Início » Bahia » Rio de Contas


Rio de Contas - Bahia



O Rio de Contas é um rio brasileiro que banha o estado da Bahia. Erroneamente, é também conhecido por "Rio das Contas". É o principal rio da bacia hidrográfica que leva seu nome.

Tem sua nascente na Serra da Tromba, entre os municípios de Piatã e Rio de Contas, passa pelas cidades de Abaíra, Jussiape, Dom Basílio, Tanhaçu, Jequié (onde foi erguida a Barragem de Pedras), Jitaúna, Ipiaú, Itagibá, Barra do Rocha, Ubatã, Ubaitaba e Aurelino Leal, para finalmente ter a sua foz no Oceano Atlântico, em Itacaré.

Uma das dezesseis bacias hidrográficas do estado da Bahia, está administrativamente subordinada ao Departamento Nacional de Obras Contra as Secas. A bacia compreende os seus principais afluentes, que são: rio Brumado, rio do Antônio, rio Gongogi, rio Jequiezinho, rio Gavião, rio Sincorá e rio Jacaré.

História da cidade de Rio de Contas

Viajantes procedentes de Goiás e norte de Minas, com destino a Salvador, fundaram no final do Século XVII o povoado de Creoulos, para lhes servir de pouso.

A descoberta de ouro, no leito do rio Brumado, atraiu à região grande número de garimpeiros que, subindo o rio, fundaram a povoação Mato Grosso.

O Povoado cresceu em função da mineração. Em 1718, criou-se a freguesia de Santo Antônio de Mato Grosso, a primeira do Alto Sertão Baiano.

No início do século XVIII, os jesuítas construíram uma igreja, a 12 quilômetros abaixo do povoado de Creoulos, dedicada a Nossa Senhora do Livramento.

Em 1724, o Vice-Rei Dom Vasco Fernandes encarregou o Coronel Pedro Barbosa Leal de criar uma Vila no alto Sertão Baiano. O local escolhido foi o Sítio, distante 12 quilômetros abaixo do povoado de Creoulos, tendo a Vila recebido o nome de Nossa Senhora do Livramento do Rio de Contas.

O Vice-Rei Dom André de Melo e Castro, Conde de Galvêas, ordenou a mudança da sede da vila para o povoado de Creoulos, atual cidade de Rio de Contas, em 1745.

O topônimo foi adoção do nome do rio que cortava o Município.

Gentílico: rio-contense

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Minas do Rio de Contas, em 1742.

Elevado à categoria de vila com a denominação de Minas do Rio de Contas, por carta regia de 27 -11-1723, aprovada pela provisão real de 09-02-1725. Instalada em 1724.

Pela resolução de provincial nº 1004, de 16-03-1868, é criado o distrito de Vila Velha e anexado a vila de Minas do Rio de Contas.

Pela lei provincial nº 1881, de 20-06-1879, é criado o distrito de Boa Sentença e anexado a vila de Minas do Rio de Contas.

Elevado à condição de cidade com a denominação de Minas do Rio de Contas, pela lei nº 2544, de 28-08-1885.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município aparece constituído de 5 distritos: Minas do Rio de Contas), Boa Sentença, Furna, Gravatá e Vila Velha.

Assim permanecendo nos quadros de apuração do recenseamento geral de 1-IX-1920.

Pela lei estadual nº 1496, de 26-07-1921, desmembra do município de Minas do Rio de Contas o distrito de Vila Velha. Elevado à categoria de município.

Pelos decretos estaduais nos 7455, de 23-06-1931 e 7479, de 08-07-1931, o município de Minas do Rio de Contas tomou a denominação de Rio de Contas.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município aparece constituído de 4 distritos: Rio de Contas (ex-Minas do Rio de Contas), Boa Sentença, Furna e Gravatá.

Assim permanecendo em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937.

Pelo decreto estadual nº 11089, de 30-11-1938, o distrito de Boa Sentença e Furna passam a denominar-se, respectivamente, Marcolino Moura e Palmital.

No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído de 4 distritos: Rio de Contas, Gravatá, Marcolino Moura (ex-Boa Sentença) e Palmital (ex-Furna).

Pelo decreto-lei estadual nº 141, de 31-12-1943, retificado pelo decreto estadual nº 12978, de 01-06-1944, o distrito de Gravatá e Palmital passam a denominar-se, respectivamente, Caraguataí e Arapiranga.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído de 4 distritos: Rio de Contas, Arapiranga (ex-Palmital), Caraguataí (ex-Gravatá) e Marcolino Moura.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960.

Pela lei estadual nº 1704, de 09-07-1962, o distrito de Caraguataí, foi transferido do município de Rio de Contas, para constituir o novo município Jussiape.

Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído de 3 distritos: Rio de Contas, Arapiranga, e Marcolino Moura.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Alteração toponímica municipal

Minas do Rio de Contas para Rio de Contas, alterado pelos decretos estaduais nºs 7455, de 23-06-1931 e 7479, de 08-07-1931.

Fonte: IBGE

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.



Síntese das Informações
Área da unidade territorial - 2016: 1.082,135: km²
Estabelecimentos de Saúde SUS: 17: estabelecimentos
Matrícula - Ensino fundamental - 2015: 1.549: matrículas
Matrícula - Ensino médio - 2015: 387: matrículas
Número de unidades locais: 117: unidades
Pessoal ocupado total: 778: pessoas
PIB per capita a preços correntes - 2014: 7.139,12: reais
População residente : 13.007: pessoas
População residente - Homens: 6.233: pessoas
População residente - Mulheres: 6.774: pessoas
População residente alfabetizada: 10.015: pessoas
População residente que frequentava creche ou escola : 3.360: pessoas
População residente, religião católica apostólica romana: 11.260: pessoas
População residente, religião espírita: 101: pessoas
População residente, religião evangélicas: 1.447: pessoas
Valor do rendimento nominal médio mensal dos domicílios particulares permanentes com rendimento domiciliar, por situação do domicílio - Rural: 869,95: reais
Valor do rendimento nominal médio mensal dos domicílios particulares permanentes com rendimento domiciliar, por situação do domicílio - Urbana: 1.248,56: reais
Valor do rendimento nominal mediano mensal per capita dos domicílios particulares permanentes - Rural: 218,57: reais
Valor do rendimento nominal mediano mensal per capita dos domicílios particulares permanentes - Urbana: 270,00: reais
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal - 2010 (IDHM 2010): 0,605:

Fonte:IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Rio de Contas: Imagens da cidade e Região

As fotos fornecidas pelo Panoramio estão sobre direitos autorais de seus proprietários.

Você conhece a cidade de Rio de Contas? Então deixe seu comentário!


Comentários (1)

  1. delmira martins do prado's avatardelmira martins do prado

    tenho um tio que nasceu nesta cidade e preciso da 2 via da certidão de nascimento dele seu nome é Deocliciano Martins ,nascido em 17-10-1933 filho de João Oliveira Martins e Rita Candida Martins peço a ajuda de vocês obrigada

    #1 – 28/03/2016 - 11:03

Postar um comentário

     (Opcional)






Compartilhe Esta Página: