Início » Paraná » Cruzeiro do Iguaçu


Cruzeiro do Iguaçu - Paraná



Cruzeiro do Iguaçu é uma cidade que fica na região sudoeste do Paraná, as margens do Rio Iguaçu e próximo a cidade de Dois Vizinhos, a qual inclusive é de onde foi desmembrado. A agricultura é responsável por cerca de 2/5 do PIB, a indústria por outros 2/5 e o comércio por cerca de 1/5 apenas. Cerca de metade da população vive no campo e a outra metade na cidade.

História da cidade de Em 1935, Atanásio Pires, morador de Barro Preto (cidade de Coronel Vivida), veio do Estado de Santa Catarina com a intenção de cultivar frutas cítricas, em especial laranjas. Passou então a procurar um local apto para o desenvolvimento desta cultura.

Partindo de Vista Alegre pelo Rio Chopim, numa canoa, após dias de viagem, chegou numa região de saltos e cachoeiras, onde parou e aportou. Construiu um casebre e voltou para Barro Preto buscar a família, considerando o local ideal para o plantio das frutas, sendo ainda conhecido por muitos como o Laranjal do Pires.

Para o sustento da família, o morador utilizava-se do que a natureza oferecia no local, uma região coberta de mata nativa: a caça e a pesca eram fatores significativos na alimentação da família. Com isso ia conhecendo o território e a ele atribuindo suas nomeações, como por exemplo, a denominação dada ao rio Dois Vizinhos.

O morador passou a tirar couro dos animais e a vender em Vila Nova (cidade de Pato Branco), utilizando-se para isso do transporte fluvial. No local da venda identificava-se como morador de Dois Vizinhos. Como vendia muito couro, despertou a curiosidade de muitos caçadores que começaram a visitar o local.

O nome Rio Canoas que estabelece a divisa dos municípios de Cruzeiro do Iguaçu e Boa Esperança do Iguaçu é fruto do encontro de uma árvore Timbaúva - barra do rio, da qual o primeiro morador construiu uma canoa de 12 metros de comprimento e um metro de largura, na parte que compunha o revezo da galhada, fez a proa e na parte de revezo das raízes, fez o bico, de modo que a canoa ficou resistente impedindo as rachaduras tanto na ponta quanto no leme, daí o nome do rio.

Durante uma caçada, em um só dia foram mortas 12 antas as quais, depois de mortas, foram jogadas na água. Desse episódio, surgiu o nome Rio Doze Antas, afluente do Rio Canoas.

Numa época de muita chuva, Atanásio Pires acompanhado por seus filhos, Joaquim, Ricardo e Antônio, seguiram pela costa dos Rios Chopim, Iguaçu e Canoas até a barra do atual Rio Cruzeiro do Iguaçu. Naquele local permaneceram por vários dias, não se sabe exatamente quantos, sem pegar caça alguma.

A fome que já era insuportável fez com que os seus filhos propusessem matar um dos cachorros. Atanásio concordou solicitando que fosse morto o mais gordo e ruim. Como nunca bebia, tomou alguns goles de cachaça canforada e dormiu enquanto o alimento era preparado pelos filhos.

Saíram do local e logo avistaram um veado pardo. Nessa passagem, Atanásio disse aos filhos: - A partir de hoje matamos somente a caça que podemos comer - considerando aquele episódio um castigo pela morte das 12 antas lançadas ao rio. Em razão desse acontecimento nomeou o rio de Miserável e mais tarde, com a chegada de outros moradores, o local foi chamado de Povoado Miserável.

Atanásio se apossou de um território de cerca de 8.060 hectares de terra compreendidos entre a barra do Rio Chopim, descendo à barra do Rio Canoas e subindo até o Rio Miserável (Cruzeiro do Iguaçu). Seu império perfazia mais de 50% do território de Cruzeiro do Iguaçu.

Decorridos quatro a cinco anos, chegou o segundo morador, Felipe Gaudinski, que fugiu do Rio Grande do Sul após envolver-se numa briga. Refugiado na mata, sem saber para onde ir, escondeu-se no alambique de um caminhão carregado de mudança e sem ser visto, chegou ao Paraná.

Seguindo a mata adentro se encontrou com Atanásio do qual comprou um pedaço de terra. O terceiro morador foi Turtuliano Dias, conhecido por João Padilha.

Posteriormente chegaram outros moradores que adquiriam um pedaço de chão, como as famílias Miranda (1955), Vieira e a de Ricardo Ferreira, primeira pessoa a chegar nas terras que pertencem ao perímetro urbano de Cruzeiro do Iguaçu.

Foram abertas picadas e dividiram-se áreas de terras em sítios, que por sua vez foram vendidos pelos pioneiros que aos poucos chegavam ao local. Com a divisão das terras, logo o Povoado Miserável passou a chamar-se Divisor.

Um fluxo maior de migrantes ocorreu no ano de 1957. Nessa época, o Divisor (Colônia das Missões) pertencia ao município de Marrecas hoje Francisco Beltrão. No momento em que foi aberta a primeira estrada de acesso ao local, onde existia o cruzamento de duas picadas (estradinhas) que davam acesso ao Rio Iguaçu, um chefe de Viação e Obras, denominado Roberto Grando, nomeou o local como Cruzeiro do Iguaçu.

Fonte: Prefeitura Municipal de Cruzeiro do Iguaçu.

Autor do Histórico: PAULO ROBERTO DE FREITAS

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.



Síntese das Informações
Área da unidade territorial - 2015: 161,862: km²
Estabelecimentos de Saúde SUS: 6: estabelecimentos
Matrícula - Ensino fundamental - 2015: 622: matrículas
Matrícula - Ensino médio - 2015: 183: matrículas
Número de unidades locais: 130: unidades
Pessoal ocupado total: 866: pessoas
PIB per capita a preços correntes - 2014: 20.072,34: reais
População residente : 4.278: pessoas
População residente - Homens: 2.133: pessoas
População residente - Mulheres: 2.145: pessoas
População residente alfabetizada: 3.489: pessoas
População residente que frequentava creche ou escola : 1.399: pessoas
População residente, religião católica apostólica romana: 3.852: pessoas
População residente, religião espírita: -: pessoas
População residente, religião evangélicas: 395: pessoas
Valor do rendimento nominal médio mensal dos domicílios particulares permanentes com rendimento domiciliar, por situação do domicílio - Rural: 2.058,17: reais
Valor do rendimento nominal médio mensal dos domicílios particulares permanentes com rendimento domiciliar, por situação do domicílio - Urbana: 2.042,22: reais
Valor do rendimento nominal mediano mensal per capita dos domicílios particulares permanentes - Rural: 433,33: reais
Valor do rendimento nominal mediano mensal per capita dos domicílios particulares permanentes - Urbana: 465,00: reais
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal - 2010 (IDHM 2010): 0,709:

Fonte:IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Cruzeiro do Iguaçu: Imagens da cidade e Região

As fotos fornecidas pelo Panoramio estão sobre direitos autorais de seus proprietários.

Você conhece a cidade de Cruzeiro do Iguaçu? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)






Compartilhe Esta Página: