Início » Amapá » Oiapoque


Oiapoque - Amapá



Oiapoque é uma cidade localizada no extremo norte do estado do Amapá. Sua área é de 22,625 km²; e sua população, de acordo com as estimativas do IBGE em 2009, era de 20.962 habitantes. Sua densidade demográfica é de 0,71 hab/km².

Durante o período colonial, o município de Oiapoque era parte da Capitania do Cabo Norte. Nos primórdios do século XVI, os portugueses da América travam lutas com outros europeus, para estabelecer domínio territorial ao sul do rio Oiapoque - na época conhecido como rio de Vicente Pinzón - e ao norte do rio Amazonas, para expandir os impérios colonizadores que cada grupo representava.

Os primitivos habitantes da região são antepassados dos povos Waiãpi, que ocupavam a extensão territorial do rio Oiapoque; dos Galibi e Palikur, concentrados no vale do rio Uaçá e seus afluentes. A palavra Oiapoque tem origem tupi-guarany, sendo uma derivação do termo "oiap-oca", que significa "casa dos Waiãpi".

O Município de Oiapoque foi criado pela Lei no 7.578, em 23 de maio de 1945, está localizado ao norte do estado (Meso Região Norte), a 590 km da Capital Macapá, e se liga a esta por via aérea, rodoviária e marítima. Com três distritos: Oiapoque, Clevelândia e Vila Velha. Limita-se com os municípios: Oiapoque, Calçoene, Serra do Navio, Pedra Branca do Amapari, Laranjal do Jari e Guiana Francesa.

Quem nasce em Oiapoque é oiapoquense (gentílico).

Histórico: O termo Oiapoque, origina-se da língua Tupi (oyap oca), que significa "Casa dos Oiampis" ou "casa dos guerreiros ou parentes". Existem algumas versões que Vicente Yanez Pinzon, ultrapassou a monhanha D′Argent, subiu o Rio Oiapoque até defrontar-se com a cachoeira Gran Roche, antes mesmo de Pedro álvares Cabral avistar o Monte Pacoval. O que leva a crer ser a razão do rio ficar por muito tempo conhecido como Vicente Yanez Pinzon.

O lugar onde é hoje a Cidade de Oiapoque, era uma aldeia (cabanas) dos índios Oiampis, que após debandarem em direção a Serra do Tumucumaque, foram construídas e ocupadas por creolos guinenses e antilhanos, que a denominaram de Martinica, devido o líder dessa possessão ser francês. Que depois conforme sugestão do Marechal Cândido Mariano Rondon, passou a ser chamada de "Vila do Espírito Santo". E só em 23 de maio de 1945, foi criado o município como o nome definitivo de Oiapoque.

A Cidade de Oiapoque é banhada pelo rio de mesmo nome, que flui em direção nordeste do município e deságua no Oceano Atlântico, próximo ao Cabo Orange. Separa o Amapá da Guiana Francesa.

é uma região de fronteira internacional e estadual, e onde encontram-se as maiores tribos indígenas do Estado, dentre as quais os Karipuna (aldeias do Manga), Galibi do Oiapoque, Galibi do Kumarum~e os Palikur, na aldeia de Kumenê, no Rio Urucauá. O Prefeito João Neves é índio galibi e os vereadores Ramos dos Santos e Coaraci Gabriel, mbos descendentes de Karipuna, representam a população indígena no Executivo e Legislativo.

Oiapoque é a cidade mais bem policiada do Brasil: com Polícia Civil, Militar e Federal, e ainda nas proximidades a 5 km em Clevelândia, a Companhia Especial de Fronteira.

Hoje com a globalização, é inevitável o intercâmbio em curto prazo do Amapá com Caiena, Paramaribo (ex-Guiana Holandesa), e Georgetow (ex-Guiana Inglesa, tanto por via rodoviário como aérea e a cidade de Oiapoque.

Da Cidade de Oiapoque para chegar até Saint Georges (São Jorge), utiliza-se o transporte de catraia (voadeira), que chegam em 10 ou 15 minutos, dependendo da potência do motor. Onde os oiapoquenses frequentemente vão fazer compras, em virtude das vantagens quanto ao preço e qualidade dos produtos, principalmente dos eletrodomésticos, além dos uísques, vinhos, perfumes, etc.

Economia: Sua economia no Setor Primário está concentrada na criação de gado bovino, bubalino e suíno; e na cultura de mandioca (farinha), laranja, milho, cana-de-açúcar e outros.

No Setor Secundário utiliza-se da extração de ouro, do artesanato, incluindo-se a fabricação de luxuosas jóias de ouro, possui também a cassiterita, macassita e pedras preciosas, além de algumas serraria e padarias. O município também já está exportando cacau beneficiado, através da Associação Agro-Extrativista do Cassiporé, para a França.

No Setor Terciário possui um pequeno comércio (mercearias) que é beneficiado pelo intecâmbio existente com Saint Georges (São Jorge) e com a Vila de Clevelândia, a 5 km da cidade, possui restaurantes, bares e algumas boates.

Atração Turística: Como opções turísticas, apresentam-se basicamente os rios parasidíacos de Oiapoque, Uaçá e Cassiporé, dos lagos Muruani e Cabo Orange; passeio à Serra de Tumucumaque e Monte Cajari e as aldeias indígenas.

Também é muito interessante de se ver o Turé - dança indígena celebrada por todos os povos indígenas da região do Uaçá e Curipi. é uma dança que relaciona ao mundo mágico e entidades sobrenaturais do índio. é realizado por ocasião dos trabalhos agrícolas, entre os meses de setembro e novembro. Tem por finalidade reunir os povos indígenas para esses trabalhos agrícolas, que são feitos em forma de mutirão.

Eventos Culturais: Comemora-se em agosto (15/08) a festa de Nossa Senhora das Graças, padroeira da cidade, com missa, arraial e procissão. No mês de outubro, festeja-se a padroeira de Clevelândia do Norte, Nossa Senhora de Nazaré. E em outubro também se festeja na cidade, com arraial na capela do santo. Além das festas juninas, em junho, com quadrilhas que possuem muita criatividade e imaginação.

Fonte: SOUZA, Manoel Dorandins Costa de. A Evolução Política, Demográfica e Sócio-Econômica do Amapá. Coordenação do Curso de História. Universidade Federal do Amapá.Macapá/AP, 1995. 101 p. (trabalho de conclusão de curso)

Autor do Histórico: JOEL LIMA DA SILVA

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.



Síntese das Informações
Área da unidade territorial - 2015: 22.625,286: km²
Estabelecimentos de Saúde SUS: 23: estabelecimentos
Matrícula - Ensino fundamental - 2015: 5.035: matrículas
Matrícula - Ensino médio - 2015: 1.326: matrículas
Número de unidades locais: 235: unidades
Pessoal ocupado total: 1.379: pessoas
PIB per capita a preços correntes - 2014: 11.937,63: reais
População residente : 20.509: pessoas
População residente - Homens: 10.704: pessoas
População residente - Mulheres: 9.805: pessoas
População residente alfabetizada: 15.782: pessoas
População residente que frequentava creche ou escola : 8.204: pessoas
População residente, religião católica apostólica romana: 11.083: pessoas
População residente, religião espírita: 17: pessoas
População residente, religião evangélicas: 7.298: pessoas
Valor do rendimento nominal médio mensal dos domicílios particulares permanentes com rendimento domiciliar, por situação do domicílio - Rural: 1.953,37: reais
Valor do rendimento nominal médio mensal dos domicílios particulares permanentes com rendimento domiciliar, por situação do domicílio - Urbana: 2.958,17: reais
Valor do rendimento nominal mediano mensal per capita dos domicílios particulares permanentes - Rural: 191,25: reais
Valor do rendimento nominal mediano mensal per capita dos domicílios particulares permanentes - Urbana: 400,00: reais
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal - 2010 (IDHM 2010): 0,658:

Fonte:IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Oiapoque: Imagens da cidade e Região

As fotos fornecidas pelo Panoramio estão sobre direitos autorais de seus proprietários.

Você conhece a cidade de Oiapoque? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)






Compartilhe Esta Página: