Início » Minas Gerais » Alvarenga » Notícias


Últimas Notícias da cidade de Alvarenga - MG nas Redes Sociais

As Notícias são atualizadas em tempo real.

  • ..."DATALHE DO CATIVEIRO: APROXIMADAMENTE 23 HORAS UMA EQUIPE DA REDE GLOBO INVADE MEU CATIVEIRO, COM PERMISSÃO E CONIVÊNCIA DO CRIME ORGANIZADO ENCASTELADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. ATERRORIZADO E EM PÂNICO, IMPLOREI PARA NÃO SER FILMADO POIS SE TENTASSE OFERECER MINHA VERSÃO DOS FATOS SERIA ARREBENTADO E MORTO PELOS MEUS SEQUESTRADORES, MAS A REDE GLOBO ME FILMOU, APESAR DA MINHA SÚPLICA DE REFÉM"...


    Edison Netto Lasmar compartilhou uma foto
    PARTICIPAÇÃO DA REDE GLOBO NO MEU SEQUESTRO, SEGUNDO A PRÓPRIA POLÍCIA FEDERAL: EM MEU DEPOIMENTO À POLÍCIA FEDERAL NO MATO GROSSO DO SUL (NA SEDE DA SUPERINTENDÊNCIA DA PF), NA MINHA PRESENÇA E NA PRESENÇA DE WALTER COUTINHO JÚNIOR (CHEFE DO DEPARTAMENTO DE IDENTIFICAÇÃO E DELIMITAÇÃO DE TERRAS INDÍGENAS/DAF/FUNAI), JAIR TERRA (TERRASUL/MS) E DE OUTROS TRÊS POLICIAIS FEDERAIS, UM DOS MEMBROS DA POLÍCIA FEDERAL INFORMOU DA POSSIBILIDADE DE QUEBRA DO SIGILO TELEFÔNICO DA REDE GLOBO DE TELEVISÃO, POR HAVER INDÍCIOS DA PARTICIPAÇÃO NA ORGANIZAÇÃO DO SEQUESTRO. A REDE GLOBO PROMOVEU UMA SESSÃO EXCLUSIVA DE TORTURA NO CATIVEIRO COM PERMISSÃO DA POLÍCIA FEDERAL (VANTUIR JACINE BRASIL, ENTÃO SUPERINTENDENTE DA PF/MS). CRIME IMPUNE, MAS JAMAIS ESQUECIDO. TORTURA NÃO SE ESQUECE! MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PARTICIPARAM DIRETAMENTE DO MEU SEQUESTRO E DAS TORTURAS QUE SOFRI NO CATIVEIRO. DATALHE DO CATIVEIRO: APROXIMADAMENTE 23 HORAS UMA EQUIPE DA REDE GLOBO INVADE MEU CATIVEIRO, COM PERMISSÃO E CONIVÊNCIA DO CRIME ORGANIZADO ENCASTELADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. ATERRORIZADO E EM PÂNICO, IMPLOREI PARA NÃO SER FILMADO POIS SE TENTASSE OFERECER MINHA VERSÃO DOS FATOS SERIA ARREBENTADO E MORTO PELOS MEUS SEQUESTRADORES, MAS A REDE GLOBO ME FILMOU, APESAR DA MINHA SÚPLICA DE REFÉM, TRANSMITIU CALÚNIAS NO BRASIL E NO EXTERIOR A MEU RESPEITO, SEM SEQUER OFERECER POSSIBILIDADE DE CONTRADITÓRIO MUITO MENOS RESPEITAR MEU SOFRIMENTO PELAS TORTURAS. AS IMAGENS "EXCLUSIVAS DA GLOBO" FORAM OBTIDAS MEDIANTE TORTURA E PARCERIA COM O CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. RESUMO DO CASO: EM AGOSTO DE 2000, CONTRATADO PELA UNESCO A SERVIÇO DA UNIÃO FEDERAL PARA COORDENAR O GRUPO TÉCNICO DE REVISÃO DOS LIMITES DA TERRA INDÍGENA BURITI, DE OCUPAÇÃO DA ETNIA TERENA, SITUADA NO MATO GROSSO DO SUL,EM AÇÃO DO CRIME ORGANIZADO FUI SEQUESTRADO, FEITO REFÉM E TORTURADO POR QUASE DOIS DIAS NA SEDE DA FUNAI EM CAMPO GRANDE - MS. A MINHA VIDA PESSOAL, AFETIVA E EM PARTE A PROFISSIONAL, FOI DESTRUÍDA, JOGADA NO LIXO, NO ESGOTO. A AÇÃO FOI COMANDADA E OPERADA POR SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS E DO ESTADO DO MATO GROSSO DO SUL, E POR DIVERSOS SUPOSTOS JORNALISTAS, PRINCIPALMENTE DA REDE GLOBO, DA FOLHA DE SÃO PAULO, DO ESTADO DE SÃO PAULO E JORNAL DO BRASIL, ENTRE OUTRAS PESSOAS. FUI FILMADO, XINGADO, HUMILHADO, TUDO FILMADO E PUBLICADO PELOS RSPECTIVOS VEÍCULOS DE "COMUNICAÇÃO-JORNALISMO", NO INTERIOR DE UM CATIVEIRO, CERCADO DE SEQUESTRADORES ARMADOS. SOU PROIBIDO DE TER ACESSO E CONHECER AS IMAGENS VEICULADAS NAS TVS, INCLUSIVE CANAIS DE TVS ABERTAS. TAMBÉM PROIBIDO DE TER ACESSO AOS DADOS E INFORMAÇÕES A MEU RESPEITO SOBRE OS FATOS EM COMENTO, VIOLAÇÃO GRITANTE DOS DIREITOS HUMANOS. SOLICITEI À UNESCO APOIO MÉDICO E ASSISTÊNCIA JURÍDICA, E INTERVENÇÃO PARA QUE EU POSSA TER ACESSO ÀS INFORMAÇÕES A MEU RESPEITO, E TRADUÇÃO DO MEU CONTRATO DO IDIOMA FRANCÊS PARA O PORTUGUÊS, MAS A UNESCO NEGOU, SEQUER RESPONDEU AOS DOCUMENTOS PROTOCOLADOS NESSE SENTIDO. PARTICIPAM DO ACOBERTAMENTO, DA CENSURA, DAS FRAUDES APURATÓRIAS AS SEGUINTES INSTITUIÇÕES ENTRE OUTRAS QUE EU POSSA DESCONHECER A AÇÃO OU OMISSÃO CRIMINOSA: POLÍCIA FEDERAL, FUNAI, DEFENSORIA PÚBLICA GERAL DA UNIÃO, CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO, MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, UNESCO, OAB NACIONAL, COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS DA CÂMARA DOS DEPUTADOS. PRESENÇA E ATUAÇÃO DO CRIME ORGANIZADO NA TERRA INDÍGENA BURITI - MS/BR TRECHO DE CARTA QUE ENCAMINHEI À CGU EM 2005 (APURAÇÃO FOI FRAUDADA): ..."Solicito a Vossa Excelência oportunidade de prestar depoimento a essa Corregedoria Geral da União, preferencialmente que o mesmo seja gravado, onde poderei oferecer maiores detalhes, o que não faço agora por não dispor de condições psicológicas para fazê-lo por escrito (as seqüelas do meu seqüestro limitam muito a minha capacidade de escrever, a contento, sobre os fatos). Desde já, entretanto, quero registrar a participação criminosa, por ação ou omissão no caso em comento, das seguintes pessoas: BLAL YASSINE DALLOUL – Procurador da República/MPU-MS TÃNIA BARRETO – Procuradora Federal/FUNAI JOCELIN SALOMÃO – Procurador Federal/FUNAI/MS DINARTE NOBRE DE MADEIROS – Então Vice-Presidente da FUNAI GÊNIO DA COSTA ALVAREZ – Então Presidente da FUNAI PAULO ROBERTO SOARES – Então Diretor de Assuntos Fundiários da FUNAI JORGE ANTÔNIO DAS NEVES – Então Chefe do PIN Buriti – FUNAI/MS MOHAMED SEABRA FARIA – Engenheiro florestal – FUNAI Os outros envolvidos nessa seqüência de crimes, principalmente do Departamento de Polícia Federal/DPF e da Fundação Nacional do Índio/FUNAI, onde o meu brutal seqüestro é apenas uma parte (conforme Vossa Excelência pode constatar, inicialmente, até mesmo pelas “notícias” veiculadas na Internet - cópias em anexo, já havia sido sequestrado anteriormente na TI.Buriti, um historiador), eu não posso afirmar com certeza quem são, pois a covardia de não me deixarem ter acesso aos documentos sobre o caso, me impede de buscar com maior celeridade e eficácia seja meus direitos, seja aprofundar minhas denúncias, e com isto colaborar com sociedade brasileira e autoridades sérias do Brasil. Os nomes acima, dizem respeito à esfera federal, pois não incluem os servidores públicos do Estado do Mato Grosso do Sul, JAIR TERRA, LUIS CARLOS GOMES GAÚNA e EZEQUIEL FREIRE DA SILVA (antigo TERRASUL), que me torturaram psicologicamente no meu cativeiro (ao qual tiveram livre acesso) situado na Avenida Principal de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, Sede da Fundação Nacional do Índio/FUNAI naquele Estado, e os supostos “profissionais” de parte significativa da mídia brasileira, principalmente das empresas REDE GLOBO, FOLHA DE SÃO PAULO e outras da “grande mídia”, que covardemente difundiram mentiras e/ou trataram de forma leviana a situação, mentiram a meu respeito enquanto eu me encontrava REFÉM de pessoas armadas, "... PROSTITUIÇÃO INSTITUCIONAL NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA, NO PODER EXECUTIVO FEDERAL E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. CASO ALGUÉM NÃO ENTENDA OS NOMES DAS INSTITUIÇÕES E PESSOAS QUE EU ESTOU CITANDO, POSSO DESENHAR. SERÁ PRECISO? CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL! CHEFE SUPERIOR AO JORGE: VANTUIR JACINE, ATUAL SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO MATO GROSSO DO SUL, EX - SUPERINTENDENTE DA POLÍCIA FEDERAL NAQUELE ESTADO. FOI, A PEDIDO (MANDO), DA REDE GLOBO E DE RURALISTAS, A QUEM SERVE COMO CAPACHO QUE É, QUE FRANQUEOU MEU CATIVEIRO PARA A EQUIPE DA REDE GLOBO ENTRAR À NOITE E ME FILMAR, APESAR DE EU IMPLORAR PARA ISSO NÃO ACONTECER, POIS MEUS SEQUESTRADORES (ARMADOS ) PODERIAM ME MATAR SE EU TENTASSE OFERECER MINHA VERSÃO DOS FATOS. FILMARAM E EXIBIRAM TUDO. EU ATÉ HOJE NÃO CONSEGUI TER ACESSO ÀS IMAGENS. A REDE GLOBO NÃO DEIXA O ESTADO BRASILEIRO ( EXECUTIVO, LEGISLATIVO E MPF, ALÉM DA UNESCO) ME CEDEREM AS IMAGENS PARA EU TOMAR CONHECIMENTO E RESPONDER. NUNCA FIZ O LAUDO QUE ME ATRIBUÍRAM, E MESMO QUE O TIVESSE FEITO, NÃO PODERIA TER SIDO SEQUESTRADO, FEITO REFÉM E TORTURADO POR DOIS DIAS, NA SEDE DA FUNAI EM CAMPO GRANDE - MS. JORGE ANTÔNIO DAS NEVES, "COORDENADOR TÉCNICO DA FUNAI EM SIDROLÂNDIA - MS" É ARQUIVO VIVO DO CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA ( FUNAI E POLÍCIA FEDERAL) E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. É SEQUESTRADOR E TORTURADOR. VERGONHA NA FUNAI: JORGE ANTÔNIO DAS NEVES FOI O ORGANIZADOR OPERACIONAL DO MEU SEQUESTRO E CATIVEIRO NA SEDE DA FUNAI EM CAMPO GRANDE - MS, NO ANO DE 2000. É UM TORTURADOR, MAS APADRINHADO PELO CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, CONTINUA OPERANDO NA FUNAI E TEM CARGO DE CONFIANÇA. PRESTEI DEPOIMENTO DE MAIS DE QUATRO HORAS NA CORREGEDORIA NACIONAL DA POLÍCIA FEDERAL EM BRASÍLIA, MAS O A CONCLUSÃO DO INQUÉRITO FOI FRAUDADO PELA ENTÃO CORREGEDORA NACIONAL DA PF DELEGADA FEDERAL NEIDE ALVES ALVARENGA. TAMBÉM FRAUDOU AS APURAÇÕES O PROCURADOR DA REPÚBLICA BLAL YASSINE DALLOU. Artigo 5 da Constituição Federal: é garantida a livre expressão e manifestação do pensamento, e acesso à informação, SENDO VEDADO O ANONIMATO. MINHA QUALIFICAÇÃO E IDENTIFICAÇÃO: EDISON NETTO LASMAR, antropólogo, especialista em regularização fundiária de terras indígenas, autor de estudos, pareceres e coordenador de grupos técnicos de regularização de terras indígenas, envolvendo diversas etnias brasileiras. Todos os trabalhos aprovados pela FUNAI, MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA - QUANDO ISSO SE FAZIA NECESSÁRIO FACE EXIGÊNCIAS LEGAIS (Mormente Artigo 231 da Constituição federal, Decreto 1,775 de 8 de Janeiro de 1996 e Portaria MJ 14 de 9 de Janeiro de 1996). CPF: 151 801 071 - 72 CI: M - 6 274 576 SSP MG
    Fotos da linha do tempo.
  • Ator Samuel Alvarenga DRT/MG: 5503
  • DEDO DE PROSA com Evandro Alvarenga Rádio Vida Nova FM Guanhães MG 22/04/2014

  • DEDO DE PROSA, com Evandro Alvarenga - 15/05/2014

    DEDO DE PROSA com Evandro Alvarenga Rádio Vida Nova FM Guanhães MG.

  • Ator Samuel Alvarenga - DRT/MG..5503

    Ator Samuel Alvarenga - DRT/MG..5503
    DSC01778.JPG
  • Oseias Santos

    em 07/07/2014 Via Youtube
    Alvarenga MG

  • Dedo de Prosa, com Evandro Alvarenga - 22/05/2014

    Dedo de Prosa com Evandro Alvarenga Rádio Vida Nova FM Guanhães MG 22/05/2014.

  • Dedo de Prosa, com Evandro Alvarenga - 03/07/2014

    Dedo de Prosa, com Evandro Alvarenga Rádio Vida Nova FM Guanhães - MG 03/07/2014.

  • ..."DATALHE DO CATIVEIRO: APROXIMADAMENTE 23 HORAS UMA EQUIPE DA REDE GLOBO INVADE MEU CATIVEIRO, COM PERMISSÃO E CONIVÊNCIA DO CRIME ORGANIZADO ENCASTELADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. ATERRORIZADO E EM PÂNICO, IMPLOREI PARA NÃO SER FILMADO POIS SE TENTASSE OFERECER MINHA VERSÃO DOS FATOS SERIA ARREBENTADO E MORTO PELOS MEUS SEQUESTRADORES, MAS A REDE GLOBO ME FILMOU, APESAR DA MINHA SÚPLICA DE REFÉM"...


    Edison Netto Lasmar compartilhou uma foto
    PARTICIPAÇÃO DA REDE GLOBO NO MEU SEQUESTRO, SEGUNDO A PRÓPRIA POLÍCIA FEDERAL: EM MEU DEPOIMENTO À POLÍCIA FEDERAL NO MATO GROSSO DO SUL (NA SEDE DA SUPERINTENDÊNCIA DA PF), NA MINHA PRESENÇA E NA PRESENÇA DE WALTER COUTINHO JÚNIOR (CHEFE DO DEPARTAMENTO DE IDENTIFICAÇÃO E DELIMITAÇÃO DE TERRAS INDÍGENAS/DAF/FUNAI), JAIR TERRA (TERRASUL/MS) E DE OUTROS TRÊS POLICIAIS FEDERAIS, UM DOS MEMBROS DA POLÍCIA FEDERAL INFORMOU DA POSSIBILIDADE DE QUEBRA DO SIGILO TELEFÔNICO DA REDE GLOBO DE TELEVISÃO, POR HAVER INDÍCIOS DA PARTICIPAÇÃO NA ORGANIZAÇÃO DO SEQUESTRO. A REDE GLOBO PROMOVEU UMA SESSÃO EXCLUSIVA DE TORTURA NO CATIVEIRO COM PERMISSÃO DA POLÍCIA FEDERAL (VANTUIR JACINE BRASIL, ENTÃO SUPERINTENDENTE DA PF/MS). CRIME IMPUNE, MAS JAMAIS ESQUECIDO. TORTURA NÃO SE ESQUECE! MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PARTICIPARAM DIRETAMENTE DO MEU SEQUESTRO E DAS TORTURAS QUE SOFRI NO CATIVEIRO. DATALHE DO CATIVEIRO: APROXIMADAMENTE 23 HORAS UMA EQUIPE DA REDE GLOBO INVADE MEU CATIVEIRO, COM PERMISSÃO E CONIVÊNCIA DO CRIME ORGANIZADO ENCASTELADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. ATERRORIZADO E EM PÂNICO, IMPLOREI PARA NÃO SER FILMADO POIS SE TENTASSE OFERECER MINHA VERSÃO DOS FATOS SERIA ARREBENTADO E MORTO PELOS MEUS SEQUESTRADORES, MAS A REDE GLOBO ME FILMOU, APESAR DA MINHA SÚPLICA DE REFÉM, TRANSMITIU CALÚNIAS NO BRASIL E NO EXTERIOR A MEU RESPEITO, SEM SEQUER OFERECER POSSIBILIDADE DE CONTRADITÓRIO MUITO MENOS RESPEITAR MEU SOFRIMENTO PELAS TORTURAS. AS IMAGENS "EXCLUSIVAS DA GLOBO" FORAM OBTIDAS MEDIANTE TORTURA E PARCERIA COM O CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. RESUMO DO CASO: EM AGOSTO DE 2000, CONTRATADO PELA UNESCO A SERVIÇO DA UNIÃO FEDERAL PARA COORDENAR O GRUPO TÉCNICO DE REVISÃO DOS LIMITES DA TERRA INDÍGENA BURITI, DE OCUPAÇÃO DA ETNIA TERENA, SITUADA NO MATO GROSSO DO SUL,EM AÇÃO DO CRIME ORGANIZADO FUI SEQUESTRADO, FEITO REFÉM E TORTURADO POR QUASE DOIS DIAS NA SEDE DA FUNAI EM CAMPO GRANDE - MS. A MINHA VIDA PESSOAL, AFETIVA E EM PARTE A PROFISSIONAL, FOI DESTRUÍDA, JOGADA NO LIXO, NO ESGOTO. A AÇÃO FOI COMANDADA E OPERADA POR SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS E DO ESTADO DO MATO GROSSO DO SUL, E POR DIVERSOS SUPOSTOS JORNALISTAS, PRINCIPALMENTE DA REDE GLOBO, DA FOLHA DE SÃO PAULO, DO ESTADO DE SÃO PAULO E JORNAL DO BRASIL, ENTRE OUTRAS PESSOAS. FUI FILMADO, XINGADO, HUMILHADO, TUDO FILMADO E PUBLICADO PELOS RSPECTIVOS VEÍCULOS DE "COMUNICAÇÃO-JORNALISMO", NO INTERIOR DE UM CATIVEIRO, CERCADO DE SEQUESTRADORES ARMADOS. SOU PROIBIDO DE TER ACESSO E CONHECER AS IMAGENS VEICULADAS NAS TVS, INCLUSIVE CANAIS DE TVS ABERTAS. TAMBÉM PROIBIDO DE TER ACESSO AOS DADOS E INFORMAÇÕES A MEU RESPEITO SOBRE OS FATOS EM COMENTO, VIOLAÇÃO GRITANTE DOS DIREITOS HUMANOS. SOLICITEI À UNESCO APOIO MÉDICO E ASSISTÊNCIA JURÍDICA, E INTERVENÇÃO PARA QUE EU POSSA TER ACESSO ÀS INFORMAÇÕES A MEU RESPEITO, E TRADUÇÃO DO MEU CONTRATO DO IDIOMA FRANCÊS PARA O PORTUGUÊS, MAS A UNESCO NEGOU, SEQUER RESPONDEU AOS DOCUMENTOS PROTOCOLADOS NESSE SENTIDO. PARTICIPAM DO ACOBERTAMENTO, DA CENSURA, DAS FRAUDES APURATÓRIAS AS SEGUINTES INSTITUIÇÕES ENTRE OUTRAS QUE EU POSSA DESCONHECER A AÇÃO OU OMISSÃO CRIMINOSA: POLÍCIA FEDERAL, FUNAI, DEFENSORIA PÚBLICA GERAL DA UNIÃO, CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO, MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, UNESCO, OAB NACIONAL, COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS DA CÂMARA DOS DEPUTADOS. PRESENÇA E ATUAÇÃO DO CRIME ORGANIZADO NA TERRA INDÍGENA BURITI - MS/BR TRECHO DE CARTA QUE ENCAMINHEI À CGU EM 2005 (APURAÇÃO FOI FRAUDADA): ..."Solicito a Vossa Excelência oportunidade de prestar depoimento a essa Corregedoria Geral da União, preferencialmente que o mesmo seja gravado, onde poderei oferecer maiores detalhes, o que não faço agora por não dispor de condições psicológicas para fazê-lo por escrito (as seqüelas do meu seqüestro limitam muito a minha capacidade de escrever, a contento, sobre os fatos). Desde já, entretanto, quero registrar a participação criminosa, por ação ou omissão no caso em comento, das seguintes pessoas: BLAL YASSINE DALLOUL – Procurador da República/MPU-MS TÃNIA BARRETO – Procuradora Federal/FUNAI JOCELIN SALOMÃO – Procurador Federal/FUNAI/MS DINARTE NOBRE DE MADEIROS – Então Vice-Presidente da FUNAI GÊNIO DA COSTA ALVAREZ – Então Presidente da FUNAI PAULO ROBERTO SOARES – Então Diretor de Assuntos Fundiários da FUNAI JORGE ANTÔNIO DAS NEVES – Então Chefe do PIN Buriti – FUNAI/MS MOHAMED SEABRA FARIA – Engenheiro florestal – FUNAI Os outros envolvidos nessa seqüência de crimes, principalmente do Departamento de Polícia Federal/DPF e da Fundação Nacional do Índio/FUNAI, onde o meu brutal seqüestro é apenas uma parte (conforme Vossa Excelência pode constatar, inicialmente, até mesmo pelas “notícias” veiculadas na Internet - cópias em anexo, já havia sido sequestrado anteriormente na TI.Buriti, um historiador), eu não posso afirmar com certeza quem são, pois a covardia de não me deixarem ter acesso aos documentos sobre o caso, me impede de buscar com maior celeridade e eficácia seja meus direitos, seja aprofundar minhas denúncias, e com isto colaborar com sociedade brasileira e autoridades sérias do Brasil. Os nomes acima, dizem respeito à esfera federal, pois não incluem os servidores públicos do Estado do Mato Grosso do Sul, JAIR TERRA, LUIS CARLOS GOMES GAÚNA e EZEQUIEL FREIRE DA SILVA (antigo TERRASUL), que me torturaram psicologicamente no meu cativeiro (ao qual tiveram livre acesso) situado na Avenida Principal de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, Sede da Fundação Nacional do Índio/FUNAI naquele Estado, e os supostos “profissionais” de parte significativa da mídia brasileira, principalmente das empresas REDE GLOBO, FOLHA DE SÃO PAULO e outras da “grande mídia”, que covardemente difundiram mentiras e/ou trataram de forma leviana a situação, mentiram a meu respeito enquanto eu me encontrava REFÉM de pessoas armadas, "... PROSTITUIÇÃO INSTITUCIONAL NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA, NO PODER EXECUTIVO FEDERAL E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. CASO ALGUÉM NÃO ENTENDA OS NOMES DAS INSTITUIÇÕES E PESSOAS QUE EU ESTOU CITANDO, POSSO DESENHAR. SERÁ PRECISO? CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL! CHEFE SUPERIOR AO JORGE: VANTUIR JACINE, ATUAL SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO MATO GROSSO DO SUL, EX - SUPERINTENDENTE DA POLÍCIA FEDERAL NAQUELE ESTADO. FOI, A PEDIDO (MANDO), DA REDE GLOBO E DE RURALISTAS, A QUEM SERVE COMO CAPACHO QUE É, QUE FRANQUEOU MEU CATIVEIRO PARA A EQUIPE DA REDE GLOBO ENTRAR À NOITE E ME FILMAR, APESAR DE EU IMPLORAR PARA ISSO NÃO ACONTECER, POIS MEUS SEQUESTRADORES (ARMADOS ) PODERIAM ME MATAR SE EU TENTASSE OFERECER MINHA VERSÃO DOS FATOS. FILMARAM E EXIBIRAM TUDO. EU ATÉ HOJE NÃO CONSEGUI TER ACESSO ÀS IMAGENS. A REDE GLOBO NÃO DEIXA O ESTADO BRASILEIRO ( EXECUTIVO, LEGISLATIVO E MPF, ALÉM DA UNESCO) ME CEDEREM AS IMAGENS PARA EU TOMAR CONHECIMENTO E RESPONDER. NUNCA FIZ O LAUDO QUE ME ATRIBUÍRAM, E MESMO QUE O TIVESSE FEITO, NÃO PODERIA TER SIDO SEQUESTRADO, FEITO REFÉM E TORTURADO POR DOIS DIAS, NA SEDE DA FUNAI EM CAMPO GRANDE - MS. JORGE ANTÔNIO DAS NEVES, "COORDENADOR TÉCNICO DA FUNAI EM SIDROLÂNDIA - MS" É ARQUIVO VIVO DO CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA ( FUNAI E POLÍCIA FEDERAL) E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. É SEQUESTRADOR E TORTURADOR. VERGONHA NA FUNAI: JORGE ANTÔNIO DAS NEVES FOI O ORGANIZADOR OPERACIONAL DO MEU SEQUESTRO E CATIVEIRO NA SEDE DA FUNAI EM CAMPO GRANDE - MS, NO ANO DE 2000. É UM TORTURADOR, MAS APADRINHADO PELO CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, CONTINUA OPERANDO NA FUNAI E TEM CARGO DE CONFIANÇA. PRESTEI DEPOIMENTO DE MAIS DE QUATRO HORAS NA CORREGEDORIA NACIONAL DA POLÍCIA FEDERAL EM BRASÍLIA, MAS O A CONCLUSÃO DO INQUÉRITO FOI FRAUDADO PELA ENTÃO CORREGEDORA NACIONAL DA PF DELEGADA FEDERAL NEIDE ALVES ALVARENGA. TAMBÉM FRAUDOU AS APURAÇÕES O PROCURADOR DA REPÚBLICA BLAL YASSINE DALLOU. Artigo 5 da Constituição Federal: é garantida a livre expressão e manifestação do pensamento, e acesso à informação, SENDO VEDADO O ANONIMATO. MINHA QUALIFICAÇÃO E IDENTIFICAÇÃO: EDISON NETTO LASMAR, antropólogo, especialista em regularização fundiária de terras indígenas, autor de estudos, pareceres e coordenador de grupos técnicos de regularização de terras indígenas, envolvendo diversas etnias brasileiras. Todos os trabalhos aprovados pela FUNAI, MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA - QUANDO ISSO SE FAZIA NECESSÁRIO FACE EXIGÊNCIAS LEGAIS (Mormente Artigo 231 da Constituição federal, Decreto 1,775 de 8 de Janeiro de 1996 e Portaria MJ 14 de 9 de Janeiro de 1996). CPF: 151 801 071 - 72 CI: M - 6 274 576 SSP MG
    Fotos da linha do tempo.
  • Dedo de Prosa, com Evandro Alvarenga - 29/05/2014

    Dedo de Prosa com Evandro Alvarenga Rádio Vida Nova FM Guanhães MG 27/05/2014.

  • Ator Samuel Alvarenga - DRT/MG..55032014-03-15
  • Ator Samuel Alvarenga - DRT/MG..5503

    Ator Samuel Alvarenga - DRT/MG..5503
    DSC04282.JPG


  • ITAVERAVA MG terra de MARÍLIA DIRCEU esposa do poeta ALVARENGA PEIXOTO da INCÕNFIDENCIA MINEIRA.
    Notícias de CARREIRAS o dia- a-dia do homem do campo,notícias da santa igreja católica e muito mais.Repórter fotográfico CÉLIO DOS SANTOS DRTMG 14.709. quinta-feira, 22 de novembro de 2012. ITAVERAVA ...
  • juiz da 1ª Vara Criminal de Poços de Caldas, Narciso Alvarenga Monteiro de Castro, determina que o deputado seja investigado o mais rápido possível por suas “supostas atividades ilícitas” ao lado dos réus.


    www.cartacapital.com.br
    Cerco à 'Máfia dos Transplantes' atinge deputado do PSDB.
    Justiça de Minas Gerais pede investigação de deputado Carlos Mosconi por suposta participação na quadrilha acusada de operar uma central clandestina de órgãos , citado na "Máfia dos Transplantes"
  • VOCÊ ACREDITA NA UNESCO? ..."SOLICITEI À UNESCO APOIO MÉDICO E ASSISTÊNCIA JURÍDICA, E INTERVENÇÃO PARA QUE EU POSSA TER ACESSO ÀS INFORMAÇÕES A MEU RESPEITO, E TRADUÇÃO DO MEU CONTRATO DO IDIOMA FRANCÊS PARA O PORTUGUÊS, MAS A UNESCO NEGOU, SEQUER RESPONDEU AOS DOCUMENTOS PROTOCOLADOS NESSE SENTIDO."...


    Edison Netto Lasmar compartilhou uma foto
    PARTICIPAÇÃO DA REDE GLOBO NO MEU SEQUESTRO, SEGUNDO A PRÓPRIA POLÍCIA FEDERAL: EM MEU DEPOIMENTO À POLÍCIA FEDERAL NO MATO GROSSO DO SUL (NA SEDE DA SUPERINTENDÊNCIA DA PF), NA MINHA PRESENÇA E NA PRESENÇA DE WALTER COUTINHO JÚNIOR (CHEFE DO DEPARTAMENTO DE IDENTIFICAÇÃO E DELIMITAÇÃO DE TERRAS INDÍGENAS/DAF/FUNAI), JAIR TERRA (TERRASUL/MS) E DE OUTROS TRÊS POLICIAIS FEDERAIS, UM DOS MEMBROS DA POLÍCIA FEDERAL INFORMOU DA POSSIBILIDADE DE QUEBRA DO SIGILO TELEFÔNICO DA REDE GLOBO DE TELEVISÃO, POR HAVER INDÍCIOS DA PARTICIPAÇÃO NA ORGANIZAÇÃO DO SEQUESTRO. A REDE GLOBO PROMOVEU UMA SESSÃO EXCLUSIVA DE TORTURA NO CATIVEIRO COM PERMISSÃO DA POLÍCIA FEDERAL (VANTUIR JACINE BRASIL, ENTÃO SUPERINTENDENTE DA PF/MS). CRIME IMPUNE, MAS JAMAIS ESQUECIDO. TORTURA NÃO SE ESQUECE! MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PARTICIPARAM DIRETAMENTE DO MEU SEQUESTRO E DAS TORTURAS QUE SOFRI NO CATIVEIRO. DATALHE DO CATIVEIRO: APROXIMADAMENTE 23 HORAS UMA EQUIPE DA REDE GLOBO INVADE MEU CATIVEIRO, COM PERMISSÃO E CONIVÊNCIA DO CRIME ORGANIZADO ENCASTELADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. ATERRORIZADO E EM PÂNICO, IMPLOREI PARA NÃO SER FILMADO POIS SE TENTASSE OFERECER MINHA VERSÃO DOS FATOS SERIA ARREBENTADO E MORTO PELOS MEUS SEQUESTRADORES, MAS A REDE GLOBO ME FILMOU, APESAR DA MINHA SÚPLICA DE REFÉM, TRANSMITIU CALÚNIAS NO BRASIL E NO EXTERIOR A MEU RESPEITO, SEM SEQUER OFERECER POSSIBILIDADE DE CONTRADITÓRIO MUITO MENOS RESPEITAR MEU SOFRIMENTO PELAS TORTURAS. AS IMAGENS "EXCLUSIVAS DA GLOBO" FORAM OBTIDAS MEDIANTE TORTURA E PARCERIA COM O CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. RESUMO DO CASO: EM AGOSTO DE 2000, CONTRATADO PELA UNESCO A SERVIÇO DA UNIÃO FEDERAL PARA COORDENAR O GRUPO TÉCNICO DE REVISÃO DOS LIMITES DA TERRA INDÍGENA BURITI, DE OCUPAÇÃO DA ETNIA TERENA, SITUADA NO MATO GROSSO DO SUL,EM AÇÃO DO CRIME ORGANIZADO FUI SEQUESTRADO, FEITO REFÉM E TORTURADO POR QUASE DOIS DIAS NA SEDE DA FUNAI EM CAMPO GRANDE - MS. A MINHA VIDA PESSOAL, AFETIVA E EM PARTE A PROFISSIONAL, FOI DESTRUÍDA, JOGADA NO LIXO, NO ESGOTO. A AÇÃO FOI COMANDADA E OPERADA POR SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS E DO ESTADO DO MATO GROSSO DO SUL, E POR DIVERSOS SUPOSTOS JORNALISTAS, PRINCIPALMENTE DA REDE GLOBO, DA FOLHA DE SÃO PAULO, DO ESTADO DE SÃO PAULO E JORNAL DO BRASIL, ENTRE OUTRAS PESSOAS. FUI FILMADO, XINGADO, HUMILHADO, TUDO FILMADO E PUBLICADO PELOS RSPECTIVOS VEÍCULOS DE "COMUNICAÇÃO-JORNALISMO", NO INTERIOR DE UM CATIVEIRO, CERCADO DE SEQUESTRADORES ARMADOS. SOU PROIBIDO DE TER ACESSO E CONHECER AS IMAGENS VEICULADAS NAS TVS, INCLUSIVE CANAIS DE TVS ABERTAS. TAMBÉM PROIBIDO DE TER ACESSO AOS DADOS E INFORMAÇÕES A MEU RESPEITO SOBRE OS FATOS EM COMENTO, VIOLAÇÃO GRITANTE DOS DIREITOS HUMANOS. SOLICITEI À UNESCO APOIO MÉDICO E ASSISTÊNCIA JURÍDICA, E INTERVENÇÃO PARA QUE EU POSSA TER ACESSO ÀS INFORMAÇÕES A MEU RESPEITO, E TRADUÇÃO DO MEU CONTRATO DO IDIOMA FRANCÊS PARA O PORTUGUÊS, MAS A UNESCO NEGOU, SEQUER RESPONDEU AOS DOCUMENTOS PROTOCOLADOS NESSE SENTIDO. PARTICIPAM DO ACOBERTAMENTO, DA CENSURA, DAS FRAUDES APURATÓRIAS AS SEGUINTES INSTITUIÇÕES ENTRE OUTRAS QUE EU POSSA DESCONHECER A AÇÃO OU OMISSÃO CRIMINOSA: POLÍCIA FEDERAL, FUNAI, DEFENSORIA PÚBLICA GERAL DA UNIÃO, CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO, MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, UNESCO, OAB NACIONAL, COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS DA CÂMARA DOS DEPUTADOS. PRESENÇA E ATUAÇÃO DO CRIME ORGANIZADO NA TERRA INDÍGENA BURITI - MS/BR TRECHO DE CARTA QUE ENCAMINHEI À CGU EM 2005 (APURAÇÃO FOI FRAUDADA): ..."Solicito a Vossa Excelência oportunidade de prestar depoimento a essa Corregedoria Geral da União, preferencialmente que o mesmo seja gravado, onde poderei oferecer maiores detalhes, o que não faço agora por não dispor de condições psicológicas para fazê-lo por escrito (as seqüelas do meu seqüestro limitam muito a minha capacidade de escrever, a contento, sobre os fatos). Desde já, entretanto, quero registrar a participação criminosa, por ação ou omissão no caso em comento, das seguintes pessoas: BLAL YASSINE DALLOUL – Procurador da República/MPU-MS TÃNIA BARRETO – Procuradora Federal/FUNAI JOCELIN SALOMÃO – Procurador Federal/FUNAI/MS DINARTE NOBRE DE MADEIROS – Então Vice-Presidente da FUNAI GÊNIO DA COSTA ALVAREZ – Então Presidente da FUNAI PAULO ROBERTO SOARES – Então Diretor de Assuntos Fundiários da FUNAI JORGE ANTÔNIO DAS NEVES – Então Chefe do PIN Buriti – FUNAI/MS MOHAMED SEABRA FARIA – Engenheiro florestal – FUNAI Os outros envolvidos nessa seqüência de crimes, principalmente do Departamento de Polícia Federal/DPF e da Fundação Nacional do Índio/FUNAI, onde o meu brutal seqüestro é apenas uma parte (conforme Vossa Excelência pode constatar, inicialmente, até mesmo pelas “notícias” veiculadas na Internet - cópias em anexo, já havia sido sequestrado anteriormente na TI.Buriti, um historiador), eu não posso afirmar com certeza quem são, pois a covardia de não me deixarem ter acesso aos documentos sobre o caso, me impede de buscar com maior celeridade e eficácia seja meus direitos, seja aprofundar minhas denúncias, e com isto colaborar com sociedade brasileira e autoridades sérias do Brasil. Os nomes acima, dizem respeito à esfera federal, pois não incluem os servidores públicos do Estado do Mato Grosso do Sul, JAIR TERRA, LUIS CARLOS GOMES GAÚNA e EZEQUIEL FREIRE DA SILVA (antigo TERRASUL), que me torturaram psicologicamente no meu cativeiro (ao qual tiveram livre acesso) situado na Avenida Principal de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, Sede da Fundação Nacional do Índio/FUNAI naquele Estado, e os supostos “profissionais” de parte significativa da mídia brasileira, principalmente das empresas REDE GLOBO, FOLHA DE SÃO PAULO e outras da “grande mídia”, que covardemente difundiram mentiras e/ou trataram de forma leviana a situação, mentiram a meu respeito enquanto eu me encontrava REFÉM de pessoas armadas, "... PROSTITUIÇÃO INSTITUCIONAL NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA, NO PODER EXECUTIVO FEDERAL E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. CASO ALGUÉM NÃO ENTENDA OS NOMES DAS INSTITUIÇÕES E PESSOAS QUE EU ESTOU CITANDO, POSSO DESENHAR. SERÁ PRECISO? CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL! CHEFE SUPERIOR AO JORGE: VANTUIR JACINE, ATUAL SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO MATO GROSSO DO SUL, EX - SUPERINTENDENTE DA POLÍCIA FEDERAL NAQUELE ESTADO. FOI, A PEDIDO (MANDO), DA REDE GLOBO E DE RURALISTAS, A QUEM SERVE COMO CAPACHO QUE É, QUE FRANQUEOU MEU CATIVEIRO PARA A EQUIPE DA REDE GLOBO ENTRAR À NOITE E ME FILMAR, APESAR DE EU IMPLORAR PARA ISSO NÃO ACONTECER, POIS MEUS SEQUESTRADORES (ARMADOS ) PODERIAM ME MATAR SE EU TENTASSE OFERECER MINHA VERSÃO DOS FATOS. FILMARAM E EXIBIRAM TUDO. EU ATÉ HOJE NÃO CONSEGUI TER ACESSO ÀS IMAGENS. A REDE GLOBO NÃO DEIXA O ESTADO BRASILEIRO ( EXECUTIVO, LEGISLATIVO E MPF, ALÉM DA UNESCO) ME CEDEREM AS IMAGENS PARA EU TOMAR CONHECIMENTO E RESPONDER. NUNCA FIZ O LAUDO QUE ME ATRIBUÍRAM, E MESMO QUE O TIVESSE FEITO, NÃO PODERIA TER SIDO SEQUESTRADO, FEITO REFÉM E TORTURADO POR DOIS DIAS, NA SEDE DA FUNAI EM CAMPO GRANDE - MS. JORGE ANTÔNIO DAS NEVES, "COORDENADOR TÉCNICO DA FUNAI EM SIDROLÂNDIA - MS" É ARQUIVO VIVO DO CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA ( FUNAI E POLÍCIA FEDERAL) E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. É SEQUESTRADOR E TORTURADOR. VERGONHA NA FUNAI: JORGE ANTÔNIO DAS NEVES FOI O ORGANIZADOR OPERACIONAL DO MEU SEQUESTRO E CATIVEIRO NA SEDE DA FUNAI EM CAMPO GRANDE - MS, NO ANO DE 2000. É UM TORTURADOR, MAS APADRINHADO PELO CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, CONTINUA OPERANDO NA FUNAI E TEM CARGO DE CONFIANÇA. PRESTEI DEPOIMENTO DE MAIS DE QUATRO HORAS NA CORREGEDORIA NACIONAL DA POLÍCIA FEDERAL EM BRASÍLIA, MAS O A CONCLUSÃO DO INQUÉRITO FOI FRAUDADO PELA ENTÃO CORREGEDORA NACIONAL DA PF DELEGADA FEDERAL NEIDE ALVES ALVARENGA. TAMBÉM FRAUDOU AS APURAÇÕES O PROCURADOR DA REPÚBLICA BLAL YASSINE DALLOU. Artigo 5 da Constituição Federal: é garantida a livre expressão e manifestação do pensamento, e acesso à informação, SENDO VEDADO O ANONIMATO. MINHA QUALIFICAÇÃO E IDENTIFICAÇÃO: EDISON NETTO LASMAR, antropólogo, especialista em regularização fundiária de terras indígenas, autor de estudos, pareceres e coordenador de grupos técnicos de regularização de terras indígenas, envolvendo diversas etnias brasileiras. Todos os trabalhos aprovados pela FUNAI, MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA - QUANDO ISSO SE FAZIA NECESSÁRIO FACE EXIGÊNCIAS LEGAIS (Mormente Artigo 231 da Constituição federal, Decreto 1,775 de 8 de Janeiro de 1996 e Portaria MJ 14 de 9 de Janeiro de 1996). CPF: 151 801 071 - 72 CI: M - 6 274 576 SSP MG
    Miscelânia.
  • DEDO DE PROSA com Evandro Alvarenga Rádio Vida Nova FM Guanhães MG 17/04/2014

  • paulo celso

    em 10/11/2012 Via Google+


    Viação Cometa 7307 em Juiz de Fora-MG por Alexandre Alvarenga - Ônibus Brasil
    Foto do ônibus 7307 da empresa Viação Cometa na cidade de Juiz de Fora-MG, por Alexandre Alvarenga
  • Dedo de Prosa, 27/05/2014, com Evandro Alvarenga

    Rádio Vida Nova FM Guanhães MG 27/05/2014.

  • M MEU DEPOIMENTO À POLÍCIA FEDERAL NO MATO GROSSO DO SUL (NA SEDE DA SUPERINTENDÊNCIA DA PF), NA MINHA PRESENÇA E NA PRESENÇA DE WALTER COUTINHO JÚNIOR (CHEFE DO DEPARTAMENTO DE IDENTIFICAÇÃO E DELIMITAÇÃO DE TERRAS INDÍGENAS/DAF/FUNAI), JAIR TERRA (TERRASUL/MS) E DE OUTROS TRÊS POLICIAIS FEDERAIS, UM DOS MEMBROS DA POLÍCIA FEDERAL INFORMOU DA POSSIBILIDADE DE QUEBRA DO SIGILO TELEFÔNICO DA REDE GLOBO DE TELEVISÃO, POR HAVER INDÍCIOS DA PARTICIPAÇÃO NA ORGANIZAÇÃO DO SEQUESTRO."...


    Edison Netto Lasmar compartilhou uma foto
    PARTICIPAÇÃO DA REDE GLOBO NO MEU SEQUESTRO, SEGUNDO A PRÓPRIA POLÍCIA FEDERAL: EM MEU DEPOIMENTO À POLÍCIA FEDERAL NO MATO GROSSO DO SUL (NA SEDE DA SUPERINTENDÊNCIA DA PF), NA MINHA PRESENÇA E NA PRESENÇA DE WALTER COUTINHO JÚNIOR (CHEFE DO DEPARTAMENTO DE IDENTIFICAÇÃO E DELIMITAÇÃO DE TERRAS INDÍGENAS/DAF/FUNAI), JAIR TERRA (TERRASUL/MS) E DE OUTROS TRÊS POLICIAIS FEDERAIS, UM DOS MEMBROS DA POLÍCIA FEDERAL INFORMOU DA POSSIBILIDADE DE QUEBRA DO SIGILO TELEFÔNICO DA REDE GLOBO DE TELEVISÃO, POR HAVER INDÍCIOS DA PARTICIPAÇÃO NA ORGANIZAÇÃO DO SEQUESTRO. A REDE GLOBO PROMOVEU UMA SESSÃO EXCLUSIVA DE TORTURA NO CATIVEIRO COM PERMISSÃO DA POLÍCIA FEDERAL (VANTUIR JACINE BRASIL, ENTÃO SUPERINTENDENTE DA PF/MS). CRIME IMPUNE, MAS JAMAIS ESQUECIDO. TORTURA NÃO SE ESQUECE! MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PARTICIPARAM DIRETAMENTE DO MEU SEQUESTRO E DAS TORTURAS QUE SOFRI NO CATIVEIRO. DATALHE DO CATIVEIRO: APROXIMADAMENTE 23 HORAS UMA EQUIPE DA REDE GLOBO INVADE MEU CATIVEIRO, COM PERMISSÃO E CONIVÊNCIA DO CRIME ORGANIZADO ENCASTELADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. ATERRORIZADO E EM PÂNICO, IMPLOREI PARA NÃO SER FILMADO POIS SE TENTASSE OFERECER MINHA VERSÃO DOS FATOS SERIA ARREBENTADO E MORTO PELOS MEUS SEQUESTRADORES, MAS A REDE GLOBO ME FILMOU, APESAR DA MINHA SÚPLICA DE REFÉM, TRANSMITIU CALÚNIAS NO BRASIL E NO EXTERIOR A MEU RESPEITO, SEM SEQUER OFERECER POSSIBILIDADE DE CONTRADITÓRIO MUITO MENOS RESPEITAR MEU SOFRIMENTO PELAS TORTURAS. AS IMAGENS "EXCLUSIVAS DA GLOBO" FORAM OBTIDAS MEDIANTE TORTURA E PARCERIA COM O CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. RESUMO DO CASO: EM AGOSTO DE 2000, CONTRATADO PELA UNESCO A SERVIÇO DA UNIÃO FEDERAL PARA COORDENAR O GRUPO TÉCNICO DE REVISÃO DOS LIMITES DA TERRA INDÍGENA BURITI, DE OCUPAÇÃO DA ETNIA TERENA, SITUADA NO MATO GROSSO DO SUL,EM AÇÃO DO CRIME ORGANIZADO FUI SEQUESTRADO, FEITO REFÉM E TORTURADO POR QUASE DOIS DIAS NA SEDE DA FUNAI EM CAMPO GRANDE - MS. A MINHA VIDA PESSOAL, AFETIVA E EM PARTE A PROFISSIONAL, FOI DESTRUÍDA, JOGADA NO LIXO, NO ESGOTO. A AÇÃO FOI COMANDADA E OPERADA POR SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS E DO ESTADO DO MATO GROSSO DO SUL, E POR DIVERSOS SUPOSTOS JORNALISTAS, PRINCIPALMENTE DA REDE GLOBO, DA FOLHA DE SÃO PAULO, DO ESTADO DE SÃO PAULO E JORNAL DO BRASIL, ENTRE OUTRAS PESSOAS. FUI FILMADO, XINGADO, HUMILHADO, TUDO FILMADO E PUBLICADO PELOS RSPECTIVOS VEÍCULOS DE "COMUNICAÇÃO-JORNALISMO", NO INTERIOR DE UM CATIVEIRO, CERCADO DE SEQUESTRADORES ARMADOS. SOU PROIBIDO DE TER ACESSO E CONHECER AS IMAGENS VEICULADAS NAS TVS, INCLUSIVE CANAIS DE TVS ABERTAS. TAMBÉM PROIBIDO DE TER ACESSO AOS DADOS E INFORMAÇÕES A MEU RESPEITO SOBRE OS FATOS EM COMENTO, VIOLAÇÃO GRITANTE DOS DIREITOS HUMANOS. SOLICITEI À UNESCO APOIO MÉDICO E ASSISTÊNCIA JURÍDICA, E INTERVENÇÃO PARA QUE EU POSSA TER ACESSO ÀS INFORMAÇÕES A MEU RESPEITO, E TRADUÇÃO DO MEU CONTRATO DO IDIOMA FRANCÊS PARA O PORTUGUÊS, MAS A UNESCO NEGOU, SEQUER RESPONDEU AOS DOCUMENTOS PROTOCOLADOS NESSE SENTIDO. PARTICIPAM DO ACOBERTAMENTO, DA CENSURA, DAS FRAUDES APURATÓRIAS AS SEGUINTES INSTITUIÇÕES ENTRE OUTRAS QUE EU POSSA DESCONHECER A AÇÃO OU OMISSÃO CRIMINOSA: POLÍCIA FEDERAL, FUNAI, DEFENSORIA PÚBLICA GERAL DA UNIÃO, CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO, MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, UNESCO, OAB NACIONAL, COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS DA CÂMARA DOS DEPUTADOS. PRESENÇA E ATUAÇÃO DO CRIME ORGANIZADO NA TERRA INDÍGENA BURITI - MS/BR TRECHO DE CARTA QUE ENCAMINHEI À CGU EM 2005 (APURAÇÃO FOI FRAUDADA): ..."Solicito a Vossa Excelência oportunidade de prestar depoimento a essa Corregedoria Geral da União, preferencialmente que o mesmo seja gravado, onde poderei oferecer maiores detalhes, o que não faço agora por não dispor de condições psicológicas para fazê-lo por escrito (as seqüelas do meu seqüestro limitam muito a minha capacidade de escrever, a contento, sobre os fatos). Desde já, entretanto, quero registrar a participação criminosa, por ação ou omissão no caso em comento, das seguintes pessoas: BLAL YASSINE DALLOUL – Procurador da República/MPU-MS TÃNIA BARRETO – Procuradora Federal/FUNAI JOCELIN SALOMÃO – Procurador Federal/FUNAI/MS DINARTE NOBRE DE MADEIROS – Então Vice-Presidente da FUNAI GÊNIO DA COSTA ALVAREZ – Então Presidente da FUNAI PAULO ROBERTO SOARES – Então Diretor de Assuntos Fundiários da FUNAI JORGE ANTÔNIO DAS NEVES – Então Chefe do PIN Buriti – FUNAI/MS MOHAMED SEABRA FARIA – Engenheiro florestal – FUNAI Os outros envolvidos nessa seqüência de crimes, principalmente do Departamento de Polícia Federal/DPF e da Fundação Nacional do Índio/FUNAI, onde o meu brutal seqüestro é apenas uma parte (conforme Vossa Excelência pode constatar, inicialmente, até mesmo pelas “notícias” veiculadas na Internet - cópias em anexo, já havia sido sequestrado anteriormente na TI.Buriti, um historiador), eu não posso afirmar com certeza quem são, pois a covardia de não me deixarem ter acesso aos documentos sobre o caso, me impede de buscar com maior celeridade e eficácia seja meus direitos, seja aprofundar minhas denúncias, e com isto colaborar com sociedade brasileira e autoridades sérias do Brasil. Os nomes acima, dizem respeito à esfera federal, pois não incluem os servidores públicos do Estado do Mato Grosso do Sul, JAIR TERRA, LUIS CARLOS GOMES GAÚNA e EZEQUIEL FREIRE DA SILVA (antigo TERRASUL), que me torturaram psicologicamente no meu cativeiro (ao qual tiveram livre acesso) situado na Avenida Principal de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, Sede da Fundação Nacional do Índio/FUNAI naquele Estado, e os supostos “profissionais” de parte significativa da mídia brasileira, principalmente das empresas REDE GLOBO, FOLHA DE SÃO PAULO e outras da “grande mídia”, que covardemente difundiram mentiras e/ou trataram de forma leviana a situação, mentiram a meu respeito enquanto eu me encontrava REFÉM de pessoas armadas, "... PROSTITUIÇÃO INSTITUCIONAL NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA, NO PODER EXECUTIVO FEDERAL E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. CASO ALGUÉM NÃO ENTENDA OS NOMES DAS INSTITUIÇÕES E PESSOAS QUE EU ESTOU CITANDO, POSSO DESENHAR. SERÁ PRECISO? CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL! CHEFE SUPERIOR AO JORGE: VANTUIR JACINE, ATUAL SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO MATO GROSSO DO SUL, EX - SUPERINTENDENTE DA POLÍCIA FEDERAL NAQUELE ESTADO. FOI, A PEDIDO (MANDO), DA REDE GLOBO E DE RURALISTAS, A QUEM SERVE COMO CAPACHO QUE É, QUE FRANQUEOU MEU CATIVEIRO PARA A EQUIPE DA REDE GLOBO ENTRAR À NOITE E ME FILMAR, APESAR DE EU IMPLORAR PARA ISSO NÃO ACONTECER, POIS MEUS SEQUESTRADORES (ARMADOS ) PODERIAM ME MATAR SE EU TENTASSE OFERECER MINHA VERSÃO DOS FATOS. FILMARAM E EXIBIRAM TUDO. EU ATÉ HOJE NÃO CONSEGUI TER ACESSO ÀS IMAGENS. A REDE GLOBO NÃO DEIXA O ESTADO BRASILEIRO ( EXECUTIVO, LEGISLATIVO E MPF, ALÉM DA UNESCO) ME CEDEREM AS IMAGENS PARA EU TOMAR CONHECIMENTO E RESPONDER. NUNCA FIZ O LAUDO QUE ME ATRIBUÍRAM, E MESMO QUE O TIVESSE FEITO, NÃO PODERIA TER SIDO SEQUESTRADO, FEITO REFÉM E TORTURADO POR DOIS DIAS, NA SEDE DA FUNAI EM CAMPO GRANDE - MS. JORGE ANTÔNIO DAS NEVES, "COORDENADOR TÉCNICO DA FUNAI EM SIDROLÂNDIA - MS" É ARQUIVO VIVO DO CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA ( FUNAI E POLÍCIA FEDERAL) E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. É SEQUESTRADOR E TORTURADOR. VERGONHA NA FUNAI: JORGE ANTÔNIO DAS NEVES FOI O ORGANIZADOR OPERACIONAL DO MEU SEQUESTRO E CATIVEIRO NA SEDE DA FUNAI EM CAMPO GRANDE - MS, NO ANO DE 2000. É UM TORTURADOR, MAS APADRINHADO PELO CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, CONTINUA OPERANDO NA FUNAI E TEM CARGO DE CONFIANÇA. PRESTEI DEPOIMENTO DE MAIS DE QUATRO HORAS NA CORREGEDORIA NACIONAL DA POLÍCIA FEDERAL EM BRASÍLIA, MAS O A CONCLUSÃO DO INQUÉRITO FOI FRAUDADO PELA ENTÃO CORREGEDORA NACIONAL DA PF DELEGADA FEDERAL NEIDE ALVES ALVARENGA. TAMBÉM FRAUDOU AS APURAÇÕES O PROCURADOR DA REPÚBLICA BLAL YASSINE DALLOU. Artigo 5 da Constituição Federal: é garantida a livre expressão e manifestação do pensamento, e acesso à informação, SENDO VEDADO O ANONIMATO. MEU NOME: EDISON NETTO LASMAR CPF: 151 801 071 - 72 CI: M - 6 274 576 SSP MG
    Miscelânia.
  • Ator Samuel Alvarenga - DRT/MG..5503

    Ator Samuel Alvarenga - DRT/MG..5503
    DSC04282.JPG
  • EM MEU DEPOIMENTO À POLÍCIA FEDERAL NO MATO GROSSO DO SUL (NA SEDE DA SUPERINTENDÊNCIA DA PF), NA MINHA PRESENÇA E NA PRESENÇA DE WALTER COUTINHO JÚNIOR (CHEFE DO DEPARTAMENTO DE IDENTIFICAÇÃO E DELIMITAÇÃO DE TERRAS INDÍGENAS/DAF/FUNAI), JAIR TERRA (TERRASUL/MS) E DE OUTROS TRÊS POLICIAIS FEDERAIS, UM DOS MEMBROS DA POLÍCIA FEDERAL INFORMOU DA POSSIBILIDADE DE QUEBRA DO SIGILO TELEFÔNICO DA REDE GLOBO DE TELEVISÃO, POR HAVER INDÍCIOS DA PARTICIPAÇÃO NA ORGANIZAÇÃO DO SEQUESTRO."...


    Edison Netto Lasmar compartilhou uma foto
    PARTICIPAÇÃO DA REDE GLOBO NO MEU SEQUESTRO, SEGUNDO A PRÓPRIA POLÍCIA FEDERAL: EM MEU DEPOIMENTO À POLÍCIA FEDERAL NO MATO GROSSO DO SUL (NA SEDE DA SUPERINTENDÊNCIA DA PF), NA MINHA PRESENÇA E NA PRESENÇA DE WALTER COUTINHO JÚNIOR (CHEFE DO DEPARTAMENTO DE IDENTIFICAÇÃO E DELIMITAÇÃO DE TERRAS INDÍGENAS/DAF/FUNAI), JAIR TERRA (TERRASUL/MS) E DE OUTROS TRÊS POLICIAIS FEDERAIS, UM DOS MEMBROS DA POLÍCIA FEDERAL INFORMOU DA POSSIBILIDADE DE QUEBRA DO SIGILO TELEFÔNICO DA REDE GLOBO DE TELEVISÃO, POR HAVER INDÍCIOS DA PARTICIPAÇÃO NA ORGANIZAÇÃO DO SEQUESTRO. A REDE GLOBO PROMOVEU UMA SESSÃO EXCLUSIVA DE TORTURA NO CATIVEIRO COM PERMISSÃO DA POLÍCIA FEDERAL (VANTUIR JACINE BRASIL, ENTÃO SUPERINTENDENTE DA PF/MS). CRIME IMPUNE, MAS JAMAIS ESQUECIDO. TORTURA NÃO SE ESQUECE! MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PARTICIPARAM DIRETAMENTE DO MEU SEQUESTRO E DAS TORTURAS QUE SOFRI NO CATIVEIRO. DATALHE DO CATIVEIRO: APROXIMADAMENTE 23 HORAS UMA EQUIPE DA REDE GLOBO INVADE MEU CATIVEIRO, COM PERMISSÃO E CONIVÊNCIA DO CRIME ORGANIZADO ENCASTELADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. ATERRORIZADO E EM PÂNICO, IMPLOREI PARA NÃO SER FILMADO POIS SE TENTASSE OFERECER MINHA VERSÃO DOS FATOS SERIA ARREBENTADO E MORTO PELOS MEUS SEQUESTRADORES, MAS A REDE GLOBO ME FILMOU, APESAR DA MINHA SÚPLICA DE REFÉM, TRANSMITIU CALÚNIAS NO BRASIL E NO EXTERIOR A MEU RESPEITO, SEM SEQUER OFERECER POSSIBILIDADE DE CONTRADITÓRIO MUITO MENOS RESPEITAR MEU SOFRIMENTO PELAS TORTURAS. AS IMAGENS "EXCLUSIVAS DA GLOBO" FORAM OBTIDAS MEDIANTE TORTURA E PARCERIA COM O CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. RESUMO DO CASO: EM AGOSTO DE 2000, CONTRATADO PELA UNESCO A SERVIÇO DA UNIÃO FEDERAL PARA COORDENAR O GRUPO TÉCNICO DE REVISÃO DOS LIMITES DA TERRA INDÍGENA BURITI, DE OCUPAÇÃO DA ETNIA TERENA, SITUADA NO MATO GROSSO DO SUL,EM AÇÃO DO CRIME ORGANIZADO FUI SEQUESTRADO, FEITO REFÉM E TORTURADO POR QUASE DOIS DIAS NA SEDE DA FUNAI EM CAMPO GRANDE - MS. A MINHA VIDA PESSOAL, AFETIVA E EM PARTE A PROFISSIONAL, FOI DESTRUÍDA, JOGADA NO LIXO, NO ESGOTO. A AÇÃO FOI COMANDADA E OPERADA POR SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS E DO ESTADO DO MATO GROSSO DO SUL, E POR DIVERSOS SUPOSTOS JORNALISTAS, PRINCIPALMENTE DA REDE GLOBO, DA FOLHA DE SÃO PAULO, DO ESTADO DE SÃO PAULO E JORNAL DO BRASIL, ENTRE OUTRAS PESSOAS. FUI FILMADO, XINGADO, HUMILHADO, TUDO FILMADO E PUBLICADO PELOS RSPECTIVOS VEÍCULOS DE "COMUNICAÇÃO-JORNALISMO", NO INTERIOR DE UM CATIVEIRO, CERCADO DE SEQUESTRADORES ARMADOS. SOU PROIBIDO DE TER ACESSO E CONHECER AS IMAGENS VEICULADAS NAS TVS, INCLUSIVE CANAIS DE TVS ABERTAS. TAMBÉM PROIBIDO DE TER ACESSO AOS DADOS E INFORMAÇÕES A MEU RESPEITO SOBRE OS FATOS EM COMENTO, VIOLAÇÃO GRITANTE DOS DIREITOS HUMANOS. SOLICITEI À UNESCO APOIO MÉDICO E ASSISTÊNCIA JURÍDICA, E INTERVENÇÃO PARA QUE EU POSSA TER ACESSO ÀS INFORMAÇÕES A MEU RESPEITO, E TRADUÇÃO DO MEU CONTRATO DO IDIOMA FRANCÊS PARA O PORTUGUÊS, MAS A UNESCO NEGOU, SEQUER RESPONDEU AOS DOCUMENTOS PROTOCOLADOS NESSE SENTIDO. PARTICIPAM DO ACOBERTAMENTO, DA CENSURA, DAS FRAUDES APURATÓRIAS AS SEGUINTES INSTITUIÇÕES ENTRE OUTRAS QUE EU POSSA DESCONHECER A AÇÃO OU OMISSÃO CRIMINOSA: POLÍCIA FEDERAL, FUNAI, DEFENSORIA PÚBLICA GERAL DA UNIÃO, CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO, MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, UNESCO, OAB NACIONAL, COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS DA CÂMARA DOS DEPUTADOS. PRESENÇA E ATUAÇÃO DO CRIME ORGANIZADO NA TERRA INDÍGENA BURITI - MS/BR TRECHO DE CARTA QUE ENCAMINHEI À CGU EM 2005 (APURAÇÃO FOI FRAUDADA): ..."Solicito a Vossa Excelência oportunidade de prestar depoimento a essa Corregedoria Geral da União, preferencialmente que o mesmo seja gravado, onde poderei oferecer maiores detalhes, o que não faço agora por não dispor de condições psicológicas para fazê-lo por escrito (as seqüelas do meu seqüestro limitam muito a minha capacidade de escrever, a contento, sobre os fatos). Desde já, entretanto, quero registrar a participação criminosa, por ação ou omissão no caso em comento, das seguintes pessoas: BLAL YASSINE DALLOUL – Procurador da República/MPU-MS TÃNIA BARRETO – Procuradora Federal/FUNAI JOCELIN SALOMÃO – Procurador Federal/FUNAI/MS DINARTE NOBRE DE MADEIROS – Então Vice-Presidente da FUNAI GÊNIO DA COSTA ALVAREZ – Então Presidente da FUNAI PAULO ROBERTO SOARES – Então Diretor de Assuntos Fundiários da FUNAI JORGE ANTÔNIO DAS NEVES – Então Chefe do PIN Buriti – FUNAI/MS MOHAMED SEABRA FARIA – Engenheiro florestal – FUNAI Os outros envolvidos nessa seqüência de crimes, principalmente do Departamento de Polícia Federal/DPF e da Fundação Nacional do Índio/FUNAI, onde o meu brutal seqüestro é apenas uma parte (conforme Vossa Excelência pode constatar, inicialmente, até mesmo pelas “notícias” veiculadas na Internet - cópias em anexo, já havia sido sequestrado anteriormente na TI.Buriti, um historiador), eu não posso afirmar com certeza quem são, pois a covardia de não me deixarem ter acesso aos documentos sobre o caso, me impede de buscar com maior celeridade e eficácia seja meus direitos, seja aprofundar minhas denúncias, e com isto colaborar com sociedade brasileira e autoridades sérias do Brasil. Os nomes acima, dizem respeito à esfera federal, pois não incluem os servidores públicos do Estado do Mato Grosso do Sul, JAIR TERRA, LUIS CARLOS GOMES GAÚNA e EZEQUIEL FREIRE DA SILVA (antigo TERRASUL), que me torturaram psicologicamente no meu cativeiro (ao qual tiveram livre acesso) situado na Avenida Principal de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, Sede da Fundação Nacional do Índio/FUNAI naquele Estado, e os supostos “profissionais” de parte significativa da mídia brasileira, principalmente das empresas REDE GLOBO, FOLHA DE SÃO PAULO e outras da “grande mídia”, que covardemente difundiram mentiras e/ou trataram de forma leviana a situação, mentiram a meu respeito enquanto eu me encontrava REFÉM de pessoas armadas, "... PROSTITUIÇÃO INSTITUCIONAL NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA, NO PODER EXECUTIVO FEDERAL E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. CASO ALGUÉM NÃO ENTENDA OS NOMES DAS INSTITUIÇÕES E PESSOAS QUE EU ESTOU CITANDO, POSSO DESENHAR. SERÁ PRECISO? CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL! CHEFE SUPERIOR AO JORGE: VANTUIR JACINE, ATUAL SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO MATO GROSSO DO SUL, EX - SUPERINTENDENTE DA POLÍCIA FEDERAL NAQUELE ESTADO. FOI, A PEDIDO (MANDO), DA REDE GLOBO E DE RURALISTAS, A QUEM SERVE COMO CAPACHO QUE É, QUE FRANQUEOU MEU CATIVEIRO PARA A EQUIPE DA REDE GLOBO ENTRAR À NOITE E ME FILMAR, APESAR DE EU IMPLORAR PARA ISSO NÃO ACONTECER, POIS MEUS SEQUESTRADORES (ARMADOS ) PODERIAM ME MATAR SE EU TENTASSE OFERECER MINHA VERSÃO DOS FATOS. FILMARAM E EXIBIRAM TUDO. EU ATÉ HOJE NÃO CONSEGUI TER ACESSO ÀS IMAGENS. A REDE GLOBO NÃO DEIXA O ESTADO BRASILEIRO ( EXECUTIVO, LEGISLATIVO E MPF, ALÉM DA UNESCO) ME CEDEREM AS IMAGENS PARA EU TOMAR CONHECIMENTO E RESPONDER. NUNCA FIZ O LAUDO QUE ME ATRIBUÍRAM, E MESMO QUE O TIVESSE FEITO, NÃO PODERIA TER SIDO SEQUESTRADO, FEITO REFÉM E TORTURADO POR DOIS DIAS, NA SEDE DA FUNAI EM CAMPO GRANDE - MS. JORGE ANTÔNIO DAS NEVES, "COORDENADOR TÉCNICO DA FUNAI EM SIDROLÂNDIA - MS" É ARQUIVO VIVO DO CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA ( FUNAI E POLÍCIA FEDERAL) E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. É SEQUESTRADOR E TORTURADOR. VERGONHA NA FUNAI: JORGE ANTÔNIO DAS NEVES FOI O ORGANIZADOR OPERACIONAL DO MEU SEQUESTRO E CATIVEIRO NA SEDE DA FUNAI EM CAMPO GRANDE - MS, NO ANO DE 2000. É UM TORTURADOR, MAS APADRINHADO PELO CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, CONTINUA OPERANDO NA FUNAI E TEM CARGO DE CONFIANÇA. PRESTEI DEPOIMENTO DE MAIS DE QUATRO HORAS NA CORREGEDORIA NACIONAL DA POLÍCIA FEDERAL EM BRASÍLIA, MAS O A CONCLUSÃO DO INQUÉRITO FOI FRAUDADO PELA ENTÃO CORREGEDORA NACIONAL DA PF DELEGADA FEDERAL NEIDE ALVES ALVARENGA. TAMBÉM FRAUDOU AS APURAÇÕES O PROCURADOR DA REPÚBLICA BLAL YASSINE DALLOU. Artigo 5 da Constituição Federal: é garantida a livre expressão e manifestação do pensamento, e acesso à informação, SENDO VEDADO O ANONIMATO. MEU NOME: EDISON NETTO LASMAR CPF: 151 801 071 - 72 CI: M - 6 274 576 SSP MG
    Miscelânia.
  • Dedo de Prosa, com Evandro Alvarenga - 16/06/2014

    Dedo de Prosa, com Evandro Alvarenga Rádio Vida Nova FM Guanhães - MG 17/06/2014.

  • PRESOS ASSALTANTES DE CAIXA FORTE EM ALVARENGA-MG
    A Polícia Militar de Ipanema, depois de intensa busca na região, em uma brilhante operação com militares de toda região de Mutum, Pocrane, Aimorés e Caratinga, conseguiu prender no dia 1º de novembro, os autores de roubo a caixa eletrônico, na cidade de Alv...

    PRESOS ASSALTANTES DE CAIXA FORTE EM ALVARENGA-MG
    A Polícia Militar de Ipanema, depois de intensa busca na região, em uma brilhante operação com militares de toda região de Mutum, Pocrane, Aimorés e Caratinga, conseguiu prender no dia 1º de novembro, os autores de roubo a ca...
  • A REDE GLOBO INVADIU MEU CATIVEIRO COM APOIO DA POLÍCIA FEDERAL (DELEGADO VANTUIR JACINE) E ME TORTUROU, IMPLOREI PARA NÃO SER FILMADO....SOU IMPEDIDO DE TER ACESSO ÀS IMAGENS VEÍCULADAS INCLUSIVE NA TV ABERTA ATÉ HOJE....APURAÇÃO DO SEQUESTRO FOI FRAUDADA PELOS DELEGADOS FEDERAIS VANTUIR JACINE E NEIDE ALVARES ALVARENGA, E PELO PROCURADOR DA REPÚBLICA BLAL YASSINE DALLOU, ALÉM DE OUTRSS SERVIDORES DA PF, FUNAI, CGU, DPGU E SECRETARIA DE DIREITOS HUANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA.


    Edison Netto Lasmar compartilhou uma foto
    PARTICIPAÇÃO DA REDE GLOBO NO MEU SEQUESTRO, SEGUNDO A PRÓPRIA POLÍCIA FEDERAL: EM MEU DEPOIMENTO À POLÍCIA FEDERAL NO MATO GROSSO DO SUL (NA SEDE DA SUPERINTENDÊNCIA DA PF), NA MINHA PRESENÇA E NA PRESENÇA DE WALTER COUTINHO JÚNIOR (CHEFE DO DEPARTAMENTO DE IDENTIFICAÇÃO E DELIMITAÇÃO DE TERRAS INDÍGENAS/DAF/FUNAI), JAIR TERRA (TERRASUL/MS) E DE OUTROS TRÊS POLICIAIS FEDERAIS, UM DOS MEMBROS DA POLÍCIA FEDERAL INFORMOU DA POSSIBILIDADE DE QUEBRA DO SIGILO TELEFÔNICO DA REDE GLOBO DE TELEVISÃO, POR HAVER INDÍCIOS DA PARTICIPAÇÃO NA ORGANIZAÇÃO DO SEQUESTRO. A REDE GLOBO PROMOVEU UMA SESSÃO EXCLUSIVA DE TORTURA NO CATIVEIRO COM PERMISSÃO DA POLÍCIA FEDERAL (VANTUIR JACINE BRASIL, ENTÃO SUPERINTENDENTE DA PF/MS). CRIME IMPUNE, MAS JAMAIS ESQUECIDO. TORTURA NÃO SE ESQUECE! MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PARTICIPARAM DIRETAMENTE DO MEU SEQUESTRO E DAS TORTURAS QUE SOFRI NO CATIVEIRO. DATALHE DO CATIVEIRO: APROXIMADAMENTE 23 HORAS UMA EQUIPE DA REDE GLOBO INVADE MEU CATIVEIRO, COM PERMISSÃO E CONIVÊNCIA DO CRIME ORGANIZADO ENCASTELADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. ATERRORIZADO E EM PÂNICO, IMPLOREI PARA NÃO SER FILMADO POIS SE TENTASSE OFERECER MINHA VERSÃO DOS FATOS SERIA ARREBENTADO E MORTO PELOS MEUS SEQUESTRADORES, MAS A REDE GLOBO ME FILMOU, APESAR DA MINHA SÚPLICA DE REFÉM, TRANSMITIU CALÚNIAS NO BRASIL E NO EXTERIOR A MEU RESPEITO, SEM SEQUER OFERECER POSSIBILIDADE DE CONTRADITÓRIO MUITO MENOS RESPEITAR MEU SOFRIMENTO PELAS TORTURAS. AS IMAGENS "EXCLUSIVAS DA GLOBO" FORAM OBTIDAS MEDIANTE TORTURA E PARCERIA COM O CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. RESUMO DO CASO: EM AGOSTO DE 2000, CONTRATADO PELA UNESCO A SERVIÇO DA UNIÃO FEDERAL PARA COORDENAR O GRUPO TÉCNICO DE REVISÃO DOS LIMITES DA TERRA INDÍGENA BURITI, DE OCUPAÇÃO DA ETNIA TERENA, SITUADA NO MATO GROSSO DO SUL,EM AÇÃO DO CRIME ORGANIZADO FUI SEQUESTRADO, FEITO REFÉM E TORTURADO POR QUASE DOIS DIAS NA SEDE DA FUNAI EM CAMPO GRANDE - MS. A MINHA VIDA PESSOAL, AFETIVA E EM PARTE A PROFISSIONAL, FOI DESTRUÍDA, JOGADA NO LIXO, NO ESGOTO. A AÇÃO FOI COMANDADA E OPERADA POR SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS E DO ESTADO DO MATO GROSSO DO SUL, E POR DIVERSOS SUPOSTOS JORNALISTAS, PRINCIPALMENTE DA REDE GLOBO, DA FOLHA DE SÃO PAULO, DO ESTADO DE SÃO PAULO E JORNAL DO BRASIL, ENTRE OUTRAS PESSOAS. FUI FILMADO, XINGADO, HUMILHADO, TUDO FILMADO E PUBLICADO PELOS RSPECTIVOS VEÍCULOS DE "COMUNICAÇÃO-JORNALISMO", NO INTERIOR DE UM CATIVEIRO, CERCADO DE SEQUESTRADORES ARMADOS. SOU PROIBIDO DE TER ACESSO E CONHECER AS IMAGENS VEICULADAS NAS TVS, INCLUSIVE CANAIS DE TVS ABERTAS. TAMBÉM PROIBIDO DE TER ACESSO AOS DADOS E INFORMAÇÕES A MEU RESPEITO SOBRE OS FATOS EM COMENTO, VIOLAÇÃO GRITANTE DOS DIREITOS HUMANOS. SOLICITEI À UNESCO APOIO MÉDICO E ASSISTÊNCIA JURÍDICA, E INTERVENÇÃO PARA QUE EU POSSA TER ACESSO ÀS INFORMAÇÕES A MEU RESPEITO, E TRADUÇÃO DO MEU CONTRATO DO IDIOMA FRANCÊS PARA O PORTUGUÊS, MAS A UNESCO NEGOU, SEQUER RESPONDEU AOS DOCUMENTOS PROTOCOLADOS NESSE SENTIDO. PARTICIPAM DO ACOBERTAMENTO, DA CENSURA, DAS FRAUDES APURATÓRIAS AS SEGUINTES INSTITUIÇÕES ENTRE OUTRAS QUE EU POSSA DESCONHECER A AÇÃO OU OMISSÃO CRIMINOSA: POLÍCIA FEDERAL, FUNAI, DEFENSORIA PÚBLICA GERAL DA UNIÃO, CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO, MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, UNESCO, OAB NACIONAL, COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS DA CÂMARA DOS DEPUTADOS. PRESENÇA E ATUAÇÃO DO CRIME ORGANIZADO NA TERRA INDÍGENA BURITI - MS/BR TRECHO DE CARTA QUE ENCAMINHEI À CGU EM 2005 (APURAÇÃO FOI FRAUDADA): ..."Solicito a Vossa Excelência oportunidade de prestar depoimento a essa Corregedoria Geral da União, preferencialmente que o mesmo seja gravado, onde poderei oferecer maiores detalhes, o que não faço agora por não dispor de condições psicológicas para fazê-lo por escrito (as seqüelas do meu seqüestro limitam muito a minha capacidade de escrever, a contento, sobre os fatos). Desde já, entretanto, quero registrar a participação criminosa, por ação ou omissão no caso em comento, das seguintes pessoas: BLAL YASSINE DALLOUL – Procurador da República/MPU-MS TÃNIA BARRETO – Procuradora Federal/FUNAI JOCELIN SALOMÃO – Procurador Federal/FUNAI/MS DINARTE NOBRE DE MADEIROS – Então Vice-Presidente da FUNAI GÊNIO DA COSTA ALVAREZ – Então Presidente da FUNAI PAULO ROBERTO SOARES – Então Diretor de Assuntos Fundiários da FUNAI JORGE ANTÔNIO DAS NEVES – Então Chefe do PIN Buriti – FUNAI/MS MOHAMED SEABRA FARIA – Engenheiro florestal – FUNAI Os outros envolvidos nessa seqüência de crimes, principalmente do Departamento de Polícia Federal/DPF e da Fundação Nacional do Índio/FUNAI, onde o meu brutal seqüestro é apenas uma parte (conforme Vossa Excelência pode constatar, inicialmente, até mesmo pelas “notícias” veiculadas na Internet - cópias em anexo, já havia sido sequestrado anteriormente na TI.Buriti, um historiador), eu não posso afirmar com certeza quem são, pois a covardia de não me deixarem ter acesso aos documentos sobre o caso, me impede de buscar com maior celeridade e eficácia seja meus direitos, seja aprofundar minhas denúncias, e com isto colaborar com sociedade brasileira e autoridades sérias do Brasil. Os nomes acima, dizem respeito à esfera federal, pois não incluem os servidores públicos do Estado do Mato Grosso do Sul, JAIR TERRA, LUIS CARLOS GOMES GAÚNA e EZEQUIEL FREIRE DA SILVA (antigo TERRASUL), que me torturaram psicologicamente no meu cativeiro (ao qual tiveram livre acesso) situado na Avenida Principal de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, Sede da Fundação Nacional do Índio/FUNAI naquele Estado, e os supostos “profissionais” de parte significativa da mídia brasileira, principalmente das empresas REDE GLOBO, FOLHA DE SÃO PAULO e outras da “grande mídia”, que covardemente difundiram mentiras e/ou trataram de forma leviana a situação, mentiram a meu respeito enquanto eu me encontrava REFÉM de pessoas armadas, "... PROSTITUIÇÃO INSTITUCIONAL NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA, NO PODER EXECUTIVO FEDERAL E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. CASO ALGUÉM NÃO ENTENDA OS NOMES DAS INSTITUIÇÕES E PESSOAS QUE EU ESTOU CITANDO, POSSO DESENHAR. SERÁ PRECISO? CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL! CHEFE SUPERIOR AO JORGE: VANTUIR JACINE, ATUAL SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO MATO GROSSO DO SUL, EX - SUPERINTENDENTE DA POLÍCIA FEDERAL NAQUELE ESTADO. FOI, A PEDIDO (MANDO), DA REDE GLOBO E DE RURALISTAS, A QUEM SERVE COMO CAPACHO QUE É, QUE FRANQUEOU MEU CATIVEIRO PARA A EQUIPE DA REDE GLOBO ENTRAR À NOITE E ME FILMAR, APESAR DE EU IMPLORAR PARA ISSO NÃO ACONTECER, POIS MEUS SEQUESTRADORES (ARMADOS ) PODERIAM ME MATAR SE EU TENTASSE OFERECER MINHA VERSÃO DOS FATOS. FILMARAM E EXIBIRAM TUDO. EU ATÉ HOJE NÃO CONSEGUI TER ACESSO ÀS IMAGENS. A REDE GLOBO NÃO DEIXA O ESTADO BRASILEIRO ( EXECUTIVO, LEGISLATIVO E MPF, ALÉM DA UNESCO) ME CEDEREM AS IMAGENS PARA EU TOMAR CONHECIMENTO E RESPONDER. NUNCA FIZ O LAUDO QUE ME ATRIBUÍRAM, E MESMO QUE O TIVESSE FEITO, NÃO PODERIA TER SIDO SEQUESTRADO, FEITO REFÉM E TORTURADO POR DOIS DIAS, NA SEDE DA FUNAI EM CAMPO GRANDE - MS. JORGE ANTÔNIO DAS NEVES, "COORDENADOR TÉCNICO DA FUNAI EM SIDROLÂNDIA - MS" É ARQUIVO VIVO DO CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA ( FUNAI E POLÍCIA FEDERAL) E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. É SEQUESTRADOR E TORTURADOR. VERGONHA NA FUNAI: JORGE ANTÔNIO DAS NEVES FOI O ORGANIZADOR OPERACIONAL DO MEU SEQUESTRO E CATIVEIRO NA SEDE DA FUNAI EM CAMPO GRANDE - MS, NO ANO DE 2000. É UM TORTURADOR, MAS APADRINHADO PELO CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, CONTINUA OPERANDO NA FUNAI E TEM CARGO DE CONFIANÇA. PRESTEI DEPOIMENTO DE MAIS DE QUATRO HORAS NA CORREGEDORIA NACIONAL DA POLÍCIA FEDERAL EM BRASÍLIA, MAS O A CONCLUSÃO DO INQUÉRITO FOI FRAUDADO PELA ENTÃO CORREGEDORA NACIONAL DA PF DELEGADA FEDERAL NEIDE ALVES ALVARENGA. TAMBÉM FRAUDOU AS APURAÇÕES O PROCURADOR DA REPÚBLICA BLAL YASSINE DALLOU. Artigo 5 da Constituição Federal: é garantida a livre expressão e manifestação do pensamento, e acesso à informação, SENDO VEDADO O ANONIMATO. MINHA QUALIFICAÇÃO E IDENTIFICAÇÃO: EDISON NETTO LASMAR, antropólogo, especialista em regularização fundiária de terras indígenas, autor de estudos, pareceres e coordenador de grupos técnicos de regularização de terras indígenas, envolvendo diversas etnias brasileiras. Todos os trabalhos aprovados pela FUNAI, MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA - QUANDO ISSO SE FAZIA NECESSÁRIO FACE EXIGÊNCIAS LEGAIS (Mormente Artigo 231 da Constituição federal, Decreto 1,775 de 8 de Janeiro de 1996 e Portaria MJ 14 de 9 de Janeiro de 1996). CPF: 151 801 071 - 72 CI: M - 6 274 576 SSP MG
    Miscelânia.
  • A REDE GLOBO INVADIU MEU CATIVEIRO COM APOIO DA POLÍCIA FEDERAL (DELEGADO VANTUIR JACINE) E ME TORTUROU, IMPLOREI PARA NÃO SER FILMADO....SOU IMPEDIDO DE TER ACESSO ÀS IMAGENS VEÍCULADAS INCLUSIVE NA TV ABERTA ATÉ HOJE....APURAÇÃO DO SEQUESTRO FOI FRAUDADA PELOS DELEGADOS FEDERAIS VANTUIR JACINE E NEIDE ALVARES ALVARENGA, E PELO PROCURADOR DA REPÚBLICA BLAL YASSINE DALLOU, ALÉM DE OUTRSS SERVIDORES DA PF, FUNAI, CGU, DPGU E SECRETARIA DE DIREITOS HUANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA.


    Edison Netto Lasmar compartilhou uma foto
    PARTICIPAÇÃO DA REDE GLOBO NO MEU SEQUESTRO, SEGUNDO A PRÓPRIA POLÍCIA FEDERAL: EM MEU DEPOIMENTO À POLÍCIA FEDERAL NO MATO GROSSO DO SUL (NA SEDE DA SUPERINTENDÊNCIA DA PF), NA MINHA PRESENÇA E NA PRESENÇA DE WALTER COUTINHO JÚNIOR (CHEFE DO DEPARTAMENTO DE IDENTIFICAÇÃO E DELIMITAÇÃO DE TERRAS INDÍGENAS/DAF/FUNAI), JAIR TERRA (TERRASUL/MS) E DE OUTROS TRÊS POLICIAIS FEDERAIS, UM DOS MEMBROS DA POLÍCIA FEDERAL INFORMOU DA POSSIBILIDADE DE QUEBRA DO SIGILO TELEFÔNICO DA REDE GLOBO DE TELEVISÃO, POR HAVER INDÍCIOS DA PARTICIPAÇÃO NA ORGANIZAÇÃO DO SEQUESTRO. A REDE GLOBO PROMOVEU UMA SESSÃO EXCLUSIVA DE TORTURA NO CATIVEIRO COM PERMISSÃO DA POLÍCIA FEDERAL (VANTUIR JACINE BRASIL, ENTÃO SUPERINTENDENTE DA PF/MS). CRIME IMPUNE, MAS JAMAIS ESQUECIDO. TORTURA NÃO SE ESQUECE! MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PARTICIPARAM DIRETAMENTE DO MEU SEQUESTRO E DAS TORTURAS QUE SOFRI NO CATIVEIRO. DATALHE DO CATIVEIRO: APROXIMADAMENTE 23 HORAS UMA EQUIPE DA REDE GLOBO INVADE MEU CATIVEIRO, COM PERMISSÃO E CONIVÊNCIA DO CRIME ORGANIZADO ENCASTELADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. ATERRORIZADO E EM PÂNICO, IMPLOREI PARA NÃO SER FILMADO POIS SE TENTASSE OFERECER MINHA VERSÃO DOS FATOS SERIA ARREBENTADO E MORTO PELOS MEUS SEQUESTRADORES, MAS A REDE GLOBO ME FILMOU, APESAR DA MINHA SÚPLICA DE REFÉM, TRANSMITIU CALÚNIAS NO BRASIL E NO EXTERIOR A MEU RESPEITO, SEM SEQUER OFERECER POSSIBILIDADE DE CONTRADITÓRIO MUITO MENOS RESPEITAR MEU SOFRIMENTO PELAS TORTURAS. AS IMAGENS "EXCLUSIVAS DA GLOBO" FORAM OBTIDAS MEDIANTE TORTURA E PARCERIA COM O CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. RESUMO DO CASO: EM AGOSTO DE 2000, CONTRATADO PELA UNESCO A SERVIÇO DA UNIÃO FEDERAL PARA COORDENAR O GRUPO TÉCNICO DE REVISÃO DOS LIMITES DA TERRA INDÍGENA BURITI, DE OCUPAÇÃO DA ETNIA TERENA, SITUADA NO MATO GROSSO DO SUL,EM AÇÃO DO CRIME ORGANIZADO FUI SEQUESTRADO, FEITO REFÉM E TORTURADO POR QUASE DOIS DIAS NA SEDE DA FUNAI EM CAMPO GRANDE - MS. A MINHA VIDA PESSOAL, AFETIVA E EM PARTE A PROFISSIONAL, FOI DESTRUÍDA, JOGADA NO LIXO, NO ESGOTO. A AÇÃO FOI COMANDADA E OPERADA POR SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS E DO ESTADO DO MATO GROSSO DO SUL, E POR DIVERSOS SUPOSTOS JORNALISTAS, PRINCIPALMENTE DA REDE GLOBO, DA FOLHA DE SÃO PAULO, DO ESTADO DE SÃO PAULO E JORNAL DO BRASIL, ENTRE OUTRAS PESSOAS. FUI FILMADO, XINGADO, HUMILHADO, TUDO FILMADO E PUBLICADO PELOS RSPECTIVOS VEÍCULOS DE "COMUNICAÇÃO-JORNALISMO", NO INTERIOR DE UM CATIVEIRO, CERCADO DE SEQUESTRADORES ARMADOS. SOU PROIBIDO DE TER ACESSO E CONHECER AS IMAGENS VEICULADAS NAS TVS, INCLUSIVE CANAIS DE TVS ABERTAS. TAMBÉM PROIBIDO DE TER ACESSO AOS DADOS E INFORMAÇÕES A MEU RESPEITO SOBRE OS FATOS EM COMENTO, VIOLAÇÃO GRITANTE DOS DIREITOS HUMANOS. SOLICITEI À UNESCO APOIO MÉDICO E ASSISTÊNCIA JURÍDICA, E INTERVENÇÃO PARA QUE EU POSSA TER ACESSO ÀS INFORMAÇÕES A MEU RESPEITO, E TRADUÇÃO DO MEU CONTRATO DO IDIOMA FRANCÊS PARA O PORTUGUÊS, MAS A UNESCO NEGOU, SEQUER RESPONDEU AOS DOCUMENTOS PROTOCOLADOS NESSE SENTIDO. PARTICIPAM DO ACOBERTAMENTO, DA CENSURA, DAS FRAUDES APURATÓRIAS AS SEGUINTES INSTITUIÇÕES ENTRE OUTRAS QUE EU POSSA DESCONHECER A AÇÃO OU OMISSÃO CRIMINOSA: POLÍCIA FEDERAL, FUNAI, DEFENSORIA PÚBLICA GERAL DA UNIÃO, CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO, MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, UNESCO, OAB NACIONAL, COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS DA CÂMARA DOS DEPUTADOS. PRESENÇA E ATUAÇÃO DO CRIME ORGANIZADO NA TERRA INDÍGENA BURITI - MS/BR TRECHO DE CARTA QUE ENCAMINHEI À CGU EM 2005 (APURAÇÃO FOI FRAUDADA): ..."Solicito a Vossa Excelência oportunidade de prestar depoimento a essa Corregedoria Geral da União, preferencialmente que o mesmo seja gravado, onde poderei oferecer maiores detalhes, o que não faço agora por não dispor de condições psicológicas para fazê-lo por escrito (as seqüelas do meu seqüestro limitam muito a minha capacidade de escrever, a contento, sobre os fatos). Desde já, entretanto, quero registrar a participação criminosa, por ação ou omissão no caso em comento, das seguintes pessoas: BLAL YASSINE DALLOUL – Procurador da República/MPU-MS TÃNIA BARRETO – Procuradora Federal/FUNAI JOCELIN SALOMÃO – Procurador Federal/FUNAI/MS DINARTE NOBRE DE MADEIROS – Então Vice-Presidente da FUNAI GÊNIO DA COSTA ALVAREZ – Então Presidente da FUNAI PAULO ROBERTO SOARES – Então Diretor de Assuntos Fundiários da FUNAI JORGE ANTÔNIO DAS NEVES – Então Chefe do PIN Buriti – FUNAI/MS MOHAMED SEABRA FARIA – Engenheiro florestal – FUNAI Os outros envolvidos nessa seqüência de crimes, principalmente do Departamento de Polícia Federal/DPF e da Fundação Nacional do Índio/FUNAI, onde o meu brutal seqüestro é apenas uma parte (conforme Vossa Excelência pode constatar, inicialmente, até mesmo pelas “notícias” veiculadas na Internet - cópias em anexo, já havia sido sequestrado anteriormente na TI.Buriti, um historiador), eu não posso afirmar com certeza quem são, pois a covardia de não me deixarem ter acesso aos documentos sobre o caso, me impede de buscar com maior celeridade e eficácia seja meus direitos, seja aprofundar minhas denúncias, e com isto colaborar com sociedade brasileira e autoridades sérias do Brasil. Os nomes acima, dizem respeito à esfera federal, pois não incluem os servidores públicos do Estado do Mato Grosso do Sul, JAIR TERRA, LUIS CARLOS GOMES GAÚNA e EZEQUIEL FREIRE DA SILVA (antigo TERRASUL), que me torturaram psicologicamente no meu cativeiro (ao qual tiveram livre acesso) situado na Avenida Principal de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, Sede da Fundação Nacional do Índio/FUNAI naquele Estado, e os supostos “profissionais” de parte significativa da mídia brasileira, principalmente das empresas REDE GLOBO, FOLHA DE SÃO PAULO e outras da “grande mídia”, que covardemente difundiram mentiras e/ou trataram de forma leviana a situação, mentiram a meu respeito enquanto eu me encontrava REFÉM de pessoas armadas, "... PROSTITUIÇÃO INSTITUCIONAL NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA, NO PODER EXECUTIVO FEDERAL E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. CASO ALGUÉM NÃO ENTENDA OS NOMES DAS INSTITUIÇÕES E PESSOAS QUE EU ESTOU CITANDO, POSSO DESENHAR. SERÁ PRECISO? CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL! CHEFE SUPERIOR AO JORGE: VANTUIR JACINE, ATUAL SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO MATO GROSSO DO SUL, EX - SUPERINTENDENTE DA POLÍCIA FEDERAL NAQUELE ESTADO. FOI, A PEDIDO (MANDO), DA REDE GLOBO E DE RURALISTAS, A QUEM SERVE COMO CAPACHO QUE É, QUE FRANQUEOU MEU CATIVEIRO PARA A EQUIPE DA REDE GLOBO ENTRAR À NOITE E ME FILMAR, APESAR DE EU IMPLORAR PARA ISSO NÃO ACONTECER, POIS MEUS SEQUESTRADORES (ARMADOS ) PODERIAM ME MATAR SE EU TENTASSE OFERECER MINHA VERSÃO DOS FATOS. FILMARAM E EXIBIRAM TUDO. EU ATÉ HOJE NÃO CONSEGUI TER ACESSO ÀS IMAGENS. A REDE GLOBO NÃO DEIXA O ESTADO BRASILEIRO ( EXECUTIVO, LEGISLATIVO E MPF, ALÉM DA UNESCO) ME CEDEREM AS IMAGENS PARA EU TOMAR CONHECIMENTO E RESPONDER. NUNCA FIZ O LAUDO QUE ME ATRIBUÍRAM, E MESMO QUE O TIVESSE FEITO, NÃO PODERIA TER SIDO SEQUESTRADO, FEITO REFÉM E TORTURADO POR DOIS DIAS, NA SEDE DA FUNAI EM CAMPO GRANDE - MS. JORGE ANTÔNIO DAS NEVES, "COORDENADOR TÉCNICO DA FUNAI EM SIDROLÂNDIA - MS" É ARQUIVO VIVO DO CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA ( FUNAI E POLÍCIA FEDERAL) E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. É SEQUESTRADOR E TORTURADOR. VERGONHA NA FUNAI: JORGE ANTÔNIO DAS NEVES FOI O ORGANIZADOR OPERACIONAL DO MEU SEQUESTRO E CATIVEIRO NA SEDE DA FUNAI EM CAMPO GRANDE - MS, NO ANO DE 2000. É UM TORTURADOR, MAS APADRINHADO PELO CRIME ORGANIZADO NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, CONTINUA OPERANDO NA FUNAI E TEM CARGO DE CONFIANÇA. PRESTEI DEPOIMENTO DE MAIS DE QUATRO HORAS NA CORREGEDORIA NACIONAL DA POLÍCIA FEDERAL EM BRASÍLIA, MAS O A CONCLUSÃO DO INQUÉRITO FOI FRAUDADO PELA ENTÃO CORREGEDORA NACIONAL DA PF DELEGADA FEDERAL NEIDE ALVES ALVARENGA. TAMBÉM FRAUDOU AS APURAÇÕES O PROCURADOR DA REPÚBLICA BLAL YASSINE DALLOU. Artigo 5 da Constituição Federal: é garantida a livre expressão e manifestação do pensamento, e acesso à informação, SENDO VEDADO O ANONIMATO. MINHA QUALIFICAÇÃO E IDENTIFICAÇÃO: EDISON NETTO LASMAR, antropólogo, especialista em regularização fundiária de terras indígenas, autor de estudos, pareceres e coordenador de grupos técnicos de regularização de terras indígenas, envolvendo diversas etnias brasileiras. Todos os trabalhos aprovados pela FUNAI, MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA - QUANDO ISSO SE FAZIA NECESSÁRIO FACE EXIGÊNCIAS LEGAIS (Mormente Artigo 231 da Constituição federal, Decreto 1,775 de 8 de Janeiro de 1996 e Portaria MJ 14 de 9 de Janeiro de 1996). CPF: 151 801 071 - 72 CI: M - 6 274 576 SSP MG
    Miscelânia.



  • Lourdes Carneiro compartilhou a foto de Jorge André Irion Jobim.
    Leandro Fortes: Tucano é acusado de tráfico de órgãos Pela quarta vez consecutiva, Carlos Mosconi é presidente da Comissão de Saúde do Parlamento de Minas Gerais por Leandro Fortes, em CartaCapital, sugestão de Julio Cesar Macedo Amorim Enquanto o Congresso Nacional é submetido a um constrangimento diário desde a eleição do deputado Marcos Feliciano (PSC-SP), pastor evangélico de discurso homofóbico e racista, para o comando da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, um caso semelhante na forma, mas muito mais grave no conteúdo, permanece escondido na Assembléia Legislativa de Minas Gerais. Em 1˚ de fevereiro, o tucano Carlos Mosconi assumiu pela quarta vez consecutiva a presidência da Comissão de Saúde do Parlamento mineiro. Médico de formação, Mosconi é idealizador da MG Sul Transplantes, ONG que servia de central clandestina de receptação e distribuição de órgãos humanos em Poços de Caldas, no sul do estado. Segundo uma investigação da Polícia Federal, Mosconi chegou a encomendar um rim para o amigo de um prefeito da cidade mineira de Campanha. Em 19 de fevereiro, o juiz Narciso Alvarenga de Castro, da 1a Vara Criminal de Poços de Caldas, condenou quatro médicos envolvidos no esquema de compra e venda de órgãos humanos, a chamada “Máfia dos Transplantes”. João Alberto Brandão, Celso Scafi, Cláudio Fernandes e Alexandre Zincone, todos da Irmandade Santa Casa, eram ligados à MG Sul Transplantes. Scafi era sócio de Mosconi em uma clínica da cidade. A ONG era responsável pela organização de uma lista de pacientes particulares que encomendavam e pagavam por órgãos retirados de pacientes ainda vivos. A quadrilha realizava os transplantes na Santa Casa, o que garantia, além do dinheiro tomado dos beneficiários da lista, recursos do SUS para o hospital. A máfia de médicos de Poços de Caldas foi descoberta em 2002 por causa do chamado “Caso Pavesi”, que chegou a ser investigado na Câmara dos Deputados pela CPI do Tráfico de Órgãos Humanos, em 2004. Em 19 de abril de 2000, Paulo Veronesi Pavesi, 10 anos de idade à época, caiu de um brinquedo no prédio onde morava e foi levado à Santa Casa. O menino foi atendido pelo médico Alvaro Ianhez, coordenador do setor de transplantes do hospital e, soube-se depois, chefe da central clandestina de tráfico de órgãos. Ianhez é amigo particular do deputado Mosconi, responsável por sua nomeação no hospital. A partir de uma denúncia do analista de sistemas Paulo Pavesi, pai do garoto, a PF abriu um inquérito e descobriu que a equipe de Ianhez havia decretado a morte encefálica de Paulo quando ele estava sob efeito de substâncias depressivas do sistema nervoso central. Ou seja, teve os rins, o fígado e as córneas retirados quando provavelmente ainda estava vivo. Pavesi pai foi obrigado a pedir asilo na Itália, depois de ser ameaçado de morte por diversas vezes em Minas Gerais. Atualmente, mora em Londres, onde aguarda até hoje o julgamento do caso do filho. Outros oito casos semelhantes foram descobertos pela PF e pelo Ministério Público Federal durante as investigações. Um deles, o do trabalhador rural João Domingos de Carvalho, foi o que resultou nas condenações de fevereiro passado. Internado por sete dias na enfermaria da Santa Casa, entre 11 e 17 de abril de 2001, Carvalho foi dado como morto quando estava sentado e teve os rins, as córneas e o fígado retirados pelos médicos Fernandes e Scafi. “Era pura ganância, vontade de enriquecimento rápido, sem se preocupar com o sofrimento dos demais seres humanos”, escreveu o juiz Nasciso de Castro na sentença que condenou os médicos da Santa Casa a penas de 8 a 11 anos de prisão, em primeira instância. Todos continuarão em liberdade até o julgamento dos recursos. Pavesi não se amendrontou à toa. Em 24 de abril de 2002, Carlos Henrique Marcondes, administrador da Santa Casa, foi assassinado no dia exato de seu depoimento no Ministério Público sobre a atuação da máfia dos transplantes lotada no hospital. Ele tinha gravado todas as conversas com os médicos envolvidos no tráfico de órgãos e pretendia entregar as fitas às autoridades. Antes de falar, Marcondes foi encontrado morto no próprio carro com um tiro na boca. Segundo um delegado da Polícia Civil da cidade, o ex-PM Juarez Vinhas, tratou-se de suicídio. O caso foi sumariamente arquivado. O laudo pericial constatou, porém, que três tiros haviam sido disparados contra Marcondes, embora apenas um o tenha atingido. Mais ainda: a arma usada e colocada na mão da vítima desapareceu no fórum de Poços de Caldas, razão pela qual foi impossível periciá-la. Levado à Santa Casa, o corpo do administrador foi recebido por dois médicos do hospital. Um deles, João Alberto Brandão, foi condenado em fevereiro. O outro, Félix Gamarra, chegou a ser indiciado, mas acabou beneficiado pela lei de prescrição penal, por ter mais de 70 anos de idade. A dupla raspou e enfaixou a mão direita de Marcondes, supostamente usada para apertar o gatilho, de modo a invibializar o exame de digitais e presença de resíduos de pólvora. E o advogado da Santa Casa, o também ex-PM Sérgio Roberto Lopes, providenciou a lavagem do carro. O nome de Mosconi apareceu na trama em 2004, durante a CPI do Tráfico de Órgãos. Convocado pela comissão, o delegado Célio Jacinto, responsável pelas investigações da Polícia Federal, revelou a existência de uma carta do parlamentar na qual ele solicita ao amigo Ianhez o fronecimento de um rim para atender ao pedido do prefeito de Campanha, por 8 mil reais. A carta, disse o delegado, foi apreendida entre os documentos de Ianhez, mas desapareceu misteriosamente do inquérito sob custódia do Ministério Público Estadual de Minas Gerais. Mosconi foi ouvido pelo juiz Narciso de Castro e confirmou conhecer Ianhez desde os anos 1970. O parlamentar disse “não se recordar” da existência de uma lista de receptores de órgãos da Santa Casa, da qual chegou a ser presidente do Conselho Curador por um período. Sobre a MG Sul Transplantes, que fundou e difundiu, afirmou apenas “ter ouvido falar” de sua existência. Declaração no mínimo estranha. O registro de criação da MG Sul Transplantes, em 1991, está publicado em um artigo no Jornal Brasileiro de Transplantes (volume 1, número 4), do qual os autores são o próprio Mosconi, além de Ianhez, Fernandes, Brandão, e Scafi, todos investigados ou réus de processos sobre a máfia de transplantes de Poços de Caldas. Procurada por CartaCapital, a assessoria de imprensa de Carlos Mosconi ficou de marcar uma entrevista com o deputado. Até o fechamento desta edição, o parlamentar não atendeu ao pedido da revista. http://www.viomundo.com.br/denuncias/leandro-fortes-tucano-carlos-mosconi-um-feliciano-piorado-na-assembleia-mineira.html
    Fotos da linha do tempo.
  • passeio na roça em Alvarenga mg

    Descendo o "Mirante " do parque Renato Azeredo no Palmares em BH MG - Brasil -Amercia do Sul - Via Lactea.


AVISO: O conteúdo de cada postagem é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Previsão do tempo na Região


Participe e comente sobre a cidade de Alvarenga


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)