Início » Goiás » Iporá


Iporá - Goiás



Iporá faz parte do estado de Goiás.

"Iporá" é um termo de origem tupi que significa "água bonita", através da junção dos termos ′y ("água") e porang ("bonito").

Sua população foi estimada em 2010 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística em 31 300 habitantes.

História da cidade de Iporá

Tem-se notícías de que por volta do ano de 1748, Iporá teve sua origem com a formação do arraial de Pilões, na margem do Rio Claro. E que no ano de 1749, com a vinda de Gomes Freire de Andrade, Governador das Capitanias de Minas Gerais e Rio de Janeiro, se firmaram contratos de exploração dos diamantes de Rio Claro e Rio Pilões. Para essas atividades iniciais de garimpo, vieram duzentos escravos que trabalhavam sob o comando dos exploradores contratados. Forças do exército, enviadas pela Coroa, garantiam a execução do serviço. O povoado nascente recebeu o nome de Rio Claro (dado ao rio caudaloso em que se procedia a cata dos diamantes).

A expressiva produção de diamantes e o desenvolvimento rápido do arraial motivaram o extraordinário crescimento. Assim, em 5 de julho de 1833, Rio Claro passou à categoria de distrito, mantendo-se a denominação de Rio Claro, pertencente ao Município de Goiás, antiga Vila Boa. Alterando o nome da Igreja que era do Senhor do Bom Fim para paróquia Nossa Senhora do Rosário. O distrito permaneceu com o mesmo nome, até que o povoado caiu em decadência e para agravar a situção, a população foi acometida de um surto de febre amarela, matando e afugentando a maioria dos moradores do lugar. E então, o povoado que, em seus tempos de glória, chegou a contar com cerca de mil habitantes, ficou reduzido a poucas famílias e alguns descendentes de escravos, tendo sido chamado carinhosamente de "Comércio Velho". Sendo que na década de 30, do século XX, conjectou-se entre os daquele lugar a mudança do povoado. Formou-se uma comissão que escolheu o lugar às margens do Córrego Tamanduá, onde é a sede atual do município, para abrigar a nova povoação.

Em 1938, o Distrito de Rio Claro passou a denominar-se Itajubá, topônimo de origem indígena, tupi-guarani, que significa pedra amarela. Em 1942, Joaquim Paes Toledo e família doaram uma área de 100 alqueires goianos de terras para a edificação da Cidade. Em 1943, por Decreto-Lei Estadual nº 8.305, de 31 de dezembro , passa a denominar-se IPORá, também de origem indígena, que significa águas claras.

Pela Lei Estadual nº 249, de 19 de novembro de 1948, foi elevado à categoria de município, instalando em 1º de janeiro de 1949, desmembrado do Município de Goiás.

Gentílico: iporaense

Em 14/11/1952, através da lei estadual nº 700, Iporá foi elevado a têrmo de comarca, tendo como primeiro juiz de direito o Dr. Pedro de Farias.

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Rio Claro, pelo decreto de 05/07/1833, subordinado ao município de Goiás. Em divisão Administrativa referente ao ano de 1911, o distrito figura no município de Goiás.

Assim permanecendo em divisões territoriais de 31/12/1936 e 31/12/1937.

Pelo decreto-lei estadual nº 1.233, de 31/10/1938, o distrito de Rio Claro passou a denominar-se Itajubá.

No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o distrito de Itajubá, ex-Rio claro, figura no município de Goiás.

Pelo decreto-lei estadual nº 8.305, de 31/12/1943, o distrito de Itajubá passou a denominar-se Iporá que, em tupi-guarani, significa águas claras.

No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, o distrito de Iporá, ex-Itajubá, permanece no município de Goiás.

Elevado à categoria de município com a denominação de Iporá, pela lei estadual nº 249, de 19/11/1948, desmembrado de Goiás. Sede no antigo distrito de Iporá. Constituído do distrito sede. Instalado em 01/01/1949.

Em divisão territorial datada de 01/07/1950, o município de Iporá, é constituído do distrito sede.

Pela lei municipal nº 53, de 19/09/1953, é criado o distrito de Campo Limpo e anexado ao município de Iporá.

Pela lei municipal nº 54, de 19/09/1953, é criado o distrito de Monchão do Vaz e anexado ao município de Iporá.

Em divisão territorial datada de 01/07/1955, o município é constituído de 3 distritos: Iporá, Campo Limpo e Monchão de Vaz.

Pela lei estadual nº 2.093, de 14/11/1958, desmembra do município de Iporá, o distrito de Campo Limpo. Elevado à categoria de município com a denominação de Amorinópolis.

Pela lei estadual nº 2.114, de 14/11/1958, desmembra do município de Iporá o distrito de Monchão do Vaz. Elevado à categoria de município de Israelândia.

Em divisão territorial datada de 01/07/1960, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Alterações toponímicas distritais:

Rio Claro para Itajubá alterado, pela lei estadual nº 1.233, de 31/10/1938. E de Itajubá para Iporá alterado, pela lei estadual nº 8.305, de 31/12/1943.

Fonte: IBGE

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.



Síntese das Informações
Área da unidade territorial - 2015: 1.026,384: km²
Estabelecimentos de Saúde SUS: 14: estabelecimentos
Matrícula - Ensino fundamental - 2015: 3.626: matrículas
Matrícula - Ensino médio - 2015: 1.371: matrículas
Número de unidades locais: 1.064: unidades
Pessoal ocupado total: 5.442: pessoas
PIB per capita a preços correntes - 2014: 15.958,96: reais
População residente : 31.274: pessoas
População residente - Homens: 15.302: pessoas
População residente - Mulheres: 15.972: pessoas
População residente alfabetizada: 26.066: pessoas
População residente que frequentava creche ou escola : 8.987: pessoas
População residente, religião católica apostólica romana: 18.670: pessoas
População residente, religião espírita: 434: pessoas
População residente, religião evangélicas: 9.449: pessoas
Valor do rendimento nominal médio mensal dos domicílios particulares permanentes com rendimento domiciliar, por situação do domicílio - Rural: 1.612,72: reais
Valor do rendimento nominal médio mensal dos domicílios particulares permanentes com rendimento domiciliar, por situação do domicílio - Urbana: 2.181,25: reais
Valor do rendimento nominal mediano mensal per capita dos domicílios particulares permanentes - Rural: 510,00: reais
Valor do rendimento nominal mediano mensal per capita dos domicílios particulares permanentes - Urbana: 510,00: reais
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal - 2010 (IDHM 2010): 0,743:

Fonte:IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Iporá: Imagens da cidade e Região

As fotos fornecidas pelo Panoramio estão sobre direitos autorais de seus proprietários.

Você conhece a cidade de Iporá? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)






Compartilhe Esta Página: