Início » Bahia » Irará


Irará - Bahia



Irará faz parte do estado da Bahia.

O município de Irará fazia parte da Capitania de Todos os Santos, na sesmaria de Garcia D′ Á vila, suas terras foram exploradas pelos padres Jesuítas que chegaram pelo norte, pelo atual município de Água Fria. Duas correntes favoreceram o desbravamento dessa região, uma na direção Oeste, pela serra de Irará (na busca de ouro e pedras preciosas) e outra ao leste, na caça ao gentio. Estas bandeiras deixaram uma igreja na Vila de Bento Simões e um templo no arraial da Caroba. Em meados de 1717 se registram as primeiras explorações das terras no centro do atual município, onde Antonio Homem da Fonseca Correia edificou uma capela sob o orago de Nossa Senhora da Purificação, oferencendo-a a seu filho, o padre, ao lado do templo, foi erguida uma casa fazenda, dando início ao povoado de Irará, tendo como primeiros habitantes os índios Paiaiás.

Em 27 de maio de 1842, pela lei Provincial 173, foi criada a Vila da Purificação dos Campos. Em 8 de agosto de 1895 a Vila da Purificação foi elevada a categoria de cidade com o nome de Irará pela lei Estadual nº 100. O nome Irará tem origem indígena e significa "nascido da luz do dia". A palavra Irará, vem de "ARARA" uma espécie de formiga que aparece sempre depois de uma trovoada e os índios brincavam com elas.

História da cidade de Irará

Com a chegada ao Brasil, dos padres da Companhia de Jesus, no meado do século XVI, estes, com o objetivo de catequisar os silvícolas, internaram-se pelos sertões da Bahia e, dentre outros lugares, chegaram ao território do atual município onde encontraram uma aldeia tapuia, no ano de 1962, que veio a se chamar mais tarde água Fria, e na qual passaram a residir e construíram uma igreja - São João Batista.

Aquelas terras faziam parte da sesmaria de Garcia D′ávila, e a criação de gado e o estabelecimento de currais concorreram para o desbravamento do território, a partir de 1673, quando o sertanista João Peixoto Viegas incorporou terras e campos, inclusive os de água Fria, conforme Carta régia de 9 de julho daquele ano.

Além destas penetrações, houve mais duas correntes de povoamento, uma em direção ao oeste pela Serra de Irará, na miragem do ouro e das pedras preciosas, e outra para leste, na caça de aborígines, varando as matas de Ouriçangas. Estas bandeiras deixaram uma igreja tradicional em Bento Simões e um templo católico notável no Arraial de Caroba, ambos monumentos marcantes dessa época.

Outras doações em sesmarias foram feitas a Diogo Alves e Campos e a Antonio Homem da Fonseca Correia, este último em meados do ano 1717, quando se registraram as primeiras explorações das terras no centro do atual município. Aí, Correia construiu uma capela dedicada à Nossa Senhora da Purificação, oferecendo-a a seu filho, Pe. Antonio Homem da Fonseca Correia e, próximo da mesma, uma casa da fazenda em local onde hoje se acha edificada a sede municipal e por onde passava a estrada real ligando o sertão ao porto de Cachoeira. é lendária a notícia de que a construção do templo referido se dera por gratidão à Virgem que fora vista por um vaqueiro, quando em perseguição a uma rês brava e fugida, a qual, com o aparecimento da Virgem, se tornara mansa. Em torno dessa capela começou o povoamento.

A igreja existente no arraial de água Fria foi elevada à categoria de Freguesia no ano de 1718, pelo Alvará régio de 11 de abril, quando era Arcebispo da Bahia D. Sebastião Monteiro da Vide, com o nome de São João Batista de água Fria, a partir de quando data a criação do distrito, subordinado à Cachoeira.

Gentílico:

Formação Administrativa

O arraial-sede da Freguesia foi elevado à categoria de vila e de município, no ano de 1727, com o topônimo de São João de água Fria, sendo uma das primeiras criadas na Bahia, cujos limites confinavam com os das vilas de Cachoeira e Jacobina e com a cidade do Salvador.

Em 1832, Purificação dos Campos, já arraial, se encontrava em fase de maior desenvolvimento econômico do que a Vila de água Fria, concorrendo para isto a movimentação da estrada que unia o porto de Cachoeira com o Sertão e que passava pelo arraial.

Pela Lei provincial n° 173, de 27 de maio de 1842, foi criado o município e a vila com o nome de Purificação dos Campos, extinto o Município de São João Batista de água Fria, anexando seu território, como distrito, ao município recém-criado.

Na sua formação inicial, o município de Purificação dos Campos ficou formado do território das freguesias de São João de água Fria, de Purificação dos Campos e S. S. Coração de Jesus do Perdão, esta última desmembrada do município de Feira de Santana. O mesmo diploma que criou o Município de Purificação dos Campos e extinguiu o de São João Batista de água Fria transferiu desta a cadeira de latim, que passou a ser lecionada na nova sede.

Pela Resolução provincial n° 191, de 1° de maio de 1843, a sede da Freguesia de São João Batista de água Fria foi transferida para a capela filial das Ouriçangas.

Pela Lei provincial n° 489, de 6 de junho de 1853, é criada nova freguesia sob orago do Santíssimo Coração de Maria, desmembrada da de Pedrão.

Do território deste município, a Lei nº 1.609 desmembrou o Município de Serrinha em 13 de junho de 1867.

No ano de 1891, o município de Purificação dos Campos perdeu a Freguesia do Santíssimo Coração de Maria, que passou a constituir a vila e o município desse nome, por força do Ato estadual n° 199, de 10 de março.

A vila de Purificação dos Campos foi elevada à categoria de cidade, com o nome de Irará, pela Lei estadual n° 100, de 8 de agosto de 1895, nome que se estendeu ao município.

Em 1905, a Lei estadual de 15 de junho incorporou ao município de Irará terras de São Simão, integrantes do município do Santíssimo Coração de Maria.

Pela divisão administrativa do Brasil referente a 1911, o município compunha-se de 06 distritos: Irará, Conceição de Bento Simões, Pedrão, água Fria, Quaresma e Ouriçangas, verificando-se alteração no nome do distrito de São João Batista de água Fria.

Em 1914, a Lei estadual n° 1.057, de 19 de agosto, criou o Distrito de São Simão, com terras do município de Irará, e o incorporou ao município de Coração de Maria.

Na divisão territorial de 31 de dezembro de 1937, bem como no quadro anexo ao Decreto-lei estadual n° 10.724, de 30 de março de 1938, Irará forma-se ainda dos mesmos distritos, com a alteração do topônimo do Distrito de Quaresma que passou a denominar-se Santanópolis. A situação permaneceu sem alteração no quinquênio 1939-1943, tendo sido apenas mudado o nome do Distrito de Conceição de Bento Simões para Bento Simões.

No quadro territorial vigente para 1944-1948, fixado pelo Decreto-lei estadual n° 141, de 31 de dezembro de 1943 e retificado pelo Decreto estadual n° 12.978, de 1° de junho de 1944, Irará se apresenta subdividido em 7 distritos: Irará, água Fria, Bento Simões, Ouriçangas, Pedrão, Santanópolis e Pataíba, este último criado pela Lei nº 141 acima citada, com território desmembrado do de água Fria.

Nas divisões administrativas seguintes não houve alterações territoriais, até que a Lei nº 628, de 30 de dezembro de 1953, que fixou a divisão administrativa para o quinquênio 1954-1958, criou o Distrito de Boa Esperança, passando o município a ter a seguinte constituição: Irará, água Fria, Bento Simões, Boa Espera, Ouriçangas, Pataíba, Pedrão e Santanópolis.

Fonte: Prefeitura Municípal de Irará

Autor do Histórico: OSóRIO DE OLIVEIRA BITTENCOURT FILHO

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.



Síntese das Informações
Área da unidade territorial - 2015: 277,792: km²
Estabelecimentos de Saúde SUS: 13: estabelecimentos
Matrícula - Ensino fundamental - 2015: 5.083: matrículas
Matrícula - Ensino médio - 2015: 1.056: matrículas
Número de unidades locais: 207: unidades
Pessoal ocupado total: 2.079: pessoas
PIB per capita a preços correntes - 2014: 6.834,98: reais
População residente : 27.466: pessoas
População residente - Homens: 13.297: pessoas
População residente - Mulheres: 14.169: pessoas
População residente alfabetizada: 19.393: pessoas
População residente que frequentava creche ou escola : 9.698: pessoas
População residente, religião católica apostólica romana: 20.507: pessoas
População residente, religião espírita: 290: pessoas
População residente, religião evangélicas: 3.900: pessoas
Valor do rendimento nominal médio mensal dos domicílios particulares permanentes com rendimento domiciliar, por situação do domicílio - Rural: 869,13: reais
Valor do rendimento nominal médio mensal dos domicílios particulares permanentes com rendimento domiciliar, por situação do domicílio - Urbana: 1.408,36: reais
Valor do rendimento nominal mediano mensal per capita dos domicílios particulares permanentes - Rural: 200,00: reais
Valor do rendimento nominal mediano mensal per capita dos domicílios particulares permanentes - Urbana: 334,29: reais
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal - 2010 (IDHM 2010): 0,620:

Fonte:IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Irará: Imagens da cidade e Região

As fotos fornecidas pelo Panoramio estão sobre direitos autorais de seus proprietários.

Você conhece a cidade de Irará? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)






Compartilhe Esta Página: