua natureza marginal agressiva da nação, tipificada pelo princípio da isonomia que impõe a reciprocidade em todas as esferas da civilização brasileira. E assim, a agressão principia com a transformação do pluralismo político em “coligações quadrilheiras” formadas para a disputa do País como despojo das urnas para ser redistribuído entre as respectiva gangues políticas, pelas “bases parlamentares,” e “governos participativos.” E se acentua com a imposição de indivíduos de vida suja, que transformam o contraditório eleitoral em estrebuchamento mútuo de marginalidades, cafajestismo e desqualificações de toda a ordem, para resultarem justificados no saqueamento do Pais. Vez que, sendo sagrados por mandatos, resulta o povo identificado pelo banditismo que eles discutiram a fundo na campanha eleitoral. Pois, ao dever constitucional de votar, corresponde ao Estado o dever constitucional de oferecer pleito legítimo, identificado pelo pluralismo político e a renovação dos poderes, com candidatos que sejam a encarnação em si, do padrão moral instituído no art. 1º inc. IIII com o art. 5º incs. X, LXXIII, art. 37 caput, art. 55 inc. II, art. 52 incs. I,II com o art. 101 e o art. 85 inc. V da CF; o padrão de cátedra instituindo no art. 1º incs. II,III com o art. 3º inc. II, o art. 5º inc. X, e o art. 205 caput com o art. 208 inc. I, da CF; e o padrão cívico instituido no art. 1º inc. II, III, V, com o art. 17, o art. 14 § 1º incs. I, II, a/c, art. 27 § 1º, art. 29 incs I, II, art. 44, art. 46, art. 77 § 1º e o art. 82, com o art. 84 inc. XIII e o art. 142 com o art. 80 da CF. Face ao que, o pleito eleitoral instalado tipifica-se um ESTELIONATO POLÍTICO executado por SUBVERSÃO TERRORISTA. E isto impõe, de imediato, INTERVENÇÃO CONSTITUINTE no Processo Histórico. O Povo em reação de cidadania em Foro de Soberania nas Forças Armadas, é titular originário pelo exercício direto do poder, das patentes mandatárias de comando supremo e autoridade suprema das Forças Armadas. E nessa situação constitucional o cidadão que representa constitucionalmente a nação, encara os poderes constitucionais e as instituições perante as quais a reação de cidadania do Povo, promova a INTERVENÇÃO CONSTITUINTE no Processo Histórico. Pois, o Povo em reação de cidadania em Foro de Soberania nas Forças Armadas, é estas e estas são o povo. E então, o Povo fala pelas Forças Armadas e estas SÃO A SEGURANÇA CONSTITUCIONAL DO POVO. R E Q U E R I M E N T O. Nos fundamentos expostos, o Povo em suas Forças Armadas em Foro de Soberania, requer ao Poder Executivo sob serventia efêmera de Vossa Senhoria, seja atendido o presente, sob as consequências constitucionais respectivas. Quartel General do Exército – SMU – Brasília/DF. 19 de agosto de 2.014 celio evangelilsta ferreira na representação constitucional do Povo em suas Forças Armadas celio evangelista ferreira pelos demais que o acompanham na representação constitucional do Povo em suas Forças Armadas. NOTIFICAÇÕES: Ao Congresso Nacional Poder Judiciário Ministério Público em grau de federação. Embaixadas Em se tratando de PRONUNCIAMENTO DO POVO é naturalmente Çpúblico ao Mundo.
  • Regis Lisboa

    em 22/04/2013 Via Google+



    22/04/13 - 1
  • Pedro Salomao

    em 23/07/2014 Via Youtube
    FRANCISCO ALVES - LA ULTIMA NOCHE - SÉRIE RELÍQUIAS - acervo de PEDRO LECUONA

    261 - SÉRIE RELÍQUIAS - parte do acervo pessoal de PEDRO LECUONA BRASIL - GRAVAÇÃO ORIGINAL.

  • Francisco Alves - AMOR DE MALANDRO - samba de Francisco Alves - Gravação de 1929

    Francisco Alves - AMOR DE MALANDRO - samba de Francisco Alves. Gravação de 1929. Samuel Machado Filho: Samba que apareceu em disco com dois títulos: "Malandr...

  • Flores. Fotos feitas com celular galaxy s5 Flores
  • Francisco Alves - NÃO QUERO MAIS - Capiba e João dos Santos Coelho (Pé de Pato e Joca da Beleza)

    Francisco Alves - NÃO QUERO MAIS - Capiba e João dos Santos Coelho (Pé de Pato e Joca da Beleza). Gravação de 1930. http://www.jornalggn.com.br/blog/lucianoh...

  • Itui Itauba

    em 22/07/2014 Via Youtube
    Francisco Alves - Ela (1951)

    Música de Herivelto Martins, gravada pelo rei da voz, Francisco Alves.


AVISO: O conteúdo de cada postagem é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Previsão do tempo na Região


Participe e comente sobre a cidade de Francisco Alves


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)