Início » Paraná » Ponta Grossa


Ponta Grossa - Paraná



Ponta Grossa é uma cidade localizada no centro do estado do Paraná, distante 103 quilômetros da capital Curitiba, com uma população de 317.339 habitantes. É o núcleo de uma das regiões mais populosas do Paraná: Campos Gerais do Paraná que tem uma população de mais de 1100000 habitantes (IBGE/2012) e o maior parque industrial do interior do estado. A cidade, também conhecida como "Princesa dos Campos", é a quarta (4°) mais populosa do Paraná e 76ª do Brasil.

O termo "Ponta Grossa" é derivado de sua fitogeografia, referindo-se a um capão de mato. Este local foi escolhido antecipadamente pelo capataz da Fazenda Bom Sucesso, Francisco Mulato, a pedido de Miguel da Rocha Ferreira Cavalhaes, para começar a construir um povoado (atualmente Ponta Grossa). Naquele momento Francisco Mulato teria expressado de uma linguagem bem informal, de escravo que mal sabia ler e escrever: "Sinhô sabe bem porque é encostado naquele capão que tem a ponta grossa". A sugestão do nome caiu no gosto de toda a população do atual município.

Ponta Grossa teve seu território palmilhado a partir do século XVI, quando os Campos Gerais foram cruzados por expedições espanholas que demandavam do litoral catarinense até Assunção, no Paraguai. Mais tarde foi sucessivamente movimentada por conta das bandeiras seiscentistas, notadamente as da preia indígena. Mas a posse efetiva da terra, com fins de ocupação e colonização, que resultou na fundação da cidade de Ponta Grossa, deu-se a partir de 1800, período em que os Campos Gerais estavam sob a jurisdição da Vila Nova de Castro.

História da cidade de PONTA GROSSA PARANá Monografia - nº 433 (3.a edição) Ano: 1969

ASPECTOS HistóricoS

As primeiras incursões de civilizados no território em que se situa atualmente o Município de Ponta Grossa teriam sido a da bandeira de Aleixo Garcia, em 1526, e a de Pero Lôbo e Francisco Chaves, em 1531. Em 1541, álvares Nuñes Cabeza de Vacca, a caminho de Assunção, percorreu os Campos Gerais e tomou contato com os silvícolas que habitavam as margens do Tibagi. Onze anos mais tarde, Ulrich Schniedel, com quatro soldados alemães e vinte índios paraguaios, atravessava essas paragens vindo de Assunção para São Vicente. Mas só em princípios do século XVIII teve início o povoamento, quando alguns paulistas, atraídos pela beleza da região e excelência das pastagens, estabeleceram suas fazendas de criação próximo aos rios Verde e Pitangui. O pioneiro teria sido o Capitão-Mor Pedro Taques de Almeida, que, tendo obtido a sesmaria da Conceição, aí construiu os primeiros currais, que passaram depois a pertencer a seu filho, o Capitão-Mor José de Góis e Morais.

Logo após, o Tenente-Coronel Domingos Teixeira de Azevedo fundou as fazendas de Santana de Itaiacoca e Botuquara. Os jesuítas, com a doação dos campos de Pitangui, erigiram uma capela sob a invocação de Santa Bárbara do Pitangui e iniciaram uma povoação, que progrediu até a época em que foram expulsos, entrando em decadência desde que as terras passaram para o domínio dos beneditinos do convento de Santos.

Então começaram a surgir propriedades que serviam de pouso às tropas que do Sul se destinavam a São Paulo, principalmente à grande feira de Sorocaba. Construíram os tropeiros um tôsco barracão, a que denominaram "casa-de-telhas", onde eram ministrados sacramentos e celebradas festas religiosas.

Prevendo o futuro da região, o Sargento-Mor Miguel da Rocha Ferreira Carvalhais propôs a fundação de um povoado. Sua proposta foi aceita, só divergindo as opiniões quanto à sede da povoação. Carvalhais então sugeriu a intervenção oracular de um casal de pombos, o qual, solto com uma laçada encarnada nos pés, veio pousar em uma cruz de madeira existente no alto do outeiro onde hoje se situa a catedral. Esse local, devido talvez à vegetação densa que o cobria, era chamado de Ponta Grossa .

O novo povoado tomou o nome de Estrela, mas a 15 de setembro de 1823 foi criada a freguesia, com a denominação de Ponta Grossa e sob a invocação de Santana. Foi elevada a Vila e a Município a 7 de abril de 1855. A 15 de abril de 1871, foi alterado seu nome para Pitangui, mas voltou a chamar-se Ponta Grossa a 5 de abril de 1872.

Em 1878, teve início a colonização russo-alemã, sob o patrocínio do Presidente Lamenha Lins,chegaram a Ponta Grossa 2381 russos-alemães que se estabeleceram na colõnia Octávio subdividida em 17 núcleos. A partir daí outros grupos foram chegando á cidade e a ela se integrando. Entre os de maior inportância estão os alemães, russos, austríacos, italianos, sírios e portugueses.

A importância da cidade provém em grande parte de sua localização estratégica: entroncamento rodo-ferroviário do interior do estado ligando as principais regiões econômicas e os centros políticos.

Em 1894, os trilhos da estrada de ferro vindos de Paranaguá atingiam a cidade. Em 1899 inaugurou-se a estrada de ferro São Paulo - Rio Grande com oficinas de manutenção em Ponta Grossa. Esta situação de entroncamento ferroviário fez com que Ponta Grossa no inicio do século XX atraisse grandes engenhos de erva-mate, além de olarias, beneficiamento de couro e madeira.

Formação Administrativa

A freguesia e o distrito foram criados por Alvará de 15 de setembro de 1823 e sob a invocação de Nossa Senhora de Santana. A Lei provincial n.° 34, de 7 de abril de 1855, elevou-a à categoria de Vila e Município, ocorrendo sua instalação a 6 de dezembro do mesmo ano.

A Lei provincial n.° 82, de 24 de março de 1862 conferiu-lhe foros de Cidade. A Lei n.° 281, de 15 de abril de 1871, alterou seu nome para Pitangui. Os legisladores reconsideraram o seu ato através da Lei n.° 309, de 5 de abril de 1872, pela qual voltou a denominar-se Ponta Grossa.

Originàriamente com um só distrito, no Censo de 1920 aparece com 2: Ponta Grossa (sede) e Itaiacoca (mais tarde Cerrado). Em 1938 (Decreto-lei estadual n.° 6.667, de 31 de março) aparece com mais um - o de Conchas (mais tarde Uvaia). Em virtude do Decreto-lei n.° 199, de 30 de dezembro de 1943, o seu território é acrescido de terras do Município de Castro e pelo de n.° 3.315, de 11 de setembro de 1957, ganhou do Município de Palmeira o distrito de Guaragi.

A Lei n.° 4.556, de 13 de março de 1962, criou o distrito de Periquitos, passando o Município a ser composto de 5 distritos: Ponta Grossa (sede), Guaragi, Itaiacoca, Periquitos e Uvaia.

A Comarca foi criada pela Lei provincial número 469, de 18 de abril de 1876, sendo instalada em ato solene, a 16 de dezembro do mesmo ano. A história registra, entretanto, que por Ato de 16 de abril de 1877 voltou a Termo de Castro, reconquistando, pouco depois, a categoria de Comarca pela Lei n.° 572, de 8 de abril de 1889. Desde 13 de março de 1962 é de 4.ª entrância.

Fonte: IBGE

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.



Síntese das Informações
Área da unidade territorial - 2016: 2.054,732: km²
Estabelecimentos de Saúde SUS: 78: estabelecimentos
Matrícula - Ensino fundamental - 2015: 50.663: matrículas
Matrícula - Ensino médio - 2015: 13.539: matrículas
Número de unidades locais: 14.072: unidades
Pessoal ocupado total: 100.785: pessoas
PIB per capita a preços correntes - 2014: 34.669,62: reais
População residente : 311.611: pessoas
População residente - Homens: 151.362: pessoas
População residente - Mulheres: 160.249: pessoas
População residente alfabetizada: 274.900: pessoas
População residente que frequentava creche ou escola : 95.051: pessoas
População residente, religião católica apostólica romana: 209.678: pessoas
População residente, religião espírita: 7.332: pessoas
População residente, religião evangélicas: 74.842: pessoas
Valor do rendimento nominal médio mensal dos domicílios particulares permanentes com rendimento domiciliar, por situação do domicílio - Rural: 1.384,84: reais
Valor do rendimento nominal médio mensal dos domicílios particulares permanentes com rendimento domiciliar, por situação do domicílio - Urbana: 2.909,01: reais
Valor do rendimento nominal mediano mensal per capita dos domicílios particulares permanentes - Rural: 377,00: reais
Valor do rendimento nominal mediano mensal per capita dos domicílios particulares permanentes - Urbana: 575,00: reais
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal - 2010 (IDHM 2010): 0,763:

Fonte:IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Ponta Grossa: Imagens da cidade e Região

As fotos fornecidas pelo Panoramio estão sobre direitos autorais de seus proprietários.

Você conhece a cidade de Ponta Grossa? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)






Compartilhe Esta Página: