Início » Pernambuco » Floresta » Notícias


Últimas Notícias da cidade de Floresta - PE nas Redes Sociais

As Notícias são atualizadas em tempo real.

  • Dany Costa

    em 19/08/2014 Via Google+
    CAMINHOS DA FLORESTA (Into the Woods).
    Esse eu não perco! ;)

    Roteirizado por James Lapine, responsável também pelo livro do espetáculo da obra, mescla elementos de diversos contos de fadas populares, a exemplo de “Chapeuzinho Vermelho” e “João e o Pé de Feijão”, à história de um Padeiro – vivido por James Corden – e sua esposa – vivida por Emily Blunt, os quais anseiam reverter uma maldição e conceber um filho.
    Outros personagens de destaque no musical são: Cinderela (Anna Kendrick),  Príncipe da Cinderela (Chris Pine), Bruxa (Meryl Streep) e Lobo (Johnny Depp). Lilla Crawford como Chapeuzinho Vermelho, Daniel Huttlestone como João e Billy Magnussen como Princípe da Rapunzel, completam a lista de atores.
    Previsão de estreia no Brasil 01º de Janeiro de 2015.

    Caminhos da Floresta - Teaser Trailer
    Caminhos da Floresta é uma visão moderna dos adorados contos dos irmãos Grimm, cruzando as tramas de algumas histórias e explorando as consequências dos dese...
  • João Sarti

    em 02/08/2014 Via Youtube
    João Sarti - Dentro da Floresta - O Musical (Into the Woods)

    Dentro da Floresta - O Musical (Into the Woods) João Sarti (João e o Pé de Feijão) Cia. Amadores de Teatro Sala Palma de Ouro - Salto/SP 2012.

  • Gustavo lima beija morena em floresta PE

  • Sonia Braga

    em 20/08/2014



    Sonia Braga compartilhou uma atualização de status de José Paulo De Resende.
    José Paulo De Resende.
    REINALDO AZEVEDO......Leiam e compartilhem. Não tenho paciência, desculpem os encantados, com Marina! O reino que me interessa é deste mundo. E o que não é requer a intervenção de um Ser superior à líder da Rede, a quem não reconheço o papel de intercessora. Repudio o seu comportamento e o seu ar de vestal, como se ela fosse feita de um barro diferente daquele que faz os outros políticos. Não é. Eu não sei, por exemplo, e ninguém sabe, do que ela vive e quem sustenta o aparato — que não é pequeno! — que a acompanha. Há tanto tempo sem legenda, flanando por aí, a questão é pertinente. Fosse outro, o jornalismo investigativo já teria se ocupado de apurar. Como é Marina, não se toca no assunto. Imaginem se algum outro candidato à Presidência da República tivesse um banqueiro — ou uma banqueira… — pra chamar de seu. Ela tem. O que nos outros seria pecado é, em Marina, tratado como virtude. A líder do tal Rede, já apontei aqui num post de maio de 2011, é a nossa vestal. Logo será carregada numa liteira. Constituiu-se, com o beneplácito de boa parte da imprensa babona, numa figura notavelmente autoritária da política. Como esquecer o seu comportamento durante a votação do Código Florestal? A nossa Entidade da Floresta — que só não faz milagre no Acre — sempre se negou a confrontar suas ideias com as de seus oponentes — preferindo ameaçar a Terra e o país com o apocalipse. Contou, para isso, com o apoio de ONGs fartamente financiadas por dinheiro vindo do exterior e de colunistas que não distinguiam e não distinguem um pé de feijão de erva daninha. Caso se dissesse a alguns deles que “o povo pede alho”, eles o mandariam comer bugalho… Certa de que a “mídia” amiga seria eficiente em matar o novo Código Florestal, relatado então pelo agora ministro dos Esportes, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), Marina se limitou a dizer “não” ao texto. Como o debate avançou, apelou aos universitários. Aí, a até então omissa SBPC resolveu fazer o seu relatório recheado de elogios à agricultura brasileira (que remédio?), mas alertando para o apocalipse que viria se a proposta fosse aprovada. A iniciativa não vingou. Como sabe ou pode saber o leitor, as vestais romanas, virgens sem mácula, eram encarregadas de manter aceso o fogo sagrado. Gozavam de grande prestígio. Os altos dignitários de Roma lhes confiavam segredos, e elas costumavam ser chamadas para dirimir conflitos e apaziguar dissensões. Excepcionalmente, podiam abandonar seu templo e desfilar pela cidade em sinal de protesto se considerassem que uma grave ameaça pesava sobre o Estado romano. Foi o que fez Marina naquele 2011. As ONGs resolveram carregar a nossa vestal até o Palácio do Planalto para um encontro com o então ministro da Casa Civil, Antonio Palocci. Ela reivindicava no tapetão o que não conseguira no debate político: o adiamento da votação do relatório. Aldo havia debatido o seu texto país afora. Marina preferiu fazer a cabeça dos ditos “formadores de opinião”. A democracia brasileira tem uma instância chamada Congresso. Ela preferiu os carregadores de liteira das ONGs ao Parlamento. É parte do que chama “nova política”. Não me serve. O problema é que Marina, eu já escrevi umas 800 vezes, é a outra personagem inimputável da política brasileira. Só perde para Lula. Ambos são beneficiados pelo preconceito de origem às avessas. Como vieram “do povo”, não se questionam seus propósitos. Seriam depositários de uma espécie de verdade ancestral. Note-se, a título de ilustração, que, quando ela deixou o governo, falou-se de seu conflito com Dilma, não com Lula… A ex-senadora tem um método: se perde o debate nas instâncias consagradas para decidir um embate, apela, então, à galera. Fez isso no PV, onde aonde chegou, de mala e cuia, para ser candidata em 2010, conhecendo as regras. Disputou a eleição deixando claro, sempre!, que era maior do que o partido. Terminada a peleja, deu início ao esforço para depor a direção da legenda. Como foi derrotada nas instâncias internas — cujas regras ela prometeu acatar quando se filiou —, foi para o debate público, certa de que não precisaria ter razão para conquistar adesões. Não tinha e as conquistou. A direção do PV foi tratada como vilã, mas ela não conseguiu o que queria. Caiu fora. Começou, então, a criar a Rede. Quer o quê? O cerne da postulação de Eduardo Campos, convenham, era um tanto confuso. O então candidato insistia na tese de que nada havia de errado no lulismo e que Dilma é que havia se distanciado do bom caminho. Como acertava em alguns diagnósticos parciais que fazia, sua candidatura foi bem recebida. Se não dava para entender o conjunto, havia partes que faziam sentido. E Marina Silva? Por quanto tempo mais não se vai perguntar, afinal de contas, o que pretende para o Brasil a viúva enlutada e indevida? Por Reinaldo Azevedo



  • Folha Assembleiana compartilhou a foto de EBD Fórum Escola Bíblica Dominical.
    SUBSÍDIO LIÇÃO Nº 8 – O CUIDADO COM A LÍNGUA O uso inadequado da língua pode resultar em prejuízos irreparáveis. Por isso, o cristão precisa ter cuidado para não se perder ao falar. No estudo desta semana veremos a respeito desse importante assunto. Inicialmente mostraremos o poder da língua, principalmente para a destruição das vidas. Em seguida, nos voltaremos para o perigo de uma língua descontrolado, que leva à ruina. Ao final, apontaremos algumas direções com vistas ao uso correto da língua, com vistas à edificação. •1. O PODER DA LÍNGUA As palavras têm o poder de ferir as pessoas, por isso todo cristão deveria medir bem as consequências do que vai dizer. Esse tema é recorrentemente abordado por Salomão nos Provérbios. Em Pv. 6.16-19 encontramos seis pecados que Deus aborrece, e um que Ele abomina, três deles ligados à língua: a língua mentirosa, a testemunha falsa e o que semeia contenda entre os irmãos. Para Tiago, o domínio da língua é uma das manifestações da verdadeira religiosidade. Ninguém pode se considerar autenticamente cristão a menos que seja capaz de dominar a sua língua. Aqueles que estão no magistério cristão, isto é, que foram vocacionados para o ensino, devem ter mais cuidado ainda (Tg. 3.1). Os líderes costumam ser observados nesse particular, e se não vigiarem poderão colocar o ministério a perder por causa de uma língua desenfreada. Há pastores que perdem o controle por qualquer motivo, e ao se exasperarem revelam quem seus sentimentos mais destruidores. Por esse motivo Tiago lembra que aquele que não tropeça na língua é varão perfeito (Tg. 3.2). Não podemos deixar de destacar que a língua tem o poder de dirigir, podemos orientar uma multidão pelo poder da língua (Tg. 3.3,4). Muitos líderes levaram as massas a tomar decisões pelo poder da palavra, como Martin Luther King Jr. E Adolf Hitler. O primeiro usou as palavras em prol dos direitos civis, para o bem da sociedade. O segundo também o usou a língua, conseguiu atingir as massas, mas para propagar ideias destruidoras. Isso mostra que a língua tanto tem o poder de construir quanto destruir, motivar as pessoas quanto menospreza-las. Ainda que essa seja pequena, comparada por Tiago a um freio e leme, é capaz de causar estragos de alta proporção. Como uma fagulha e uma porção de veneno, pode incendiar uma floresta inteira. Um boato na igreja pode destruir uma pessoa, e em alguns casos, toda uma família (Ef. 4.29). Os cristãos devem avaliar criteriosamente as declarações a respeito de um irmão ou irmã, antes de dirigir qualquer julgamento. A língua pode ser: perigosa (Tg. 3.6), indomável (Tg. 3.7). Por outro lado, esse pequeno instrumento também pode ser utilizado para glorificar a Deus, e para abençoar as pessoas. •2. O DESCONTROLE DA LÍNGUA Tiago destacou, no início da sua Epístola, que se alguém se considera religioso, mas não refreia a sua língua, engana-se a si mesmo. Sua religião não tem valor algum (Tg. 1.26). O descontrole da língua é um desastre, por isso os que ocupam posição de liderança devem estar atentos (Gl. 6.7). Isso porque, como advertiu o Senhor, a quem muito é dado, mais ainda será exigido (Lc. 12.48). Um líder com uma língua descontrolada é perigoso porque ele pode fazer tropeçar um dos pequeninos do Senhor (Mt. 18.6). Há pastores que utilizam o púlpito para desabafar, alguns deles para verbalizar seus descontroles emocionais. Esses estão ferindo muitos cristãos com suas palavras impensadas, além de desviar as ovelhas do rebanho, ainda preparam a própria ruina (Mt. 7.1,2; Rm. 2.1-3). Jesus lembrou que a boca fala do que o coração está cheio (Mt. 12.34), há pessoas que estão cheias de ódio e ressentimento. Por isso, quando se dirigem aos outros, até mesmo dentro das igrejas, liberam apenas veneno. Lembremos que é do interior do coração que vêm os maus pensamentos, as imoralidades sexuais, os roubos, homicídios, adultérios, cobiças, engano, arrogância e insensatez (Mc. 7.21,22). Existem pessoas tóxicas, que não há quem suporte ficar perto delas, não desperdiçam as oportunidades para causar destruição através da língua. Como bem lembra o autor dos Provérbios, essas pessoas estão sendo conduzidas à destruição (Pv. 10.8), pois acomodam sentimentos de violência (Pv. 10.11), elas cavam a própria cova (Pv. 26.27,28), suas conversas é armadilha e desgraça (Pv. 18.7). O uso da língua no ambiente familiar precisa ser bem avaliado, muitos pais estão destruindo a vida dos filhos, dirigindo-lhes palavras de menosprezo. Há pais que adjetivam seus filhos com palavras de menosprezo, resultado em baixa estima, e complexo de inferioridade. Marido e mulher devem ponderar no uso das palavras, os julgamentos precipitados, expressões jocosas, podem destruir o relacionamento conjugal. Ao invés de usar as palavras para destruir, devemos elogiar sempre que possível, reconhecendo o potencial das pessoas. •3. O USO CORRETO DA LÍNGUA O domínio da língua deve ser a meta de todo cristão que quer viver uma religiosidade madura. Como os homens aprenderam a domar os animais, devem fazer o mesmo com a língua. E isso somente poderá ser feito pelo poder do Espírito Santo, através da produção do Seu fruto no cristão (Gl. 5.22). Ao longo do tempo, em um processo de “adestramento” espiritual, o cristão aprende a não se enredar por meio do falar (Pv. 12.13). Devemos aprender com Jesus, até mesmo quando somos insultados, a não abrir a boca, a entregar as palavras destruidoras àquele que julga com justiça (I Pe. 2.22,23). Como Davi, devemos orar ao Senhor pedindo que Ele coloque uma guarda à nossa boca (Sl. 141.3). Reconhecemos que há em nós uma natureza corrompida, que precisa ser controlada pelo Espírito (Mt. 7.15-18). Mas quando somos espirituais, dirigidos pelo Espírito, orientados pela Palavra, controlamos os lábios (Tg. 3.12). O cristão deve investir na coerência, na relação entre o que diz e o que faz, não pode haver dubiedade, muito menos contradição, entre o falar e o proceder do cristão (Tg. 5.12). Evidentemente não somos perfeitos, mas não podemos deixar de buscar a perfeição. Não devemos permitir que palavras imorais nos conduzam à impureza, tenhamos cuidado com aqueles que se assentam na roda dos escarnecedores, apenas para falarem impropérios (Mt. 15.18,19). No dia de Juízo daremos conta de toda palavra inútil que tivermos falado, seremos absolvidos ou condenados pelas nossas palavras (Mt. 12.36,37). A língua deve ser um instrumento para o cristão abençoar, não amaldiçoar as pessoas. O uso correto da língua mostra quem de fato somos, afinal somos conhecidos pelos nossos frutos, e um deles é a palavra (Mt. 7.16-20). Quando falamos revelamos quem somos, nossas crenças, posições e interesses. Se investimos em espiritualidade, mostraremos por meios das palavras, que somos de Deus (Ef. 4.29). •CONCLUSÃO Com o autor de Provérbios, devemos lembrar sempre que a língua tem um poder terapêutico, portanto, devemos usar a língua para o bem do próximo, nunca para o mal (Pv. 12.18; 15.4). A sabedoria consiste justamente na capacidade de saber distinguir o momento de falar e o de ficar calado (Pv. 10.19). O descontrole deve dar lugar à paciência, para não sermos contados entre os tolos (Ec. 7.8,9). Ao invés de revidar, o melhor mesmo é aceitar a instrução do Senhor, somente assim seremos verdadeiramente sábios (Pv. 19.20). PENSE NISSO!
    Fotos da linha do tempo.
  • Vanessa Dias

    em 20/08/2014



    Vanessa Dias compartilhou a foto de Tapada nacional de Mafra.
    Que tal passarem um dia, desta semana, numa floresta encantada a meia hora de Lisboa? Na Tapada Nacional de Mafra podem passear a cavalo, de burro ou de charrete, fazer piqueniques, treinar uma ave de rapina, cuidar das abelhas, visitar gamos, veados e javalis em total liberdade, praticar tiro ao arco, andar de comboio ou de bicicleta, caminharem a pé, conhecerem a Safira, … http://proposta.dimensaoglobal.com/TapadaNacionalDeMafra/newsletters/01/PROGRAMA_VERAO_TAPADA_MAFRA.pdf
    Fotos da linha do tempo.
  • Lucas Ramos

    em 07/08/2014 Via Youtube
    Jingle de campanha Lucas Ramos - Floresta/PE (áudio)

    Presente do vereador Romualdo Torres, de Floresta! + Instagram http://instagram.com/lucasramos40110 + Facebook http://facebook.com/lucasramos40110.

  • Dany Costa

    em 19/08/2014 Via Google+
    CAMINHOS DA FLORESTA (Into the Woods).

    Roteirizado por James Lapine, responsável também pelo livro do espetáculo da obra, mescla elementos de diversos contos de fadas populares, a exemplo de “Chapeuzinho Vermelho” e “João e o Pé de Feijão”, à história de um Padeiro – vivido por James Corden – e sua esposa – vivida por Emily Blunt, os quais anseiam reverter uma maldição e conceber um filho.
    Outros personagens de destaque no musical são: Cinderela (Anna Kendrick),  Príncipe da Cinderela (Chris Pine), Bruxa (Meryl Streep) e Lobo (Johnny Depp).
    Previsão de estreia no Brasil 01º de Janeiro de 2015.


    into-the-woods-topo-disney-mania-bruxa.jpg
  • Bruno Araujo

    em 20/08/2014
    Um poema para relaxar! Memória de elefante No seio misterioso da floresta indiana, Vivia um guru chamado Ki Sacanna. Um dia ele avistou um pobre paquiderme, Deitado ali no chão, ferido, enorme, inerte. Sacanna aproximou-se e num sublime impulso, Sentiu-lhe a febre ardente e tomou-lhe o pulso. Foi quando viu no pé do agônico elefante, A farpa que causava a dor alucinante. E Sacanna veloz, num gesto abilidoso, Logo estirpou-lhe o espinho doloroso. Depois com agilidade e competência inata, Dez quilos de pomada, aplicou-lhe na pata. Enrolou-lhe no artelho um bandaid gigante. Por fim ministrou-lhe um galão de laxante. Afastou-se o bichinho, feliz e curado, Deixando do purgante o rastro impestiado. Muitos anos passaram e o velho Sacanna, Retornava ao quebrado à sua cabana. Mas eis que da floresta vem de supetão, Um elefante em fúria que o joga no chão. Levanta a pata sobre o rosto arfante. Sacanna o reconhece: "É o mesmo elefante!". Pois vê nítido e claro em frente ao seu nariz, Um bandaid em farrapos sobre a cicatriz. O elefante sorri e olha com amor, Bem no fundo dos olhos do seu salvador. Como se lhe dissesse com a pata no ar: "Ah! me lembro de ti. Como não recordar? Foi teu gesto sentil que salvou minha vida, Aliviando-me a dor, me limpando a ferida." Não existe elefante que disso se esqueça. E depois lentamente, esmagou-lhe a cabeça. moral da história: A memória do animal, ninguém refuta, Mas tem elefante que é filho da P.U.T.A.
  • SONORA BRASIL APRESENTAÇÃO DO OCTETO DO POLYPHONIA KHOROS (SC) EM FLORESTA-PE

    SONORA BRASIL APRESENTAÇÃO DO OCTETO DO POLYPHONIA KHOROS (SC) EM FLORESTA-PE.

  • Seu Lobo não vem! (Mário e Diana Corso - Psicanálise da vida cotidiana) Crescemos sem abrir mão do Lobo Mau! Preocupada, a menina perguntou ao adulto mais próximo se havia o que temer: – “o Lobo, ele vem?” Ele bem que tentou estar à altura, soar protetor, e, além de garantir que não havia tal risco, acrescentou que esse monstro não era de verdade, o que para ela resultou inaceitável: – “o Lobo não existe?” Ciente da cilada, ele percebeu na hora que se decretasse a falsidade do vilão, muitos heróis também teriam sua sobrevivência ameaçada. Quem conta essa história é o escritor uruguaio Mario Levrero, grande ficcionista, que obviamente não queria ser responsável pelo desaparecimento do Papai Noel e dos Reis Magos. Tentou um remendo: – “Antes – eu disse sublinhando a palavra – antes existia. Agora não está mais. Ele morreu”. Não adiantou, tapando os ouvidos, a criança saiu correndo e começou a gritar: – “Ele vem igual!”. Pode soar estranho, ela deveria respirar aliviada, pois estava a salvo e a fantasia preservada. Por que então o desespero? É que, escreve Levrero, um Lobo fantasma é muito mais ameaçador: “não se pode deter, não se pode matar, porque está morto. E vem igual”. Todos sabemos que o diálogo não versa sobre um canídeo selvagem qualquer. É um Lobo específico, nome próprio do personagem que se tornou famoso após engolir uma vovó, uma Chapeuzinho, sete cabritinhos e outras iguarias Mesmo seres imaginários precisam estar vivos para poderem ser mortos. A pior ameaça provém de uma entidade abstrata, o mal que nos habita, nosso Lobo interior. Como essa menina carecemos de um personagem palpável para representar o perigo. Se ele tem uma imagem, um habitat e uma história que lhe dê contornos, pode ser identificado, detido e morto. Mesmo que não tenha muita consciência disso, ninguém está livre de temer as assombrações que rondam os próprios pensamentos. São ideias inadmissíveis, agressivas, depravadas, incestuosas até. É um alívio quando podemos supor que todas essas coisas monstruosas estão fora da nossa mente, imaginá-las vivas, movendo-se furtivamente sobre suas patas peludas. Para nossa tranquilidade, o noticiário policial oferece doses diárias de histórias de Lobos: pais ou amantes assassinos, mães desnaturadas, alunos exterminadores, além da variada gama de psicopatas. Graças a eles podemos sentir-nos bons, a salvo dos maus pensamentos. Queremos os vilões vivos, para que possamos matá-los. Eles existem, eu sei, mas são muito mais numerosos na nossa imaginação do que nas cidades. Por sorte, nossos Lobos interiores só latem, não mordem. Poderíamos prescindir do culto do medo, do fascínio pelo sensacionalismo sanguinolento que infesta a mídia. Seu Lobo não vem! Saia de casa, ande pelas ruas a pé, e, quem sabe, num dia de sol até dá para passear na floresta.
  • Caminhos da Floresta - Teaser Trailer

    Caminhos da Floresta é uma visão moderna dos adorados contos dos irmãos Grimm, cruzando as tramas de algumas histórias e explorando as consequências dos dese...

  • Robert Rened

    em 14/04/2014 Via Google+
    Mano Walter - Floresta - PE - 12.04.2014
    Informações: Gravação: ETN Gravações Tamanho: 127 Mb Faixas: 33 Qualidade: Topada

    Mano Walter - Floresta - PE - 12.04.2014
  • No seio misterioso da floresta indiana,
    Vivia um guru chamado Ki Sacanna.
    Um dia ele avistou um pobre paquiderme,
    Deitado ali no chão, ferido, enorme, inerte.
    Sacanna aproximou-se e num sublime impulso,
    Sentiu-lhe a febre ardente e tomou-lhe o pulso.

    Foi quando viu no pé do agônico elefante,
    A farpa que causava a dor alucinante.
    E Sacanna veloz, num gesto abilidoso,
    Logo estirpou-lhe o espinho doloroso.
    Depois com agilidade e competência inata,
    Dez quilos de pomada, aplicou-lhe na pata.

    Enrolou-lhe no artelho um bandaid gigante.
    Por fim ministrou-lhe um galão de laxante.
    Afastou-se o bichinho, feliz e curado,
    Deixando do purgante o rastro impestiado.

    Muitos anos passaram e o velho Sacanna,
    Retornava ao quebrado à sua cabana.
    Mas eis que da floresta vem de supetão,
    Um elefante em fúria que o joga no chão.

    Levanta a pata sobre o rosto arfante.
    Sacanna o reconhece: "É o mesmo elefante!".
    Pois vê nítido e claro em frente ao seu nariz,
    Um bandaid em farrapos sobre a cicatriz.

    O elefante sorri e olha com amor,
    Bem no fundo dos olhos do seu salvador.
    Como se lhe dissesse com a pata no ar:
    "Ah! me lembro de ti. Como não recordar?
    Foi teu gesto gentil que salvou minha vida,
    Aliviando-me a dor, me limpando a ferida."

    Não existe elefante que disso se esqueça.
    E depois lentamente, esmagou-lhe a cabeça.

    moral da história: A memória do animal, ninguém refuta,
    Mas tem elefante que é filho da P.U.T.A.

    No seio misterioso da floresta indiana, Vivia um guru chamado Ki Sacanna. Um dia ele avistou um pobre paquiderme, Deitado ali no chão, ferido, enorme, inerte. Sacanna aproximou-se e num sublime impulso, Sentiu-lhe a febre ardente e tomou-lhe o pulso. Foi quando viu no pé do agônico elefante, A farpa que causava a dor alucinante. E Sacanna veloz, num gesto abilidoso, Logo estirpou-lhe o espinho doloroso. Depois com agilidade e competência inata, Dez quilos de pomada, aplicou-lhe na pata. Enrolou-lhe no artelho um bandaid gigante. Por fim ministrou-lhe um galão de laxante. Afastou-se o bichinho, feliz e curado, Deixando do purgante o rastro impestiado. Muitos anos passaram e o velho Sacanna, Retornava ao quebrado à sua cabana. Mas eis que da floresta vem de supetão, Um elefante em fúria que o joga no chão. Levanta a pata sobre o rosto arfante. Sacanna o reconhece: "É o mesmo elefante!". Pois vê nítido e claro em frente ao seu nariz, Um bandaid em farrapos sobre a cicatriz. O elefante sorri e olha com amor, Bem no fundo dos olhos do seu salvador. Como se lhe dissesse com a pata no ar: "Ah! me lembro de ti. Como não recordar? Foi teu gesto gentil que salvou minha vida, Aliviando-me a dor, me limpando a ferida." Não existe elefante que disso se esqueça. E depois lentamente, esmagou-lhe a cabeça. moral da história: A memória do animal, ninguém refuta, Mas tem elefante que é filho da P.U.T.A.
    .facebook_998148298.jpg
  • LIBANIONETO

    em 08/08/2014 Via Youtube
    INSTITUTO CULTURAL RAÍZES - MARACATU AFROBATUQUE

    REPORTAGEM DA TV ASA BRANCA SOBRE O TRABALHO SÓCIO-CULTURAL REALIZADO PELO INSTITUTO CULTURAL RAÍZES EM FLORESTA-PE, TENDO COMO DESTAQUE PRINCIPAL, O GRUPO DO MARACATU AFROBATUQUE.




  • Pó de Sonhar compartilhou a foto de Tapada nacional de Mafra.
    Que tal passarem um dia, desta semana, numa floresta encantada a meia hora de Lisboa? Na Tapada Nacional de Mafra podem passear a cavalo, de burro ou de charrete, fazer piqueniques, treinar uma ave de rapina, cuidar das abelhas, visitar gamos, veados e javalis em total liberdade, praticar tiro ao arco, andar de comboio ou de bicicleta, caminharem a pé, conhecerem a Safira, … http://proposta.dimensaoglobal.com/TapadaNacionalDeMafra/newsletters/01/PROGRAMA_VERAO_TAPADA_MAFRA.pdf
    Fotos da linha do tempo.



  • Nilzete Araujo Lima compartilhou a foto de Caatinga.
    CAATINGA DE TODAS AS CORES - FLOR DE QUIPÁ Foto: Eduardo Henrique Jr - Floresta-PE. www.facebook.com/vivacaatinga
    Fotos da linha do tempo.
  • Thiago Lima

    em 17/09/2013 Via Google+
    Exclusivo: Mais um assassinato em Floresta-PE
    As primeiras informações que chegaram ao  Blog O Povo com a Notícia , são de que por volta das 18:00 de hoje (17), mataram a pessoa conhe...

    Exclusivo: Mais um assassinato em Floresta-PE
    As primeiras informações que chegaram ao Blog O Povo com a Notícia, são de que por volta das 18:00 de hoje (17), mataram a pessoa conhecido como "Junior", no Bairro da Cohab em Floresta-PE. Logo mais informações: Font...



  • Ninha Medeiros compartilhou a foto de EBD Fórum Escola Bíblica Dominical.
    SUBSÍDIO LIÇÃO Nº 8 – O CUIDADO COM A LÍNGUA O uso inadequado da língua pode resultar em prejuízos irreparáveis. Por isso, o cristão precisa ter cuidado para não se perder ao falar. No estudo desta semana veremos a respeito desse importante assunto. Inicialmente mostraremos o poder da língua, principalmente para a destruição das vidas. Em seguida, nos voltaremos para o perigo de uma língua descontrolado, que leva à ruina. Ao final, apontaremos algumas direções com vistas ao uso correto da língua, com vistas à edificação. •1. O PODER DA LÍNGUA As palavras têm o poder de ferir as pessoas, por isso todo cristão deveria medir bem as consequências do que vai dizer. Esse tema é recorrentemente abordado por Salomão nos Provérbios. Em Pv. 6.16-19 encontramos seis pecados que Deus aborrece, e um que Ele abomina, três deles ligados à língua: a língua mentirosa, a testemunha falsa e o que semeia contenda entre os irmãos. Para Tiago, o domínio da língua é uma das manifestações da verdadeira religiosidade. Ninguém pode se considerar autenticamente cristão a menos que seja capaz de dominar a sua língua. Aqueles que estão no magistério cristão, isto é, que foram vocacionados para o ensino, devem ter mais cuidado ainda (Tg. 3.1). Os líderes costumam ser observados nesse particular, e se não vigiarem poderão colocar o ministério a perder por causa de uma língua desenfreada. Há pastores que perdem o controle por qualquer motivo, e ao se exasperarem revelam quem seus sentimentos mais destruidores. Por esse motivo Tiago lembra que aquele que não tropeça na língua é varão perfeito (Tg. 3.2). Não podemos deixar de destacar que a língua tem o poder de dirigir, podemos orientar uma multidão pelo poder da língua (Tg. 3.3,4). Muitos líderes levaram as massas a tomar decisões pelo poder da palavra, como Martin Luther King Jr. E Adolf Hitler. O primeiro usou as palavras em prol dos direitos civis, para o bem da sociedade. O segundo também o usou a língua, conseguiu atingir as massas, mas para propagar ideias destruidoras. Isso mostra que a língua tanto tem o poder de construir quanto destruir, motivar as pessoas quanto menospreza-las. Ainda que essa seja pequena, comparada por Tiago a um freio e leme, é capaz de causar estragos de alta proporção. Como uma fagulha e uma porção de veneno, pode incendiar uma floresta inteira. Um boato na igreja pode destruir uma pessoa, e em alguns casos, toda uma família (Ef. 4.29). Os cristãos devem avaliar criteriosamente as declarações a respeito de um irmão ou irmã, antes de dirigir qualquer julgamento. A língua pode ser: perigosa (Tg. 3.6), indomável (Tg. 3.7). Por outro lado, esse pequeno instrumento também pode ser utilizado para glorificar a Deus, e para abençoar as pessoas. •2. O DESCONTROLE DA LÍNGUA Tiago destacou, no início da sua Epístola, que se alguém se considera religioso, mas não refreia a sua língua, engana-se a si mesmo. Sua religião não tem valor algum (Tg. 1.26). O descontrole da língua é um desastre, por isso os que ocupam posição de liderança devem estar atentos (Gl. 6.7). Isso porque, como advertiu o Senhor, a quem muito é dado, mais ainda será exigido (Lc. 12.48). Um líder com uma língua descontrolada é perigoso porque ele pode fazer tropeçar um dos pequeninos do Senhor (Mt. 18.6). Há pastores que utilizam o púlpito para desabafar, alguns deles para verbalizar seus descontroles emocionais. Esses estão ferindo muitos cristãos com suas palavras impensadas, além de desviar as ovelhas do rebanho, ainda preparam a própria ruina (Mt. 7.1,2; Rm. 2.1-3). Jesus lembrou que a boca fala do que o coração está cheio (Mt. 12.34), há pessoas que estão cheias de ódio e ressentimento. Por isso, quando se dirigem aos outros, até mesmo dentro das igrejas, liberam apenas veneno. Lembremos que é do interior do coração que vêm os maus pensamentos, as imoralidades sexuais, os roubos, homicídios, adultérios, cobiças, engano, arrogância e insensatez (Mc. 7.21,22). Existem pessoas tóxicas, que não há quem suporte ficar perto delas, não desperdiçam as oportunidades para causar destruição através da língua. Como bem lembra o autor dos Provérbios, essas pessoas estão sendo conduzidas à destruição (Pv. 10.8), pois acomodam sentimentos de violência (Pv. 10.11), elas cavam a própria cova (Pv. 26.27,28), suas conversas é armadilha e desgraça (Pv. 18.7). O uso da língua no ambiente familiar precisa ser bem avaliado, muitos pais estão destruindo a vida dos filhos, dirigindo-lhes palavras de menosprezo. Há pais que adjetivam seus filhos com palavras de menosprezo, resultado em baixa estima, e complexo de inferioridade. Marido e mulher devem ponderar no uso das palavras, os julgamentos precipitados, expressões jocosas, podem destruir o relacionamento conjugal. Ao invés de usar as palavras para destruir, devemos elogiar sempre que possível, reconhecendo o potencial das pessoas. •3. O USO CORRETO DA LÍNGUA O domínio da língua deve ser a meta de todo cristão que quer viver uma religiosidade madura. Como os homens aprenderam a domar os animais, devem fazer o mesmo com a língua. E isso somente poderá ser feito pelo poder do Espírito Santo, através da produção do Seu fruto no cristão (Gl. 5.22). Ao longo do tempo, em um processo de “adestramento” espiritual, o cristão aprende a não se enredar por meio do falar (Pv. 12.13). Devemos aprender com Jesus, até mesmo quando somos insultados, a não abrir a boca, a entregar as palavras destruidoras àquele que julga com justiça (I Pe. 2.22,23). Como Davi, devemos orar ao Senhor pedindo que Ele coloque uma guarda à nossa boca (Sl. 141.3). Reconhecemos que há em nós uma natureza corrompida, que precisa ser controlada pelo Espírito (Mt. 7.15-18). Mas quando somos espirituais, dirigidos pelo Espírito, orientados pela Palavra, controlamos os lábios (Tg. 3.12). O cristão deve investir na coerência, na relação entre o que diz e o que faz, não pode haver dubiedade, muito menos contradição, entre o falar e o proceder do cristão (Tg. 5.12). Evidentemente não somos perfeitos, mas não podemos deixar de buscar a perfeição. Não devemos permitir que palavras imorais nos conduzam à impureza, tenhamos cuidado com aqueles que se assentam na roda dos escarnecedores, apenas para falarem impropérios (Mt. 15.18,19). No dia de Juízo daremos conta de toda palavra inútil que tivermos falado, seremos absolvidos ou condenados pelas nossas palavras (Mt. 12.36,37). A língua deve ser um instrumento para o cristão abençoar, não amaldiçoar as pessoas. O uso correto da língua mostra quem de fato somos, afinal somos conhecidos pelos nossos frutos, e um deles é a palavra (Mt. 7.16-20). Quando falamos revelamos quem somos, nossas crenças, posições e interesses. Se investimos em espiritualidade, mostraremos por meios das palavras, que somos de Deus (Ef. 4.29). •CONCLUSÃO Com o autor de Provérbios, devemos lembrar sempre que a língua tem um poder terapêutico, portanto, devemos usar a língua para o bem do próximo, nunca para o mal (Pv. 12.18; 15.4). A sabedoria consiste justamente na capacidade de saber distinguir o momento de falar e o de ficar calado (Pv. 10.19). O descontrole deve dar lugar à paciência, para não sermos contados entre os tolos (Ec. 7.8,9). Ao invés de revidar, o melhor mesmo é aceitar a instrução do Senhor, somente assim seremos verdadeiramente sábios (Pv. 19.20). PENSE NISSO!
    Fotos da linha do tempo.
  • Emilli Ramos

    em 20/08/2014



    Emilli Ramos compartilhou a foto de Pizza de Ontem.
    Já imaginou um musical cruzando as tramas de Cinderela, Chapeuzinho Vermelho, João e o Pé de Feijão e Rapunzel? Esta é a trama de Caminhos da Floresta (Into the Woods), da Disney! E o filme já tem uma imagem inédita de Meryl Streep como Bruxa e MacKenzie Mauzy como Rapunzel. Quem está ansioso aí? Assista ao primeiro trailer: http://wp.me/p2N8Ha-7qN
    Fotos da linha do tempo.
  • A casa na arvore ##3-floresta dos creepers !!!

  • Jair Ferraz

    em 21/02/2013 Via Google+


    Bento XVI nomeia bispo para a diocese de Floresta, PE.
    Bento XVI nomeia mais dois novos bispos para o Brasil: Padre Marco Aurélio Gubiotti (esq.) e padre Gabriele Marchesi, respectivamente novos bispos de Itabira-Coronel Fabriciano (MG) e Floresta (PE...
  • Zé da Rima

    em 06/08/2014 Via Youtube
    FLORESTA-PE VOTA EM ZÉ DA RIMA DEPUTADO ESTADUAL PSDC

  • CREDIAMIGO FLORESTA PE 2011 2013 RETRO

    HOMENAGEM A GUERREIRA EQUIPE DO CREDIAMIGO DE FLORESTA PE. ANTELMO MATIAS, GUTEMBERGER ARAGÃO, BIANCA CARVALHO, JOSIVANIO LIMA, AUSINEIDE, ANDREIA DOS PRAZER...

  • João Sarti

    em 20/07/2014 Via Youtube
    Há Gigantes lá no Céu - Dentro da Floresta - O Musical

    Dentro da Floresta - O Musical (Into the Woods) Há Gigantes lá no Céu (Giants in the Sky) João Sarti (João e o Pé de Feijão) Cia. Amadores de Teatro Sala Pal...




  • Fanete Aguiar Damasceno compartilhou a foto de EBD Fórum Escola Bíblica Dominical.
    SUBSÍDIO LIÇÃO Nº 8 – O CUIDADO COM A LÍNGUA O uso inadequado da língua pode resultar em prejuízos irreparáveis. Por isso, o cristão precisa ter cuidado para não se perder ao falar. No estudo desta semana veremos a respeito desse importante assunto. Inicialmente mostraremos o poder da língua, principalmente para a destruição das vidas. Em seguida, nos voltaremos para o perigo de uma língua descontrolado, que leva à ruina. Ao final, apontaremos algumas direções com vistas ao uso correto da língua, com vistas à edificação. •1. O PODER DA LÍNGUA As palavras têm o poder de ferir as pessoas, por isso todo cristão deveria medir bem as consequências do que vai dizer. Esse tema é recorrentemente abordado por Salomão nos Provérbios. Em Pv. 6.16-19 encontramos seis pecados que Deus aborrece, e um que Ele abomina, três deles ligados à língua: a língua mentirosa, a testemunha falsa e o que semeia contenda entre os irmãos. Para Tiago, o domínio da língua é uma das manifestações da verdadeira religiosidade. Ninguém pode se considerar autenticamente cristão a menos que seja capaz de dominar a sua língua. Aqueles que estão no magistério cristão, isto é, que foram vocacionados para o ensino, devem ter mais cuidado ainda (Tg. 3.1). Os líderes costumam ser observados nesse particular, e se não vigiarem poderão colocar o ministério a perder por causa de uma língua desenfreada. Há pastores que perdem o controle por qualquer motivo, e ao se exasperarem revelam quem seus sentimentos mais destruidores. Por esse motivo Tiago lembra que aquele que não tropeça na língua é varão perfeito (Tg. 3.2). Não podemos deixar de destacar que a língua tem o poder de dirigir, podemos orientar uma multidão pelo poder da língua (Tg. 3.3,4). Muitos líderes levaram as massas a tomar decisões pelo poder da palavra, como Martin Luther King Jr. E Adolf Hitler. O primeiro usou as palavras em prol dos direitos civis, para o bem da sociedade. O segundo também o usou a língua, conseguiu atingir as massas, mas para propagar ideias destruidoras. Isso mostra que a língua tanto tem o poder de construir quanto destruir, motivar as pessoas quanto menospreza-las. Ainda que essa seja pequena, comparada por Tiago a um freio e leme, é capaz de causar estragos de alta proporção. Como uma fagulha e uma porção de veneno, pode incendiar uma floresta inteira. Um boato na igreja pode destruir uma pessoa, e em alguns casos, toda uma família (Ef. 4.29). Os cristãos devem avaliar criteriosamente as declarações a respeito de um irmão ou irmã, antes de dirigir qualquer julgamento. A língua pode ser: perigosa (Tg. 3.6), indomável (Tg. 3.7). Por outro lado, esse pequeno instrumento também pode ser utilizado para glorificar a Deus, e para abençoar as pessoas. •2. O DESCONTROLE DA LÍNGUA Tiago destacou, no início da sua Epístola, que se alguém se considera religioso, mas não refreia a sua língua, engana-se a si mesmo. Sua religião não tem valor algum (Tg. 1.26). O descontrole da língua é um desastre, por isso os que ocupam posição de liderança devem estar atentos (Gl. 6.7). Isso porque, como advertiu o Senhor, a quem muito é dado, mais ainda será exigido (Lc. 12.48). Um líder com uma língua descontrolada é perigoso porque ele pode fazer tropeçar um dos pequeninos do Senhor (Mt. 18.6). Há pastores que utilizam o púlpito para desabafar, alguns deles para verbalizar seus descontroles emocionais. Esses estão ferindo muitos cristãos com suas palavras impensadas, além de desviar as ovelhas do rebanho, ainda preparam a própria ruina (Mt. 7.1,2; Rm. 2.1-3). Jesus lembrou que a boca fala do que o coração está cheio (Mt. 12.34), há pessoas que estão cheias de ódio e ressentimento. Por isso, quando se dirigem aos outros, até mesmo dentro das igrejas, liberam apenas veneno. Lembremos que é do interior do coração que vêm os maus pensamentos, as imoralidades sexuais, os roubos, homicídios, adultérios, cobiças, engano, arrogância e insensatez (Mc. 7.21,22). Existem pessoas tóxicas, que não há quem suporte ficar perto delas, não desperdiçam as oportunidades para causar destruição através da língua. Como bem lembra o autor dos Provérbios, essas pessoas estão sendo conduzidas à destruição (Pv. 10.8), pois acomodam sentimentos de violência (Pv. 10.11), elas cavam a própria cova (Pv. 26.27,28), suas conversas é armadilha e desgraça (Pv. 18.7). O uso da língua no ambiente familiar precisa ser bem avaliado, muitos pais estão destruindo a vida dos filhos, dirigindo-lhes palavras de menosprezo. Há pais que adjetivam seus filhos com palavras de menosprezo, resultado em baixa estima, e complexo de inferioridade. Marido e mulher devem ponderar no uso das palavras, os julgamentos precipitados, expressões jocosas, podem destruir o relacionamento conjugal. Ao invés de usar as palavras para destruir, devemos elogiar sempre que possível, reconhecendo o potencial das pessoas. •3. O USO CORRETO DA LÍNGUA O domínio da língua deve ser a meta de todo cristão que quer viver uma religiosidade madura. Como os homens aprenderam a domar os animais, devem fazer o mesmo com a língua. E isso somente poderá ser feito pelo poder do Espírito Santo, através da produção do Seu fruto no cristão (Gl. 5.22). Ao longo do tempo, em um processo de “adestramento” espiritual, o cristão aprende a não se enredar por meio do falar (Pv. 12.13). Devemos aprender com Jesus, até mesmo quando somos insultados, a não abrir a boca, a entregar as palavras destruidoras àquele que julga com justiça (I Pe. 2.22,23). Como Davi, devemos orar ao Senhor pedindo que Ele coloque uma guarda à nossa boca (Sl. 141.3). Reconhecemos que há em nós uma natureza corrompida, que precisa ser controlada pelo Espírito (Mt. 7.15-18). Mas quando somos espirituais, dirigidos pelo Espírito, orientados pela Palavra, controlamos os lábios (Tg. 3.12). O cristão deve investir na coerência, na relação entre o que diz e o que faz, não pode haver dubiedade, muito menos contradição, entre o falar e o proceder do cristão (Tg. 5.12). Evidentemente não somos perfeitos, mas não podemos deixar de buscar a perfeição. Não devemos permitir que palavras imorais nos conduzam à impureza, tenhamos cuidado com aqueles que se assentam na roda dos escarnecedores, apenas para falarem impropérios (Mt. 15.18,19). No dia de Juízo daremos conta de toda palavra inútil que tivermos falado, seremos absolvidos ou condenados pelas nossas palavras (Mt. 12.36,37). A língua deve ser um instrumento para o cristão abençoar, não amaldiçoar as pessoas. O uso correto da língua mostra quem de fato somos, afinal somos conhecidos pelos nossos frutos, e um deles é a palavra (Mt. 7.16-20). Quando falamos revelamos quem somos, nossas crenças, posições e interesses. Se investimos em espiritualidade, mostraremos por meios das palavras, que somos de Deus (Ef. 4.29). •CONCLUSÃO Com o autor de Provérbios, devemos lembrar sempre que a língua tem um poder terapêutico, portanto, devemos usar a língua para o bem do próximo, nunca para o mal (Pv. 12.18; 15.4). A sabedoria consiste justamente na capacidade de saber distinguir o momento de falar e o de ficar calado (Pv. 10.19). O descontrole deve dar lugar à paciência, para não sermos contados entre os tolos (Ec. 7.8,9). Ao invés de revidar, o melhor mesmo é aceitar a instrução do Senhor, somente assim seremos verdadeiramente sábios (Pv. 19.20). PENSE NISSO!
    Fotos da linha do tempo.
  • Dany Costa

    em 19/08/2014 Via Google+
    Mais imagens de Caminhos da Floresta (Into the Woods).

    " Caminhos da Floresta é um toque moderno nos amados contos de fadas dos Irmãos Grimm, entrelaçando as tramas de algumas estórias e explorando as consequências dos desejos e das missões dos personagens. Este musical bem-humorado e sincero segue as clássicas fábulas da Cinderela, Chapeuzinho Vermelho, João e o Pé de Feijão, Rapunzel e amarra todos juntos através de uma original, a qual envolve um padeiro, sua esposa, o desejo de começar uma família e sua interação com uma bruxa que colocou uma maldição sobre eles."
    Rob Marshall (diretor)Caminhos da Floresta
  • GM DOWNLOADS

    em 01/11/2013 Via Google+
    Caninana do Forro Em Floresta - PE - 31.10.13
    

    Caninana do Forro Em Floresta - PE - 31.10.13:ılıllı Gabriel CD's O Pipocado De Exu - PE ılıllıılıllı Gabriel CD's O Pipocado De Exu - PE ılıllı: Caninana do Forro Em Floresta - PE - 31.10.13
    Caninana do Forro Em Floresta - PE - 31.10.13ılıllı Gabriel CD's O Pipocado De Exu - PE ılıllıCaninana do Forro Em Floresta - PE - 31.10.13
  • Nivaldo Cruz

    em 20/08/2014
    Fauna Nordestina!


    Nivaldo Cruz compartilhou a foto de Caatinga.
    Mocó Foto: Eduardo Henrique Jr - Floresta-PE. www.facebook.com/vivacaatinga
    Fotos da linha do tempo.
  • Isva Salvi

    em 20/08/2014



    Isva Salvi compartilhou a foto de EBD Fórum Escola Bíblica Dominical.
    SUBSÍDIO LIÇÃO Nº 8 – O CUIDADO COM A LÍNGUA O uso inadequado da língua pode resultar em prejuízos irreparáveis. Por isso, o cristão precisa ter cuidado para não se perder ao falar. No estudo desta semana veremos a respeito desse importante assunto. Inicialmente mostraremos o poder da língua, principalmente para a destruição das vidas. Em seguida, nos voltaremos para o perigo de uma língua descontrolado, que leva à ruina. Ao final, apontaremos algumas direções com vistas ao uso correto da língua, com vistas à edificação. •1. O PODER DA LÍNGUA As palavras têm o poder de ferir as pessoas, por isso todo cristão deveria medir bem as consequências do que vai dizer. Esse tema é recorrentemente abordado por Salomão nos Provérbios. Em Pv. 6.16-19 encontramos seis pecados que Deus aborrece, e um que Ele abomina, três deles ligados à língua: a língua mentirosa, a testemunha falsa e o que semeia contenda entre os irmãos. Para Tiago, o domínio da língua é uma das manifestações da verdadeira religiosidade. Ninguém pode se considerar autenticamente cristão a menos que seja capaz de dominar a sua língua. Aqueles que estão no magistério cristão, isto é, que foram vocacionados para o ensino, devem ter mais cuidado ainda (Tg. 3.1). Os líderes costumam ser observados nesse particular, e se não vigiarem poderão colocar o ministério a perder por causa de uma língua desenfreada. Há pastores que perdem o controle por qualquer motivo, e ao se exasperarem revelam quem seus sentimentos mais destruidores. Por esse motivo Tiago lembra que aquele que não tropeça na língua é varão perfeito (Tg. 3.2). Não podemos deixar de destacar que a língua tem o poder de dirigir, podemos orientar uma multidão pelo poder da língua (Tg. 3.3,4). Muitos líderes levaram as massas a tomar decisões pelo poder da palavra, como Martin Luther King Jr. E Adolf Hitler. O primeiro usou as palavras em prol dos direitos civis, para o bem da sociedade. O segundo também o usou a língua, conseguiu atingir as massas, mas para propagar ideias destruidoras. Isso mostra que a língua tanto tem o poder de construir quanto destruir, motivar as pessoas quanto menospreza-las. Ainda que essa seja pequena, comparada por Tiago a um freio e leme, é capaz de causar estragos de alta proporção. Como uma fagulha e uma porção de veneno, pode incendiar uma floresta inteira. Um boato na igreja pode destruir uma pessoa, e em alguns casos, toda uma família (Ef. 4.29). Os cristãos devem avaliar criteriosamente as declarações a respeito de um irmão ou irmã, antes de dirigir qualquer julgamento. A língua pode ser: perigosa (Tg. 3.6), indomável (Tg. 3.7). Por outro lado, esse pequeno instrumento também pode ser utilizado para glorificar a Deus, e para abençoar as pessoas. •2. O DESCONTROLE DA LÍNGUA Tiago destacou, no início da sua Epístola, que se alguém se considera religioso, mas não refreia a sua língua, engana-se a si mesmo. Sua religião não tem valor algum (Tg. 1.26). O descontrole da língua é um desastre, por isso os que ocupam posição de liderança devem estar atentos (Gl. 6.7). Isso porque, como advertiu o Senhor, a quem muito é dado, mais ainda será exigido (Lc. 12.48). Um líder com uma língua descontrolada é perigoso porque ele pode fazer tropeçar um dos pequeninos do Senhor (Mt. 18.6). Há pastores que utilizam o púlpito para desabafar, alguns deles para verbalizar seus descontroles emocionais. Esses estão ferindo muitos cristãos com suas palavras impensadas, além de desviar as ovelhas do rebanho, ainda preparam a própria ruina (Mt. 7.1,2; Rm. 2.1-3). Jesus lembrou que a boca fala do que o coração está cheio (Mt. 12.34), há pessoas que estão cheias de ódio e ressentimento. Por isso, quando se dirigem aos outros, até mesmo dentro das igrejas, liberam apenas veneno. Lembremos que é do interior do coração que vêm os maus pensamentos, as imoralidades sexuais, os roubos, homicídios, adultérios, cobiças, engano, arrogância e insensatez (Mc. 7.21,22). Existem pessoas tóxicas, que não há quem suporte ficar perto delas, não desperdiçam as oportunidades para causar destruição através da língua. Como bem lembra o autor dos Provérbios, essas pessoas estão sendo conduzidas à destruição (Pv. 10.8), pois acomodam sentimentos de violência (Pv. 10.11), elas cavam a própria cova (Pv. 26.27,28), suas conversas é armadilha e desgraça (Pv. 18.7). O uso da língua no ambiente familiar precisa ser bem avaliado, muitos pais estão destruindo a vida dos filhos, dirigindo-lhes palavras de menosprezo. Há pais que adjetivam seus filhos com palavras de menosprezo, resultado em baixa estima, e complexo de inferioridade. Marido e mulher devem ponderar no uso das palavras, os julgamentos precipitados, expressões jocosas, podem destruir o relacionamento conjugal. Ao invés de usar as palavras para destruir, devemos elogiar sempre que possível, reconhecendo o potencial das pessoas. •3. O USO CORRETO DA LÍNGUA O domínio da língua deve ser a meta de todo cristão que quer viver uma religiosidade madura. Como os homens aprenderam a domar os animais, devem fazer o mesmo com a língua. E isso somente poderá ser feito pelo poder do Espírito Santo, através da produção do Seu fruto no cristão (Gl. 5.22). Ao longo do tempo, em um processo de “adestramento” espiritual, o cristão aprende a não se enredar por meio do falar (Pv. 12.13). Devemos aprender com Jesus, até mesmo quando somos insultados, a não abrir a boca, a entregar as palavras destruidoras àquele que julga com justiça (I Pe. 2.22,23). Como Davi, devemos orar ao Senhor pedindo que Ele coloque uma guarda à nossa boca (Sl. 141.3). Reconhecemos que há em nós uma natureza corrompida, que precisa ser controlada pelo Espírito (Mt. 7.15-18). Mas quando somos espirituais, dirigidos pelo Espírito, orientados pela Palavra, controlamos os lábios (Tg. 3.12). O cristão deve investir na coerência, na relação entre o que diz e o que faz, não pode haver dubiedade, muito menos contradição, entre o falar e o proceder do cristão (Tg. 5.12). Evidentemente não somos perfeitos, mas não podemos deixar de buscar a perfeição. Não devemos permitir que palavras imorais nos conduzam à impureza, tenhamos cuidado com aqueles que se assentam na roda dos escarnecedores, apenas para falarem impropérios (Mt. 15.18,19). No dia de Juízo daremos conta de toda palavra inútil que tivermos falado, seremos absolvidos ou condenados pelas nossas palavras (Mt. 12.36,37). A língua deve ser um instrumento para o cristão abençoar, não amaldiçoar as pessoas. O uso correto da língua mostra quem de fato somos, afinal somos conhecidos pelos nossos frutos, e um deles é a palavra (Mt. 7.16-20). Quando falamos revelamos quem somos, nossas crenças, posições e interesses. Se investimos em espiritualidade, mostraremos por meios das palavras, que somos de Deus (Ef. 4.29). •CONCLUSÃO Com o autor de Provérbios, devemos lembrar sempre que a língua tem um poder terapêutico, portanto, devemos usar a língua para o bem do próximo, nunca para o mal (Pv. 12.18; 15.4). A sabedoria consiste justamente na capacidade de saber distinguir o momento de falar e o de ficar calado (Pv. 10.19). O descontrole deve dar lugar à paciência, para não sermos contados entre os tolos (Ec. 7.8,9). Ao invés de revidar, o melhor mesmo é aceitar a instrução do Senhor, somente assim seremos verdadeiramente sábios (Pv. 19.20). PENSE NISSO!
    Fotos da linha do tempo.
  • Rodrigo Kwiatkowski Guedes ei quero assistir esse filme :3


    Gleisieny Rodrigues compartilhou a foto de Pizza de Ontem.
    Já imaginou um musical cruzando as tramas de Cinderela, Chapeuzinho Vermelho, João e o Pé de Feijão e Rapunzel? Esta é a trama de Caminhos da Floresta (Into the Woods), da Disney! E o filme já tem uma imagem inédita de Meryl Streep como Bruxa e MacKenzie Mauzy como Rapunzel. Quem está ansioso aí? Assista ao primeiro trailer: http://wp.me/p2N8Ha-7qN
    Fotos da linha do tempo.
  • HAHAHAHA!!!!! MARINA SILVA É O PESADEEEELOOOO..... Cuidaaaadoooo, ela vai vir puxar o seu pé a noite.... principalmente se vc tiver alguma terrinha!!! ELA É PARENTE DO FREDI GRUGUER.... Ela ataca o sonho de todo o grande fazendeiro no Brasil... QUER TRANSFORMAR O BRASIL NUMA GRANDE FLORESTA!!!


    veja.abril.com.br
    A ascensão de Marina é o pesadelo do agronegócio.
    A provável candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, deve continuar enfrentando bastante resistência de representantes do agronegócio, que temem possíveis prejuízos ao setor, caso ela vença a disputa eleitoral.
  • "Fazendo a floresta valer mais em pé do que derrubada!"


    fas-amazonas.org
    FAS e Fundação Roberto Marinho realizam oficina ‘Florestabilidade’ em Manaus.
    Projeto incentiva o manejo florestal sustentável em unidades de conservação (UCs) do interior do Estado
  • Um pouco da historia do Maracá na Doutrina do Santo Daime. O Maraca Esta seção é dedicada ao primeiro instrumento musical na doutrina de Irineu Serra, introduzido na segunda metade da década de 30, motivo de muita controvérsia e diferentes opiniões, mas uma unanimidade entre os fardados mais antigos e cientes de seu papel dentro do salão. Segundo os ensinos ele é obrigatório a todo fardado dentro de um serviço bailado; instrução esta ainda seguida por muitos dos centros mais próximos da liturgia original, onde aqueles que não o portam tem a faculdade de assistir o trabalho sentado. De grande força dentro de um serviço espiritual, sua batida deve estar sempre em uníssono com os passos do bailado, daí muitas vezes se fazer referência ao maracá como um harmonizador dos passos do baile. É sabido que o Mestre teve muitas dificuldades em apresentar o instrumento ao seu grupo de seguidores, no desenvolver de sua doutrina, como atesta o depoimento de Jairo Carioca, que nos conta: “Sua introdução nos trabalhos de hinários, como afirmam os mais antigos, foi uma das tarefas mais difíceis encontradas pelo Mestre Irineu. ‘Eu mesma muitas vezes não tinha paciência para ensaiar e saía da forma. Uma vez eu me irritei tanto, que joguei o maracá na mesa e disse que não bailava mais’, lembra dona Percília Matos. Desde então surgiram os ensaios na doutrina. Mestre Irineu passou a reunir o grupo nos fins de semana, e de forma paciente, ele ia ensinando de um por um a bailar, muitas vezes pegando na mão e mostrando os passos que tinham que ser dados de acordo como a Rainha pedia para ele. Ao que se sabe, foram quase seis meses de intensos ensaios, até que pudesse ser executada a forma ideal de bailado instruído pelo Mestre Irineu”. Abaixo as inestimáves palavras de Daniel Arcelino Serra sobre o Maracá, conforme os ensinos passados pelo Mestre Irineu, inclusive sobre a forma dele tocar. “O maracá, que foi o primeiro instrumento que ele recebeu da Rainha, era o seguinte, tinha ensaio para as pessoas que queriam aprender. Tem gente que quer tirar o maracá dos trabalhos, isso está errado. O maracá é batido na mão, assim era a instrução dele [do Mestre]. Só não se usa maracá nos trabalhos de concentração, nem mesmo o dirigente toca. Os Hinos Novos, por exemplo, é cantado em pé e sem instrumento. A concentração dura 3h, 2h de silêncio e 1h para os Hinos Novos. Quanto aos trabalhos sentados, muitas vezes a gente fazia trabalho sentado usando o maracá. Nesta época, o Mestre fazia o Daime Rondante, aonde íamos de casa em casa realizar os trabalhos. Cada dia na casa de um irmão. Quanto ao repique, ele [o Mestre] usava ocasionalmente, quando o ritmo e o compasso dentro dos trabalhos permitia. O repique é permitido, desde que não atrapalhe os músicos, pois ele pode interferir demais. Tem que ser dentro do compasso do trabalho. O Mestre* usava uma lata de leite ninho [500g], daquela grande, e o resto do grupo a de nescau [média], e com o tempo as pessoas foram imitanto ele. O João Nica, do Centro Rainha da Floresta, lá no Alto Santo, até hoje usa essas latas gigantes”. Fonte :http://afamiliajuramidam.org/liturgia/maraca.html


    afamiliajuramidam.org
    O Maracá na doutrina.
    “Sua introdução nos trabalhos de hinários, como afirmam os mais antigos, foi uma das tarefas mais difíceis encontradas pelo Mestre Irineu. ‘Eu mesma muitas vezes não tinha paciência para ensaiar e saía da forma. Uma vez eu me irritei tanto, que joguei o maracá na mesa e disse que não bailava mais’,…
  • Mano Walter - Floresta-PE 13-04-2014 Cd Com Musicas Novas
    Gênero: Forró | Tamanho: 127,92 MB | Créditos: Etn Gravações

    Mano Walter - Floresta-PE 13-04-2014 Cd Com Musicas Novas |
    O Forró Calcinha Preta liberou recentemente mais uma canção do seu novo CD Promocional que em breve será lançado. Interpretada pelo ... Washington Brasileiro Cd Ao Vivo 2014. Gênero: Forró | Tamanho: 112,06 MB | Créditos: Studio Kamikazy. Paulinho e Nininho na carrapateira-2013 ...
  • GABRIEL DINIZ - FLORESTA-PE 11.05.2014
    Tamanho do arquivo:   166,77 MB Postado por :   Gabriel Diniz Oficial [ Diego Edições ]  

    Matheuzim Gravações: GABRIEL DINIZ - FLORESTA-PE 11.05.2014
    Aviões do Forró · Bonde do Brasil · Farra de Rico · Filho Araújo & a Farra · Forro Real · Gabriel Diniz · Garota Safada · Limao com Mel · Luan Estilizado · Roberto Rocha · Serginho Lisboa · Solteirões do Forró · Anuncie aqui! GABRIEL DINIZ - FLORESTA-PE 11.05.2014. Marcadores: Gabriel Diniz ...



  • Izabel Martins Teixeira compartilhou a foto de O Velho Jornal.
    DATAFOLHA "BOCA DE VELÓRIO" DESMONTA CAMPANHA PETISTA E agora, João Santana? E agora, Dilma? E agora, Lula? E agora, PT? Todo o discurso do "nós contra eles" caiu por terra com a entrada de Marina Silva no páreo. Ela passa a ser mais um adversário e fez parte do governo Lula, durante anos. Tem DNA petista. Se a campanha do PT ficar atacando o PSDB, Marina sobe, vai para o segundo turno e leva os votos tucanos. Como mostrou a pesquisa "boca de velório" do Datafolha que saiu hoje, a ex-petista costuma levar 100% dos votos da floresta. É a Marina correntão. Não esquecer, também, que todo o discurso marineiro é de alternativa à "polarização", é de "terceira via". Pior de tudo: não dá para espalhar boato de que a antiga seringueira vai acabar com a Bolsa Família ou que é da elite branca e cheirosa de Higienópolis, com aquela cara de Madre Teresa do Xapuri. A verdade é que o marqueteiro vai ter que mudar o discurso petista na última hora. Tudo o que fizeram até agora está morto e sepultado pela trágica ascensão de Marina Silva. Dilma, João Santana e Lula: estratégia da campanha com o pé na cova.
    Fotos da linha do tempo.



  • Rosemeire Oliveira compartilhou a nota de Claudio Sisto: O Perigo do Satanismo - Eva Lundgren, Universidade de Uppsala.
    O Perigo do Satanismo - Eva Lundgren, Universidade de Uppsala..
    Caros amigos, com profundo horror à barbárie manifesto que existe no mundo e você não pode negar. Aquele que é fiel deve bravamente defender sua fé não permitindo qualquer coisa para vos intimidar. Qu

AVISO: O conteúdo de cada postagem é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Previsão do tempo na Região


Participe e comente sobre a cidade de Floresta


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)