Início » Amazonas » Presidente Figueiredo » Notícias


Últimas Notícias da cidade de Presidente Figueiredo - AM nas Redes Sociais

As Notícias são atualizadas em tempo real.

  • História da maçonaria A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão. (desde janeiro de 2013) Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial. Parte de uma série de artigos sobre Maçonaria Maçom Artigos principais Maçonaria · Grande Loja · Loja Maçônica · Venerável Mestre · Graus maçônicos · Lojas Simbólicas · Loja de Perfeição História História da Maçonaria · Manuscritos Maçônicos · Constituição de Anderson ·CLIPSAS · SIMPA · União Maçónica Internacional CATENA · C.I.MA.S. Organização Visões da Maçonaria Pessoas e lugares Relacionados Esta caixa: ver • editar A maçonaria (forma reduzida e usual de francomaçonaria) é uma sociedade secreta, embora seja um termo em desuso pois o usado atualmente é sociedade discreta, de carácter universal, cujos membros cultivam o aclassismo, humanidade, os princípios da liberdade, democracia e igualdade, fraternidade1 2 e aperfeiçoamento intelectual, sendo assim uma associação iniciática e filosófica. Os maçons estruturam-se e reúnem-se em células autónomas, designadas por oficinas, ateliers ou (como são mais conhecidas e correctamente designadas) Lojas, "todas iguais em direitos e honras, e independentes entre si." A origem se perde na Idade Média, se considerarmos as suas origens Operativas,3 ou seja associação de cortadores de pedras verdadeiros, que tinha como ofício a arte de construção de castelos, muralhas etc. Existem, no mundo, aproximadamente 5,5 milhões4 5 de integrantes espalhados pelos 5 continentes. Destes, 3,2 milhões (58%) nos Estados Unidos,5 1,2 milhão (22%) no Reino Unido5 e 1,1 milhão (20%) no resto do mundo.5 No Brasil são aproximadamente 150 mil maçons regulares (2,7%) e 4.700 Lojas.5 Maçonaria no Mundo[editar | editar código-fonte] Maçonaria primitiva[editar | editar código-fonte] A Maçonaria Primitiva, ou "Pré-Maçonaria" ),6 é o periódo que abrange todo o conhecimento herdado do passado mais remoto da humanidade até o advento da Maçonaria Operativa. Há quem busque nas primeiras civilizações a origem iniciática. Outras buscam no ocultismo, na magia e nas crendices primitivas a origem do sistema filosófico e doutrinário. Tantas são as controvérsias, que surgiram variadas correntes dentro da maçonaria. A origem mais aceita, segundo a maioria dos historiadores,7 é que a Maçonaria Moderna descende dos antigos construtores de igrejas e catedrais, corporações formadas sob a influência da Igreja na Idade Média.3 É evidente que a falta de documentos e registros dignos de crédito,8 envolve a maçonaria numa penumbra histórica, o que faz com que os fantasistas, talvez pensando em engrandecê-la,8 inventem as histórias sobre os primórdios de sua existência.8 Há aqueles que ensinam que ela teve início na Mesopotâmia, outros confundem os movimentos religiosos do Egito e dos Caldeus como sendo trabalhos maçônicos. Há escritores que afirmam ser o Templo de Salomão o berço da Maçonaria.9 10 O que existe de verdade é que a Maçonaria adota princípios e conteúdos filosóficos milenares,8 que foram adotados por instituições como as "Guildas" (na Inglaterra), Compagnonnage (na França), Steinmetzen(na Alemanha). O que a Maçonaria fez foi adotar todos aqueles sadios princípios que eram abraçados por instituições que existiram muito antes da formação de núcleos de trabalho que passaram à história como o nome de Maçonaria Operativa ou de Ofício.11 12 Maçonaria operativa Na Idade Média o ofício de pedreiro era uma condição cobiçada para classe do povo. Sendo esta a única guilda que tinha o direito de ir e vir. E para não perder suas regalias o segredo deveria ser guardado com bastante zelo. Após o declínio do Império Romano, os nobres romanos afastaram-se das antigas cidades e levaram consigo camponeses para proteção mútua para se proteger dos bárbaros. Dando início ao sistema de produção baseado na contratação servil Nobre-Povo (Feudalismo)13 Ao se fixar em novas terras, Os nobres necessitavam de castelos para sua habitação e fortificações para proteger o feudo. Como a arte de construção não era nobre, deveria advir do povo, e como as atividades agropecuária e de construção não guardavam nenhuma relação, uma nova classe surgiu: Os construtores, herdeiros das técnicas romanas e gregas de construção civil.14 Outras companhias se formaram: artesão, ferreiro, marceneiros, tecelões enfim, toda a necessidade do feudo era lá produzida. A maioria das guildas limitava-se no entanto às fronteiras do feudo.13 Já as guildas dos pedreiros15 necessitavam mover-se para a construção das estradas e das novas fortificações dos Templários. Os demais membros do povo não tinham o direito de ir e vir,15 direito este que hoje temos e nos é tão cabal. Os segredos da construção eram guardados com incomensurável zelo, visto que, se caísse em domínio público às regalias concedidas à categoria, cessariam.15 Também não havia interessem em popularizar a profissão de pedreiro, uma vez que o sistema feudal exigia a atividade agropecuária dos vassalos13 14 A Igreja Católica Apostólica Romana encontra neste sistema o ambiente ideal para seu progresso. Torna-se uma importante, talvez a maior, proprietária feudal, por meio da proliferação dos mosteiros, que reproduzem a sua estrutura. No interior dos feudos, a igreja detém o poder político, econômico, cultural e científico da época.13 Maçonaria especulativa A Maçonaria Especulativa corresponde a segunda fase, que utiliza os moldes de organização dos maçons operativos3 juntamente com ingredientes fundamentais como o pensamento iluminista, ruptura com a Igreja Romana e a reconstrução física da cidade de Londres, berço da maçonaria regular.16 Com o passar do tempo as construções tornavam-se mais raras. O feudalismo17 declinou dando lugar ao mercantilismo. Com consequência o enfraquecimento da igreja romana. Havendo uma ruptura da unidade cristã advindas da reforma protestante.18 Superada a tragédia da peste negra que dizimou a população mundial, particularmente da Europa, teve início o Iluminismo no século XVIII, que enfatizou a razão e a ciência para explicar o Universo, em contraposição à fé. A Inglaterra19 surge como o berço da maçonaria especulativa regular durante a reconstrução da cidade após um incêndio de grandes propoções em sua capital Londres em setembro de 1666 que contou com muitos pedreiros para reconstruir a cidade nos moldes medievais. Para se manter foram aceitas outras classes de artífices e essas pessoas formaram paulatinamente agremiações que mantinham os costumes dos pedreiros nas suas reuniões, o que diz respeito ao reconhecimento dos seus membros por intermédio dos sinais característicos da agremiação.18 Essas associações sobreviveram ao tempo. Os segredos das construções não eram mais guardados a sete chaves, eram estudados publicamente. Todavia o método de associação era interessante, o método de reconhecimento da maçonaria operativa era muito útil para o modelo que surgiu posteriormente. Em vez de erguer edifícios físicos, catedrais ou estradas, o objetivo era outro: erguer o edifício social ideal.18 Maçonaria no Brasil José Bonifácio, primeiro grão-mestre do Grande Oriente do Brasil. O GOB fez a Independência do Brasil, o maior acontecimento da Nação. Numa data posterior, o segundo grande acontecimento do Brasil, a Proclamação da República, foi realizada pelo então, Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil: O Marechal Deodoro da Fonseca.20 Antes da Proclamação da República é justo destacar a grandiosa missão de Duque de Caxias para manter a unidade do Império. Se não fosse a experiência iluminada deste grande brasileiro, Herói Nacional, o Brasil teria se esfacelado em várias repúblicas. Duque de Caxias foi Soberano Grande Comendador do Supremo Conselho e Grão-Mestre Honorário do Grande Oriente do Brasil. Selo do Rito Brasileiro. Aliás, o papel do Grande Oriente do Brasil, na formação política do nosso país, foi de grande importância. Desse papel fala o grande pesquisador Adelino de Figueiredo no seu livro, NOS BASTIDORES DO MISTÉRIO: "O Grande Oriente do Brasil foi durante mais de um século, o manancial inesgotável onde o Império e a República recrutavam alguns dos mais insignes estadistas. Grandes campanhas[editar | editar código-fonte] Através de homens de alto espírito público, colocados em arcas importantes da atividade humana, principalmente em segmentos formadores de opinião, como as Classes Liberais, o Jornalismo e as Forças Armadas - o Exército, mais especificamente - O Grande Oriente do Brasil iria ter, a partir da metade do século XIX, atuação marcante em diversas campanhas sociais e cívicas da nação. Campanha pela extinção da escravatura negra no país Assim, distinguiu-se na campanha pela extinção da escravatura negra no país, obtendo leis que foram abatendo o escravagismo, paulatinamente; entre elas, a "Lei Euzébio de Queiroz", que extinguia o tráfico de escravos, em 1850, e a "Lei Visconde do Rio Branco", de 1871, que declarava livre as crianças nascidas de escravas daí em diante. Euzébio de Queiroz foi maçom graduado e membro do Supremo Conselho da Grau 33; o Visconde do Rio Branco, como chefe de Gabinete Ministerial, foi Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil. O trabalho maçônico só parou com a abolição da escravatura, a 13 de maio de 1888. Campanha republicana[editar A Campanha republicana, que pretendia evitar um terceiro reinado no Brasil e colocar o país na mesma situação das demais nações centro e sul-americanas, também contou com intenso trabalho maçônico de divulgação dos ideais da República, nas Lojas e nos Clubes Republicanos, espalhados por todo o país. Na hora final da campanha, quando a república foi implantada, ali estava um maçom a liderar as tropas do Exército com seu prestígio: Marechal Deodoro da Fonseca que viria a ser Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil. Durante os primeiros quarenta anos da República - período denominado "República Velha" - foi notória a participação do Grande Oriente do Brasil na evolução política nacional, através de vários presidentes maçons, além de Deodoro: Marechal Floriano Peixoto, Manoel Ferraz de Campos Salles, Marechal Hermes da Fonseca, Nilo Peçanha, Wenceslau Brás e Washington Luís Pereira de Sousa. Grandes Dissidências Primeira Grande Dissidência - 1927 Em 1927 após surgiram as Grandes Lojas Brasileiras de uma dissidência do GOB. Se fizermos as contas, constataremos que de 1822 para 1927 transcorreram exatamente 105 anos. As Grandes Lojas formam a CMSB. Comissão da Maçonaria Simbólica do Brasil – um sistema confederado. Esse "Cisma" provocou graves consequências para a Maçonaria Brasileira, não provocando apenas a evasão de Lojas do Grande Oriente do Brasil para outras Potências, fomentou também a discórdia entre Maçons, principalmente aqueles que desconhecem, ou ignoram que a Maçonaria, seja qual for a denominação, ou titularidade que se lhe venham dar, é, por sua natureza universal e antidogmática, indivisível. Como se isso não bastasse, pouco tempo depois, Getúlio Vargas implanta a ditadura do chamado "Estado Novo", com receio do crescimento do movimento Integralista Brasileiro que tinha como líder Nacional Plínio Salgado. A ditadura, também não suportava os ideais Maçônicos e moveu terrível perseguição aos Maçons Liberais, fechando consequentemente, a maioria das Lojas. Mesmo com tudo isso o Grande Oriente do Brasil, continuou como ponta-de-lança da Maçonaria, em diversas questões nacionais, como: anistia para presos políticos, durante períodos de exceção, com estado de sítio, em alguns governos da República; a luta pela redemocratização do país, que fora submetido, desde 1937, a uma ditadura, que só terminaria em 1945; participação, através das Obediências Maçônicas européias, na divulgação da doutrina democrática dos países aliados, na 2ª Grande Guerra (1939 - 1945); participação no movimento que interrompeu a escalada da extrema-esquerda no país, em 1964; combate ao posterior desvirtuamento desse movimento, que gerou o regime autoritário longo demais; luta pela anistia geral dos atingidos por esse movimento; trabalho pela volta das eleições diretas, depois de um longo período de governantes impostos ao país. Segunda Grande Dissidência - 1973 Transcorridos 151 anos após a criação do Grande Oriente do Brasil, surge a Confederação Maçônica do Brasil - COMAB da Segunda Maior dissidência do GOB. Reunindo os Grandes Orientes Independentes e congrega Grandes Orientes Estaduais Autônomos em cada Estado da Federação. Em março de 1973, realizaram-se eleições para os cargos de Grão-Mestre Geral e Grão-Mestre Geral Adjunto do Grande Oriente do Brasil. Proclamada a eleição dos candidatos oficiais, inconformados com a decisão, dez Grandes Orientes Estaduais, federados ao Grande Oriente do Brasil, desligaram-se deste proclamando-se Obediências autônomas e independentes, expondo as razões por que o faziam. Em 4 de agosto de 1973, fundou-se, em Belo Horizonte (MG), o Colégio de Grão-Mestres da Maçonaria Brasileira, congregando, então, as dez Obediências dissidentes São Paulo, Minas Gerais, Ceará, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Paraná, Distrito Federal, Mato Grosso, Santa Catarina e Rio de Janeiro, então dissidentes do Grande Oriente do Brasil. Hoje, são dezoito os Grandes Orientes Estaduais que integram a Confederação Maçônica do Brasil — COMAB, sucessora do Colégio de Grão-Mestes da Maçonaria Brasileira, desde 6 de abril de 1991
  • Nota IADESCC-BRASIL Devido a acontecimentos recentes na Região do Rio Grande do Sul.. Venho através deste comunicar mudanças em nossa diretoria.. na qual a Vice Presidência de nossa Instituição ficará por conta de nosso irmão e também Kalon Junior Figueiredo Jag ... Acreditamos que nesta nova fase será muito bem representada por ele.. Desejamos ao nosso Vice Presidente Todo o nosso respeito e Apoio e agradecemos a sua pronta aceitação para com nossa instituição. Nossos objetivos enquanto associação nunca será de ficar a frente de Líderes de acampamento e sim de fortalecer laços para que juntamente com estas lideranças procurar o melhor para a comunidade cigana em especial para os kalons de acampamentos.. sempre foi e sempre será essa nossa filosofia. . Sem Mais Jucélio Fernandes - Presidente do Inst. de Apoio e Desenvol. à Comunidade Cigana no Brasil . PAGE: https://www.facebook.com/pages/Iadescc-Brasil/169844149831331?ref=hl SITE: http://iadescc-brasil.webnode.com.br/trabalhos-sociais/ . JUNTEM - SE AO NOSSO PROPÓSITO, POIS SOMENTE JUNTOS SEREMOS MAIS FORTES ..
  • Gastem 5 minutos, mas leiam... importantíssimo !


    Luciney Valente compartilhou a foto de Miguel Diniz.
    O PT oficial e o PT clandestino Escrito por Félix Maier | 25 Julho 2014 Artigos - Governo do PT Lula foi uma liderança sindical criada e incentivada pelo general Golbery do Couto e Silva, “o bruxinho que era bom”, para neutralizar o projeto político de Leonel Brizola junto à classe trabalhadora, quando ocorresse a redemocratização, assim como para neutralizar as lideranças da esquerda radical, de modo que os idos de março de 1964 não se repetissem. O “Lula secreto”, que no início dos anos 1970 tomou aulas de sindicalismo na Johns Hopkins University, nos EUA, sempre foi uma figura dúbia, de tal modo que Guido Mantega o considerava um “burguês” a serviço das montadoras e chegou até a boicotar um texto dele em um jornaleco esquerdista. Romeu Tuma Jr., no livro Assassinato de Reputações, afirma que Lula era um informante dos militares, conhecido como “Barba”, era amigo pessoal do delegado Romeu Tuma e, quando esteve preso, tinha muitas regalias, como não ficar atrás das grades, mas em uma espécie de prisão domiciliar. Passados esses anos todos, descobriu-se que Lula, o “cabo Anselmo do ABC”, conseguiu enganar a todos, a começar por Golbery, que acreditava ter ajudado a criar uma oposição “digerível”, o Partido dos Trabalhadores (PT). O “Barba” provou que não é um democrata, mas uma figura desprezível que se ligou a tiranos sanguinários comunistas, como Fidel Castro, para transformar toda a América Latina em uma nova União Soviética. A União das Nações Sul-Americanas (Unasul), por acaso, não lembra a URSS? O PT, em sua trajetória, sempre provou ser um partido autoritário, em que prevalece a ética leninista de que os fins almejados justificam os meios sujos utilizados. Provas? O PT não apoiou o candidato presidencial Tancredo Neves no Colégio Eleitoral, não assinou a Constituição de 1988, detonou o presidente Collor de Mello com seu “governo paralelo, instituiu o “orçamento participativo” em muitos municípios, tirando as prerrogativas dos vereadores, não apoiou Itamar Franco em um momento difícil, foi contra o Plano Real e a responsabilidade fiscal, – além de outros arroubos autoritários que veremos adiante. A história do PT é, principalmente, a história de Lula. Há o PT oficial (e o Lula oficial), propagado pela mídia, e o PT clandestino (e o Lula clandestino), escondido pela mídia. O PT oficial participou da Constituinte, embora tenha se negado a assinar a Constituição, por não ser stalinista como desejava. O PT clandestino quis retirar da Constituição a prerrogativa das Forças Armadas, no que diz respeito à garantia da lei e da ordem (GLO), com o intuito de enfraquecer a ultima ratio de defesa da democracia. Tanto é verdade que, quando Lula foi eleito presidente, seu governo criou a Força Nacional de Segurança, para substituir as Forças Armadas em ações internas. Em 1989, Lula foi o candidato a presidente do PT oficial. Derrotado nas urnas, entrou em ação o PT clandestino e seu desavergonhado “governo paralelo”, com o objetivo de derrubar Collor. Depois de ampla campanha contra o presidente, em que se destacou o serviço secreto do PT, dirigido pelo araponga cubano-brasileiro José Dirceu, com a criação de dossiês e enxurrada de denúncias obtidas por petistas enquistados no governo, Collor foi destituído da presidência. Durante a “CPI dos anões do Congresso”, Esperidião Amin apelidou o serviço secreto petista de “PTPol”, a Interpol do PT. Coitado de Collor! Comparado às falcatruas perpetradas por Lula e pelo PT até os dias de hoje, com destaques para o “mensalão” e o Pasadenagate, Collor não passa de um pivete pé de chinelo. Um fato grave do PT clandestino ocorreu naquela época, que não teve a devida repercussão na grande mídia. Um antigo guarda-costas de Fidel Castro, Juan Reinaldo Sánchez, autor do livro A vida secreta de Fidel, afirma que espiões cubanos participaram das campanhas presidenciais de Lula, desde 1989. E que os médicos cubanos, recém-contratados por Dilma Rousseff no programa Mais Médicos, não passam também de espiões a serviço de Cuba - um verdadeiro cavalo-de-troia comunista montado pelos “gregos” petistas, uma cunha cubana cravada no coração do Brasil. O PT oficial nasceu defendendo a ética e pedia CPI para tudo. No entanto, ao comandar as primeiras prefeituras, apareceu a força do PT clandestino, com denúncias de corrupção aos montes, seja em Ribeirão Preto (Antonio Palocci), seja em Santo André (Celso Daniel), ou em São José dos Campos (Ângela Guadagnin, a “dançarina da pizza”). Quando o petista Paulo de Tarso Venceslau, em 1997, denunciou as falcatruas de Lula e do PT, a única providência do PT foi expulsá-lo do partido, como é de praxe nesses casos. Provou-se que o PT é composto, não por donzelas puras, mas por vestais grávidas. Em 1990, após a derrubada do Muro de Berlim e o início da implosão da URSS, o PT clandestino entrou em ação com força total. Sem nada divulgar para a imprensa, Lula e Fidel Castro criaram o Foro de São Paulo, o qual tinha três objetivos imediatos: salvar o regime cubano, depois que Moscou deixou de remeter gorda mesada a Cuba, impedir o ingresso do México no NAFTA e eleger Lula presidente do Brasil. O objetivo estratégico do Foro, que engloba partidos políticos e movimentos esquerdistas em geral, além de grupos terroristas como as FARC, é comunizar toda a América Latina, tendo Cuba como farol ideológico. A Venezuela de Chavez-Maduro é o que hoje mais se aproxima desse objetivo final, seguido pela Bolívia de Evo Cocales, o Equador de Rafael Correa, a Argentina de Cristina Kirchner, a Nicarágua de Daniel Ortega e – last but not least – o Brasil de Lula-Dilma. O atual ministro das Relações Exteriores do PT oficial, embaixador Luiz Alberto Figueiredo Machado, é mera figura decorativa, depois que o Itamaraty foi jogado no limbo pelo PT, não servindo para nada. O Inglês, que é o Esperanto que deu certo, chegou a ser retirado da prova obrigatória de candidatos ao Itamaraty. Para que falar a língua de Shakespeare, se o cara sabe falar “nóis pega os peixe”? Como prova da subserviência do Itamaraty à ideologia bolivariana, vale lembrar os vergonhosos casos de ingerência do Brasil e da Unasul em assuntos externos, como o asilo político concedido ao presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaia, e a crise do impeachment do presidente Fernando Lugo, no Paraguai, ocasião em que se aproveitou para expulsar o Paraguai do Mercosul e acolher a Venezuela. Nem é preciso falar da posição do governo petista (“anão diplomático”) frente a Israel, sempre apoiando os terroristas do Hamas, como se o país judeu não tivesse o elementar direito de defender sua população contra os milhares de foguetes disparados de Gaza. No entanto, a direção da política internacional está com o ministro do PT clandestino, Marco Aurélio “top top” Garcia. Romeu Tuma Jr., em seu livro Assassinato de Reputações, enumera uma série de crimes cometidos pelo PT clandestino. Como exemplo, ele cita o caso insepulto de Celso Daniel, fazendo uma pergunta até hoje não respondida: “Por que Gilberto Carvalho ainda não caiu do caminhão?” Todos os brasileiros não comprometidos com o petralhismo esperam que esta e outras interrogações sejam respondidas no segundo livro de Tuma Jr., a ser publicado nas vésperas das eleições de outubro. Segundo Tuma Jr., até a Polícia Federal tem uma ala petista, que ele classifica de Gestapo do PT, cuja finalidade é confeccionar dossiês de adversários políticos. Ou seja, assassinar reputações. Vale lembrar os dossiês feitos pelos petralhas contra os candidatos presidenciais Roseane Sarney, José Serra, José Alckmin - além do próprio FHC. O PT clandestino atua há bastante tempo no mundo virtual, não só nestes tempos de ação webterrorista feita por Franklin Martins para alavancar a reeleição de Dilma Rousseff - com o auxílio prestimoso do petista de carteirinha José Dias Toffoli, ministro do STF e atual presidente do TSE, que impediu que as urnas eletrônicas passassem por um teste público. É crescente o uso da internet para ataques contra a imprensa e desafetos políticos, configurando-se verdadeira guerrilha digital. Um exemplo foi o “tuitaço” promovido por Rui Falcão, presidente do PT, e simpatizantes contra a revista Veja, que publica tanto os “malfeitos” da petralhada, quanto os dos tucanos. Eles utilizam robôs e perfis peões, para fazer crer que houve grande adesão a um movimento, como #vejabandida. O # (hashtag ou marcador) colocado na frente de uma palavra ou expressão compete por atenção na rede. Em 2011, o PT lançou o Núcleo de Militância em Ambientes Virtuais. “A utilização massiva da internet, das redes sociais e de blogueiros amestrados faz parte das táticas de engodo e manipulação da verdade no Brasil”. Na China, os “peões” que defendem o governo comunista recebem 50 centavos por cada inserção de apoio. No Brasil, quanto ganham os insetos da falconaria petralha para assassinar as reputações de Aécio Neves e Eduardo Campos? Até este insignificante escriba da internet é patrulhado por petistas. Um blog baba-ovo, com o nome de Os amigos do presidente Lula, colocou na internet a calúnia de que eu sou um “falsificador de cartas”. As cartas têm autoria, não inventei nada, apenas postei textos recebidos de colaboradores. Ainda estou pensando se processo ou não o difamador. Por ora, o link está aí, especialmente para o deleite dos petralhas, para que conheçam as cartas postadas por mim no site Usina de Letras e espumem de raiva. Hoje em dia, devido ao poder imperial que adquiriu, de feição fascista, sem uma oposição efetiva, o PT já realiza ações clandestinas à luz do sol. Um exemplo é o decreto nº 8243, assinado por Dilma Rousseff, de modo a instalar conselhos (sovietes) e comissões em todos os órgãos públicos. Tal decreto é apenas o eco de num outro decreto, feito por um órgão de hierarquia superior, ao qual o PT está inteiramente subjugado: o onagro vermelho que se chama Foro de S. Paulo. O jurista Ives Gandra alerta para o perigo de tal ignomínia ser colocada em prática, tirando as prerrogativas do Congresso Nacional. Na verdade, o decreto de Dilma segue o modelo bolivariano de assalto às instituições, de modo a implantar um governo totalitário no Brasil como o que existe em Cuba. Espero que os congressistas rejeitem tal patifaria. Outro projeto petista é convocar para setembro deste ano um plebiscito popular por uma constituinte exclusiva, de modo que o povo brasileiro dê carta branca ao projeto de acelerar a cubanização do País. Tal canalhice começou a ser levantada pelo PT depois das manifestações de junho de 2013 e agora toma novo fôlego. Por que o PT tem tanta pressa em realizar tal plebiscito? Como a reeleição de Dilma Rousseff não está garantida, com o crescimento de apoio da população aos candidatos Aécio Neves e Eduardo Campos, o PT quer acelerar o processo de comunização do País. Se o PT oficial realiza ações cada vez mais ousadas, às claras, tendo em vista tornar o Brasil um país comunista, tendo Cuba como modelo, o que estaria neste momento fazendo o PT clandestino? Importando armas de Cuba e da Venezuela para armar suas futuras milícias, a exemplo do MST, do mesmo modo como fazia o comunista Salvador Allende quando foi presidente do Chile? Não sei. Tratando-se do PT, o pior ainda pode acontecer, porque infelizmente estamos vivendo em uma autêntica República dos Bandidos.
    Fotos de Santander Brasil.
  • Carlos Lima

    em 09/08/2012 Via Google+
    O VEREADOR DO FUTURO, OK!!!!!MAURICIO MAGOM - PT - Candidato a VEREADOR em PRESIDENTE FIGUEIREDO-AM
    Avalie agora MAURICIO MAGOM - PT - Candidato a VEREADOR em PRESIDENTE FIGUEIREDO-AM, Site de avaliação de Candidatos de AM de PRESIDENTE FIGUEIREDOdoAmazonas



  • Maria Apda Barros Barros compartilhou um link.
    www.telesurtv.net
    Mercosur Summit: Social Movements Request Measures Against Israel.

    Different social movements are requesting Mercosur foreign relations ministers to suspend the free trade agreement with Israel.




  • Denise Quaiatto compartilhou a foto de Jorge André Irion Jobim.
    Via Zequinha Maranhão Torres REVISTA VEJA É NAZISTA A revista veja defende Israel e Benjamin Netanyahu...e acusa o governo brasileiro de incompetência ! A Veja defende o assassino e condena o Itamaraty Veja adota posições cada vez mais extremistas e se alinha abertamente ao assassino. Revista sai em defesa do carniceiro Benjamin Netanyahu, que foi responsável pela morte de mais de mil pessoas nos últimos dias e capaz de bombardear até um hospital e uma escola das Nações Unidas Revista Veja se alinha ao assassino Benjamin Netanyahu ! Responsável pelo primeiro voto, em 1947, pela criação de Israel, o Brasil sempre foi um aliado da causa judaica. No entanto, a política externa do Itamaraty também sempre foi pautada pela defesa dos direitos humanos. Foi exatamente neste contexto que o chanceler Luiz Alberto Figueiredo divulgou uma nota em que condenava “energicamente” a ação desproporcional de Israel no conflito da Palestina, que, em menos de vinte dias, matou mais de mil pessoas. Neste período, o governo do chanceler Benjamin Netanyahu assassinou mulheres, crianças e foi capaz até de bombardear um hospital e uma escola da Organização das Nações Unidas, levando o secretário Ban-Ki-Moon a se dizer “estarrecido”. De acordo com as Nações Unidas, Netanyahu deve ser investigado por “crimes de guerra” e até mesmo o maior aliado de Israel, o governo dos Estados Unidos, tem se mostrado desconfortável com o banho de sangue. Ontem, o secretário de Estado, John Kerry, pediu uma trégua que impedisse a continuidade da matança. No entanto, Netanyahu tem, a seu lado, a família Civita, que edita a revista Veja, cuja capa desta semana se dedica a apontar o que seria o “apagão na diplomacia” e a “falência moral da política externa do governo Dilma”. Internamente, a revista aponta o que seriam sinais de “nanismo” do Itamaraty. Um desses, curiosamente, seria até a declaração do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, numa reunião do G-20, quando chamou o ex-presidente Lula de “o cara”. Ou seja: na lógica de Veja, um elogio de Obama no G-20, organismo que deve muito ao Brasil, diminuiria o País. VEJA TAMBÉM: Apenas 1 país votou contra a investigação do massacre de Israel na Palestina Com a capa desta semana, Veja se coloca à extrema direita e se isola até mesmo de seus leitores. Responsável pela formulação da política externa do candidato Aécio Neves (PSDB-MG), o embaixador Rubens Barbosa concordou com a posição adotada pelo Itamaraty. Neste sábado, a jornalista Mônica Bergamo também informa que o presidente da Confederação Israelita Brasileira, Claudio Lottenberg, se disse indignado com a grosseria do porta-voz Yigal Palmor, que chamou o Brasil de “anão diplomático”. Em editorial, o jornal Estado de S. Paulo condenou o que chamou de “baixaria israelense”. Veja, assim, se isola, assim como o carniceiro Benjamin Netanyahu. Os dois, na verdade, se merecem. SAIBA MAIS: PSDB apoia posicionamento do governo sobre massacre de Israel.
    Fotos da linha do tempo.
  • malbecmusic

    em 23/07/2014 Via Youtube
    Ṁalbec - Relógio da Torre [Ao Vivo: II Festival Amazonas Rock]

    Ao vivo no II Festival Amazonas Rock em Presidente Figueiredo/AM - 6 Out 2013.

  • Presidente Figueiredo, AM
    Embora seja comum a ideia de que o nome do município seja uma homenagem ao ex-presidente brasileiro João Baptista de Oliveira Figueiredo, o nome do município homenageia João Figueiredo, presidente da província do Amazonas no tempo do império. Inicialmente a...

    Presidente Figueiredo, AM ~ Sonho Tropical
    Embora seja comum a ideia de que o nome do município seja uma homenagem ao ex-presidente brasileiro João Baptista de Oliveira Figueiredo, o nome do município homenageia João Figueiredo, presidente da província do Amazonas no tempo do império. Inicialmente a ideia era homenagear exatamente o presidente da República, contudo este não aceitou que o município recebesse seu nome. Daí lembram-se do ex-presidente do período colonial imperial, e o nome p...
  • A Cruz Vermelha AP salva vidas em missão interestadual O apoio à saúde do município paraense de Afúa, ocorreu por causa do festival do camarão, evento que ocorre há 32 anos e contou com a presença de milhares de turistas. O movimento internacional da cruz vermelha e do crescente vermelho está presente em quase todos os países do mundo. A instituição humanitária da Cruz Vermelha de Macapá é convidada todo o ano para realizar serviços de pronto atendimento e emergências em diversas localidades. De 24 a 28 de Julho, a instituição foi à cidade de Afúa no estado do Pará, a fim de “garantir segurança à saúde” dos brincantes e trabalhadores do evento. A equipe do estado do Amapá foi coordenada por Donórton Tadeu, líder do movimento internacional da Cruz Vermelha no estado. Na quarta-feira (24), foi enviada uma embarcação oficial que saiu do porto do Grego em Santana rumo ao Afuá, com apenas profissionais e voluntários responsáveis por dar o primeiro atendimento quanto às ocorrências médicas de possíveis enfermidades que pudessem acontecer junto aos brincantes do Festival do Camarão (24 a 27), sendo está ultima a maior festa cultural da ilha do Marajó. Entre os “heróis da saúde” que trabalharam no evento para salvar vidas sem remuneração, vale destacar: Danórton Tadeu, coordenador chefe e presidente da CVBAP, Sandro Rogério, paramédico, Obi Cirino, paramédico, Aldo Maurício, enfermeiro, Silvia Figueiredo, radiologista, Iran Gomes, assessor de comunicação, Gilliard Braga, apoio, Jorge Silva, coordenação e Vivi Gomes do apoio técnico. Toda a equipe estava uniformizada consoante os fatores de identificação e seguindo os padrões da Cruz Vermelha internacional, o serviço de qualidade funcionou em parceria com a Prefeitura Municipal de Afuá, uma vez que após realizado o primeiro atendimento pela Cruz Vermelha AP, o paciente, caso necessário, era encaminhado ao hospital da cidade ou enviado a Macapá em situações de enfermidade de altíssimo risco. Durante os cinco dias de festividade, os principais enfermos identificados entre os brincantes foram os seguintes: coma alcoólico, queda de pressão, desidratação, acidente com objeto perfuro cortante e outros de maior gravidade. Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho existem em quase todos os países do mundo. Atualmente, 186 Sociedades Nacionais são reconhecidas pelo CICV, e admitidos como membros da federação. Cada entidade trabalha em seu país de origem de acordo com os princípios da lei internacional humanitária e do estatutos do Movimento internacional. Dependendo das circunstâncias específicas e das capacidades, as Sociedades Nacionais podem efetuar tarefas humanitárias que não estão diretamente definidos pela lei internacional humanitária ou mandados pelo Movimento internacional. Em muitos países, tais sociedades estão ligados com o sistema nacional de saúde dos respectivos países, através do fornecimento de serviços médicos de emergência. O grupo Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho é um movimento internacional humanitário com aproximadamente 97 milhões de voluntários mundialmente. Seu objetivo é proteger a vida e a saúde humana, e prevenir e aliviar sofrimento humano, sem discriminação baseado em nacionalidade, raça, sexo, religião, classe social ou opiniões políticas. Marcello Gomes Fotos: Cruz Vermelha Ap. Não sei ainda quando vai sair a matéria, mais aviso quando for publicado, acho que sai amanha ou dia 30. o Editor está vendo qual melhor dia.


    Marcello Gomes adicionou 11 fotos.
    .



  • Thed Pimentinha compartilhou a foto de O que não tem censura nem nunca terá.
    A revista Veja condena a posição do Brasil sobre o conflito em Gaza e apoia Benjamin Netanyahu e a matança de Israel. Não me surpreende que a mesma revista faça campanha aberta para Aécio Neves. "Veja, assim, se isola, assim como o carniceiro Benjamin Netanyahu. Os dois, na verdade, se merecem" Compartilhem! ALINHADA AO ASSASSINO, VEJA CONDENA ITAMARATY http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/148030/Alinhada-ao-assassino-Veja-condena-Itamaraty.htm Capa da revista semanal que adota posições cada vez mais extremistas aponta "apagão na diplomacia" e "falência moral da política externa de Dilma"; com seu radicalismo, revista da família Civita sai em defesa do carniceiro Benjamin Netanyahu, que foi responsável pela morte de mais de 800 pessoas nos últimos vinte dias e capaz de bombardear até um hospital e uma escola das Nações Unidas, despertando uma onda global de indignação; nem mesmo nos Estados Unidos, o apoio a um criminoso de guerra é feito com tanto desassombro; em sua reportagem, Veja concorda com o porta-voz Yigal Palmor e aponta o que seriam supostos sinais de "nanismo" do Brasil; entre eles, até um elogio de Barack Obama a Lula 247 - Responsável pelo primeiro voto, em 1947, pela criação de Israel, o Brasil sempre foi um aliado da causa judaica. No entanto, a política externa do Itamaraty também sempre foi pautada pela defesa dos direitos humanos. Foi exatamente neste contexto que o chanceler Luiz Alberto Figueiredo divulgou uma nota em que condenava "energicamente" a ação desproporcional de Israel no conflito da Palestina, que, em menos de vinte dias, matou mais de 800 pessoas. Neste período, o governo do chanceler Benjamin Netanyahu assassinou mulheres, crianças e foi capaz até de bombardear um hospital e uma escola da Organização das Nações Unidas, levando o secretário Ban-Ki-Moon a se dizer "estarrecido". De acordo com as Nações Unidas, Netanyahu deve ser investigado por "crimes de guerra" e até mesmo o maior aliado de Israel, o governo dos Estados Unidos, tem se mostrado desconfortável com o banho de sangue. Ontem, o secretário de Estado, John Kerry, pediu uma trégua que impedisse a continuidade da matança. No entanto, Netanyahu tem, a seu lado, a família Civita, que edita a revista Veja, cuja capa desta semana se dedica a a apontar o que seria o "apagão na diplomacia" e a "falência moral da política externa do governo Dilma". Internamente, a revista aponta o que seriam sinais de "nanismo" do Itamaraty. Um desses, curiosamente, seria até a declaração do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, numa reunião do G-20, quando chamou o ex-presidente Lula de "o cara". Ou seja: na lógica de Veja, um elogio de Obama no G-20, organismo que deve muito ao Brasil, diminuiria o País. Com a capa desta semana, Veja se coloca à extrema direita e se isola até de mesmo seus leitores. Responsável pela formulação da política externa do candidato Aécio Neves (PSDB-MG), o embaixador Rubens Barbosa concordou com a posição adotada pelo Itamaraty. Neste sábado, a jornalista Mônica Bergamo também informa que o presidente da Confederação Israelita Brasileira, Claudio Lottenberg, se disse indignado com a grosseria do porta-voz Yigal Palmor, que chamou o Brasil de "anão diplomático". Em editorial, o jornal Estado de S. Paulo condenou o que chamou de "baixaria israelense". Veja, assim, se isola, assim como o carniceiro Benjamin Netanyahu. Os dois, na verdade, se merecem. — com Pâmela Cam.
    Fotos da linha do tempo.
  • Band Amazonas

    em 09/06/2014 Via Youtube
    Presidente Figueiredo é destino turístico na Copa do Mundo; conheça

    Chamada de o paraíso das cachoeiras, Presidente Figueiredo é um dos municípios da região metropolitana de Manaus que devem tirar proveito dessa Copa do Mundo...

  • 300 IDIOTAS. APELO PÚBLICO AO STF, EM DEFESA DA JUSTIÇA E DO ESTADO DE DIREITO Senhores ministros, O Brasil assiste perplexo à escalada de arbitrariedades cometidas pelo Presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa. Já não se trata de contestar o resultado do julgamento da chamada AP 470 – embora muitos de nossos pátrios juristas ainda discutam inovações polêmicas daquele julgamento, como a chamada “teoria do domínio do fato”, por substituir a presunção de inocência pela presunção de culpabilidade. O Presidente do Supremo Tribunal Federal, ao invés de cumprir as decisões dessa Suprema Corte, nega direitos a alguns sentenciados, desrespeitando a decisão do próprio pleno do STF e a jurisprudência do STJ quanto ao cumprimento do regime semiaberto. Com isso ameaça levar ao caos o sistema prisional brasileiro, pois, aceito o precedente, cria-se jurisprudência não somente em desfavor dos presos e sentenciados, mas contrária ao espírito democrático que rege as leis de execução penal, inclusive. É o caso de sua exigência de cumprimento em regime fechado de um sexto da pena de réus condenados a uma sanção a ser iniciada no regime semiaberto. Adotada, à revelia de entendimento do pleno desse Supremo Tribunal Federal, tendo como alvo os sentenciados, todos ao regime semiaberto, inclusive Delúbio Soares, João Paulo Cunha, José Dirceu de Oliveira e Silva e José Genoíno, levará angustia e desespero não somente a eles e seus familiares, mas a dezenas de milhares de famílias de sentenciados que cumprem penas em regime semiaberto, trabalhando para sustentar suas mães, esposas e filhos. É preciso que o plenário do Supremo Tribunal Federal impeça a continuidade dessa agressão ao Estado de Direito Democrático. Concitamos, portanto, os Senhores Ministros integrantes dessa Corte Constitucionalde Justiça a que revejam e corrijam tal violação de direitos praticada pelo Exmo. Sr. Presidente do STF, acatando o agravo impetrado pelos advogados dos réus. O desrespeito aos direitos de um único cidadão coloca em risco o direito de todos, e o Brasil já sofreu demais nas mãos de quem ditava leis e atos institucionais, atacando os mais elementares direitos democráticos. Os signatários: Adriana Facina, antropóloga / Museu Nacional Adriana Nalesso, vice-presidenta do Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro Adriano Diogo, deputado estadual PT/SP Alessandra Dadona, Secretaria de Movimentos Populares e Políticas Setoriais Alex Martins, Presidente da OAB de Volta Redonda –RJ Alexandre Cesar Costa Teixeira, coordenador do Núcleo do Barão de Itararé do RJ Aline Amorim Cavalcanti Rolandi, bancária Aline Sasahara, documentarista Alípio Freire, jornalista Almir Aguiar, presidente Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro Altamiro Borges, jornalista Aluisio Almeida Schumacher, professor universitário e economista Alvaro Luis Carneiro, Jornalista Ana Corbisier, socióloga Ana Laura dos Reis Corrêa, professora da Universidade de Brasília. Ana Maria dos Santos Cardoso, educadora social Ana Maria Müller, advogada Ana Perugini, deputada estadual PT/SP Ana Rita, senadora PT/ES e presidente da Comissão de Direitos Humanos do Senado Federal André Klotzel, diretor e roteirista cinematográfico André Rota Sena, advogado André Tokarski, secretário de juventude do PCdoB André Tomio Lopes Amano, pós-graduando da FFLCH/USP Andrea Maria Altino de Campos Loparic, Profa. Senior do Dep. de Filosofia FFLCH/USP Andrei Koerner, professor do depto. de Ciência Política IFCH-Unicamp Aníbal Diniz, senador PT/AC Anselmo de Jesus, deputado federal PT/RO Antonio Martins, jornalista Antonio Mentor, deputado estadual PT/SP Antonio Neiva, membro do diretório estadual PT-RJ Antonio Othon Pires Rolim, economista Araken Vaz Galvão, escritor Armando Boito, professor de Ciência Política da Unicamp Arthur Poerner, escritor, jornalista e advogado Artur Bruno, deputado federal PT/CE Artur Henrique da Silva Santos, secretário municipal do Trabalho da Prefeitura de São Paulo Artur Scavone, jornalista AtonFon Filho, advogado Beatriz Labaki, socióloga Bepe Damasco, jornalista Beth Sahão, deputada estadual PT/SP Beto Almeida, jornalista Campos Machado, deputado estadual e líder PTB/SP Carina Vitral, presidenta da União Estadual dos Estudantes de São Paulo Carlos Alberto Valadares, presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores em Tecnologia da Informação Carlos Augusto Abicalil, ex-deputado federal PT/MT, mestre em gestão de políticas públicas Carlos Enrique Ruiz Ferreira, professor universitário Carlos Gilberto Pereira, metalúrgico aposentado e anistiado político Carlos Lungarzo, professor titular aposentado da Unicamp Carlos Neder, deputado estadual PT/SP Carlos Odas, Coordenador de juventude do governo do Distrito Federal Cassio Nogueira da Conceição, membro da Executiva Nacional da JPT e do Diretório Nacional do PT Celso Horta, jornalista Chico César, cantor Chico Diaz, Ator Cid Barbosa Lima Júnior, engenheiro civil Cilene Marcondes, jornalista Clarisse Abujamra, Diretora de Teatro Cláudio José Oliveira, presidente do Sindicato dos Vigilantes de Niterói Conceição Aparecida Pereira Rezende, psicóloga Consuelo de Castro, dramaturga Dalva Figueiredo, deputada federal PT/AP Danilo Camargo, advogado Danilo Vianna Lopes, vice-presidente nacional da União Brasileira de Estudantes Secundaristas DarbyIgayara, presidente CUT-RJ David Stival, professor universitário Débora Duboc, atriz Décio Lima, deputado federal PT/SC Denise Paraná, jornalista Dermeval Saviani, professor emérito da UNICAMP e pesquisador emérito do CNPq. Dilson Marcon, deputado federal PT/RS Dr. Rosinha, deputado federal PT/PR Durval Ângelo, deputado estadual PT/MG e presidente da Comissão de Direitos Humanos da ALMG Edison Munhoz, membro da executiva Sindicato dos Petroleiros do Rio de Janeiro Edison Tessele, advogado Edson Santos, deputado federal PT/RJ Eduardo Fagnani, economista e professor do Instituto de Economia da Unicamp Eduardo Suplicy, senador PT/SP Elói Pietá, ex-prefeito de Guarulhos Elzira Vilela, médica Emilia Maria Mendonça de Morais, professora aposentada da UFPB Recife - PE EmiliaViotti da Costa, Professora Universitária - USP e Universidade de Yale (USA) Emir Sader, sociólogo Enio Tatto, deputado estadual PT/SP Enzo Luis Nico Jr, geólogo Eric Nepomuceno, escritor Erik Bouzan, estudante de Gestão de Políticas Públicas- USP e secretário municipal da JPT Erika Mazon, jornalista Erminia Maricato, arquiteta e urbanista Esther Bemerguy de Albuquerque, economista Fábio Lau, jornalista e editor de Conexão Jornalismo Fátima Cleide, servidora pública e ex-senadora PT/RO Felipe Lindoso, antropólogo Fernando Morais, jornalista e escritor Fernando Nogueira da Costa, economista Fernando Pacheco, economista GaudencioFrigotto, professor da UERJ Geniberto Campos, médico cardiologista Geraldo Cruz, deputado estadual PT/SP GersonBittencourt, deputadoestadual PT/SP Gilberto Nahum, jornalista Gilson Caroni Filho, professor universitário Glauber Piva, produtor cultural Guiomar Silva Lopes, médica e coordenadora de políticas para idosos da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo Guto Pires, jornalista Hamilton Pereira, deputado estadual PT/SP Hélcio Antônio Silva, deputado federal PT/SP Heloísa Fernandes, socióloga Henrique Fontana, deputadofederal PT/RS HerschBasbaum, escritor Herta VicciPidner, professora universitária Hildegard Angel, jornalista Hugo Carvana, ator Humberto Costa, senador PT/PE Iara Bernardi, deputado federal PT/SP Inácio Arruda, senador do PCdoB/CE Iriny Lopes, deputada federal PT/ES Izaias Almada, escritor e dramaturgo Jacy Afonso - Executiva CUT Nacional Jaime Cesar Coelho, Professor Jean Tible, professor Jefferson Lima, secretário Nacional de Juventude do PT João Antonio de Moraes, presidente da Federação Única dos Petroleiros João Batista Barbosa Silva, membro do PT/PA João Capiberibe, ex-governador do Amapá e senador PSB/AP João Cyrino, Conselheiro Universitário da UFG e Diretor do DCE-UFG João Guilherme Vargas Netto, consultor sindical João Paulo Lima, deputado federal PT/PE João Paulo Rillo - Dep Estadual PT/SP João Paulo Soares, jornalista João Pedro Stédile, coordenador do MST e Via Campesina Brasil João Vicente Augusto Neves, advogado e secretário de Assuntos Jurídicos e da Cidadania de Franco da Rocha/SP João Vicente Goulart, presidente do Instituto João Goulart Joaquim Cartaxo, arquiteto, Fortaleza/Ceará Joceli Jaison José Andrioli, coordenador nacional do MAB (Movimento de Atingidos por Barragens) José Antonio Garcia Lima, membro da executiva CUT-RJ José Augusto Valente, engenheiro José Ivo Vannuchi, advogado e ex-prefeito São Joaquim da Barra - SP José Luiz Deu Roio, consultor José Maria Rangel, presidente do Sindicato dos Petroleiros do Norte-Fluminense José Roberto Pereira Novaes, professor UFRJ José Zico Prado, deputado estadual PT/SP Julia Helena Barbosa Costa Afonso, estudante Juliana Borges da Silva, secretária Municipal de Mulheres do PT São Paulo Juliana Cardoso, vereadora PT/SP Júlio Turra, membro Comissão Executiva Nacional da CUT Ladislau Dowbor, economista Lafaiete Neves, professor aposentado da Universidade Federal do Paraná Laura Tavares, Professora Laurindo Lalo Leal Filho, jornalista e professor Lauro César Muniz, dramaturgo Leonardo Boff, teólogo, escritor e professor Leopoldino Ferreira de Paula Martins, Coordenador do Sindicato dos Petroleiros/MG e diretor da FUP Leopoldo Vieira, servidor público Lia Ribeiro, jornalista Ligia Chiappini Moraes Leite, profa. aposentada da FFLCH USP Ligia Deslandes - Presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Comércio de Minérios e Derivados de Petróleo do Rio de Janeiro Lilian Ribeiro, advogada Lincoln Secco, professor titular do Departamento de História/USP Luciana Santos, deputada federal e vice-presidenta nacional do PCdoB Luciano D’Angelo, professor Luci Choinacki, deputada federal, PT/SC Lucila ChebelLabaki, professora Unicamp Lucy Barreto, produtora cultural Luis Antonio Souza da Silva, presidente Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações do Rio de Janeiro Luiz Bueno de Aguiar, advogado Luiz Carlos Barreto, cineasta Luiz Carlos Barros Bettarello, médico Luiz Carlos Gomes, físico e professor doutor da USP Luiz Claudio Marcolino, deputado estadual PT/SP Luiz Couto, deputado federal PT/PB Luiz Eduardo Greenhalgh, advogado Luiz Fernando Lobo, ator e diretor Luiz Pinguelli Rosa, físico, professor universitário Luiz Roberto Simon do Monte, ex-vereador Manoel Cyrillo de Oliveira Netto, publicitário Marcelo Magalhães, publicitário Marcelo Rodrigues, membro da direção da CUT-RJ Marcelo Santa Cruz, advogado, militante dos direitos humanos e vereador de Olinda pelo PT Marcia Miranda, educadora popular, cofundadora e consultora do Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Petrópolis Márcio Macedo, deputado federal PT/SE Marcio Meira, antropólogo Marco Aurélio de Souza, deputado estadual PT/SP Marco Aurélio Weissheimer, jornalista Marcos Del Roio, professor da Unesp Margarida Salomão, deputada federal PT/MG MargretAlthuon, economista Maria Aparecida Antunes Horta, professora Maria Aparecida da Silva Abreu, secretária nacional de Combate ao Racismo do PT Maria Aparecida de Jesus, Chefe de gabinete do Deputato Estadual Durval Ângelo Maria Aparecida Dellinghausen Motta Maria Cecília Velasco e Cruz, professora doutora da UFBA Maria Cristina Fernandes de Oliveira, contadora e assessora parlamentar Maria da Conceição Tavares, Economista Maria da Piedade Peixoto dos Santos Maria do Carmo Lara, Ex-prefeita de Betim MG Maria do Socorro Diógenes, Professora Maria Fernanda Coelho, servidora da Caixa Maria Fernanda Seibel, advogada Maria Inês Nassif, jornalista Maria José Silveira, escritora Maria Lucia Alves Ferreira, produtora cultural Maria Lúcia Prandi, deputada federal PT/SP e presidente do Diretório Municipal do PT de Santos/SP. Maria Luiza de Carvalho Armando, professora aposentada da UFRGS Maria Luiza Franco Busse, Jornalista Maria Luiza Tonelli, advogada e professora Maria Regina Sousa, aposentada Piauí Maria Silvia Portela de Castro, socióloga Maria Victoria de Mesquita Benevides, cientista política Marilena Chauí, filósofa Marilia Guimarães, Presidente da Rede Internacional de Intelectuais, Artistas e Movimentos Sociais em defesa da Humanidade – Capítulo Brasileiro Marilza de Melo Foucher, jornalista e economista MarkusSokol, membro Diretório Nacional – PT Marlos Bessa Mendes da Rocha, Professor associado da UFJF Michel ChebelLabaki Junior, engenheiro Mina Nahum, aposentada MisaBoito, membro Diretório Estadual – PT/SP Morgana Eneile, gestora cultural e assessora parlamentar da comissão de cultura Alerj Nelson Canesin, sociólogo Nelson Pellegrino, deputado federal PT/BA Osmar Prado, ator Padre Ton, deputado federal PT/RO Padre João, deputado federal PT/MG Paulo Faria - Dramaturgo e Diretor de Teatro Paulo Paim, senador PT/RS Paulo Roberto Feldmann, economista e professor da USP Paulo Roberto Ribeiro, jornalista Paulo Serpa, antropólogo Pedro Martinez, estudante de Direito Pio Perreira dos Santos, Médico Policarpo, deputado federal PT/DF Regina Elza Solitrenick, médica Regina Galdino, diretora teatral Regina Célia Reyes Novaes, professora UFRJ Renan Alencar, presidente da UJS Renata Silveira Corrêa, economista Renato Rabelo, presidente nacional do PCdoB Renato Simões, deputado federal PT/SP Ricardo Abreu, secretário de Relações Internacionais do PCdoB Ricardo Gebrim, advogado, Consulta Popular Roberto Requião, ex-governador do Paraná e senador PMDB/PR Rodrigo de Sousa Soares, advogado Rogério Sottili, secretário municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo Romi Marcia Bencke, pastore Ronald Luiz dos Santos, vice-presidente da União Nacional dos Estudantes Roque Barbieri, deputado estadual PTB/SP Rose Nogueira, Jornalista e defensora dos Direitos Humanos Roseli Coelho, socióloga, professora Escola de Sociologia e Política Rossana Lana, jornalista Rubem Murilo Leão Rego, professor livre docente da Unicamp Rui Falcão, deputado estadual PT/SP e Presidente Nacional do PT Samara Carvalho, bancária Samuel Pinheiro Guimarães, diplomata Sebastião Velasco e Cruz, professor titular do Departamento de Ciência Política da Unicamp Sérgio Magalhães Gianetto, presidente do Sindicato dos Portuários do Rio de Janeiro Sergio Mamberti, ator Sergio Muniz, documentarista Silas Cardoso de Souza, advogado Silvana Barolo, socióloga Silvia Contreras, socióloga - BH/MG Simão Pedro Chiovetti, sociólogo, deputado estadual PT/SP e Secretário Municipal de Serviços da PMSP Solange de Souza, historiadora do CEDEM/ Unesp Stella Bruna Santo, advogada Suzana Guerra Albornoz, escritora e professora universitária Syr-Daria Carvalho Mesquita, coordenadora geral da Articulação de Lésbicas - Artlés Takao Amano, advogado e membro da Comissão da Verdade da OAB/SP Tania Cristina Barros Aguiar Tania Nahum, advogada Tata Amaral, cineasta Tatiana Oliveira, cientista política e militante da MMM-RJ Telma de Souza, deputado estadual PT/SP Teresinha Pinto, PT/SP Theotonio dos Santos, economista Thiago Barreto, secretário executivo adjunto da ABRASCO Thiago Rogerio Kimura, estudante Thomaz Ferreira Jensen, economista Tito – deputado estadualPT/SP Toni Reis, secretário de educação e ex-presidente da ABGLT (Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) Tuca Moraes, atriz e produtora Úrsula Prudente Oliveira , membro da Frente Popular de Lutas - Barra Mansa, RJ Vagner Freitas, presidente da nacional da CUT Valéria Moraes, economista Valmir Assunção, deputado federal PT/BA Vanessa Grazziotin, senadora PCdoB/AM Venício A. de Lima, professor universitário e jornalista Vera Claudino, secretária Vicente Candido, deputado federal PT/SP Vicente De Paulo Santiago Paulo da Silva, deputado federal PT/SP e líder do PT na Câmara Virgílio de Mattos, Professor MG Virna Pereira Teixeira, professora e membro do Diretório Nacional do PT Vitor Carvalho, membro da executiva da CUT Nacional Vitor Quarenta, secretário geral da União Estadual dos Estudantes de São Paulo Wadih Damous, advogado Wagner Homem, Escritor Walnice Nogueira Galvão, professora de letras/USP Wanderley Guilherme dos Santos, professor titular de Teoria Política (aposentado) da UFRJ Waquíria Leão Rêgo, professora Titular de Teoria Social IFCH - Unicamp Washington Luiz Cardoso Siqueira, presidente do diretório estadual do PT-RJ Wellington Dias, Senador PT/PI Wesley Caçador Soares, médico Wilma Ary, jornalista Wolf Gauer, diretor de cinema Zé de Abreu, ator Zenaide Lustosa, funcionária pública federal



  • Guilherme Augusto Duque Portugal compartilhou a foto de Jorge André Irion Jobim.
    Via Zequinha Maranhão Torres REVISTA VEJA É NAZISTA A revista veja defende Israel e Benjamin Netanyahu...e acusa o governo brasileiro de incompetência ! A Veja defende o assassino e condena o Itamaraty Veja adota posições cada vez mais extremistas e se alinha abertamente ao assassino. Revista sai em defesa do carniceiro Benjamin Netanyahu, que foi responsável pela morte de mais de mil pessoas nos últimos dias e capaz de bombardear até um hospital e uma escola das Nações Unidas Revista Veja se alinha ao assassino Benjamin Netanyahu ! Responsável pelo primeiro voto, em 1947, pela criação de Israel, o Brasil sempre foi um aliado da causa judaica. No entanto, a política externa do Itamaraty também sempre foi pautada pela defesa dos direitos humanos. Foi exatamente neste contexto que o chanceler Luiz Alberto Figueiredo divulgou uma nota em que condenava “energicamente” a ação desproporcional de Israel no conflito da Palestina, que, em menos de vinte dias, matou mais de mil pessoas. Neste período, o governo do chanceler Benjamin Netanyahu assassinou mulheres, crianças e foi capaz até de bombardear um hospital e uma escola da Organização das Nações Unidas, levando o secretário Ban-Ki-Moon a se dizer “estarrecido”. De acordo com as Nações Unidas, Netanyahu deve ser investigado por “crimes de guerra” e até mesmo o maior aliado de Israel, o governo dos Estados Unidos, tem se mostrado desconfortável com o banho de sangue. Ontem, o secretário de Estado, John Kerry, pediu uma trégua que impedisse a continuidade da matança. No entanto, Netanyahu tem, a seu lado, a família Civita, que edita a revista Veja, cuja capa desta semana se dedica a apontar o que seria o “apagão na diplomacia” e a “falência moral da política externa do governo Dilma”. Internamente, a revista aponta o que seriam sinais de “nanismo” do Itamaraty. Um desses, curiosamente, seria até a declaração do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, numa reunião do G-20, quando chamou o ex-presidente Lula de “o cara”. Ou seja: na lógica de Veja, um elogio de Obama no G-20, organismo que deve muito ao Brasil, diminuiria o País. VEJA TAMBÉM: Apenas 1 país votou contra a investigação do massacre de Israel na Palestina Com a capa desta semana, Veja se coloca à extrema direita e se isola até mesmo de seus leitores. Responsável pela formulação da política externa do candidato Aécio Neves (PSDB-MG), o embaixador Rubens Barbosa concordou com a posição adotada pelo Itamaraty. Neste sábado, a jornalista Mônica Bergamo também informa que o presidente da Confederação Israelita Brasileira, Claudio Lottenberg, se disse indignado com a grosseria do porta-voz Yigal Palmor, que chamou o Brasil de “anão diplomático”. Em editorial, o jornal Estado de S. Paulo condenou o que chamou de “baixaria israelense”. Veja, assim, se isola, assim como o carniceiro Benjamin Netanyahu. Os dois, na verdade, se merecem. SAIBA MAIS: PSDB apoia posicionamento do governo sobre massacre de Israel.
    Fotos da linha do tempo.



  • Manoel Rmellojr compartilhou a foto de Jorge André Irion Jobim.
    Via Zequinha Maranhão Torres REVISTA VEJA É NAZISTA A revista veja defende Israel e Benjamin Netanyahu...e acusa o governo brasileiro de incompetência ! A Veja defende o assassino e condena o Itamaraty Veja adota posições cada vez mais extremistas e se alinha abertamente ao assassino. Revista sai em defesa do carniceiro Benjamin Netanyahu, que foi responsável pela morte de mais de mil pessoas nos últimos dias e capaz de bombardear até um hospital e uma escola das Nações Unidas Revista Veja se alinha ao assassino Benjamin Netanyahu ! Responsável pelo primeiro voto, em 1947, pela criação de Israel, o Brasil sempre foi um aliado da causa judaica. No entanto, a política externa do Itamaraty também sempre foi pautada pela defesa dos direitos humanos. Foi exatamente neste contexto que o chanceler Luiz Alberto Figueiredo divulgou uma nota em que condenava “energicamente” a ação desproporcional de Israel no conflito da Palestina, que, em menos de vinte dias, matou mais de mil pessoas. Neste período, o governo do chanceler Benjamin Netanyahu assassinou mulheres, crianças e foi capaz até de bombardear um hospital e uma escola da Organização das Nações Unidas, levando o secretário Ban-Ki-Moon a se dizer “estarrecido”. De acordo com as Nações Unidas, Netanyahu deve ser investigado por “crimes de guerra” e até mesmo o maior aliado de Israel, o governo dos Estados Unidos, tem se mostrado desconfortável com o banho de sangue. Ontem, o secretário de Estado, John Kerry, pediu uma trégua que impedisse a continuidade da matança. No entanto, Netanyahu tem, a seu lado, a família Civita, que edita a revista Veja, cuja capa desta semana se dedica a apontar o que seria o “apagão na diplomacia” e a “falência moral da política externa do governo Dilma”. Internamente, a revista aponta o que seriam sinais de “nanismo” do Itamaraty. Um desses, curiosamente, seria até a declaração do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, numa reunião do G-20, quando chamou o ex-presidente Lula de “o cara”. Ou seja: na lógica de Veja, um elogio de Obama no G-20, organismo que deve muito ao Brasil, diminuiria o País. VEJA TAMBÉM: Apenas 1 país votou contra a investigação do massacre de Israel na Palestina Com a capa desta semana, Veja se coloca à extrema direita e se isola até mesmo de seus leitores. Responsável pela formulação da política externa do candidato Aécio Neves (PSDB-MG), o embaixador Rubens Barbosa concordou com a posição adotada pelo Itamaraty. Neste sábado, a jornalista Mônica Bergamo também informa que o presidente da Confederação Israelita Brasileira, Claudio Lottenberg, se disse indignado com a grosseria do porta-voz Yigal Palmor, que chamou o Brasil de “anão diplomático”. Em editorial, o jornal Estado de S. Paulo condenou o que chamou de “baixaria israelense”. Veja, assim, se isola, assim como o carniceiro Benjamin Netanyahu. Os dois, na verdade, se merecem. SAIBA MAIS: PSDB apoia posicionamento do governo sobre massacre de Israel.
    Fotos da linha do tempo.
  • Livio Garcia

    em 19/10/2012 Via Google+


    Cachoeira Iracema - Presidente Figueiredo AM
    Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no FacebookCompartilhar no Orkut · Postagem mais antiga Início. Facebook. Livio Garcia · Criar seu atalho. Marcadores. Aeroporto (1); Amaz...
  • Passeio na cachoeira santuário em Presidente Figueiredo

  • Nossa Pintura mixada com estampa para coleção impressões da Amazônia inspirada em Margaret Mee e ao lado uma foto que tiramos em uma cachoeira na Amazônia em Presidente Figueiredo que foi literalmente a inspiração para essa pintura.


    .
  • Luan Silva

    em 20/05/2012 Via Google+
    Corredeiras de Presidente Figueiredo -Am


    P160512_14.29.jpg
  • RONALDO LOBATO.


    Ronald Lobato.
    Carta no JORNAL DO BRASIL, em 07 de janeiro de 2009*: Oriente Médio - Por mais que lave as mãos, o sangue de Gaza respingará no silêncio de Obama. A política do 'não me comprometa' depõe contra a esperança, até ingênua, daqueles que acreditavam em mudanças substanciais, dentro do atual aprofundamento da hegemonia norte-americana na correlação de forças no contexto mundial. De repente, se gol contra continuar a acontecer, a galera rubro-negra poderá confeccionar uma faixa: “Obina é melhor que Obama”. Antonio Francisco da Silva, Rio de Janeiro *Carta no GLOBO (Horror em Gaza), de teor equivalente em 06 de janeiro de 2009 Jornal do Brasil 2014 (on line) Coisas da Política 24/07 às 20h00 - Atualizada em 24/07 às 20h01 De cegos e de anões Mauro Santayana Se não me engano, creio que foi em uma aldeia da Galícia que escutei, na década de 70, de camponês de baixíssima estatura, a história do cego e do anão que foram lançados, por um rei, dentro de um labirinto escuro e pejado de monstros. Apavorado, o cego, que não podia avançar sem a ajuda do outro, prometia-lhe toda sua fortuna, caso ficasse com ele, e, desesperado, começou a cantar árias para distraí-lo. O outro, ao ver que o barulho feito pelo cego iria atrair inevitavelmente os monstros, e que o cego, ao cantar cada vez mais alto, se negava a ouvi-lo, escalou, com ajuda das mãos pequenas e das fortes pernas, uma parede, e, caminhando por cima dos muros, chegou, com a ajuda da luz da Lua, ao limite do labirinto, de onde saltou para densa floresta, enquanto o cego, ao sentir que ele havia partido, o amaldiçoava em altos brados, sendo, por isso, rapidamente localizado e devorado pelos monstros que espreitavam do escuro. Ao final do relato, na taberna galega, meu interlocutor virou-se para mim, tomou um gole de vinho e, depois de limpar a boca com o braço do casaco, pontificou, sorrindo, referindo-se à sua altura: como ve usted, compañero... com o perdão de Deus e dos cegos, ainda prefiro, mil vezes, ser anão... Lembrei-me do episódio — e da história — ao ler sobre a convocação do embaixador brasileiro em Telaviv para consultas, devido ao massacre em Gaza, e da resposta do governo israelense, qualificando o Brasil como irrelevante, do ponto de vista geopolítico, e acusando o nosso país de ser um “anão diplomático". Chamar o Brasil de anão diplomático, no momento em que nosso país acaba de receber a imensa maioria dos chefes de Estado da América Latina, e os líderes de três das maiores potências espaciais e atômicas do planeta, além do presidente do país mais avançado da África, país com o qual Israel cooperava intimamente na época do Apartheid, mostra o grau de cegueira e de ignorância a que chegou Telaviv. O governo israelense não consegue mais enxergar além do próprio umbigo, que confunde com o microcosmo geopolítico que o cerca, impelido e dirigido pelo papel executado, como obediente cão de caça dos EUA no Oriente Médio. O que o impede de reconhecer a importância geopolítica brasileira, como fizeram milhões de pessoas, em todo o mundo, nos últimos dias, no contexto da criação do Banco do Brics e do Fundo de reservas do grupo, como primeiras instituições a se colocarem como alternativa ao FMI e ao Banco Mundial, é a mesma cegueira que não lhe permite ver o labirinto de morte e destruição em que se meteu Israel, no Oriente Médio, nas últimas décadas. Se quisessem sair do labirinto, os sionistas aprenderiam com o Brasil, país que tem profundos laços com os países árabes e uma das maiores colônias hebraicas do mundo, como se constrói a paz na diversidade, e o valor da busca pacífica da prosperidade na superação dos desafios, e da adversidade. O Brasil coordena, na América do Sul e na América Latina, numerosas instituições multilaterais. E coopera com os estados vizinhos — com os quais não tem conflitos políticos ou territoriais — em áreas como a infraestrutura, a saúde, o combate à pobreza. No máximo, em nossa condição de “anões irrelevantes”, o que poderíamos aprender com o governo israelense, no campo da diplomacia, é como nos isolarmos de todos os povos da nossa região e engordar, cegos pela raiva e pelo preconceito, o ódio visceral de nossos vizinhos — destruindo e ocupando suas casas, bombardeando e ferindo seus pais e avós, matando e mutilando as suas mães e esposas, explodindo a cabeça de seus filhos. Antes de criticar a diplomacia brasileira, o porta-voz da Chancelaria israelense, Yigal Palmir, deveria ler os livros de história para constatar que, se o Brasil fosse um país irrelevante, do ponto de vista diplomático, sua nação não existiria, já que o Brasil não apenas apoiou e coordenou como também presidiu, nas Nações Unidas, com Osvaldo Aranha, a criação do Estado de Israel. Talvez, assim, ele também descobrisse por quais razões o país que disse ser irrelevante foi o único da América Latina a enviar milhares de soldados à Europa para combater os genocidas nazistas; comanda órgãos como a OMC e a FAO; abre, todos os anos, com o discurso de seu máximo representante, a Assembleia Geral da ONU; e porque — como lembrou o ministro Luiz Alberto Figueiredo, em sua réplica — somos uma das únicas 11 nações do mundo que possuem relações diplomáticas, sem exceção, com todos os membros da Organização das Nações Unidas.
  • Festa do Cupuaçu 2014 - Presidente Figueiredo (Amazonas)




  • Jone Uchoa Uchoa compartilhou a foto de Conceição Rosa.
    O LINHÃO E SUAS MAZELAS – II A Subestação da Linha de Transmissão, Manaus-Boa Vista, a ser instalada no Km 152 da BR-174, se destina a fornecer energia à pedreiras e à madeireiras que são atualmente os maiores instrumentos da depredação nesta área e sem um retorno para o município, além de arruinarem a rodovia, obrigando o povo a pagar permanentemente uma empresa de manutenção. Do município saem diariamente mais de 300 caçambas de minério sem fiscalização alguma. Além das pedreiras de brita ao longo da BR-174, o minério vem do Pitinga, uma das maiores minas de minérios estratégicos atualmente em atividade no mundo. Dela saem ouro, criolita, tântalo, ítrio, columbita, zirconita, estanho ou cassiterita e outros. Desde 1981, todos esses minérios saem desta mina, como cassiterita ou estanho. Entretanto, basta acompanhar a história da Paranapanema no Pitinga, para se constatar que não é só de cassiterita que ela vive. Assim, por exemplo, no dia 21 de setembro de 1989 o jornal A Crítica de Manaus sob o título “Matéria-prima não falta em Pitinga” noticiava: “Segundo o cel. Nelson Dornelles, assessor da presidência da empresa, a Mineração Taboca pretende, ainda, iniciar a exploração de outros minérios existentes na área como a columbita e tantalita, nióbio e terras raras. O custo do investimento, segundo Dornelles, é difícil de ser explicitado em valor estático, ‘embora possamos afirmar que até hoje já foram investidos mais de 180 milhões de dólares de recursos próprios da empresa nesse projeto, de 1982 até hoje” ao revelar que para este ano o nível de investimento está previsto para mais de 45 milhões de dólares e, nos anos subsequentes, os níveis de investimentos serão condizentes com os objetivos de ampliação do complexo.” E o jornal Amazonas em Tempo de 3 de janeiro de 1992, sob o título “Paranapanema investe US$ 22 milhões para produzir Criolita no Pitinga” refere que a empresa objetiva “na implantação de uma unidade com capacidade para produzir aproximadamente 25 toneladas por ano de criolita natural, um mineral utilizado como insumo pela indústria de alumínio e de abrasivos.” Refere ainda que o investimento colocará o Brasil em uma posição de destaque no cenário mundial, uma vez que o país poderá tornar-se o único produtor mundial do minério. A única produtora mundial deste mineral, a Groenlândia, paralisou suas atividades em 1989, devido a exaustão de suas reservas”. “Dentro de seis meses a Paranapanema terá concluído os estudos de pré-viabilidade técnico-econômica para a exploração comercial da reserva”. Até hoje não apareceu nem o volume explorado e muito menos quanto foi pago em royalties e impostos. Mas pode alguém crer que não houve nenhum retorno para a empresa além do estanho ou cassiterita com tanto investimento feito? No dia 27 de setembro de 1989 o vereador Serafim Corrêa denunciou: “em 1987, a Paranapanema faturou com a nossa cassiterita NCZ$ 1.789.500.069,00 (um bilhão setecentos e oitenta e nove milhões e quinhentos e sessenta e nove mil cruzados novos), enquanto a Prefeitura de Manaus, para dar de comer, beber, vestir, educar e cuidar de uma população acima de um milhão e trezentos mil habitantes recolheu NCz$ 1.300.000.000,00, ou seja, 37,61% a menos. É, portanto, uma cidade dentro da outra”. (Diário do Amazonas – 27-09-89). Um dia ouvi o Prefeito de Presidente Figueiredo se queixar na Câmara Municipal da nova direção da mineradora, hoje em mãos de estrangeiros, que a mesma já atuava há mais de um ano no município sem sequer se ter apresentado ao mandatário do município. E, na mesma oportunidade, um vereador afirmou que as firmas que exploravam as pedreiras no município não pagavam imposto algum, deixando apenas os buracos na estrada. Sobre os minérios que saem da mina do Pitinga não existem registros nos informativos nacionais e mundiais. E não existe fiscalização alguma, como refere o geógrafo da Universidade Federal do Amazonas, Professor José Aldemir de Oliveira em sua tese de doutorado, “Cidades na Selva”. Escreve o Prof. José Aldemir: [...] “o volume arrecadado parece estar aquém do devido, em decorrência da sonegação e da inércia do Estado que não criou mecanismos de fiscalização. Em 1991, a Associação Profissional dos Geólogos do Amazonas estimou a perda de receita, somente no projeto Pitinga, da ordem de US$ 63 milhões.”(p.176). ‘Um funcionário da SEFAZ - prossegue José Aldemir - descreveu o mecanismo de fiscalização: “Não sabemos na verdade quanto nem o que está sendo fiscalizado. Mesmo que parássemos as carretas e fiscalizássemos, teríamos dificuldades para identificar se o minério que a empresa diz ser cassiterita realmente o é. Então não fazemos nenhuma fiscalização. Mensalmente, um funcionário da Taboca nos telefona comunicando o número da guia e o valor correspondente que eles recolheram ao Banco referente ao imposto.” (p.177). E conclui: [O] “município de Presidente Figueiredo é sintomático, pois apesar de possuir o maior percentual de arrecadação de todo o interior do Estado, a cidade que lhe serve de sede nada tem, quer do ponto de vista urbanístico, quer do social, que a identifique como tal, sendo tão pobre quanto as demais cidades do interior do Amazonas. Esta contradição deve ser a base da análise dos grandes projetos na Amazônia, especialmente porque é a partir dela que o espaço é produzido. Há uma grande distancia entre os grandes projetos desenvolvidos na Amazônia e as populações locais. No caso específico aqui analisado, estabeleceu-se um processo de destruição da natureza e das relações sociais preexistentes. Numa primeira visão, pode-se dizer que nada de positivo foi introduzido na vida das pessoas. Ao contrario, retiraram-lhe parte das condições de sobrevivência, não apenas econômica, mas também social, cultural e política. “É como se elas não existissem ou, existindo, não tivessem direito ao reconhecimento de sua humanidade” (JOSÉ DE SOUZA MARTINS).[1] Ora, se a observação acima se refere ao controle de uma das mais importantes minas do país, que tipo de controle realmente ocorrerá sobre as pedreiras e as madeireiras da BR-174 que serão as favorecidas com a Subestação da Linha de Transmissão Manaus-Boa Vista a ser instalada na BR-174 no Km 152? Assim o Linhão, como a BR-174, são “veias abertas” da Amazônia e o nosso dinheiro vai sendo utilizado para construir absurdos que desde a sua concepção contradizem qualquer princípio humanitário. O conceito de desenvolvimento na Historia Oficial, portuguesa e brasileira, referente à Amazônia, tem ligação com a alienação dos povos da região, com o (des)envolvimento de sua terra e com a transferência das riquezas naturais para outras partes do mundo, sem objetivar o bem-estar da população local e regional. Casa da Cultura do Urubuí, 23 de julho de 2014, Egydio Schwade
    Fotos da linha do tempo.
  • Alex Cecato

    em 30/07/2014
    Muito idiota....fora Dilma fdp fora Pt..


    Alex Cecato compartilhou a foto de Menorah Brasil.
    URGENTE: BRASIL RETIRA EMBAIXADOR E ABRE CRISE DIPLOMÁTICA COM ISRAEL Itamaraty considera “inaceitável” as medidas de defesa de Israel contra o terrorismo do Hamas. Gesto brasileiro é gravíssimo e representa o último estágio antes de um rompimento definitivo nas relações diplomáticas entre os dois países. MENORAH BRASIL Em uma atitude surpreendente e absolutamente descabida, o Ministério das Relações Exteriores do Brasil convocou o embaixador do país em Israel Henrique Sardinha Filho para “consulta” em Brasília. O gesto é considerado como um último passo antes do rompimento das relações diplomáticas. De acordo com o comunicado do Itamaraty, a medida é um protesto do governo brasileiro contra "o uso desproporcional da força por Israel na Faixa de Gaza, do qual resultou elevado número de vítimas civis, incluindo mulheres e crianças". A nota é assinada pelo chanceler Luiz Alberto Figueiredo (na foto com a presidente Dilma). Este foi o segundo comunicado oficial do governo brasileiro sobre o conflito, desde que Israel lançou há duas semanas uma operação defensiva contra o Hamas, em Gaza. No mesmo comunicado, o Ministério afirma que votou favoravelmente pela condenação de Israel no Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas. A decisão demonstra uma radicalização da política externa brasileira – normalmente prudente e conciliatória – no governo de Dilma Rousseff. E constitui um retrocesso grave, no sentido em que o Brasil agora se torna mais próximo da política externa hostil de nações dominadas por governos populistas de esquerda. Há alguns anos, Venezuela e Bolívia romperam relações diplomáticas com Israel alegando as mesmas razões agora apresentadas pelo Brasil.
    Fotos da linha do tempo.
  • Celebridades aniversariantes em 30/07 - Cida Marques, Jakeline Leal (BBB12), Martha Martinha Vieira Figueiredo Cunha, Maria Rosa Rosinha de Valença Canellas, Flávio José Galvão de França, Mário de Miranda Quintana, André Trigueiro, Murilo Bustamante, Hilary Ann Swank, Lisa Valerie Kudrow, Eunice do Carmo Muñoz, Vivica Anjanetta Fox, Yvonne Strahovski Strzechowski, Catherine Kate Bush, Barbara Berlusconi, Arnold Alois Schwarzenegger, Laurence John Fishburne III, Terrence Alan Terry Crews, Michael Thomas Green, Simon Baker, Juan Jean Reno Moreno y Herrera Jiménez, João Nicolau de Melo Breyner Lopes, Paul Albert Anka, Henry Ford, Giorgio Vasari, Molly McCook, Carol Wojtyla, Krista Ayne, Ian Watkins, Nico Tortorella, Monique Gabrielle, Julie Bornemann, Troy Montero, Richard Johnson, Selvaggia Lucarelli, Jaime Pressly, Edd Byrnes, Richard Burgi, Ben Piazza, Christine Taylor, Jo Ann Campbell, Inga Newson, Gabrielle Mentzer, Delta Burke, Daley Thompson, Lilly Melgar, Peter Bogdanovich e Phyllis Barbour


    Centermax Informática Ltda ME.
    30 DE JULHO * DIA DE SÃO PEDRO CRISÓLOGO BISPO DE RAVENA, CONFESSOR E DOUTOR 380 * DIA DE SÃO LEOPOLDO MANDIC HERÓI DOS CONFESSIONÁRIOS 1866 * DIA DE SANTO EVERALDO HANSE * DIA DAS DESCULPAS * DIA INICIAL DA LIBERTAÇÃO INDÍGENA * DIA DA FOTOGRAFIA COLORIDA * DIA ESTADUAL DA BANDEIRA / GO * DIA DA MORTE DO MILITAR, ENGENHEIRO, POLÍTICO E DIPLOMATA LAURO SEVERIANO MÜLLER NO ESTADO DA GUANABARA - RIO DE JANEIRO / RJ - 1926 * DIA DA MORTE DO HISTORIADOR, ANTROPÓLOGO, PROFESSOR, ADVOGADO E JORNALISTA LUÍS DA CÂMARA CASCUDO POR PARADA CARDÍCA EM NATAL / RN - 1986 * DIA ESTADUAL DO FARMACÊUTICO - PELO USO RACIONAL DE ANTIBIÓTICOS E COMBATE À RESISTÊNCIA BACTERIANA / SP * DIA DA MORTE DO BAILARINO, CANTOR, ATOR E HUMORISTA PAULO CÉSAR BACELAR DA SILVA - PAULETTI POR BRONCOPNEUMONIA E COMA DIABÉTICO EM SÃO PAULO / SP - 1993 * DIA DA NOTÍCIA DE RENDIÇÃO E TRAIÇÃO IMINENTE NEGOCIANDO AS CONDIÇÕES DE RENDIÇÃO AOS ALIADOS DO IL DUCE ITALIANO FASCISTA BENITO MUSSOLINI APÓS QUEDA DO PODER E PRISÃO AO LÍDER ALEMÃO NAZISTA ADOLF HITLER DURANTE A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL EM ZAGREB DA CROÁCIA - 1943 * DIA NACIONAL DO QUEIJO - NATIONAL CHEESECAKE DAY DOS ESTADOS UNIDOS * DIA DA ENTREGA DO VESTIDO DE ENCONTRO AMOROSO DA ESTAGIÁRIA MONICA LEWINSKY COM O PRESIDENTE BILL CLINTON AO PROMOTOR KENNETH STAR NA CASA BRANCA EM WASHINGTON, D.C. - DISTRITO DE COLÚMBIA DOS ESTADOS UNIDOS - 1998 * DIA DA MORTE DO POETA E ROMANCISTA THOMAS GRAY POR VIOLENTO ATAQUE DE GOTA NO ESTÔMAGO EM CAMBRIDGE DA INGLATERRA - 1771 * DIA DA TRÍPLICE DEUSA INCA - GRANDE DEUSA QUE SE DESDOBRA EM MAMA KILLA, MAMA OGLLO E MAMA COCHA DA MITOLOGIA INCA DO PERU * DIA DA INDEPENDÊNCIA DA FRANÇA DE VANUATU - 1980 * DIA DA CONSTITUIÇÃO DE VANUATU - 1980 PARABÉNS A TODOS OS DEVOTOS, PRATICANTES, PROFISSIONAIS E CIDADÃOS DESTACADOS.
  • Voltando para casa na BR-174 estrada de Presidente Figueiredo . Pegando aquele vento forte no rosto. Tentando registrar uma foto entre Mae e filha rsrsrs . Para cada flash uma Surpresa rsrsrs


    Kristiina Silva adicionou 9 fotos.
    .
  • nikison souza

    em 08/06/2014 Via Youtube
    preparativo do 1 dia da 24 festa do cupuaçu. ( Presidente Figueiredo. AM.)

    Ensaios do 1 dia da festa do cupuaçu, entrem em meu canal q publicarei partes do show do Israel novaes, show principal.

  • nikison souza

    em 09/06/2014 Via Youtube
    show de Israel Novaes, na 24 festa do cupuaçu em Presidente Figueiredo. AM 2014.

    nos 3 dias de festa, o show mais esperado era o dele, israel novaes, show muito bom. em breve farei do gustavo lima.aguarde. e sigam meu canal aai.

  • EU NÃO QUERO QUE O BRASIL VIRE UMA CUBA...OU VENEZUELA....E VOCÊ??????????


    www.eset.com
    ESET.
    ESET software provides advanced proactive antivirus protection. Download the award-winning ESET NOD32 Antivirus or ESET Smart Security now!



  • Manoel Eduardo Tavares Ferreira compartilhou a foto de Jorge André Irion Jobim.
    Via Zequinha Maranhão Torres REVISTA VEJA É NAZISTA A revista veja defende Israel e Benjamin Netanyahu...e acusa o governo brasileiro de incompetência ! A Veja defende o assassino e condena o Itamaraty Veja adota posições cada vez mais extremistas e se alinha abertamente ao assassino. Revista sai em defesa do carniceiro Benjamin Netanyahu, que foi responsável pela morte de mais de mil pessoas nos últimos dias e capaz de bombardear até um hospital e uma escola das Nações Unidas Revista Veja se alinha ao assassino Benjamin Netanyahu ! Responsável pelo primeiro voto, em 1947, pela criação de Israel, o Brasil sempre foi um aliado da causa judaica. No entanto, a política externa do Itamaraty também sempre foi pautada pela defesa dos direitos humanos. Foi exatamente neste contexto que o chanceler Luiz Alberto Figueiredo divulgou uma nota em que condenava “energicamente” a ação desproporcional de Israel no conflito da Palestina, que, em menos de vinte dias, matou mais de mil pessoas. Neste período, o governo do chanceler Benjamin Netanyahu assassinou mulheres, crianças e foi capaz até de bombardear um hospital e uma escola da Organização das Nações Unidas, levando o secretário Ban-Ki-Moon a se dizer “estarrecido”. De acordo com as Nações Unidas, Netanyahu deve ser investigado por “crimes de guerra” e até mesmo o maior aliado de Israel, o governo dos Estados Unidos, tem se mostrado desconfortável com o banho de sangue. Ontem, o secretário de Estado, John Kerry, pediu uma trégua que impedisse a continuidade da matança. No entanto, Netanyahu tem, a seu lado, a família Civita, que edita a revista Veja, cuja capa desta semana se dedica a apontar o que seria o “apagão na diplomacia” e a “falência moral da política externa do governo Dilma”. Internamente, a revista aponta o que seriam sinais de “nanismo” do Itamaraty. Um desses, curiosamente, seria até a declaração do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, numa reunião do G-20, quando chamou o ex-presidente Lula de “o cara”. Ou seja: na lógica de Veja, um elogio de Obama no G-20, organismo que deve muito ao Brasil, diminuiria o País. VEJA TAMBÉM: Apenas 1 país votou contra a investigação do massacre de Israel na Palestina Com a capa desta semana, Veja se coloca à extrema direita e se isola até mesmo de seus leitores. Responsável pela formulação da política externa do candidato Aécio Neves (PSDB-MG), o embaixador Rubens Barbosa concordou com a posição adotada pelo Itamaraty. Neste sábado, a jornalista Mônica Bergamo também informa que o presidente da Confederação Israelita Brasileira, Claudio Lottenberg, se disse indignado com a grosseria do porta-voz Yigal Palmor, que chamou o Brasil de “anão diplomático”. Em editorial, o jornal Estado de S. Paulo condenou o que chamou de “baixaria israelense”. Veja, assim, se isola, assim como o carniceiro Benjamin Netanyahu. Os dois, na verdade, se merecem. SAIBA MAIS: PSDB apoia posicionamento do governo sobre massacre de Israel.
    Fotos da linha do tempo.



  • Francisco Gonçalves Souza Filho compartilhou a foto de Miguel Diniz.
    O PT oficial e o PT clandestino Escrito por Félix Maier | 25 Julho 2014 Artigos - Governo do PT Lula foi uma liderança sindical criada e incentivada pelo general Golbery do Couto e Silva, “o bruxinho que era bom”, para neutralizar o projeto político de Leonel Brizola junto à classe trabalhadora, quando ocorresse a redemocratização, assim como para neutralizar as lideranças da esquerda radical, de modo que os idos de março de 1964 não se repetissem. O “Lula secreto”, que no início dos anos 1970 tomou aulas de sindicalismo na Johns Hopkins University, nos EUA, sempre foi uma figura dúbia, de tal modo que Guido Mantega o considerava um “burguês” a serviço das montadoras e chegou até a boicotar um texto dele em um jornaleco esquerdista. Romeu Tuma Jr., no livro Assassinato de Reputações, afirma que Lula era um informante dos militares, conhecido como “Barba”, era amigo pessoal do delegado Romeu Tuma e, quando esteve preso, tinha muitas regalias, como não ficar atrás das grades, mas em uma espécie de prisão domiciliar. Passados esses anos todos, descobriu-se que Lula, o “cabo Anselmo do ABC”, conseguiu enganar a todos, a começar por Golbery, que acreditava ter ajudado a criar uma oposição “digerível”, o Partido dos Trabalhadores (PT). O “Barba” provou que não é um democrata, mas uma figura desprezível que se ligou a tiranos sanguinários comunistas, como Fidel Castro, para transformar toda a América Latina em uma nova União Soviética. A União das Nações Sul-Americanas (Unasul), por acaso, não lembra a URSS? O PT, em sua trajetória, sempre provou ser um partido autoritário, em que prevalece a ética leninista de que os fins almejados justificam os meios sujos utilizados. Provas? O PT não apoiou o candidato presidencial Tancredo Neves no Colégio Eleitoral, não assinou a Constituição de 1988, detonou o presidente Collor de Mello com seu “governo paralelo, instituiu o “orçamento participativo” em muitos municípios, tirando as prerrogativas dos vereadores, não apoiou Itamar Franco em um momento difícil, foi contra o Plano Real e a responsabilidade fiscal, – além de outros arroubos autoritários que veremos adiante. A história do PT é, principalmente, a história de Lula. Há o PT oficial (e o Lula oficial), propagado pela mídia, e o PT clandestino (e o Lula clandestino), escondido pela mídia. O PT oficial participou da Constituinte, embora tenha se negado a assinar a Constituição, por não ser stalinista como desejava. O PT clandestino quis retirar da Constituição a prerrogativa das Forças Armadas, no que diz respeito à garantia da lei e da ordem (GLO), com o intuito de enfraquecer a ultima ratio de defesa da democracia. Tanto é verdade que, quando Lula foi eleito presidente, seu governo criou a Força Nacional de Segurança, para substituir as Forças Armadas em ações internas. Em 1989, Lula foi o candidato a presidente do PT oficial. Derrotado nas urnas, entrou em ação o PT clandestino e seu desavergonhado “governo paralelo”, com o objetivo de derrubar Collor. Depois de ampla campanha contra o presidente, em que se destacou o serviço secreto do PT, dirigido pelo araponga cubano-brasileiro José Dirceu, com a criação de dossiês e enxurrada de denúncias obtidas por petistas enquistados no governo, Collor foi destituído da presidência. Durante a “CPI dos anões do Congresso”, Esperidião Amin apelidou o serviço secreto petista de “PTPol”, a Interpol do PT. Coitado de Collor! Comparado às falcatruas perpetradas por Lula e pelo PT até os dias de hoje, com destaques para o “mensalão” e o Pasadenagate, Collor não passa de um pivete pé de chinelo. Um fato grave do PT clandestino ocorreu naquela época, que não teve a devida repercussão na grande mídia. Um antigo guarda-costas de Fidel Castro, Juan Reinaldo Sánchez, autor do livro A vida secreta de Fidel, afirma que espiões cubanos participaram das campanhas presidenciais de Lula, desde 1989. E que os médicos cubanos, recém-contratados por Dilma Rousseff no programa Mais Médicos, não passam também de espiões a serviço de Cuba - um verdadeiro cavalo-de-troia comunista montado pelos “gregos” petistas, uma cunha cubana cravada no coração do Brasil. O PT oficial nasceu defendendo a ética e pedia CPI para tudo. No entanto, ao comandar as primeiras prefeituras, apareceu a força do PT clandestino, com denúncias de corrupção aos montes, seja em Ribeirão Preto (Antonio Palocci), seja em Santo André (Celso Daniel), ou em São José dos Campos (Ângela Guadagnin, a “dançarina da pizza”). Quando o petista Paulo de Tarso Venceslau, em 1997, denunciou as falcatruas de Lula e do PT, a única providência do PT foi expulsá-lo do partido, como é de praxe nesses casos. Provou-se que o PT é composto, não por donzelas puras, mas por vestais grávidas. Em 1990, após a derrubada do Muro de Berlim e o início da implosão da URSS, o PT clandestino entrou em ação com força total. Sem nada divulgar para a imprensa, Lula e Fidel Castro criaram o Foro de São Paulo, o qual tinha três objetivos imediatos: salvar o regime cubano, depois que Moscou deixou de remeter gorda mesada a Cuba, impedir o ingresso do México no NAFTA e eleger Lula presidente do Brasil. O objetivo estratégico do Foro, que engloba partidos políticos e movimentos esquerdistas em geral, além de grupos terroristas como as FARC, é comunizar toda a América Latina, tendo Cuba como farol ideológico. A Venezuela de Chavez-Maduro é o que hoje mais se aproxima desse objetivo final, seguido pela Bolívia de Evo Cocales, o Equador de Rafael Correa, a Argentina de Cristina Kirchner, a Nicarágua de Daniel Ortega e – last but not least – o Brasil de Lula-Dilma. O atual ministro das Relações Exteriores do PT oficial, embaixador Luiz Alberto Figueiredo Machado, é mera figura decorativa, depois que o Itamaraty foi jogado no limbo pelo PT, não servindo para nada. O Inglês, que é o Esperanto que deu certo, chegou a ser retirado da prova obrigatória de candidatos ao Itamaraty. Para que falar a língua de Shakespeare, se o cara sabe falar “nóis pega os peixe”? Como prova da subserviência do Itamaraty à ideologia bolivariana, vale lembrar os vergonhosos casos de ingerência do Brasil e da Unasul em assuntos externos, como o asilo político concedido ao presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaia, e a crise do impeachment do presidente Fernando Lugo, no Paraguai, ocasião em que se aproveitou para expulsar o Paraguai do Mercosul e acolher a Venezuela. Nem é preciso falar da posição do governo petista (“anão diplomático”) frente a Israel, sempre apoiando os terroristas do Hamas, como se o país judeu não tivesse o elementar direito de defender sua população contra os milhares de foguetes disparados de Gaza. No entanto, a direção da política internacional está com o ministro do PT clandestino, Marco Aurélio “top top” Garcia. Romeu Tuma Jr., em seu livro Assassinato de Reputações, enumera uma série de crimes cometidos pelo PT clandestino. Como exemplo, ele cita o caso insepulto de Celso Daniel, fazendo uma pergunta até hoje não respondida: “Por que Gilberto Carvalho ainda não caiu do caminhão?” Todos os brasileiros não comprometidos com o petralhismo esperam que esta e outras interrogações sejam respondidas no segundo livro de Tuma Jr., a ser publicado nas vésperas das eleições de outubro. Segundo Tuma Jr., até a Polícia Federal tem uma ala petista, que ele classifica de Gestapo do PT, cuja finalidade é confeccionar dossiês de adversários políticos. Ou seja, assassinar reputações. Vale lembrar os dossiês feitos pelos petralhas contra os candidatos presidenciais Roseane Sarney, José Serra, José Alckmin - além do próprio FHC. O PT clandestino atua há bastante tempo no mundo virtual, não só nestes tempos de ação webterrorista feita por Franklin Martins para alavancar a reeleição de Dilma Rousseff - com o auxílio prestimoso do petista de carteirinha José Dias Toffoli, ministro do STF e atual presidente do TSE, que impediu que as urnas eletrônicas passassem por um teste público. É crescente o uso da internet para ataques contra a imprensa e desafetos políticos, configurando-se verdadeira guerrilha digital. Um exemplo foi o “tuitaço” promovido por Rui Falcão, presidente do PT, e simpatizantes contra a revista Veja, que publica tanto os “malfeitos” da petralhada, quanto os dos tucanos. Eles utilizam robôs e perfis peões, para fazer crer que houve grande adesão a um movimento, como #vejabandida. O # (hashtag ou marcador) colocado na frente de uma palavra ou expressão compete por atenção na rede. Em 2011, o PT lançou o Núcleo de Militância em Ambientes Virtuais. “A utilização massiva da internet, das redes sociais e de blogueiros amestrados faz parte das táticas de engodo e manipulação da verdade no Brasil”. Na China, os “peões” que defendem o governo comunista recebem 50 centavos por cada inserção de apoio. No Brasil, quanto ganham os insetos da falconaria petralha para assassinar as reputações de Aécio Neves e Eduardo Campos? Até este insignificante escriba da internet é patrulhado por petistas. Um blog baba-ovo, com o nome de Os amigos do presidente Lula, colocou na internet a calúnia de que eu sou um “falsificador de cartas”. As cartas têm autoria, não inventei nada, apenas postei textos recebidos de colaboradores. Ainda estou pensando se processo ou não o difamador. Por ora, o link está aí, especialmente para o deleite dos petralhas, para que conheçam as cartas postadas por mim no site Usina de Letras e espumem de raiva. Hoje em dia, devido ao poder imperial que adquiriu, de feição fascista, sem uma oposição efetiva, o PT já realiza ações clandestinas à luz do sol. Um exemplo é o decreto nº 8243, assinado por Dilma Rousseff, de modo a instalar conselhos (sovietes) e comissões em todos os órgãos públicos. Tal decreto é apenas o eco de num outro decreto, feito por um órgão de hierarquia superior, ao qual o PT está inteiramente subjugado: o onagro vermelho que se chama Foro de S. Paulo. O jurista Ives Gandra alerta para o perigo de tal ignomínia ser colocada em prática, tirando as prerrogativas do Congresso Nacional. Na verdade, o decreto de Dilma segue o modelo bolivariano de assalto às instituições, de modo a implantar um governo totalitário no Brasil como o que existe em Cuba. Espero que os congressistas rejeitem tal patifaria. Outro projeto petista é convocar para setembro deste ano um plebiscito popular por uma constituinte exclusiva, de modo que o povo brasileiro dê carta branca ao projeto de acelerar a cubanização do País. Tal canalhice começou a ser levantada pelo PT depois das manifestações de junho de 2013 e agora toma novo fôlego. Por que o PT tem tanta pressa em realizar tal plebiscito? Como a reeleição de Dilma Rousseff não está garantida, com o crescimento de apoio da população aos candidatos Aécio Neves e Eduardo Campos, o PT quer acelerar o processo de comunização do País. Se o PT oficial realiza ações cada vez mais ousadas, às claras, tendo em vista tornar o Brasil um país comunista, tendo Cuba como modelo, o que estaria neste momento fazendo o PT clandestino? Importando armas de Cuba e da Venezuela para armar suas futuras milícias, a exemplo do MST, do mesmo modo como fazia o comunista Salvador Allende quando foi presidente do Chile? Não sei. Tratando-se do PT, o pior ainda pode acontecer, porque infelizmente estamos vivendo em uma autêntica República dos Bandidos.
    Fotos de Santander Brasil.
  • Lenora VM P

    em 30/07/2014
    novidade...


    Lenora VM P compartilhou a foto de Jorge André Irion Jobim.
    Via Zequinha Maranhão Torres REVISTA VEJA É NAZISTA A revista veja defende Israel e Benjamin Netanyahu...e acusa o governo brasileiro de incompetência ! A Veja defende o assassino e condena o Itamaraty Veja adota posições cada vez mais extremistas e se alinha abertamente ao assassino. Revista sai em defesa do carniceiro Benjamin Netanyahu, que foi responsável pela morte de mais de mil pessoas nos últimos dias e capaz de bombardear até um hospital e uma escola das Nações Unidas Revista Veja se alinha ao assassino Benjamin Netanyahu ! Responsável pelo primeiro voto, em 1947, pela criação de Israel, o Brasil sempre foi um aliado da causa judaica. No entanto, a política externa do Itamaraty também sempre foi pautada pela defesa dos direitos humanos. Foi exatamente neste contexto que o chanceler Luiz Alberto Figueiredo divulgou uma nota em que condenava “energicamente” a ação desproporcional de Israel no conflito da Palestina, que, em menos de vinte dias, matou mais de mil pessoas. Neste período, o governo do chanceler Benjamin Netanyahu assassinou mulheres, crianças e foi capaz até de bombardear um hospital e uma escola da Organização das Nações Unidas, levando o secretário Ban-Ki-Moon a se dizer “estarrecido”. De acordo com as Nações Unidas, Netanyahu deve ser investigado por “crimes de guerra” e até mesmo o maior aliado de Israel, o governo dos Estados Unidos, tem se mostrado desconfortável com o banho de sangue. Ontem, o secretário de Estado, John Kerry, pediu uma trégua que impedisse a continuidade da matança. No entanto, Netanyahu tem, a seu lado, a família Civita, que edita a revista Veja, cuja capa desta semana se dedica a apontar o que seria o “apagão na diplomacia” e a “falência moral da política externa do governo Dilma”. Internamente, a revista aponta o que seriam sinais de “nanismo” do Itamaraty. Um desses, curiosamente, seria até a declaração do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, numa reunião do G-20, quando chamou o ex-presidente Lula de “o cara”. Ou seja: na lógica de Veja, um elogio de Obama no G-20, organismo que deve muito ao Brasil, diminuiria o País. VEJA TAMBÉM: Apenas 1 país votou contra a investigação do massacre de Israel na Palestina Com a capa desta semana, Veja se coloca à extrema direita e se isola até mesmo de seus leitores. Responsável pela formulação da política externa do candidato Aécio Neves (PSDB-MG), o embaixador Rubens Barbosa concordou com a posição adotada pelo Itamaraty. Neste sábado, a jornalista Mônica Bergamo também informa que o presidente da Confederação Israelita Brasileira, Claudio Lottenberg, se disse indignado com a grosseria do porta-voz Yigal Palmor, que chamou o Brasil de “anão diplomático”. Em editorial, o jornal Estado de S. Paulo condenou o que chamou de “baixaria israelense”. Veja, assim, se isola, assim como o carniceiro Benjamin Netanyahu. Os dois, na verdade, se merecem. SAIBA MAIS: PSDB apoia posicionamento do governo sobre massacre de Israel.
    Fotos da linha do tempo.


  • Presidente Figueiredo - AM
    Domingão, sem chuva. Encontrei com a Karla às 9:55. o Bus (Aruana) sai as 10h. rsrs. São 2h de viagem em meio a muitas arvores. Muito legal. Onibus sem conforto nenhum. Chegando em Presidente Figuei...
  • BANDA MARRAKESH NA FESTA DO CUPUAÇU DE PRESIDENTE FIGUEIREDO EM 2014

    Contatos para shows: (92) 8109-1818/9229-6765 email: [email protected] twitter: @bandamarrakesh instagram cristianoosoares_ face: Cristiano soares.

  • Marta Silva

    em 08/01/2013 Via Google+


    Caverna Refugío do Maroaga e Gruta da Judéia – Presidente Figueiredo - AM
    A Caverna Refúgio do Maroaga é um dos lugares mais fascinantes de Presidente Figueiredo, no estado do Amazonas. Segundo a lenda, Maroaga foi um grande cacique da tribo dos Waimiri-Atroari, os quais de...
  • Wesley Silva

    em 15/01/2014 Via Google+
    Cachoeira do Santuário, em Presidente Figueiredo (AM)

    Cachoeira do Santuário, em Presidente Figueiredo (AM)
    Cachoeira do Santuário_Diego Soares.jpg
  • PT Guará

    em 30/07/2014



    PT Guará compartilhou a foto de Geraldo Magela.
    #EDUCAÇÃOPRAVALER #Magela133 apresentou o PL 21/08, convertido em MP 431/08, que beneficiou docentes e técnicos-administrativos das universidades federais. “A aprovação da MP 431 representa a consolidação de uma negociação muito positiva para os professores. Avanços históricos de reivindicações feitas pelos docentes foram alcançados. Gil Vicente Reis de Figueiredo, presidente do Fórum de Professores das Instituições Federais de Ensino Superior (Proifes). “Esta é mais uma iniciativa que se soma para colocar a educação verdadeiramente como prioridade neste país", diz o Reitor João Carlos Brahm Cousin (FURG), segundo vice-presidente da Andifes. #MagelaPraValer #Magela133 #SouMagela133
    Fotos da linha do tempo.
  • Eu vou hem.
    Marcileia Araujo compartilhou o evento de Banda Calypso.
    .
  • Lincoln Silva

    em 02/07/2014 Via Youtube
    Cachoeira do Santuário - Presidente Figueiredo/AM

    Coisa maravilhosa da natureza.

  • smichielon

    em 20/07/2014 Via Youtube
    2014 presidente Figueiredo

  • Girl swimming in water that springs from a geological fault (aquifer Trombetas) in the municipality of Presidente Figueiredo - Amazon, known as the king of the waters (to 107 kilometers from Manaus). These pure waters are practically free of impurities or substances. For this failure stems from the earth in various properties, one hulking water with less than 10 solid particles (elements or compounds) per liter and a market value priceless.
    Waters of this type are used in the pharmaceutical, for the manufacture of medicines, in special industries in the computer goods, the manufacture of certain computer chips, yet are ideal for consumers with problems of high blood pressure and kidney stones, because the amount solid waste is practically nil.

    PRESIDENTE FIGUEIREDO-AM; 19/03/2008; DESCOBERTA DE FONTE DE ÁGUA 100% PURA NAS PROXIMIDADE DE PRESIDENTE FIGUEIREDO. FOTO: CLÓVIS MIRANDA/ACRÍTICA
    Agua-Presidente_Figueiredo-Interior-Lagoa_Azul_ACRIMA20100718_0047_13.jpg
  • corredeira do urubui, Presidente Figueiredo

    uma descida na corredeira do urubui em Presidente Figueiredo, passei alguns ano da minha infância naquela cidade e quando tenho um tempinho...o meu destino é...

  • Cachoeira de Iracema - Presidente Figueiredo - Amazonas -Brasil (uma das CENTENAS de cachoeiras que este município tem). Localizado apenas a 107 km de Manaus...


  • Nomes como “Augustinho Carrara”, “Neymar Cover” e “Sósia do Presidente Figueiredo", candidatam - se para ocupar um lugar na Assembleia Legislativa. Pois é, Candidato nas eleições do Brasil é assim: PERSONAGEM DE TV. #assimficadificil



  • O LINHÃO E SUAS MAZELAS – II A Subestação da Linha de Transmissão, Manaus-Boa Vista, a ser instalada no Km 152 da BR-174, se destina a fornecer energia à pedreiras e à madeireiras que são atualmente os maiores instrumentos da depredação nesta área e sem um retorno para o município, além de arruinarem a rodovia, obrigando o povo a pagar permanentemente uma empresa de manutenção. Do município saem diariamente mais de 300 caçambas de minério sem fiscalização alguma. Além das pedreiras de brita ao longo da BR-174, o minério vem do Pitinga, uma das maiores minas de minérios estratégicos atualmente em atividade no mundo. Dela saem ouro, criolita, tântalo, ítrio, columbita, zirconita, estanho ou cassiterita e outros. Desde 1981, todos esses minérios saem desta mina, como cassiterita ou estanho. Entretanto, basta acompanhar a história da Paranapanema no Pitinga, para se constatar que não é só de cassiterita que ela vive. Assim, por exemplo, no dia 21 de setembro de 1989 o jornal A Crítica de Manaus sob o título “Matéria-prima não falta em Pitinga” noticiava: “Segundo o cel. Nelson Dornelles, assessor da presidência da empresa, a Mineração Taboca pretende, ainda, iniciar a exploração de outros minérios existentes na área como a columbita e tantalita, nióbio e terras raras. O custo do investimento, segundo Dornelles, é difícil de ser explicitado em valor estático, ‘embora possamos afirmar que até hoje já foram investidos mais de 180 milhões de dólares de recursos próprios da empresa nesse projeto, de 1982 até hoje” ao revelar que para este ano o nível de investimento está previsto para mais de 45 milhões de dólares e, nos anos subsequentes, os níveis de investimentos serão condizentes com os objetivos de ampliação do complexo.” E o jornal Amazonas em Tempo de 3 de janeiro de 1992, sob o título “Paranapanema investe US$ 22 milhões para produzir Criolita no Pitinga” refere que a empresa objetiva “na implantação de uma unidade com capacidade para produzir aproximadamente 25 toneladas por ano de criolita natural, um mineral utilizado como insumo pela indústria de alumínio e de abrasivos.” Refere ainda que o investimento colocará o Brasil em uma posição de destaque no cenário mundial, uma vez que o país poderá tornar-se o único produtor mundial do minério. A única produtora mundial deste mineral, a Groenlândia, paralisou suas atividades em 1989, devido a exaustão de suas reservas”. “Dentro de seis meses a Paranapanema terá concluído os estudos de pré-viabilidade técnico-econômica para a exploração comercial da reserva”. Até hoje não apareceu nem o volume explorado e muito menos quanto foi pago em royalties e impostos. Mas pode alguém crer que não houve nenhum retorno para a empresa além do estanho ou cassiterita com tanto investimento feito? No dia 27 de setembro de 1989 o vereador Serafim Corrêa denunciou: “em 1987, a Paranapanema faturou com a nossa cassiterita NCZ$ 1.789.500.069,00 (um bilhão setecentos e oitenta e nove milhões e quinhentos e sessenta e nove mil cruzados novos), enquanto a Prefeitura de Manaus, para dar de comer, beber, vestir, educar e cuidar de uma população acima de um milhão e trezentos mil habitantes recolheu NCz$ 1.300.000.000,00, ou seja, 37,61% a menos. É, portanto, uma cidade dentro da outra”. (Diário do Amazonas – 27-09-89). Um dia ouvi o Prefeito de Presidente Figueiredo se queixar na Câmara Municipal da nova direção da mineradora, hoje em mãos de estrangeiros, que a mesma já atuava há mais de um ano no município sem sequer se ter apresentado ao mandatário do município. E, na mesma oportunidade, um vereador afirmou que as firmas que exploravam as pedreiras no município não pagavam imposto algum, deixando apenas os buracos na estrada. Sobre os minérios que saem da mina do Pitinga não existem registros nos informativos nacionais e mundiais. E não existe fiscalização alguma, como refere o geógrafo da Universidade Federal do Amazonas, Professor José Aldemir de Oliveira em sua tese de doutorado, “Cidades na Selva”. Escreve o Prof. José Aldemir: [...] “o volume arrecadado parece estar aquém do devido, em decorrência da sonegação e da inércia do Estado que não criou mecanismos de fiscalização. Em 1991, a Associação Profissional dos Geólogos do Amazonas estimou a perda de receita, somente no projeto Pitinga, da ordem de US$ 63 milhões.”(p.176). ‘Um funcionário da SEFAZ - prossegue José Aldemir - descreveu o mecanismo de fiscalização: “Não sabemos na verdade quanto nem o que está sendo fiscalizado. Mesmo que parássemos as carretas e fiscalizássemos, teríamos dificuldades para identificar se o minério que a empresa diz ser cassiterita realmente o é. Então não fazemos nenhuma fiscalização. Mensalmente, um funcionário da Taboca nos telefona comunicando o número da guia e o valor correspondente que eles recolheram ao Banco referente ao imposto.” (p.177). E conclui: [O] “município de Presidente Figueiredo é sintomático, pois apesar de possuir o maior percentual de arrecadação de todo o interior do Estado, a cidade que lhe serve de sede nada tem, quer do ponto de vista urbanístico, quer do social, que a identifique como tal, sendo tão pobre quanto as demais cidades do interior do Amazonas. Esta contradição deve ser a base da análise dos grandes projetos na Amazônia, especialmente porque é a partir dela que o espaço é produzido. Há uma grande distancia entre os grandes projetos desenvolvidos na Amazônia e as populações locais. No caso específico aqui analisado, estabeleceu-se um processo de destruição da natureza e das relações sociais preexistentes. Numa primeira visão, pode-se dizer que nada de positivo foi introduzido na vida das pessoas. Ao contrario, retiraram-lhe parte das condições de sobrevivência, não apenas econômica, mas também social, cultural e política. “É como se elas não existissem ou, existindo, não tivessem direito ao reconhecimento de sua humanidade” (JOSÉ DE SOUZA MARTINS).[1] Ora, se a observação acima se refere ao controle de uma das mais importantes minas do país, que tipo de controle realmente ocorrerá sobre as pedreiras e as madeireiras da BR-174 que serão as favorecidas com a Subestação da Linha de Transmissão Manaus-Boa Vista a ser instalada na BR-174 no Km 152? Assim o Linhão, como a BR-174, são “veias abertas” da Amazônia e o nosso dinheiro vai sendo utilizado para construir absurdos que desde a sua concepção contradizem qualquer princípio humanitário. O conceito de desenvolvimento na Historia Oficial, portuguesa e brasileira, referente à Amazônia, tem ligação com a alienação dos povos da região, com o (des)envolvimento de sua terra e com a transferência das riquezas naturais para outras partes do mundo, sem objetivar o bem-estar da população local e regional. Casa da Cultura do Urubuí, 23 de julho de 2014, Egydio Schwade
    Fotos da linha do tempo.
  • Celso Grana

    em 30/07/2014
    É o Brasil !


    Antonio MaiaJunior.
    Se eu postasse isso no tempo da Repressão militar, eu seria no mínimo exilado, e depois seria um mártir , e agora, o que será, o que será ?......! O CUSTO DOS GENERAIS-PRESIDENTES São palavras de um repórter que não morre de amores pelos militares. Os 5 Generais Presidentes. Autor : jornalista CARLOS CHAGAS "Erros foram praticados durante o regime militar, eram tempos difíceis. Claro que, no reverso da medalha, foi promovida ampla modernização das nossas estruturas materiais. Fica para o historiador do futuro emitir a sentença para aqueles tempos bicudos." Mas uma evidência salta aos olhos: a honestidade pessoal de cada um! 1 - Quando Castelo Branco morreu num desastre de avião, verificaram os herdeiros que seu patrimônio limitava-se a um apartamento em Ipanema e umas poucas ações de empresas públicas e privadas. 2 - Costa e Silva, acometido por um derrame cerebral, recebeu de favor o privilégio de permanecer até o desenlace no palácio das Laranjeiras, deixando para a viúva a pensão de marechal e um apartamento em construção, em Copacabana. 3 - Garrastazu Médici dispunha, como herança de família, de uma fazenda de gado em Bagé, mas quando adoeceu precisou ser tratado no Hospital da Aeronáutica, no Galeão. 4 - Ernesto Geisel, antes de assumir a presidência da República, comprou o Sítio dos Cinamonos, em Teresópolis, que a filha vendeu para poder manter-se no apartamento de três quartos e sala, no Rio. 5 - João Figueiredo, depois de deixar o poder, não aguentou as despesas do Sítio do Dragão, em Petrópolis, vendendo primeiro os cavalos e depois a propriedade. Sua viúva, recentemente falecida, deixou um apartamento em São Conrado que os filhos agora colocaram à venda, ao que parece em estado de lamentável conservação. OBS: foi operado no Hospital dos Servidores do Estado, no Rio. Não é nada, não é nada, mas os cinco generais-presidentes até podem ter cometido erros, mas não se meteram em negócios, não enriqueceram nem receberam benesses de empreiteiras beneficiadas durante seus governos. Sequer criaram institutos destinados a preservar seus documentos ou agenciar contratos para consultorias e palestras regiamente remuneradas. Bem diferente dos tempos atuais, não é? Acrescento: NENHUM DELES mandou fazer um filme pseudo biográfico, pago com dinheiro público, de auto-exaltação e culto à própria personalidade! NENHUM DELES usou dinheiro público para fazer um parque homenageando a própria mãe. NENHUM DELES usou o hospital Sírio e Libanês. NENHUM DELES comprou avião de luxo no exterior. NENHUM DELES enviou nosso dinheiro para "ajudar" outro país. NENHUM DELES saiu de Brasília, ao fim do mandato, acompanhado por 11 caminhões lotados de toda espécie de móveis e objetos roubados. NENHUM DELES exaltou a ignorância. NENHUM DELES falava errado. NENHUM DELES apareceu embriagado em público. NENHUM DELES se mijou em público. NENHUM DELES passou a apoiar notórios desonestos depois de tê-los chamado de ladrões. BRASIL VOCÊ QUE SABE LER E ENTENDE O QUE LEU, COMENTE COM OS QUE NÃO SABEM. ELES PRECISAM SER INFORMADOS!!!
  • Local de Pesca Cacaia, Lago da Hidroelétrica de Balbina. Presidente Figueiredo - Am

AVISO: O conteúdo de cada postagem é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Previsão do tempo na Região


Participe e comente sobre a cidade de Presidente Figueiredo


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)